terça-feira, 17 de março de 2015

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

1) Corredor na 1ª base, nenhum “out”, "ball count" (contagem de arremessos): 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). O batedor fez “swing” para tentar rebater o arremesso seguinte, mas o “bat” nem sequer tocou a bola (“strikeout”). Nesse momento o corredor arrancou em direção à 2ª base. O receptor levantou-se, e quando se preparou para fazer o lançamento, seu braço teve contato com a máscara do árbitro; apesar disso, conseguiu jogar a bola. O corredor foi declarado “safe”. Após se reunir com seus companheiros, o árbitro de “home” admitiu ter estorvado a jogada do receptor e mandou o corredor retornar à 1ª base. O jogo foi reiniciado com corredor na 1ª base, um “out”.
 
 
 
2) Corredor na 1ª base, dois eliminados, contagem de arremessos: 1 – 0 (um “ball” – nenhum “strike”). O corredor disparou em direção à 2ª base. No momento em que o receptor se preparou para lançar,  o árbitro estorvou-o; em razão disso o lançamento saiu descontrolado  –a bola foi rolando na direção do interbases. O árbitro de “home” levantou os braços e ‘matou’ a bola; o corredor foi mandado de volta à 1ª base. O jogo teve prosseguimento com corredor na 1ª base, contagem de arremessos: 2 – 0 (dois "balls" - nenhum "strike"). 
 

 Se o lançamento do receptor tivesse eliminado o corredor, a Interferência seria desconsiderada, e se tivesse provocado um princípio de “run-down play” (jogada de perseguição), seria declarado “TIME”, imediatamente, e o corredor, mandado de volta à 1ª base.

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (INTERFERÊNCIA) (c), 5.09 (b) – vide NOTAS]

Sem comentários:

Enviar um comentário