sexta-feira, 28 de outubro de 2011

EQUÍVOCO QUE DÁ CERTO

De vez em quando um técnico pode chamar um arremessador do “bull pen” e ser surpreendido com a presença de outro jogador no montículo. E pode sair-se bem.
 
Um dia, anos atrás, o técnico do Yankees, Casey Stengel, percebendo que seu arremessador abridor, Whitey Ford, estava cansado, apontou para o “bull pen” e chamou Johnny Kucks --um arremessador especializado em bolas com efeito-- para substituí-lo. Mas Darrell Johnson --receptor que estava aquecendo um dos arremessadores no “bull pen”--, que atendeu ao telefone, entendeu “Trucks” em vez de “Kucks”.
 
Quando (Virgil) Trucks apresentou-se no montículo, Stengel quase “desmaiou”, mas logo recuperou a tranquilidade e não disse nada. Somente Ford e o receptor Yogi Berra sabiam que Stengel  queria Kucks. Confirmado o equívoco, Trucks efetuou apenas um arremesso, pois o jogo terminou com uma jogada dupla (“double play”).
 
Depois do jogo, o técnico Stengel ficou horas explicando aos repórteres a razão que o levou a chamar Trucks em vez de Kucks naquela situação crítica.
 
Somente Ford e Berra sabiam que Casey, realmente, queria Kucks.
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

Sem comentários:

Enviar um comentário