terça-feira, 1 de novembro de 2016

CASOS QUE ACONTECERAM NO JOGO FINAL DO CAMPEONATO DA LIGA SÃO PAULO DE BEISEBOL, REALIZADO NO DIA 30/10/2016 NO ESTÁDIO MIE NISHI

1) Arremessador na Posição “Set” lançou à 1ª base (“pick-off play”*), sem dar um passo diretamente em direção à base (ele apenas mudou a direção do pé livre). Foi declarado um “balk”.

Enquanto está tocando o “pitcher’s plate”, o arremessador tem de dar um passo diretamente na direção de uma base antes de lançar a essa base. Se ele muda a direção do pé livre, ou gira sobre esse pé sem realmente dar um passo, deve ser declarado um “balk”.

Para dar o passo a uma base, o arremessador tem de levantar o pé livre inteiro do solo e abaixá-lo num local diferente de onde foi iniciado o movimento, e tal pé deve estar direcionado à base. O pé livre inteiro tem de ser movimentado numa direção, de forma que ele fique voltado para a base. Isto constituirá um passo. Ele não é autorizado a levantar o pé livre e trazê-lo de volta ao mesmo ponto de onde foi iniciado o movimento. Ao dar o passo, o calcanhar do pé livre não pode voltar ao mesmo ponto de onde o pé foi levantado.

[Comentário – Regra 8.05 (c); Manual do Árbitro da N.A.P.B.L – National Association of Professional Baseball Leagues ]

*“Pick-Off Play” é aquela jogada em que o arremessador tenta segurar o corredor na base, ou eliminar o corredor que está fora da base. “Pick-Off Play” = ‘Kensei’. 

2) Corredor na 1ª base, um eliminado. Rebatida “ground” na direção do interbases. Este efetuou a defesa e lançou à 2ª base. No momento em que o defensor da 2ª base se preparou para tentar um “double play” (jogada dupla), o corredor –já eliminado– estorvou-o. O batedor-corredor foi declarado “out”.

Foi aplicada a Regra 7.09 (e).

Sem comentários:

Enviar um comentário