sábado, 31 de dezembro de 2011

JOGADA NULA

O mais emocionante lance ocorrido num jogo entre Mets e Giants, em 1989, foi uma jogada nula.

Ernie Riles do Giants estava na 1ª base e Kirt Manwaring era o batedor, quando havia duas eliminações. Randy Myers, o arremessador substituto do Mets, deu uma parada completa após o “stretch”, olhou o corredor e arremessou para “home”. Nesse momento, Riles arrancou em direção à 2ª base. Manwaring girou o “bat”, mas não conseguiu rebater o arremesso. O receptor Barry Lyons, ao tentar eliminar Riles, fez um lançamento descontrolado –a bola foi parar no jardim central.  

Riles, que chegara à 2ª base deslizando, levantou-se rapidamente e disparou em direção à 3ª base. Ao ver o “coach” da 3ª base sinalizando para continuar avançando, passou pela 3ª base e correu para “home”. Enquanto isso, o jardineiro central, Lenny Dykstra, apanhou a bola que rolava no chão e fez um lançamento perfeito --seria “strike” se fosse um arremesso-- ao receptor Lyons; e este, com um leve toque no corredor, concretizou a quarta eliminação do “inning”.

A terceira eliminação do “inning” ocorreu quando Manwaring fez “swing” e não conseguiu rebater o arremesso (“strikeout”), mas Riles, Lyons, Dykstra e Jerry Layne (árbitro de “home) não se lembraram disso. Mais tarde, os quatro procuraram justificar a “distração”: Riles disse, timidamente, que estava treinando seu “base running” (corrida); Lyons alegou que estava treinando seu  lançamento à 2ª base; Dykstra argumentou que estava treinando seu lançamento para “home”; e Layne afirmou que estava treinando seu gesto para declarar “out”.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker  

Sem comentários:

Enviar um comentário