quarta-feira, 31 de julho de 2019

“STEAL OF HOME” – RECEPTOR COMETE INTERFERÊNCIA

Corredor na 3ª base, dois eliminados, contagem de arremessos: dois “strikes”. Tentativa de roubo de “home”. O receptor saiu à frente do “home base”, apanhou a bola arremessada e tocou o corredor antes de ele pisar a base. O batedor reclamou. O árbitro ‘matou’ a bola, imputou um “balk” ao arremessador e concedeu a 1ª base ao batedor em razão da falta cometida pelo receptor (Interferência da Defensiva).
Decisão correta. Foi aplicada a Regra 6.01 (g).

terça-feira, 30 de julho de 2019

RECEPTOR POSICIONADO FORA DO “CATCHER’S BOX”

Corredor na 3ª base, dois eliminados. Batedor canhoto no “batter’s box”. Quando o arremessador na Posição “Windup” iniciou os movimentos de arremesso, o corredor disparou para “home”. O receptor posicionou-se atrás do “batter’s box” destinado a batedor destro, apanhou a bola arremessada e tocou o corredor que estava se aproximando do “home plate” deslizando. Como o receptor fez a jogada colocando-se fora do seu “box”, há alguma penalidade?
Não. Jogada normal; o corredor é “out”. O receptor pode posicionar-se fora do “catcher’s box” a qualquer momento para apanhar um arremesso ou fazer uma jogada, exceto quando o arremessador está concedendo quatro “balls” intencionais ao batedor (nesse caso, tem de permanecer com ambos os pés dentro das linhas do “catcher’s box” até que a bola deixe a mão do arremessador).
[Regra 5.02 (a)]

domingo, 28 de julho de 2019

CORREDORES ESPERTOS

Avançaram uma base aproveitando o descuido da defensiva.

Clique aqui para ver os lances (no trecho 1:24 - 1:43).  

sábado, 27 de julho de 2019

BOLA DERRUBADA INTENCIONALMENTE

Corredor na 1ª base, um eliminado, contagem de arremessos: 0 – 2. Jogada combinada: “bunt” de sacrifício. O defensor da 1ª base deixou a bola ir ao chão, sem tocá-la. Com a jogada 3 – 6 – 4, foi completada a Jogada Dupla.

Clique aqui para ver o lance (no trecho 1:04 – 1:11).

[Regras: 5.09 (a) (10), 5.09 (a) (12) REGRA APROVADA, 5.09 (b) (6)]

sexta-feira, 26 de julho de 2019

POSIÇÕES DEFENSIVAS

O batedor foi eliminado com um “fly” para “center field” (jardim central). O corredor da 3ª base saiu antecipadamente da base. A bola devolvida pelo jardineiro central tornou-se morta. Quando o árbitro entregou uma nova bola ao arremessador e declarou “Play”, o interbases se posicionou em território “foul” (atrás da 3ª base) e ficou preparado para parar um eventual mau lançamento por ocasião da apelação. O árbitro deve permitir isso?
Não. Quando a bola é posta em jogo no início de uma partida, ou durante uma partida, todos os defensores, com exceção do receptor, devem estar em território “fair”.
(Regra 5.02)

quinta-feira, 25 de julho de 2019

ORDEM DE BATEDORES

Terceiro "inning". Corredor na 2ª base, dois eliminados. Rebatida “ground”. Quando o interbases se preparou para efetuar a defesa, o corredor –que estava passando na sua frente– foi atingido pela bola; o árbitro da 2ª base aplicou a Regra 5.09 (b) (7) e eliminou-o. “Change”*. Quem deve iniciar como o primeiro batedor no “inning” seguinte?
O primeiro batedor em cada “inning” depois do primeiro “inning” deve ser o jogador cujo nome vem em seguida ao do último jogador que completara legalmente a sua vez de bater no “inning” anterior. [Regra: 5.04 (a) (3)]
*“Change” (tchéindj) quer dizer mudança, alteração, variação etc. Usa-se esse termo quando as equipes se alternam no ataque e na defesa.

quarta-feira, 24 de julho de 2019

CORREDOR TENTA ROUBAR BASE ENQUANTO A BOLA ESTÁ MORTA

Corredor na 1ª base, nenhum “out”. A bola rebatida caiu em território “foul” além da 3ª base (“foul ball”). O arremessador, que estava nas proximidades do “pitcher’s plate”, recebeu uma nova bola do árbitro. Enquanto ele se preparava para se posicionar sobre a placa, o corredor arrancou em direção à 2ª base. Vendo isso, o arremessador, da posição em que se encontrava, lançou ao interbases. O corredor foi tocado antes de chegar à base. A jogada é válida?
Não, porque a bola estava morta.
Depois que a bola se torna morta, a partida deve ser reiniciada quando o arremessador, de posse de uma nova bola ou da mesma bola, ocupa seu lugar sobre o “pitcher’s plate” e o árbitro de “home” declara “PLAY”. O árbitro de “home” deve declarar “PLAY” tão logo o arremessador, de posse da bola, ocupe seu lugar sobre o “pitcher’s plate”.
[Regra 5.12 (b) (8)]

terça-feira, 23 de julho de 2019

BOLA ARREMESSADA ATINGE UMA MÃO DO BATEDOR

O arremesso foi na direção do batedor. Este afastou-se rapidamente, mas a bola atingiu uma das mãos que seguram o “bat” e caiu na frente do “home plate”. O receptor apanhou-a e tocou o batedor. O árbitro sinalizou um “hit by pitch” e mandou o batedor à 1ª base [Regra 5.05 (b) (2)]. O técnico da equipe na defensiva perguntou-lhe: “O batedor não deveria ser eliminado por ter levado toque com uma bola viva em rebatida “fair”?”
Há um mito segundo o qual as mãos que seguram o “bat” são consideradas parte desse “bat”. Daí a dúvida. Quando uma bola (arremessada ou rebatida) tem contato com as mãos que seguram o "bat", deve-se aplicar a regra como se ela tivesse tocado qualquer parte do corpo.

segunda-feira, 22 de julho de 2019

SUBSTITUIÇÃO DE CORREDOR ACIDENTADO

Home Run” –a bola passou sobre a cerca do jardim esquerdo. O batedor-corredor tropeçou na ‘almofada’ da 2ª base e foi ao chão. Ao ser examinado pelo médico da equipe, constatou-se que havia sofrido uma lesão grave no tornozelo e não tinha condição de pisar todas as bases. A rebatida deve ser anulada?
Não. Quando um acidente é tão grave a ponto de impedir que o corredor continue avançando, pode ser utilizado um corredor substituto para completar a jogada.
[Regra 5.12 (b) (3)]

domingo, 21 de julho de 2019

“DOUBLE PLAY” (JOGADA DUPLA)

Corredor na 1ª base, um eliminado. O defensor da 1ª base apanhou a bola rebatida ("ground ball"), pisou a 1ª base e lançou à 2ª base (o corredor foi eliminado por toque).
Clique  aqui para ver o lance (no trecho 0:39 – 0:49).
Quando o 'fasto'* pisou a base, a situação de Jogada Forçada na 2ª base deixou de existir (o interbases  teve de tocar o corredor para eliminá-lo).
[Regra 5.09 (b) (6)]
*‘Fasto’ vem de “first” (farst), que quer dizer primeiro(a). Usamos esse termo para designar tanto o defensor da 1ª base –“first baseman" (farst béismaen)—como o local onde está colocada a ‘almofada’ da 1ª base –“first base" (farst béis).

sábado, 20 de julho de 2019

ALTERAÇÕES NAS REGRAS DA MLB – 2019

1) Regra 4.03 (e)

Foi acrescentado:

Nada nesta Regra tem a intenção de afetar a autoridade de um Clube para paralisar ou continuar um jogo, seguindo as normas sobre mau tempo, ameaça de mau tempo e segurança contra relâmpagos que tenham sido estabelecidas pela Liga antes do início do campeonato.

2) Regra 4.04 (a)

Foi acrescentado:

Nada nesta Regra tem a intenção de afetar a autoridade de um Clube para paralisar ou continuar um jogo, seguindo as normas sobre mau tempo, ameaça de mau tempo e segurança contra relâmpagos que tenham sido estabelecidas pela Liga antes do início do campeonato.

3) Regra 5.05 (b) (2)

Foi acrescentado:

Comentário – Regra 5.05 (b) (2): Um batedor não deve ser considerado “atingido por um arremesso” se a bola toca somente alguma, joia que ele está usando (por exemplo: colar, bracelete etc.).

4) Regra 5.06 (c) (7)

Nova redação:

Uma bola arremessada fica alojada na máscara ou equipamento do receptor, ou no corpo (ou contra o corpo), máscara ou equipamento do árbitro, e permanece fora de jogo; os corredores avançam uma base.

5) Foi acrescentado no Comentário – Regra 5.06 (c) (7)

Se uma bola é colocada, intencionalmente, dentro do uniforme de um jogador (por exemplo: no bolso da calça), com o propósito de enganar um corredor, o árbitro deve declarar “TIME” e conceder pelo menos uma base –ou mais, se, na sua opinião, a falta cometida pelo defensor justifica uma pena maior– a todos os corredores.

6) Regra 5.09 (b) (7)

Nova redação:

É atingido, em território “fair”, por uma bola “fair” antes que ela tenha passado um defensor do campo interno, e nenhum outro defensor do campo interno teria chance de fazer uma jogada sobre a bola. A bola torna-se morta e nenhum corredor pode anotar ponto, nem avançar, exceto aqueles forçados a fazê-lo. EXCEÇÃO: Se um defensor está tocando sua base quando é atingido por um “Infield Fly”, ele não é eliminado, embora o batedor o seja.

Comentário – Regra 5.09 (b) (7): Se dois corredores forem atingidos pela mesma bola “fair”, somente aquele que foi atingido primeiro será eliminado. Isso porque a bola torna-se morta, imediatamente, no momento em que tem contato com um corredor.

Se um corredor é atingido por um “Infield Fly” quando não está tocando sua base, e antes que a bola tenha passado um defensor do campo interno (e nenhum outro defensor do campo interno teria chance de fazer uma jogada sobre a bola), ambos –o corredor e o batedor – são eliminados. Sem levar em consideração se um corredor está tocando ou não sua base quando é atingido por um “Infield Fly” antes que a bola tenha passado um defensor do campo interno (e nenhum outro defensor do campo interno teria chance de fazer uma jogada sobre a bola), a bola torna-se morta e nenhum corredor pode anotar ponto, nem avançar, exceto aqueles forçados a fazê-lo.

7) Regra 5.10 (g)

Foi acrescentado:

Somente para jogo da Associação Nacional: O arremessador abridor ou um arremessador substituto tem de arremessar para, no mínimo, três batedores consecutivos, incluindo o batedor que naquele momento está no “batter’s box” (ou um batedor substituto), até que esses batedores sejam eliminados ou alcancem a primeira base, ou até que a equipe na ofensiva seja eliminada, a menos que o arremessador (abridor ou seu substituto) se machuque ou adoeça, e, na opinião do árbitro principal, fique incapacitado para continuar atuando como um arremessador.

8) Comentário – Regra 5.10 (k)

Nova redação:

Aqueles que constam da lista de jogadores machucados têm permissão para participar de atividades pré-jogo e permanecer no “bench” enquanto sua equipe está jogando, mas não podem tomar parte em quaisquer atividades durante o jogo, tais como aquecer um arremessador, incomodar a equipe adversária com palavras ou gestos etc. Jogadores machucados não podem entrar na área de jogo em nenhum momento, ou por nenhum motivo, durante o jogo.

9) Comentário – 5.10 (l)

Foi acrescentado:

Para os propósitos desta Regra 5.10 (l), quando o arremessador é substituído, deve ser contada uma visita a esse arremessador nesse “inning”, sem levar em conta se o técnico ou “coach” vai ao “mound” (montículo), ou se o arremessador permanece no jogo numa posição diferente na defensiva.

10) Regra 5.10 (m)

Nova redação:

Esta regra deve ser aplicada em jogos da “Major League”. Ligas da Associação Nacional podem adotar uma regra estabelecendo uma limitação diferente sobre o número de visitas ao montículo permitido num jogo, ou sem estabelecer limitação.

(1) Visitas ao montículo, sem uma mudança de arremessador, devem ser limitadas a cinco por equipe, em nove “innings”. Para “innings” extras jogados, cada equipe deve ter direito a uma visita adicional ao montículo, por “inning”.
(2) Para os propósitos desta Regra 5.10 (m), cada vez que o técnico ou “coach” vai ao montículo para conversar com o arremessador deve-se contar uma visita. Quando um jogador deixa sua posição para conversar com o arremessador, ou um arremessador deixa o montículo para conversar com outro jogador, deve-se também contar uma visita, independente de onde ocorra a visita, ou da duração da visita. A ida de um técnico, “coach” ou jogador ao montículo para participar de uma reunião já em andamento não deve ser considerada uma visita independente. Não deve ser contada uma visita também nos seguintes casos:

(A) Um batedor termina a sua vez de bater; enquanto o batedor seguinte está se posicionando no “batter’s box” normalmente, o arremessador e um defensor conversam (sem se deslocarem de suas posições).

(B) Visitas ao montículo por jogadores posicionados no campo, somente para limpar sapatos (“spikes”), desde que não conversem com o arremessador;

(C) Visitas ao montículo devido a um ferimento ou potencial ferimento sofrido por arremessador;

(D) Visitas por jogadores posicionados no campo ao montículo, após o anúncio de uma substituição feita pela equipe na ofensiva, mas antes de um arremesso ou jogada subsequente;

(E) Visitas ao montículo por jogadores posicionados no campo que ocorrem enquanto a partida está paralisada após o árbitro ter declarado “TIME” (por exemplo: em seguida a um ferimento sofrido por um árbitro ou jogador; a presença de um espectador, objeto, ou um funcionário no campo etc.), desde que não retardem o reinício da partida.

(F) Visitas ao montículo por jogadores posicionados no campo, após um “home run”, desde que retornem a suas posições antes que o corredor cruze o “home plate”; e

(G) Visitas ao montículo por jogadores posicionados no campo durante uma pausa no “inning” ou substituição de arremessador, desde que não impeçam que o arremessador cumpra o limite de tempo estabelecido para a pausa ou substituição de arremessador.

(3) Num jogo (ou em “innings” extras) em que uma equipe tem sua cota de visitas ao montículo esgotada, o árbitro de “home” percebe que o receptor e o arremessador não se entendem sobre a direção e o tipo de arremesso a ser efetuado. Nesse caso, ele (árbitro de “home”) pode, mediante solicitação do receptor, autorizar que este faça uma visita rápida ao montículo. Entretanto, qualquer visita ao montículo feita sem essa autorização, antes de a equipe esgotar sua cota de visitas, deve ser contada.

(4) Aplicação de limites de visita ao montículo. Um técnico ou “coach” que cruza a linha de “foul”, a caminho do montículo, depois que sua equipe tiver esgotado o limite de visitas ao montículo, tem de fazer uma mudança de arremessador, a não ser que isso ocorra durante o turno do primeiro batedor do arremessador substituto, caso em que este deve continuar arremessando somente até que ele termine a sua vez de bater, de acordo com a Regra 5.10 (g). Se um técnico ou “coach” acredita que pode ser aplicada uma exceção à regra sobre visita ao montículo, ele tem de consultar o árbitro antes de cruzar a linha de “foul”. Em situações em que uma equipe é forçada a fazer uma mudança não intencional de arremessador com a aplicação desta Regra, e nenhum arremessador substituto está fazendo aquecimento no “bullpen”, o técnico ou “coach” que infringir a Regra, excedendo a quantidade permitida de visitas, estará sujeito a ser expulso do jogo. O árbitro pode conceder ao arremessador substituto tempo adicional para se preparar para entrar no jogo.

Se um jogador posicionado no campo faz uma visita após sua equipe ter esgotado seu limite de visitas ao montículo, ele pode estar sujeito a ser expulso se não retornar para sua posição quando ordenado pelo árbitro; contudo, o arremessador não será removido do jogo em razão de uma visita não permissível feita por um jogador posicionado no campo.

11) Regra 6.01 (i) (1)

Nova redação:

Um corredor tentando anotar ponto não pode desviar do seu caminho direto para o “home plate”, a fim de colidir com o receptor, ou senão com a intenção de causar uma colisão que poderia ter sido evitada. Se o árbitro julgar que um corredor tentando anotar ponto colidiu com o receptor dessa maneira, deverá declará-lo “out” (independentemente de o receptor estar ou não de posse da bola). Em tais circunstâncias, o árbitro deve declarar que a bola está morta; e todos os outros corredores devem retornar à última base tocada no momento da colisão. Se o corredor desliza em direção ao “home plate” de maneira adequada, ele não deve ser julgado ter infringido a Regra 6.01 (i).

12) Regra 6.01 (i) (2)

Nova redação:

A menos que esteja de posse da bola, o receptor não pode bloquear o caminho do corredor enquanto este está tentando anotar ponto. Se o árbitro achar que o receptor, sem a posse da bola, bloqueou o caminho do corredor, deverá declarar ou sinalizar que esse corredor é “safe”. A despeito do que foi dito acima, não deve ser considerada uma violação desta Regra 6.01 (i) (2) se o receptor bloqueia o caminho do corredor numa legítima tentativa de apanhar o lançamento (por exemplo, para observar a direção, a trajetória ou o pulo da bola lançada, ou para acompanhar um lançamento feito por um arremessador ou um defensor do campo interno envolvido na jogada). Além disso, um receptor sem a posse da bola não deve ser julgado ter violado esta Regra 6.01 (i) (2) se, na opinião do árbitro, o corredor poderia ter deslizado e evitado a colisão com o receptor.

Foi acrescentado:

O termo “receptor” utilizado nesta Regra 6.01 (i) inclui outros jogadores cobrindo o “home plate”. A Regra 6.01 (i) (2) não deve ser aplicada para jogada forçada no “home plate”.

13) Regra 7.03 (a) (7)

O tempo de intervalo entre o primeiro e segundo jogo de uma rodada dupla foi alterado (de vinte para trinta minutos).


14) Regra 9.01 (a)

Nova redação:

(a) O “Office of the Commissioner”, com respeito a jogos da “Major League”, e o Presidente da “Minor League”, com respeito a jogos da “Minor League”, deve designar um Anotador Oficial para cada jogo de campeonato da Liga, cada jogo pós-temporada ou cada “all-star game” (jogo dos astros). O Anotador Oficial deve observar o jogo da sala de imprensa, de um lugar permanente designado pelo Clube local (perto do pessoal da Liga responsável pela Coleta Oficial de Dados). O Anotador Oficial deve ter autoridade exclusiva para tomar todas as decisões relacionadas com a aplicação da Regra 9.00 que envolvam julgamento, como por exemplo, se o avanço de um batedor à primeira base é o resultado de uma rebatida indefensável (“base hit”) ou de um erro. O Anotador Oficial deve comunicar tais decisões, primeiro ao pessoal responsável pela Coleta Oficial de Dados, e em seguida, ao pessoal da mídia na sala de imprensa e às cabines de rádio, por meio de sinais com as mãos ou através de sistema de alto-falante da sala de imprensa (deve informar o locutor oficial sobre tais decisões, se solicitado). Ninguém, incluindo funcionários do Clube e jogadores, pode protestar ao Anotador Oficial ou ao pessoal da Liga responsável pela Coleta Oficial de Dados a respeito de quaisquer decisões.

O Anotador Oficial deve tomar todas as decisões que envolvam julgamento. Em ocorrência no campo que requer um julgamento do anotador, o Anotador Oficial fará um julgamento “preliminar” primeiro, geralmente usando os melhores esforços para fazê-lo em tempo hábil, de acordo com o ritmo geral de jogo, e o mais tardar até o início da jogada seguinte. Dentro de 24 horas depois que um jogo é concluído ou paralisado, o Anotador Oficial, a seu critério, tornará tal decisão “preliminar” como “final”, ou revisa a decisão inicial para torná-la uma decisão final. Um jogador ou Clube da “Major League” pode pedir que o Diretor de Beisebol revise uma decisão final de um Anotador Oficial dada num jogo do qual tal jogador ou Clube participou, notificando o “Office of the Commissioner”, por escrito ou por meios eletrônicos aprovados, dentro de 72 horas após o julgamento ter se tornado final. O Diretor de Beisebol deve ter acesso a todos os vídeos importantes e disponíveis e, após refletir sobre qualquer evidência que deseja considerar, pode ordenar uma mudança numa decisão final se achar que o julgamento final do Anotador Oficial estava claramente equivocada. Nenhuma decisão que envolva julgamento deve ser mudada daí em diante. Se o Diretor de Beisebol constatar que um jogador ou Clube tem abusado do direito de apelar, fazendo apelações inúteis, repetidamente, ou agindo de má-fé, ele poderá, após uma advertência, impor devidas sanções ao Clube ou ao jogador. Um jogador ou Clube da “Minor League” pode pedir que o Presidente da Liga reexamine uma decisão que envolva julgamento tomada por um Anotador Oficial, de acordo com as regras da Liga.

15) Regra 9.01 (c)

Nova redação:

(c) O Anotador Oficial é um representante oficial da Liga. Como tal, merece o respeito e a dignidade que lhe confere seu cargo e deve receber total proteção por parte do “Office of the Commissioner”, com respeito a anotadores da “Major League”, e do Presidente da Liga, com respeito a anotadores da “Minor League. O Anotador Oficial deve relatar ao funcionário da Liga apropriada qualquer ato indigno praticado por um técnico, jogador, funcionário de Clube, dirigente de Clube, ou pessoal da mídia, durante o –ou como decorrência do– exercício de suas funções.

16) DEFINIÇÕES DE TERMOS: “TAG” ( TOQUE)

Foi acrescentado:

Para os propósitos desta definição, qualquer joia que um jogador está usando (por exemplo: colares, braceletes, etc.) não deve ser considerada uma parte do corpo do jogador.

17) DEFINIÇÕES DE TERMOS: “TOUCH” (TOQUE)

Nova redação:

Tocar um jogador (ou árbitro) significa ter contato com qualquer parte do seu corpo, ou com qualquer parte do uniforme ou equipamento usado por ele, mas não com joia (por exemplo: colares, braceletes, etc.) usada por ele.

sexta-feira, 19 de julho de 2019

BOLA ARREMESSADA TRISCA O “BAT” E FICA PRESA NA MÁSCARA DO ÁRBITRO

Corredor na 2ª base, nenhum “out”, contagem de arremessos: 1 – 2 (um “ball” – dois “strikes”). O batedor tentou rebater o arremesso seguinte. A bola triscou o “bat” e foi para trás; e sem ter contato com a luva do receptor foi de encontro à máscara do árbitro e ficou nela alojada.
É um “foul ball”.
[Comentário - Regra 5.06 (c) (7)]

quinta-feira, 18 de julho de 2019

DEFENSOR ESCONDE A BOLA

Com uma rebatida indefensável o batedor-corredor chegou à 2ª base deslizando. O defensor da 2ª base recebeu a bola devolvida pelo jardineiro central e escondeu-a dentro da luva. O arremessador posicionou-se sobre o “pitcher’s plate”. Nesse momento, o corredor tirou um pé da base e foi tocado com a bola pelo defensor da 2ª base. Deve ser declarado “out”?
Não. Como o arremessador se posicionou sobre o “pitcher’s plate” sem estar de posse da bola, deve ser declarado um “balk”.
[Regra 6.02 (a) (9)]
Um defensor pode esconder a bola para surpreender um corredor fora da base; isso é legal. O que não pode é fazer isso mancomunado com o arremessador, com o propósito de enganar, deliberadamente, o corredor. Se o arremessador está sobre ou perto (não necessariamente com a placa entre as pernas) do "pitcher's plate", sem estar de posse da bola, quando o defensor esconde a bola, tal ato deve ser interpretado como um intento de enganar o corredor; nesse caso, deve ser declarado um "balk".
A partir de 2019, se uma bola é colocada, intencionalmente, dentro do uniforme de um jogador (por exemplo: no bolso da calça), com o propósito de enganar um corredor, o árbitro deve declarar “TIME” e conceder pelo menos uma base –ou mais, se, na sua opinião, a falta cometida pelo defensor justifica uma pena maior– a todos os corredores.
[Comentário – Regra 5.06 (c) (7)]

quarta-feira, 17 de julho de 2019

FOI ANOTADO PONTO?

Bases cheias, dois eliminados. A bola rebatida (“ground ball” forte) passou o defensor da 3ª base, atingiu o árbitro da 3ª base posicionado em território “foul” e desviou em direção ao interbases; este apanhou-a e eliminou o batedor-corredor antes de ele chegar à 1ª base. Enquanto isso, o corredor da 3ª base pisou o “home plate”.
Jogada normal, já que a bola estava viva e em jogo. Não foi anotado ponto (a terceira eliminação ocorreu sobre o batedor-corredor antes de ele tocar a 1ª base).
[Regras: 5.06 (c) (6) – vide NOTA, 5.08 (a) – EXCEÇÃO (1)]

terça-feira, 16 de julho de 2019

JOGADA VÁLIDA

Corredor na 2ª e 3ª base, dois eliminados. “Foul Fly” (a bola caiu nas proximidades da cerca lateral do jardim direito). O corredor da 3ª retornou à sua base; o da 2ª permaneceu onde se encontrava (fora da base). Quando o arremessador, de posse de nova bola, se posicionou sobre o “pitcher’s plate”, o árbitro de “home” declarou “Play” e reiniciou o jogo. O batedor acertou um “base hit” (rebatida indefensável); o corredor da 3ª pisou o “home plate”, e o da 2ª chegou à 3ª base.
Interpretação do beisebol profissional: A jogada é válida, embora o árbitro de “home” tenha reiniciado o jogo contrariando a Rega 5.06 (c) (5). (Quando o árbitro entregou uma nova bola ao arremessador antes que todos os corredores tenham retocado suas bases e declarou “Play”, a situação dos corredores ficou legalizada.)
Fonte: Diamond Challenge, de Jim Evans

segunda-feira, 15 de julho de 2019

CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA

Corredor na 1ª e 3ª base, nenhum “out”, contagem de arremessos: 1 – 1 (um “ball” – um “strike”). O batedor rebateu o arremesso seguinte (a bola foi rolando na direção do interbases). O corredor da 1ª base (quando a bola foi rebatida, ele estava roubando a 2ª base), para evitar um “double play” (jogada dupla), trombou, intencionalmente, com o defensor da 2ª base, que havia se posicionado para receber o lançamento do interbases. O corredor da 3ª base pisou o “home plate”.
Interpretação do beisebol profissional: A bola torna-se morta. O árbitro deve eliminar o corredor da 1ª base por ter cometido Interferência, e deve eliminar também o batedor-corredor, em razão da ação de seu companheiro de equipe. O corredor da 3ª base tem de retornar.
Fonte: Diamond Challenge, de Jim Evans

domingo, 14 de julho de 2019

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO NO TERCEIRO “STRIKE”

Corredor na 1ª base, nenhum “out”, contagem de arremessos: 3 – 2. Tentativa de “steal” (roubo de base). O batedor deixou passar o terceiro “strike” e foi declarado "out" (“strikeout”). O receptor não conseguiu eliminar o corredor (o lançamento foi mal executado porque, quando se preparou para lançar, sua mão tocou a máscara do árbitro). O técnico da equipe na defensiva reclamou; os árbitros se reuniram e mandaram o corredor de volta à 1ª base.
Foi aplicada a Regra 5.06 (c) (2) – Vide  Comentário – Regra 6.01 (f) (1).
Clique aqui para ver o lance.

sábado, 13 de julho de 2019

OBSTRUÇÃO OU INTERFERÊNCIA?

Nenhum corredor em base. “Fly” curto para “right field” (jardim direito). No momento em que o batedor-corredor deu alguns passos em direção à 2ª base após pisar a 1ª base e parou, o defensor da 1ª base chocou-se com ele e derrubou-o; mesmo assim, ele (corredor) levantou-se e correu para a 2ª base; o defensor da 2ª base recebeu a bola lançada pelo jardineiro direito e tocou-o pouco antes de ele alcançar a base (o corredor foi declarado “out”). O “base coach” reclamou.
Veja o lance clicando aqui (no trecho 0:20 – 2:13).
O lance foi de Obstrução (o defensor da 1ª base, sem estar de posse da bola e sem estar em ação para apanhar a bola, retardou o avanço do corredor ao chocar-se com ele).
Quando ocorre uma Obstrução, deve ser concedida pelo menos uma base ao corredor obstruído.
[Regra 6.01 (h), DEFINIÇÕES DE TERMOS: “OBSTRUCTION” (OBSTRUÇÃO)]

sexta-feira, 12 de julho de 2019

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

O corredor da 1ª base arrancou em direção à 2ª base (tentativa de roubo de base) enquanto o receptor estava se preparando para devolver a bola ao arremessador. Quando o receptor, afobadamente, levantou o braço para lançar à 2ª base, tocou a máscara do árbitro. Como nesse momento não havia defensor cobrindo a base, o receptor não efetuou o lançamento.
A bola torna-se morta em razão da Interferência cometida pelo árbitro ; o corredor tem que retornar à 1ª base.
[Regra 5.06 (c) (2)]

quinta-feira, 11 de julho de 2019

INTERFERÊNCIA DA OFENSIVA?

Corredor na 2ª base. Rebatida “ground” forte na direção do espaço entre o interbases e a ‘almofada’ da 2ª base. O corredor, que estava retornando à sua base quando o interbases efetuou a defesa e lançou à 1ª base, foi atingido pela bola lançada. O batedor-corredor chegou tranquilamente à 1ª base. O corredor deve ser eliminado por ter cometido Interferência?
Não. Uma vez que foi atingido pelo lançamento, acidentalmente, ele não cometeu falta. A bola permanece em jogo.
Regra 5.09 (b) (3): Um corredor é eliminado quando interfere, intencionalmente, numa bola lançada; ou estorva um defensor que está tentando fazer uma jogada sobre uma bola rebatida.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

REGRA DE ANOTAÇÃO

Corredor na 1ª e 2ª base. Tentativa de roubo duplo de base. O corredor da 1ª foi eliminado pouco antes de alcançar a 2ª base; o da 2ª chegou tranquilamente à 3ª base. 
Embora tenha avançado uma base, o corredor da 2ª não deve ser creditado com uma base roubada.
Regra 9.07 (d): Quando, numa tentativa de roubo duplo ou triplo de base, um corredor é eliminado antes de alcançar e ocupar a base que pretendia roubar, nenhum outro corredor deve ser creditado com uma base roubada. Nota: Não deve ser creditada uma base roubada não só quando um corredor é eliminado de fato, mas também quando, na opinião do anotador oficial, esse corredor, certamente, seria eliminado se a defensiva não cometesse erro.

terça-feira, 9 de julho de 2019

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

Corredor na 1ª base. Tentativa de roubo de base. Quando o receptor se preparou para lançar à 2ª base, o árbitro de “home” estorvou-o (a mão do receptor tocou, acidentalmente, sua máscara). Por causa disso, o lançamento saiu descontrolado; o corredor chegou tranquilamente à 2ª base. Que decisão deve dar o árbitro?
A bola torna-se morta; o corredor tem de retornar à 1ª base.
[Regra 5.06 (c) (2)]
Se o receptor tivesse eliminado o corredor, a Interferência do árbitro não seria levada em consideração.
[Regra 5.06 (c) (2) – NOTA]
Se o lançamento do receptor tivesse provocado um “run-down play” (jogada de perseguição), o árbitro declararia “TIME”, imediatamente, e mandaria o corredor retornar à 1ª base.
[Regra 5.06 (c) (2) – NOTA]