terça-feira, 1 de novembro de 2022

DEFINIÇÕES DE TERMOS

“FAIR BALL” (REBATIDA VÁLIDA) é uma bola rebatida que para em território “fair” entre o “home base” e a primeira base, ou entre o “home base” e a terceira base; ou que está em ou sobre território “fair” quando passa, rolando ou pulando, pela primeira ou terceira base e segue para o campo externo; ou que toca a almofada da primeira, segunda ou terceira base; ou que cai primeiro em território “fair” sobre a –ou além da– primeira base ou terceira base; ou que, enquanto está em ou sobre território “fair”, toca o corpo de um árbitro ou jogador; ou que, enquanto está sobre território “fair”, sai do campo de jogo, em voo.

Um “fair fly” deve ser julgado de acordo com a posição da bola em relação à linha de “foul”, incluindo o poste de “foul”, e não pela posição do defensor –se ele está em território “fair” ou “foul”– no momento em que toca a bola.

Comentário – (“FAIR BALL”): Se uma bola “fly” cai no campo interno entre o “home base” e a primeira base, ou entre o “home base” e a terceira base, e depois salta para o território “foul”, sem ter contato com um jogador ou árbitro e antes de passar a primeira ou terceira base, é um “foul ball”; ou se a bola para em território “foul”, ou tem contato com um jogador, em território “foul”, é um “foul ball”. Se uma bola “fly” cai sobre a 1ª ou 3ª base, ou em território “fair” além da 1ª ou 3ª base, e depois salta para o território “foul”, é uma rebatida “fair”.

Se uma bola rebatida –que não tenha tido contato com um defensor– atinge o “pitcher’s plate” e ricocheteia para o território “foul” entre o “home base” e a primeira base, ou entre o “home base” e a terceira base, é um “foul ball”. [Comentário – (“FOUL BALL”)]  

Os clubes, cada vez mais, estão instalando postes de “foul” altos nas linhas da cerca, com uma tela de arame estendida ao longo do lado do poste em território “fair”, acima da cerca, para dar aos árbitros condições para julgar com mais precisão as bolas “fair” ou “foul”.

NOTA: Se uma bola rebatida atinge qualquer coisa além do terreno natural,  por exemplo,  um “bat” abandonado pelo batedor, a máscara que o receptor deixa caído no solo etc., em território “fair”, a bola continua   em jogo.

Um “fair fly” deve ser julgado de acordo com a posição da bola em relação à linha de “foul”, incluindo o poste de “foul”, e não pela posição do defensor –se ele está em território “fair” ou “foul”– no momento em que toca a bola.

Comentário – (“FAIR BALL”): Se uma bola “fly” cai no campo interno entre o “home base” e a primeira base, ou entre o “home base” e a terceira base, e depois salta para o território “foul”, sem ter contato com um jogador ou árbitro e antes de passar a primeira ou terceira base, é um “foul ball”; ou se a bola para em território “foul”, ou tem contato com um jogador, em território “foul”, é um “foul ball”. Se uma bola “fly” cai sobre a 1ª ou 3ª base, ou em território “fair” além da 1ª ou 3ª base, e depois salta para o território “foul”, é uma rebatida “fair”.

Se uma bola rebatida –que não tenha tido contato com um defensor– atinge o “pitcher’s plate” e ricocheteia para o território “foul” entre o “home base” e a primeira base, ou entre o “home base” e a terceira base, é um “foul ball”. [Comentário – (“FOUL BALL”)]  

Os clubes, cada vez mais, estão instalando postes de “foul” altos nas linhas da cerca, com uma tela de arame estendida ao longo do lado do poste em território “fair”, acima da cerca, para dar aos árbitros condições para julgar com mais precisão as bolas “fair” ou “foul”.

NOTA: Se uma bola rebatida atinge qualquer coisa além do terreno natural,  por exemplo,  um “bat” abandonado pelo batedor, a máscara que o receptor deixa caído no solo etc., em território “fair”, a bola continua   em jogo.

Sem comentários:

Enviar um comentário