quinta-feira, 31 de março de 2022

COMO ELIMINAR UM CORREDOR

As duas maneiras mais comuns de eliminar um corredor são:

a) Numa jogada forçada, um defensor toca a base enquanto mantém a bola em sua mão ou luva, ou toca o corredor com a mão ou luva que está segurando a bola.

No momento em que o batedor se torna um batedor-corredor, o corredor que se encontra na 1ª base deve desocupá-la e avançar à 2ª base. Se nesse momento houver um corredor na 2ª base, tal corredor deverá igualmente avançar; e se houver corredor também na 3ª base, idem. Quando isso ocorre, estamos diante de uma Jogada Forçada.

(Jogada Forçada: O batedor tornou-se um batedor-corredor e forçou o avanço do corredor da 1ª base à 2ª base. O corredor da 1ª base será eliminado se um defensor tocá-lo, ou tocar a 2ª base, antes que ele chegue à base.)

(Não é Jogada Forçada: Corredor na 1ª base. O batedor-corredor foi eliminado antes de chegar à 1ª base. Nesse caso, o corredor que está tentando alcançar a 2ª base tem de ser tocado para ser eliminado.) 

b) Enquanto a bola está viva, um defensor toca legalmente –com a mão ou com a luva que está segurando a bola– um corredor que não está em contato com uma base.

quarta-feira, 30 de março de 2022

BATEDOR ELIMINADO POR AÇÃO ILEGAL

O batedor é eliminado por ação ilegal quando:

a) rebate o arremesso, colocando um ou ambos os pés no solo completamente fora do “batter’s box” (as linhas demarcatórias fazem parte do “batter’s box”);

b) muda de um “batter’s box” para outro enquanto o arremessador está posicionado legalmente e pronto para arremessar.

c) atrapalha o receptor que está tentando fazer uma jogada no “home plate”;

d) usa ou tenta usar um “bat” que, na opinião do árbitro, tenha sido alterado ou adulterado com o propósito de melhorar o fator distância ou causar uma reação anormal na bola. Isso inclui os “bats” que tenham sido recheados, de superfície plana, pregados, tornados ocos, com ranhuras, ou cobertos com substâncias, como parafina, cera, etc..

O batedor deve ser eliminado em uma apelação quando um companheiro da equipe toma e completa a sua vez de bater. O técnico da outra equipe tem de reclamar ao árbitro, antes do primeiro arremesso ao batedor seguinte, ou antes de qualquer jogada ou tentativa de jogada.

terça-feira, 29 de março de 2022

RECICLAGEM 2022

A última etapa da Reciclagem 2022 ocorreu nesse final de semana no Anhanguera Nikkei Clube (ANC), em Santana de Parnaíba-SP.

No sábado, dia 26/03/2022, estiveram presentes 19 árbitros novos para a Clínica.

E no domingo, dia 27/03/2022, tivemos a Reciclagem com total de 21 árbitros.

Agradecemos a colaboração de Julio Itikawa, Edinilson Silveira e Jorge Hidaka pela realização desse evento.

segunda-feira, 28 de março de 2022

INTERFERÊNCIA

Pode ser cometida pela equipe na ofensiva ou defensiva, pelo árbitro ou por espectadores. Em qualquer Interferência a bola torna-se morta.

a) Interferência da Ofensiva: É um ato mediante o qual um membro da equipe na ofensiva interfere, estorva, impede, prejudica ou confunde um jogador da defensiva que está tentando fazer uma jogada. Se o árbitro eliminar o batedor, o batedor-corredor ou o corredor, por Interferência, todos os outros corredores deverão retornar à última base que, na sua opinião, havia sido tocada legalmente no momento em que ocorreu a infração, a menos que alguma coisa diferente esteja prevista nas regras. Caso o batedor-corredor não tenha tocado a 1ª base, todos os corredores devem retornar à última base que ocupavam no momento do arremesso.

A Interferência da Ofensiva pode ser cometida em forma de contato físico, distração verbal, distração visual, ou de qualquer forma de distração que possa estorvar o defensor que está executando uma jogada. Quando ocorre uma Interferência da Ofensiva, alguém deve ser eliminado: o batedor, o batedor-corredor, o corredor infrator, o corredor que está mais perto do “home plate”, etc.. Algumas vezes podem ocorrer duas eliminações num mesmo lance.

Exemplo de Interferência em forma de distração verbal: Corredor na 2ª base. O batedor rebateu um “fly” ao espaço entre o interbases e o defensor da 3ª base. Quando os defensores convergiam na direção da bola, o corredor gritou: “deixe para mim”. Os dois pararam, e a bola foi ao solo.

Exemplo de Interferência em forma de distração visual: Corredor na 2ª base. Rebatida “ground” na direção do interbases. Quando o defensor estava se preparando para apanhar a bola, o corredor parou por um instante na sua frente e atrapalhou a jogada.

b) Interferência da Defensiva: É um ato mediante o qual um jogador da defensiva estorva um batedor ou impede que ele rebata um arremesso.

c) Interferência do Árbitro: Ocorre quando:

1) o árbitro de “home” estorva, impede ou prejudica um lançamento do receptor no momento em que ele está tentando evitar um “roubo” de base; ou

2) uma bola “fair” que não tenha passado um defensor, exceto o arremessador, toca um árbitro, em território “fair”.

Exemplos de lances que não são considerados Interferência do Árbitro;

(1) o árbitro de “home"" estorva o receptor que está tentando apanhar uma bola “fly”.

(2) O árbitro da 2ª base atrapalha uma jogada ao ser atingido por uma bola lançada.

d) Interferência do Espectador: Ocorre quando um espectador estica os braços para dentro do campo, ou entra no campo, e toca uma bola em jogo.

domingo, 27 de março de 2022

“INFIELD FLY

Aplica-se a regra de “Infield Fly” quando o batedor acerta um “fair fly” que pode ser apanhado por um defensor do campo interno, com um esforço normal, na seguinte situação:

a) a 1ª base e a 2ª base estão ocupadas, ou as bases estão cheias; 

b) há menos de duas eliminações.

(O batedor levantou um “fair fly” ao tentar executar um “bunt”. Nesse caso, não se aplica a regra de “Infield Fly”. A regra de “Infield Fly” não deve ser aplicada também num “line drive”.)

c) tenta rebater o 3º “strike”, inclusive por meio de “bunt”, e a bola toca qualquer parte do seu corpo;

d) após rebater o arremesso para o território “fair”, é atingido pela bola, antes que ela tenha contato com um defensor –incluindo o arremessador–, a menos que ainda esteja no “batter’s box”;

e) após acertar uma rebatida “fair”, inclusive por meio de “bunt”, seu “bat” atinge a bola, pela segunda vez, em território “fair”;

(Mas, se uma bola “fair” rola contra o “bat” que o batedor-corredor deixa caído no solo, em território “fair”, ele não deve ser declarado eliminado, a menos que tenha havido qualquer intenção de mudar o curso dessa bola, na opinião do árbitro. A bola continua viva e em jogo.)

f) após rebater o arremesso para o território “foul”, inclusive por meio de “bunt”, desvia de alguma maneira, e intencionalmente, o curso da bola ainda não declarada “foul”, enquanto corre para a 1ª base;

g) no 3º “strike” não agarrado pelo receptor –naquele caso em que pode correr para 1ª base–, ou após rebater o arremesso para o território “fair”, é tocado com a bola (na mão ou dentro da luva) por um defensor, antes de chegar à 1ª base;

h) no 3º “strike” não agarrado pelo receptor –naquele caso em que pode correr para a 1ª base–, ou após rebater o arremesso para o território “fair”, a 1ª base é tocada pelo defensor que apanha a bola lançada a essa base, antes que ele (batedor) toque a “almofada”;

i) o defensor que está sobre a 1ª base apanha uma bola “ground”, em território “fair”, antes que ele (batedor) toque a “almofada”;

j) ao correr a última metade da distância entre o “home base” e a 1ª base, sai à direita da faixa de três pés, ou entra em território “fair” (à esquerda da linha de “foul”), e, na opinião do árbitro, interfere na jogada do defensor que está recebendo a bola lançada à 1ª base, ou na ação do defensor que está tentando apanhar uma bola rebatida.

l) na opinião do árbitro, um corredor precedente atrapalha, intencionalmente, um defensor que está tentando apanhar uma bola lançada ou fazer um lançamento para completar alguma jogada.

m) a Interferência de um espectador impede, claramente, que um defensor apanhe uma bola “fly”.

n) Se o árbitro achar que um defensor do campo interno derrubou, intencionalmente, um “fly” ou “line drive”, em território “fair”, depois de ter tocado a bola com uma ou ambas as mãos, o batedor deverá ser eliminado automaticamente. Aplica-se esta regra quando, com menos de duas eliminações, há corredor na 1ª base/na 1ª base e 2ª base/na 1ª base e 3ª base/ou as bases estão cheias. A bola torna-se morta e o(s) corredor(es) deve(m) retornar a sua(s) base(s) original(is).

sábado, 26 de março de 2022

REGRA DO TERCEIRO “STRIKE”

Sob esta regra, três “strikes” nem sempre eliminam o batedor. Se o receptor derrubar a bola: a) quando a 1ª base está desocupada, ou b) quando a 1ª base está ocupada, mas com dois “outs”, o batedor não será eliminado; ele poderá correr para a 1ª base. Para eliminar o batedor, o receptor terá de tocá-lo com a bola ou lançar (a bola) à 1ª base. Se, com menos de dois “outs”, o receptor derrubar a bola quando a 1ª base está ocupada, o batedor será eliminado automaticamente. Esta regra foi criada para evitar que o receptor derrube a bola do 3º “strike” com o propósito de executar uma jogada dupla.

Há outras maneiras de eliminar um batedor:

O batedor é eliminado quando:

a) um “bunt” executado depois de dois “strikes” resulta em “foul ball”.

b) é declarado um “Infield Fly”.

ARBITRAGEM EM BEISEBOL (PARA CATEGORIAS MENORES) - 28

 MECÂNICA PARA O SISTEMA DE QUATRO

ÁRBITROS

(Trabalho elaborado pela Associação dos Árbitros de Beisebol do Japão) 

MOVIMENTAÇÃO DOS ÁRBITROS

COM AS BASES CHEIAS 

(3) QUANDO O ÁRBITRO DA 1ª BASE VAI

 ATRÁS DA BOLA REBATIDA PARA O ESPAÇO

 ENTRE O JARDINEIRO CENTRAL E A CERCA

 LATERAL DO JARDIM DIREITO

Arbitro de “home”: Preparar-se para uma jogada no “home base”.

Árbitro da 1ª base: Ir atrás da bola rebatida; não deve retornar até a jogada ser concluída.

Árbitro da 2ª base: Dar alguns passos para trás (“step back”), verificar o “tag-up” dos corredores da 1ª base e 2ª base e preparar-se para todas as jogadas na 1ª base/2ª base.

Árbitro da 3ª base: Verificar o “tag-up” do corredor da 3ª base. Verificar também se o corredor da 2ª base pisa a 3ª base. Preparar-se para uma jogada na 3ª base.

sexta-feira, 25 de março de 2022

COMO ELIMINAR UM BATEDOR

As duas maneiras mais comuns de eliminar um batedor são: a) Um defensor apanha legalmente uma bola “fly” (“fair” ou “foul”). “Fly” é uma bola r ebatida que toma altura em sua trajetória para o ar.

PEGADA LEGAL (“CATCH”)

Uma pegada é legal quando um defensor apanha uma bola em voo e consegue retê-la em sua mão ou luva. Se a bola estiver apenas sustentada no(s) braço(s) do defensor, ou se a queda ao solo for evitada por alguma parte do seu corpo, equipamento ou roupa, a pegada não estará concluída até que ela seja agarrada com a mão ou luva. Uma pegada não é considerada legal se um defensor, no momento em que apanha a bola, ou imediatamente após ter contato com a bola, colide com um outro defensor ou muro, ou cai ao solo, e, em decorrência de tal colisão ou queda, derruba-a. A pegada não é legal quando uma bola “fly” que tem contato com um defensor atinge um membro da equipe na ofensiva ou um arbitro e, em seguida, é agarrada por um outro jogador da defensiva. Se o defensor apanha a bola e derruba-a no momento de fazer o lançamento, deve-se decidir que houve uma pegada legal. Para que a pegada seja considerada válida, o defensor deve reter a bola na mão ou luva por algum tempo e provar que teve controle absoluto sobre ela. Uma pegada é legal quando uma bola que tenha sido tocada por um defensor é apanhada por um outro jogador da defensiva, antes de cair ao solo.

(O defensor apanhou a bola sustentando-a no braço. A pegada não é válida.)

(O defensor apanhou a bola, mas derrubou-a ao colidir com o companheiro. Essa pegada não é válida.)

(O defensor apanhou a bola, e no momento em que estava efetuando o lançamento ela escapou de sua mão e foi ao solo. Pegada legal.)

b) O terceiro “strike” é legalmente agarrado pelo receptor.

AGARRADO LEGALMENTE

Significa que o receptor agarrou a bola antes de ela tocar o solo. Uma pegada não será legal se a bola se alojar na roupa ou equipamento do receptor, ou se ela tocar o árbitro, sendo, em seguida, apanhada pelo receptor, no rebote.

ARBITRAGEM EM BEISEBOL (PARA CATEGORIAS MENORES) - 27

MECÂNICA PARA O SISTEMA DE QUATRO

ÁRBITROS

(Trabalho elaborado pela Associação dos Árbitros de Beisebol do Japão) 

MOVIMENTAÇÃO DOS ÁRBITROS

COM AS BASES CHEIAS 

(2) QUANDO O ÁRBITRO DA 3ª BASE VAI

 ATRÁS DA BOLA REBATIDA PARA O ESPAÇO

 ENTRE O JARDINEIRO CENTRAL E A CERCA

 LATERAL DO JARDIM ESQUERDO

 (Caso em que os corredores fazem “tag-up”)

Árbitro de “home”: Verificar o “tag-up” do corredor da 3ª base e preparar-se para uma jogada no “home base”.

Árbitro da 1ª base: Verificar o “tag-up” do corredor da 1ª base e preparar-se para uma jogada na 2ª base.

Árbitro da 2ª base: Verificar o “tag-up” do corredor da 2ª base, mover-se na direção da 3ª base e preparar-se para uma jogada na 3ª base.

Árbitro da 3ª base: Ir atrás da bola rebatida; não deve retornar até a jogada ser concluída. 

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE BEISEBOL E SOFTBOL - COMUNICADO

Regulamento – XXV Campeonato Brasileiro de Softbol Feminino Sub13 – 2021

Acesse: cbbs.com.br

quinta-feira, 24 de março de 2022

BATEDOR

Quando o árbitro de “home” chama o batedor, este deve entrar imediatamente no “batter’s box” e se preparar para rebater o arremesso.

O batedor não deve sair do “batter’s box” depois que o arremessador assume a Posição Set” ou inicia o “Wind Up”.

ARBITRAGEM EM BEISEBOL (PARA CATEGORIAS MENORES) - 26

  MECÂNICA PARA O SISTEMA DE QUATRO

ÁRBITROS

(Trabalho elaborado pela Associação dos Árbitros de Beisebol do Japão) 

MOVIMENTAÇÃO DOS ÁRBITROS

COM AS BASES CHEIAS 

(1) QUANDO O ÁRBITRO DA 3ª BASE VAI ATRÁS DA BOLA REBATIDA PARA O ESPAÇO ENTRE O JARDINEIRO CENTRAL E A CERCA LATERAL DO JARDIM ESQUERDO

Árbitro de “home”: Verificar o “tag-up” do corredor da 3ª base e preparar-se para uma jogada no “home base”.

Árbitro da 1ª base: Mover-se para dentro do quadrilátero e verificar se o batedor-corredor pisa a 1ª base. Verificar também se o corredor da 1ª base pisa a 2ª base. Preparar-se para uma jogada na 1ª base/2ª base.

Árbitro da 2ª base: Verificar se o corredor da 2ª base pisa a 3ª base e preparar-se para uma jogada na 3ª base.

Árbitro da 3ª base: Ir atrás da bola rebatida; não deve retornar até a jogada ser concluída.

quarta-feira, 23 de março de 2022

"OUT"

É o termo que o árbitro usa para declarar que um jogador da ofensiva (batedor, batedor-corredor ou corredor) está eliminado. São necessárias três eliminações para que as equipes se alternem na ofensiva e na defensiva.

ARBITRAGEM EM BEISEBOL (PARA CATEGORIAS MENORES) - 25

 MECÂNICA PARA O SISTEMA DE QUATRO

ÁRBITROS

(Trabalho elaborado pela Associação dos Árbitros de Beisebol do Japão) 

MOVIMENTAÇÃO DOS ÁRBITROS

COM CORREDOR NA 2ª BASE E 3ª BASE

(3) QUANDO O ÁRBITRO DA 1ª BASE VAI ATRÁS DA BOLA REBATIDA PARA O ESPAÇO ENTRE O JARDINEIRO CENTRAL E A CERCA LATERAL DO JARDIM DIREITO

Árbitro de “home”: Permanecer no “home base” e preparar-se

para uma jogada nessa base.

Árbitro da 1ª base: Ir atrás da bola rebatida; não deve retornar

 até a jogada ser concluída.

Árbitro da 2ª base: Dar alguns passos para trás (“step back”) e

 preparar-se para todas as jogadas na 1ª base/2ª base.

Árbitro da 3ª base: Verificar o “tag-up” do corredor da 3ª base.

 Verificar também se o corredor da 2ª base pisa a 3ª base.

 Preparar-se para todas as jogadas na 3ª base.

terça-feira, 22 de março de 2022

TERRITÓRIO “FOUL”

É aquela parte do campo de jogo situada fora das linhas da 1ª base e 3ª base, estendidas até a borda inferior da cerca do fundo e perpendicularmente para cima.

(Uma bola rebatida deve ser julgada –se é “fair” ou “foul”– de acordo com a posição da bola em relação à linha de “foul”, incluindo o poste de “foul”, e não pela posição do defensor –se ele estava em território “fair” ou “foul”– no momento em que tocou a bola.)

ARBITRAGEM EM BEISEBOL (PARA CATEGORIAS MENORES) - 24

MECÂNICA PARA O SISTEMA DE QUATRO

ÁRBITROS

(Trabalho elaborado pela Associação dos Árbitros de Beisebol do Japão) 

MOVIMENTAÇÃO DOS ÁRBITROS

COM CORREDOR NA 2ª BASE E 3ª BASE

(2) QUANDO O ÁRBITRO DA 3ª BASE VAI ATRÁS DA BOLA REBATIDA PARA O ESPAÇO ENTRE O JARDINEIRO CENTRAL E A CERCA LATERAL DO JARDIM ESQUERDO

(Caso em que os corredores fazem "tag-up")

Árbitro de “home”: Verificar o “tag-up” do corredor da 3ª base e preparar-se para uma jogada no “home base”.

Árbitro da 1ª base: Verificar se o batedor-corredor pisa a 1ª base e preparar-se para uma jogada na 1ª base/2ª base.

Árbitro da 2ª base: Verificar o “tag-up” do corredor da 2ª base, mover-se na direção da 3ª base e preparar-se para uma jogada na 3ª base.

Árbitro da 3ª base: Ir atrás da bola rebatida; não deve retornar até a jogada ser concluída.

segunda-feira, 21 de março de 2022

BOLA “FOUL”

É uma bola rebatida que:

a) para em território “foul” entre o “home base” e a 1ª base, ou entre o “home base” e a 3ª base;

b) está em ou sobre território “foul” quando passa, rolando ou pulando, pela 1ª base ou 3ª base;

c) cai primeiro em território “foul” além da 1ª base ou 3ª base;

d) enquanto está em ou sobre território “foul”, toca o corpo de um árbitro ou jogador ou qualquer objeto estranho ao terreno natural.

RECICLAGEM 2022

No dia 19/03/2022 estivemos no Nippon Blue Jays para a Clínica para novos árbitros que contou com 11 árbitros novos.

E no domingo, dia 20/03/2022, tivemos a Reciclagem com total de 33 árbitros.

Agradecemos a colaboração de Milson Aoki e Fabio Sakai pela realização desse evento.

Próxima etapa da Reciclagem 2022:

26 e 27/03/2022 - Anhanguera

ARBITRAGEM EM BEISEBOL (PARA CATEGORIAS MENORES) - 23

MECÂNICA PARA O SISTEMA DE QUATRO

ÁRBITROS

(Trabalho elaborado pela Associação dos Árbitros de Beisebol do Japão) 

MOVIMENTAÇÃO DOS ÁRBITROS

COM CORREDOR NA 2ª BASE E 3ª BASE

(1) QUANDO O ÁRBITRO DA 3ª BASE VAI ATRÁS DA BOLA REBATIDA PARA O ESPAÇO ENTRE O JARDINEIRO CENTRAL E A CERCA LATERAL DO JARDIM ESQUERDO

Árbitro de “home”: Permanecer no “home base”.

Árbitro da 1ª base: Verificar se o batedor-corredor pisa a 1ª base e preparar-se para uma jogada na 1ª base/2ª base.

Árbitro da 2ª base: Mover-se na direção da 3ª base, verificar se o corredor da 2ª base pisa a 3ª base e preparar-se para uma jogada na 3ª base.

Árbitro da 3ª base: Ir atrás da bola rebatida; não deve retornar até a jogada ser concluída.

domingo, 20 de março de 2022

TERRITÓRIO “FAIR”

É aquela parte dentro do campo de jogo, incluindo as linhas da 1ª base e 3ª base, que vai do “home base” até a borda inferior da cerca do fundo e perpendicularmente para cima. As linhas de “foul” e as bases fazem parte do território “fair”.

(A bola rebatida tocou a 1ª base antes de ir para o território “foul”. É uma rebatida “fair”. )

(A bola rebatida tocou a linha de cal no jardim direito. É uma

 bola “fair” –as linhas de “foul” fazem parte do território “fair”.)

ARBITRAGEM EM BEISEBOL (PARA CATEGORIAS MENORES) - 22

   MECÂNICA PARA O SISTEMA DE QUATRO

 ÁRBITROS

(Trabalho elaborado pela Associação dos Árbitros de Beisebol do Japão) 

MOVIMENTAÇÃO DOS ÁRBITROS

COM CORREDOR NA 1ª BASE E 3ª BASE

(2) QUANDO O ÁRBITRO DA 1ª BASE VAI ATRÁS DA BOLA

 REBATIDA PARA O ESPAÇO ENTRE O JARDINEIRO

 CENTRAL E A CERCA LATERAL DO JARDIM DIREITO

Árbitro de “home”: Permanecer no “home base”.

Árbitro da 1ª base: Ir atrás da bola rebatida; não deve retornar até a jogada ser concluída.

Árbitro da 2ª base: Dar alguns passos para trás (“step back”) e verificar se o corredor da 1ª base pisa a 2ª base. Verificar também se o batedor-corredor pisa a 1ª base. Preparar-se para todas as jogadas na 1ª base/2ª base.

Árbitro da 3ª base: Preparar-se para uma jogada na 3ª base.