sexta-feira, 6 de novembro de 2015

ALTERAÇÕES NAS REGRAS OFICIAIS DE SOFTBOL PARA 2014-2017

Estas são as principais alterações nas Regras de Jogo da ISF. Há outras mudanças não apresentadas aqui, que não afetam o propósito ou sentido das regras; elas  simplesmente envolvem questões gramaticais, construção de frases ou palavras esclarecedoras.
 
Algumas alterações estão repetidas em outras subseções de regras para facilitar o entendimento de uma regra.

1) Regra 1 – Seção 2

Seção 2. “APPEAL PLAY”.
Uma apelação com bola viva ou morta é uma jogada ou situação em que um árbitro não pode dar uma decisão, a menos que seja solicitada por um técnico, “coach” ou jogador da equipe não infratora. 

Nota: Um “coach” ou técnico pode apelar somente com bola morta, e isso depois de entrar no campo de jogo.

Comentário: A frase da Nota foi separada do texto que atualmente define “Appeal Play”, já que ela não é parte dessa definição. Colocando a frase numa Nota, fica mais claro quando um “coach” ou técnico pode fazer uma apelação. 

Exemplo: O “coach” da Equipe “A” grita do “dugout” que o batedor anterior da Equipe “B” batera fora de ordem. O árbitro permite que o batedor seguinte entre no “batter’s box”, e o arremessador executa um arremesso, que é declarado  “ball”. O “coach” da Equipe “A”, então, entra no campo e argumenta que o árbitro de “home” devia ter atendido à sua apelação sobre o batedor fora de ordem. A reclamação, porém, não é levada em consideração, porque, como o “coach” não entrou no campo para se manifestar antes do próximo arremesso, a Equipe “A” perdera o direito de apelar. O árbitro decidiu corretamente. 

2) Regra 1 – Seção 51

Seção 51. “INELIGIBLE REPLACEMENT PLAYER” (JOGADOR IMPEDIDO DE ATUAR COMO JOGADOR DE EMERGÊNCIA)

É aquele que NÃO pode substituir um jogador que tem de deixar o jogo para cuidar de um ferimento que tenha causado hemorragia. É um jogador que:
a. Foi removido do jogo por um árbitro, por violação de regras.  
b. Está atuando no jogo naquele momento.
c. Não está atuando no jogo naquele momento, mas tem condição de reingressar no jogo.
 
Comentário: Um jogador abridor que fora substituído mas ainda tem condição de reingressar não pode ser um Jogador de Emergência de acordo com a Regra 4 – Seção 11.

Exemplo: No 5º “inning”, o Jogador “A” tem sangramento ao cortar-se durante uma jogada. O “coach” do Jogador “A” solicita a utilização de um Jogador de Emergência porque não há possibilidade de a hemorragia ser estancada dentro de um tempo razoável. O “coach” pergunta ao árbitro se pode usar o Jogador “B”, que iniciou como abridor mas foi substituído no 3º “inning”. O árbitro responde-lhe que não, uma vez que o Jogador “B” tem ainda condição de reingressar no jogo. Um substituto que não está mais no jogo, ou um jogador abridor que tenha sido substituído duas vezes, pode ser usado como um Jogador de Emergência.

3) Regra 1 – Seção 97 

Seção 97. “TEMPORARY RUNNER” (CORREDOR TEMPORÁRIO) (SOMENTE AR).
Corredor Temporário é um jogador que pode correr no lugar do receptor –que está atuando no jogo– quando este, com dois “outs”, está ocupando uma base. O uso de Corredor Temporário é opcional para o “coach” da equipe na ofensiva. O Corredor Temporário tem de ser o jogador que, no momento em que o “coach” opta pelo seu uso, é o último da ordem de batedores e não está ocupando uma base.
  
Comentário: Num esforço para acelerar o jogo, um jogador pode ser usado como corredor no lugar do receptor que está ocupando uma base quando há dois eliminados. Assim, o receptor terá tempo para se preparar e estar pronto para receber os arremessos de aquecimento no início do próximo “inning”.

Exemplo: No 1º “inning”, o Jogador “A”, primeiro batedor no “line-up”, acerta uma rebatida indefensável de uma base (“single”); o Jogador “B”, segundo batedor, é eliminado rebatendo um “fly”; o Jogador “C”, terceiro batedor, acerta um “single”; agora há corredor na 1ª base e 2ª base. O Jogador “D”, quarto batedor, é eliminado num “fly” (dois “outs”). O Jogador “E”, receptor e quinto batedor, acerta um “single”. Bases lotadas com dois “outs”. O “coach” da equipe na ofensiva aproxima-se dos árbitros e manifesta seu desejo de optar pelo uso de um corredor temporário no lugar do Jogador “E”, o receptor. O Jogador “D”, quarto batedor, é agora o último batedor no “line-up” e não está ocupando uma base; assim, ele pode ser usado como corredor temporário.

4) Regra 2 – Seção 4h – NOTA (h)

h. Se o corredor ficar sobre a porção "foul" somente após retornar à porção "fair", ele será considerado como se não estivesse em contato com a base, e poderá ser eliminado se
1. for tocado com a bola, ou
2. permanecer na porção “foul” da base, enquanto o arremessador, de posse da bola, está  dentro do círculo do arremessador.

Comentário: Esclarece quando um corredor que permanece na porção “foul” da base dupla pode ser declarado “out”. 

Exemplo: Rebatida indefensável de uma base (“single”) para o jardim direito. O batedor-corredor ultrapassa a 1ª base, e assim que retorna (à base), permanece na porção “foul” da base dupla.  O defensor da 1ª base, que está de posse da bola, dá um toque nele. O árbitro declara-o “safe”, uma vez que ele já havia retornado à 1ª base e o arremessador não estava de posse da bola dentro do círculo do arremessador. Decisão correta. 

5) Regra 3 – Seção 3

g. Em jogo da modalidade Arremesso Lento Co-ed, batedores têm de rebater arremessos feitos com bola de 12”, e batedoras, com bola de 11”.

EFEITO – Seção 3g: Se for usada uma bola incorreta, a ofensiva terá a opção de aceitar o resultado da jogada ou solicitar que seja feito novo arremesso usando bola apropriada, com a mesma contagem de “ball” e “strike”.

h. Jogadores –na modalidade Arremesso Lento Masculino (adultos)– e jogadoras –na   modalidade Arremesso Lento Co-ed (adultas) usarão bola de 30,5cm (12”), COR .47 ou menos, com 375 libras de compressão, ou COR .52 com 300 libras de compressão. 

Comentário: Na modalidade Arremesso Lento Co-ed usa-se diferentes níveis de tamanho de bola.

Exemplo: Equipe “A” arremessa bola de 12” a uma batedora da Equipe “B”, e esta acerta uma rebatida indefensável (“base hit”) de duas bases. Quando a bola retorna ao campo interno (“infield”), o árbitro percebe que a bola é de 12”. Corretamente, dá ao “coach” da Equipe “B” o direito de optar entre aceitar o resultado da jogada ou solicitar que seja feito novo arremesso, usando bola de tamanho certo.  O “coach” da Equipe “B” opta pelo resultado da jogada.

6) Regra 3 – Seção 4

b. A luva do arremessador pode ter qualquer combinação de cores, desde que nenhuma delas (incluindo os cordões) seja igual à cor da bola. Luvas usadas por qualquer jogador, exceto o arremessador, podem ter qualquer combinação de cores.

Comentário: Com exceção do arremessador, todos os jogadores podem usar luva que tenha ou contenha a cor da bola.

Exemplos:
1.      Na primeira metade do 1º “inning”, num jogo que está usando a bola de tom amarelo, todos os jogadores da Equipe “A”, incluindo o arremessador, entram no campo para defender, usando luvas que têm cordões da cor da bola.  O árbitro, corretamente, pede que somente o arremessador use uma luva diferente que não tenha ou contenha a cor da bola.

2.     O arremessador entra no campo usando uma luva branca. A bola que está sendo utilizada no jogo é a de tom amarelo. A luva do arremessador é legal. 

7) Regra 3 – Seção 6
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO: Batedor e batedor-corredor podem usar protetor de perna e braço. 

Comentário: Nossas regras nada dizem a respeito de uso de equipamento de proteção por batedor. 

Exemplo: O batedor está usando um equipamento de proteção no cotovelo. Ele chega “safe” à 1ª base através de uma rebatida. No momento em que toda a jogada é concluída, o árbitro declara “TIME” e, corretamente, manda o batedor-corredor –que está sobre a 1ª base– remover o equipamento de proteção que está usando no cotovelo.

8) Regra 3 – Seção 8

b. CAMISETAS. Jogadores podem usar uma camiseta de cor uniforme (pode ser branca). Não é necessário que todos os jogadores usem camiseta quando um deles está usando, mas as que estão sendo usadas têm de ser semelhantes. Nenhum jogador pode usar camiseta que tenha as mangas expostas à vista desgastadas, desfiadas ou rasgadas.

NOTA: Pode ser usada uma manga de aquecimento (compressão), porém ela será tratada da mesma forma que uma camiseta de mangas compridas. Ambos os braços  têm de ser cobertos e ambas as mangas têm de ser da mesma cor da camiseta de mangas compridas usada por jogadores. 

Comentário: As camisetas podem ser de qualquer cor, mas as que estão sendo usadas devem ser da mesma cor e ter mangas com o mesmo comprimento. Os jogadores podem usar uma manga de aquecimento ou compressão, desde que ambos os braços sejam cobertos. Essa peça deve ser da mesma cor e ter o mesmo comprimento das mangas da camiseta. As camisetas não mais precisam ser de cor firme. 

Exemplo: Na primeira metade do 1º “inning”, o árbitro percebe que seis dos jogadores da Equipe “A” estão na defensiva usando camisetas com mangas compridas vermelhas, dois não estão usando camiseta e um está usando camiseta com mangas curtas de cor azul. O árbitro avisa o “coach” da equipe “A” que o jogador que está usando a camiseta com mangas curtas de cor azul tem de retirá-la; avisa também que ele tem duas opções: ou usa uma camiseta com mangas compridas vermelhas ou fica sem camiseta. 
  
9) Regra 3 – Seção 8

g. ADORNOS QUE PODEM  CAUSAR DISTRAÇÃO. Nenhuma peça exposta, incluindo joia, que, na opinião do árbitro, pode causar distração a jogadores da equipe adversária pode ser usada ou ostentada. O árbitro deve mandar retirá-la ou cobri-la. Braceletes e/ou colares com fins medicinais podem ser usados, mas se o árbitro  julgar que eles podem causar distração, deverá ordenar que sejam presos ao corpo de tal maneira que a informação sobre os fins medicinais dessas peças fique visível. 

Comentário: Permite que um árbitro mande retirar ou cobrir joias que estão causando distração a outro jogador. Jogadores são responsáveis por sua própria segurança e pela segurança de outros jogadores. 

Exemplo: Um árbitro pode julgar que o colar do arremessador, que está refletindo luz,  está causando distração aos batedores, e pode pedir-lhe que o retire ou o cubra. 

10) Regra 4 – Seção 5f
NOTA: Quando o Jogador FLEX joga na ofensiva no lugar do Jogador Designado, este é considerado ter deixado o jogo e pode reingressar uma vez ao seu lugar na ordem de batedores.

Esta alteração tem de ser comunicada ao árbitro de “home”.

e

Regra 4 – Seção 5h
NOTA: Quando o JD joga na defensiva no lugar do FLEX, este é considerado ter deixado o jogo e pode reingressar uma vez na décima posição na folha de escalação ou no lugar do Jogador Designado. Esta alteração tem de ser comunicada ao árbitro de “home”.

Comentário: Esclarece que quando o JD joga no lugar do FLEX e quando o FLEX joga no lugar do JD, o jogador substituído (FLEX ou JD) é julgado ter deixado o jogo, e a equipe fica com a quantidade de jogadores reduzida para nove. O jogador que deixou o jogo pode reingressar uma vez.

Exemplo: No 3º “inning”, o JD da Equipe “A” joga na 3ª base no lugar do FLEX. O FLEX então é considerado ter deixado o jogo, e a Equipe “A” está agora jogando com nove jogadores.  O JD está jogando na ofensiva e na defensiva. No 5º “inning”, a Equipe “A” reingressa o FLEX para jogar na 3ª base. O árbitro, corretamente, permite isso. A Equipe “A” está agora jogando novamente com 10 jogadores. O JD está jogando somente na ofensiva, e o FLEX , somente na defensiva. 

11) Regra 4 – Seção 7 – EFEITO – Seção 7a-c:

NOTA: Qualquer ação que ocorra enquanto o Illegal Re-Entry (jogador que reingressa ilegalmente) está no jogo é tratada pela Regra 4 – Seção 8g-4 – EFEITO – Seções 2-4. 

Comentário: Se ocorre um Illegal Re-Entry, as ações do jogador ilegal enquanto ele está no jogo são tratadas pela Regra 4 – Seção 8g-4 – EFEITO – Seções 2-4, da mesma maneira que ações de um substituto ilegal são tratadas.

Exemplo: Não é necessário esclarecimento através de exemplo. 

12) Regra 4 – Seção 12

Seção 12 . CORREDOR TEMPORÁRIO (SOMENTE AR).

O uso de um Corredor Temporário para um receptor que está atuando no jogo, quando este, com dois “outs”, está ocupando uma base, é legal.  Devem ser aplicadas as seguintes disposições: 

(a)   É opcional para o técnico da equipe na ofensiva;

(b)   O Corredor Temporário pode ser usado a qualquer momento depois que ocorre a segunda eliminação; 

(c)    O Corredor Temporário é o jogador que, no momento em que o técnico opta pelo seu uso, é o último da ordem de batedores e não está ocupando uma base. 
NOTA: Se um jogador incorreto é usado como Corredor Temporário, o erro deve ser corrigido no momento em que é percebido, sem penalidade.
Comentário: Num esforço para acelerar o jogo, um jogador pode ser usado como corredor no lugar do receptor que está ocupando uma base quando há dois eliminados. Assim, o receptor terá tempo para se preparar e estar pronto para receber os arremessos de aquecimento no início do próximo “inning”.
Exemplo: No 1º “inning”, o Jogador “A”, primeiro batedor da ordem de batedores, acerta uma rebatida indefensável de uma base (“single”); o Jogador “B”, segundo batedor, é eliminado rebatendo um “fly”; o Jogador “C”, terceiro batedor, acerta um “single”; agora há corredor na 1ª base e 2ª base. O Jogador “D”, quarto batedor, é eliminado num “fly” (dois “outs”). O Jogador “E”, receptor e quinto batedor, acerta um “single”. Bases lotadas com dois “outs”. O técnico da equipe na ofensiva aproxima-se dos árbitros e manifesta seu desejo de optar pelo uso de um corredor temporário no lugar do Jogador “E”, o receptor. O Jogador “D”, quarto batedor, é agora o último batedor na ordem de batedores e não está ocupando uma base; assim, ele pode ser usado como corredor temporário.
13) Regra 4 – Seção 13

Seção 13. INFRAÇÕES E PENALIDADES.
a. Membros de uma equipe não devem (a) desrespeitar, criticar ou insultar jogadores adversários, funcionários ou espectadores; (b) fazer comentários para/ou sobre eles; ou (c) cometer outros atos que possam ser considerados conduta antiesportiva.  
   
b. A penalidade por infração a esta norma por membro de uma equipe deve ser:
1.      Na primeira infração, o transgressor pode ser advertido.

2.      Na segunda infração, ou se a primeira infração é considerada muito grave pelo árbitro, o infrator deve ser EXPULSO. 
NOTA: Se o técnico é expulso de um jogo, ele deve submeter ao árbitro o nome da pessoa que o substituirá pelo resto do jogo.
c. Membro de uma equipe EXPULSO do jogo deve ir diretamente para o vestiário e lá permanecer pelo resto do jogo, ou deixar o campo. 
d. Se a pessoa assim EXPULSA não deixar o jogo imediatamente, justificará um confisco do jogo.
e. Um árbitro encarregado pode comunicar a um membro da equipe casos de conduta ofensiva/abuso verbal ou físico a qualquer momento depois de o jogo ser encerrado, e o membro da equipe informado deve manifestar-se antes da organização sob a qual o jogo ou torneio está sendo realizado. 
 
Comentário: A seção de penalidade foi mudada da Regra 10 para Regra 4, que é mais apropriada. Eliminar a opção ‘remover do jogo por conduta antiesportiva’. As ações antiesportivas agora resultarão em uma expulsão.
Exemplo: Não é necessário esclarecimento através de exemplo.
14) Regra 5 – Seção 3f

5. Se, depois de uma advertência do árbitro, qualquer das regras do jogo é violada propositadamente
EXCEÇÃO: Se o arremessador continuar infringindo repetidamente os regulamentos sobre o arremesso, ele deverá ser removido de sua posição pelo resto do jogo.
Comentário: Em situações nas quais um arremessador continua arremessando ilegalmente, esta alteração permite que o árbitro o remova de sua posição sem ter de confiscar o jogo. 
Exemplo: O arremessador da Equipe “A” continua arremessando ilegalmente. Após declarar vários arremessos ilegais, o árbitro avisa o “coach” da Equipe “A” que o arremessador será removido de sua posição e não poderá mais arremessar. O árbitro procedeu corretamente. 
 
15) Regra 6 – Seção 3

NOTA (h-i): Não é um passo se o arremessador desliza um dos pés através do "pitcher's plate", desde que seja mantido o contato com a placa e não haja um movimento para trás e para fora da placa. Levantar o pé de apoio do "pitcher's plate" e retorná-lo ao “plate”, criando um movimento de impulso –balançando o corpo para cima e para baixo–, é um ato ilegal.
j. O pé de apoio tem de permanecer em contato com o "pitcher's plate", ou pode desprender-se e arrastar-se para fora da placa, ou estar no ar, antes que o pé livre toque o solo.
NOTA: O arremessador pode saltar do “pitcher’s plate”, recair sobre o mesmo lugar e, com um movimento contínuo, efetuar o arremesso. O pé de apoio pode desprender-se e/ou arrastar-se para fora da placa com seu movimento contínuo. Isso não é considerado um “Crow Hop”.
k. É legal arrastar, saltar ou pular, e depois, após recair sobre o mesmo lugar, efetuar o arremesso, contanto que o impulso inicial seja dado do “pitcher’s plate”. Não é legal dar um passo para fora com o pé de apoio e depois arrastar, saltar ou pular e arremessar.
l. Enquanto o arremessador impulsiona do “pitcher’s plate”, todo o movimento do braço com o qual arremessa tem de ser contínuo. 
Comentário: Esclarece a regra para que o pé dos arremessadores possa ser movimentado para qualquer direção, desde que o contato com o “pitcher’s plate” seja mantido. Outras alterações são melhor enunciadas para alinhar com a maneira de o arremessador executar o arremesso.
  
Exemplo: Não é necessário esclarecimento através de exemplo.
16) Regra 6 – Seção 9a (Segunda Sentença)

No início de cada metade de “inning” (depois do primeiro “inning”), o arremessador do “inning” anterior deve ter um (1) minuto para fazer três (3) arremessos de aquecimento. Se esse tempo (um minuto) tiver expirado, ou estiver prestes a expirar, o árbitro deve permitir que o arremessador faça somente um (1) arremesso de aquecimento.
NOTA: Se, quando o receptor está sobre uma base, no “batter’s box”, ou no círculo do batedor seguinte, a defensiva não usa outro jogador para receber os arremessos de aquecimento, o arremessador deve ser autorizado a fazer somente um (1) arremesso de aquecimento.
EXCEÇÃO 1: Um novo arremessador deve ter um (1) minuto para efetuar cinco (5) arremessos de aquecimento.
Comentário: Arremessadores e receptores estavam levando muito tempo para se aquecerem entre “innings”. Se arremessadores e receptores estiverem demorando muito, o árbitro poderá permitir somente um arremesso de aquecimento.
Exemplo: Depois da última eliminação da primeira metade do 2º “inning”, o arremessador da Equipe “A” foi conversar com o “coach”. O receptor da Equipe “A” está no “home plate”. O arremessador conversa com seu “coach” por um (1) minuto. O árbitro, corretamente, autoriza somente um arremesso de aquecimento.  
17) Regra 7 – Seção 1

c. Pode posicionar-se dentro do Círculo do Batedor Seguinte que lhe ofereça mais segurança (no círculo que fica atrás do batedor). 
Comentário: Esta alteração é para garantir a segurança do batedor seguinte.  
Exemplo: Não é necessário esclarecimento através de exemplo.
18) Regra 7 – Seção 2d – EFEITO – Seção 2c-d – 2 (c)

NOTA: Se o batedor que bate fora de ordem é declarado “out”, ele não deve bater novamente no mesmo “inning” até que todos os outros batedores na ordem de batedores tenham completado a sua vez de bater. Se sua vez de bater ocorre antes disso, deve bater aquele que o segue na ordem de batedores.
Comentário: Esclarece quando um batedor fora de ordem eliminado pode bater novamente.
Exemplo: Nenhum “out”. B3 é o batedor correto, mas B4 bate na sua vez e é eliminado rebatendo um “fly” em direção à 1ª base. A equipe na defensiva apela sobre o erro na ordem de batedores. O árbitro concorda e elimina B3.  O batedor correto agora é B4, porém como ele foi eliminado quando bateu fora de ordem, B5 é o batedor seguinte correto e B4 não bate outra vez até que todos os batedores tenham completado a sua vez de bater. 
19) Regra 7 – Seção 3

d. Após entrar no “batter’s box”, o batedor tem que permanecer dentro dele, entre arremessos, mantendo pelo menos um pé dentro do “box”, inclusive quando está recebendo  as senhas do “coach”  ou exercitando “swings”.
 
EXCEÇÃO para Seção 3d:
1.      Se a bola é rebatida –“fair” ou “foul”.

2. Se, num “swing”, ou numa tentativa de “swing” –que inclui um “slap” ou ““swing” interrompido–, o batedor sai do “batter’s box” ao movimentar o corpo.

3.      Se, devido à natureza do arremesso, o batedor é forçado a sair do “box”.

4.      (SOMENTE AR) Se ocorre um “wild pitch” ou “passed ball”.

5.      Se um jogador da defensiva tenta uma jogada sobre um corredor em qualquer base.

6.      Se o árbitro declara “TIME”.

7.  Se o arremessador deixa o Círculo do Arremessador (SOMENTE AR) ou o receptor sai do “catcher’s box”.

8.  Se, com três “balls” a seu favor, o batedor, achando que o arremesso seguinte (um “strike”) é “ball”, dá alguns passos em direção à 1ª base. 
EFEITO – Seção 3d:
Se o batedor deixa o “batter’s box” e retarda o jogo,  e nenhuma das exceções acima relacionadas é aplicada, o árbitro deve declarar um “strike”, sem que o arremessador tenha de efetuar o arremesso. A bola torna-se morta.
Comentário: Para ajudar a acelerar o jogo, o árbitro deve manter o batedor dentro do “batter’s box” tanto quanto possível.
Exemplos:
1.      O Batedor “A”, que havia saído do “batter’s box” quando o árbitro declarou o primeiro “strike”, retorna (ao “box”) antes de o receptor devolver a bola ao arremessador. O “coach” da outra equipe reclama e pede ao árbitro de “home” que seja contado um “strike” ao batedor; o árbitro, porém, não atende à sua solicitação porque o Batedor “A” não estava retardando o jogo. Procedimento correto.

2.    “Ball count”: um “strike”. O Batedor “B” sai do “batter’s box” e vai andando em direção ao “coach” para receber instruções. O arremessador está de posse da bola e se encontra dentro do círculo do arremessador; o receptor está devidamente posicionado no “catcher’s box”. O árbitro de “home” declara “TIME” e conta um “strike” adicional contra o batedor. Procedimento correto.
20) Regra 8 – Seção 1

Seção 1. O BATEDOR TORNA-SE UM BATEDOR-CORREDOR
a. Quando acerta uma rebatida “fair” ou “foul” legalmente.
Comentário: Um batedor torna-se um batedor-corredor quando rebate um arremesso –“fair” ou “foul ball”. 
 
Exemplo: Numa bola “fair”, ele é um batedor-corredor até chegar “safe” à 1ª base ou ser eliminado antes da 1ª base. Numa bola “foul”, ele é um batedor-corredor até ser eliminado num “fly” apanhado no ar ou até que toda a jogada tenha sido concluída. 
21) Regra 8 – Seção 1g

4. Tem contato com um defensor que está em território de bola morta, e na opinião do árbitro ela teria passado sobre a cerca em território “fair”.
 e
 Regra 8 – Seção 1g – EFEITO – Seção 1g – EXCEÇÃO

4. Uma bola rebatida “fair” tem contato com um defensor que está em território de bola morta e, na opinião do árbitro, ela não teria passado sobre a cerca em território “fair”, o batedor-corredor deve ser autorizado a avançar duas bases a partir de onde estava no momento do arremesso.
Comentário: Jogadores podem deixar o campo de jogo no “outfield” (campo externo) e fazer contato com uma bola em jogo enquanto está ainda em território de bola morta. 
Exemplo: O jardineiro central pula sobre uma pequena cerca no campo externo e, antes de retornar ao campo de jogo, estende o braço e apanha a bola. Na opinião do árbitro, (a) a bola teria passado sobre a cerca em território “fair” se não tivesse sido tocada, ou (b) a bola não teria passado sobre a cerca em território “fair”. Em (a) o árbitro deve conceder um “home run”. Em (b) o árbitro deve conceder a 2ª base ao batedor-corredor. 
22) Regra 8 – Seção 2h

h. Quando interfere, intencionalmente, numa jogada no "home plate" para tentar impedir uma eliminação evidente nessa base.
NOTA: O corredor também é eliminado.
e
Regra 8 – Seção 2k

k. Quando um membro da equipe na ofensiva que não seja um batedor, batedor-corredor, corredor ou Batedor Seguinte interfere na ação de um defensor que está tentando apanhar uma bola rebatida “fly” sobre o território “foul” ou numa bola rebatida “fly” sobre o território “foul” que um defensor está tentando apanhar.
EXCEÇÃO: Se essa Interferência, na opinião do árbitro, é cometida intencionalmente para tentar impedir uma jogada dupla, o corredor que está mais perto do “home” deve ser também declarado eliminado.
Comentário: Com a alteração, fica estabelecido que a Interferência no “home plate”, ou na ação de um defensor que está tentando apanhar um “foul fly”, ou num “foul fly” que um defensor está tentando apanhar, tem de ser intencional.
Exemplo (Regra 8 – Seção 2h): No momento em que o corredor da 3ª base está avançando para “home”, o batedor-corredor permanece no “home plate” para estorvar o receptor que está preparado para receber a bola que está sendo lançada pelo interbases. O árbitro de “home” declara “TIME” e elimina o batedor-corredor pela falta cometida (Interferência intencional). O corredor da 3ª base também é “out”.
Exemplo (Regra 8 – Seção 2k): Com um “out” e corredor na 2ª base, o batedor rebate um “fly”, que o defensor da 3ª base apanharia facilmente nas proximidades do “dugout” da equipe na ofensiva. O corredor da 2ª base, que estava indo em direção à 3ª base achando que já havia dois eliminados, tropeça no meio do caminho entre a 2ª  e a 3ª bases e vai ao solo. Vendo isso, um jogador sai do “dugout” e desvia a bola para longe do defensor da 3ª base. O árbitro de “home” ‘mata’ a bola e declara uma Interferência intencional; em seguida, elimina o batedor-corredor e o corredor que estava na 2ª base. 
23) Regra 8 – Seção 9 
  
aa) Quando corredores mudam de posições nas bases.
EFEITO – Seção 9aa: Esta é uma Jogada de Apelação. Cada corredor que tiver mudado de posições nas bases será declarado eliminado no momento em que a falta cometida é descoberta, se a defensiva apelar corretamente, e o  “Coach” Principal (técnico) será expulso por conduta antiesportiva. A ordem de eliminações deve ser determinada pela posição dos corredores imediatamente depois da mudança. O corredor que mudou de bases e está mais perto do “home plate” depois da mudança deve ser declarado “out” primeiro; o próximo corredor que mudou de bases e é o segundo mais próximo do “home plate” deve ser o segundo a ser eliminado; e assim por diante. 
Comentário: Esclarece a ordem em que corredores devem ser declarados eliminados quando mudam de posições nas bases.  
Exemplo: Não é necessário esclarecimento através de exemplo.
Tradução:
Associação de Árbitros e Anotadores de Beisebol e Softbo do Brasil - AAABSB, com participação  de Patrícia Ogata Hamamoto, Árbitra Internacional credenciada pela FIS – Federação Internacional de Softbol  (ISF – International Softball Federation)

Sem comentários:

Enviar um comentário