domingo, 20 de novembro de 2011

ZONA DE “STRIKE”

É aquela área sobre o “home plate”, cujo limite superior é uma linha horizontal no ponto médio entre o topo dos ombros e o topo da calça do uniforme, e o limite inferior é uma linha na parte mais baixa da rótula do joelho.

A zona de “strike” deve ser determinada:

(1)   De acordo com a postura habitual do batedor quando ele se prepara para rebater uma bola arremessada. (O árbitro não deve ser enganado por um batedor que, com o intuito de confundi-lo, assume uma postura diferente daquela que adota normalmente.)  

(2)   Levando em consideração os limites sobre o “home plate” e os limites superior e inferior em relação ao batedor. A decisão quanto aos limites sobre o “home plate” não deve variar, pois esses limites correspondem às dimensões da placa; são, portanto, absolutamente constantes. Já os limites superior e inferior em relação ao batedor são variáveis de acordo com a estatura e as características de cada batedor. Podemos dizer que, na prática, a zona de “strike” é determinada de acordo com o critério de cada árbitro, ou seja, é o espaço que o árbitro determina baseando-se num padrão imaginário que ele julgue estar de acordo com a regra.

Como outras pessoas, além do árbitro --arremessador, receptor, batedor, técnico, “coach”, espectador etc.--, têm também o seu padrão de zona de “strike” (cada um diferente do outro), os comentários e/ou as críticas sobre a decisão (“ball” ou “strike”) do árbitro de “home” nem sempre coincidem.

Sem comentários:

Enviar um comentário