segunda-feira, 2 de outubro de 2017

ARBITRAGEM EM BEISEBOL – MECÂNICAS PARA O SISTEMA DE QUATRO ÁRBITROS (8)

Com pelo menos um corredor na 2ª base (o árbitro da 2ª base está posicionado dentro do quadrilátero). Rebatida “fly” para as proximidades da cerca do “rightfield” (jardim direito).

1) O árbitro de “home” tem de parar para observar a bola rebatida e a reação do árbitro da 1ª base. Em seguida, deve procurar assegurar-se de que o árbitro da 2ª base e o da 3ª base estão se movimentando corretamente. Se algum corredor avançar na direção do “home plate”, o árbitro de “home” terá de posicionar-se, parar e observar a jogada.  Em todas as outras situações, o árbitro de “home” pode, em princípio, ficar descontraído.

2) O árbitro da 1ª base deve observar a bola rebatida e anunciar que está indo atrás da bola. Em seguida, deve ir decididamente na direção de uma posição que lhe ofereça um bom ângulo para ver o defensor tentando apanhar a bola no ar, verificar se a bola passa a cerca do campo externo, em voo ou após tocar o solo, e, se necessário, decidir se a rebatida é “fair” ou “foul”. Quando vai atrás da bola, o árbitro da 1ªbase não deve retornar para cobrir alguma jogada no campo interno.

3) O árbitro da 2ª base deve observar a reação do árbitro da 1ª base e procurar assegurar-se de que ele está indo atrás da bola. Com menos de duas eliminações, o árbitro da 2ª base deve observar a jogada no campo externo e o “tag up” (saída de base) do corredor da 2ª base. Se o árbitro de “home” permanecer na sua posição e o árbitro da 1ª base for atrás da bola, o árbitro da 2ª base deverá responsabilizar-se por todas as jogadas na 1ª e 2ª base. O árbitro da 2ª base deve dar alguns passos, virar-se e fixar os olhos na bola; em seguida, deve verificar onde uma jogada poderá ocorrer. O árbitro da 2ª base terá de se mover, sem precipitação, em direção à 1ª ou 2ª base se achar que poderá ocorrer uma jogada numa das bases. Se não for possível prever uma jogada, o árbitro da 2ª base deverá permanecer onde está e esperar a evolução do lance para decidir-se por uma ou outra posição.

4) O árbitro da 3ª base deve observar a reação do árbitro da 1ª base e dar alguns passos em direção à 3ª base. Se há um corredor na 3ª base pronto para iniciar a corrida, o árbitro da 3ª base deve responsabilizar-se pelo “tag up”. Se o corredor da 2ª base avançar na direção da 3ª base, o árbitro da 3ª base terá de posicionar-se para a jogada, parar e observar o lance. Em todas as outras situações, o árbitro da 3ª base pode, em princípio, ficar descontraído.

Fonte: Manual de Arbitragem da Federação Internacional de Beisebol (IBAF – International BAseball Federation)

Sem comentários:

Enviar um comentário