terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

HOUVE SUBSTITUIÇÃO DE ARREMESSADOR?

Aconteceu num jogo do XI Campeonato Brasileiro de Beisebol Interclube –Categoria: 30 Anos (Trintão)–, realizado no dia 18/02/2017 no Estádio Mie Nishi. O arremessador que estava se aquecendo no “bullpen” entrou no campo quando seu companheiro jogou o terceiro “BALL” e, após conversar com ele, retornou e continuou treinando. O técnico da equipe na ofensiva reclamou, alegando que, uma vez que fora ao montículo, esse arremessador teria de cumprir o que determina a Regra 3.05 (b), ou seja, arremessar a um batedor. Reclamou com razaõ?

Não. Ele teria de arremessar ao batedor de turno se tivesse se posicionado sobre o “pitcher’s plate”.

O arremessador é considerado dentro do jogo somente quando ocupa sua posição sobre o “pitcher’s plate” [Regra 3.08 (a) (1)].

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

SUBSTITUIÇÃO DE ARREMESSADOR

Primeira metade do primeiro “inning”. O arremessador abridor fez dois arremessos descontrolados (“wild pitch”) ao primeiro batedor do jogo. O técnico, então, resolveu substituí-lo. O árbitro deve permitir tal alteração?

Não. O arremessador designado no Formulário de Escalação (“Batting Order”) entregue ao árbitro principal, conforme está estabelecido nas Regras 4.01 (a) e 4.01 (b), deve arremessar ao primeiro batedor, ou ao seu substituto, até que ele seja eliminado ou alcance a 1ª base, a menos que se machuque ou adoeça e o árbitro o considere incapacitado para continuar arremessando.

[Regra 3.05 (a)]

domingo, 26 de fevereiro de 2017

‘WAN HITTO’*

Jogo de beisebol da Categoria Veteranos. Segunda metade do sétimo inning, corredor na 2ª e 3ª base, um eliminado, placar: A (3) x (2) B. Fly para centerfield. O corredor da 3ª saiu legalmente da base e anotou ponto.  Quando o batedor seguinte entrou no batter’s box, um torcedor comentou: ‘wan hitto’ vira o jogo.

*’Wan Hitto’ vem do inglês “one hit” (wân hit) = Uma rebatida indefensável.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

COMUNICAÇÃO DE ALTERAÇÕES NAS POSIÇÕES DE DEFENSORES

A equipe na defensiva fez alterações nas posições:

1) o defensor da 3ª base foi ocupar a posição de arremessador;

2) o arremessador foi para jardim direito;

3) o jardineiro direito foi defender a 3ª base.

O árbitro de “home” comunicou essas alterações à anotadora oficial da seguinte forma: ‘saado’* – ‘pitcha’*,  ‘pitcha’ – ‘raito’*, ‘raito’ – ‘saado’.

*‘Saado’ vem de “third”, que quer dizer terceiro(a). Usamos esse termo para designar tanto o defensor da 3ª base –“third baseman”– como o local onde está colocada a 'almofada' da 3ª base –“third base”.

*‘Pitcha’ vem de “pitcher”, que quer dizer arremessador. É o defensor designado para arremessar bolas a batedores.

*‘Raito’ (o R não tem o som áspero) vem de “right”, que quer dizer direito(a), lado direito etc. Usamos esse termo para designar tanto a área do lado direito do campo externo (“right field” = jardim direito) como o jogador que defende essa área (“right fielder ”  = jardineiro direito).

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

CLÍNICA PARA NOVOS ÁRBITROS DE BEISEBOL - 2017

A Associação de Árbitros e Anotadores de Beisebol e Softbol do Brasil estará ministrando uma clínica para novos árbitros de beisebol.

O objetivo é formar novos árbitros e permitir aos clubes aumentar seu quadro de árbitros, diminuindo assim as despesas com arbitragem.

Não há nenhum pré-requisito para fazer a clínica. 


Data:        dias 25 e 26 de março de 2017

Horário: 08:00 hs

Local: Nippon Blue Jays
                Nippon Country Club
                Estrada dos Vados, 260 - Bairro dos Fontes
                Município de Arujá - SP 
                Tel: (11) 4652-0270
                Site: http://www.nipponcountryclub.com.br

Custo:          A taxa para fazer a clinica é de R$ 60,00 (valor da anuidade).
                    O material impresso custa R$ 20,00 mais R$ 10,00 livro de regras.


Mais informações com Paulo Yamada tel.: (11) 3921.4997 e (11) 97369.4737.

RECICLAGEM PARA ÁRBITROS DE BEISEBOL – 2017

Nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2017, estivemos em Indaiatuba - SP.
No sábado fizemos a Clínica para novos árbitros com a participação de 17 árbitros.
No domingo fizemos a Reciclagem com a participação de 32 árbitros.
Agradecemos ao srs. Ney Sato, Marcelo Shida (diretor da Acenbi) e Paulo Nakashima (presidente da regional Centro-Oeste), pela realização desse evento.






Próximas datas da Reciclagem 2017:

- São Paulo (Nippon) – 04 de março de 2017
- São Paulo (Cooper) – 05 de março de 2017
- Londrina – 11 de março de 2017


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

NÃO HOUVE PEGADA LEGAL

Rebatida “fly”. A bola desviou ao ter contato com a luva do interbases, atingiu o árbitro da 2ª base e pulou; o defensor da 2ª base, que também estava indo em direção à bola, apanhou-a antes de ela ir ao solo. O batedor-corredor deve ser eliminado?

Não. Não houve pegada legal.

Não é uma pegada legal se uma bola “fly” que tem contato com um defensor atinge um membro da equipe na ofensiva ou um árbitro e depois é agarrada por outro defensor.

(Regra 2.00 “CATCH”)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

HOUVE PEGADA LEGAL

Rebatida “line drive”*. A bola atingiu o pé do arremessador e, sem tocar o solo, pulou em direção à 1ª base; o defensor da 1ª base apanhou-a no ar. O batedor-corredor deve ser eliminado?

Sim. Houve uma pegada legal.

A pegada é legal se uma bola (“fly”* ou “line drive”) que desvia após ter contato com um defensor é agarrada por outro defensor antes que ela toque o solo.

[Comentário – Regra 2.00 (“CATCH”)]

*“Line Drive” é uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do “bat” a um defensor, sem tocar o solo. “Line Drive” = “Liner”.

*“Fly” é uma bola rebatida que ganha altura em sua trajetória para o ar.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

PEGADA VÁLIDA?

O defensor da 1ª base estava com um dos pés sobre o solo dentro do “dugout”* quando apanhou um “foul fly”. A pegada é válida?

Não. O defensor pode estender o(s) braço(s) para dentro do “dugout” para apanhar a bola, porém não pode por os pés dentro dele.

Para apanhar um “foul fly” nas proximidades do “dugout” ou outra área fora de jogo (as arquibancadas, por exemplo), o defensor tem de ter um ou ambos os pés na/sobre a superfície do campo de jogo (incluindo a beira do “dugout”), e nenhum dos pés pode estar sobre o solo dentro do “dugout” ou em qualquer outra área fora de jogo.

Desde que o defensor não caia para dentro de uma área fora de jogo após efetuar uma pegada legal (“catch”), a bola permanece em jogo.

[Comentário – Regra 6.05 (a)]

*“Dugout” = “Bench”: É o local com assentos reservados a jogadores, substitutos (reservas) e outros membros da equipe uniformizados quando não estão atuando no campo de jogo. 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

ARREMESSADOR DEIXA SUA POSIÇÃO MAS NÃO SAI DO JOGO

O arremessador que havia sido removido para a 3ª base, no sexto “inning”, voltou a arremessar no mesmo “inning”. Como seu desempenho não estava satisfatório, o técnico mandou-o de volta à 3ª base. O árbitro deve permitir isso?

Não. Tal alteração não é permitida. Um arremessador pode ir para outra posição somente uma vez durante o mesmo “inning”; ou seja, um arremessador que volta ao montículo após ter atuado como defensor não pode ir novamente para outra posição nesse “inning”; ele terá de atuar até o fim do “inning” ou –se for substituído outra vez– deixar o jogo. Essa regra tem como objetivo impedir que os técnicos ocasionem demoras e retardem o jogo.

Vale lembrar que o arremessador substituído que foi defender a 3ª base pode mudar para qualquer outra posição enquanto está atuando como defensor.

(Comentário – Regra 3.03)

domingo, 19 de fevereiro de 2017

USO DE “BAT” ALTERADO

Batedor entrou no “batter’s box” levando um “bat” alterado. Há alguma penalidade?
 
Sim. Deve ser declarado “out” por ação ilegal e expulso do jogo; além disso, pode estar sujeito a penalidades adicionais. (Um batedor que entra no “batter’s box” levando um “bat” alterado é julgado como se tivesse usado ou tentado usar esse “bat”.)
 
Quando um batedor rebate o arremesso usando “bat” alterado, não será permitido nenhum avanço nas bases, e qualquer eliminação feita na jogada será mantida. 
 
Jogada: Corredor na 1ª e 2ª base, nenhum eliminado. Rebatida “ground” em direção à 3ª base. O ‘saado’* efetuou a defesa e pisou a base; em seguida, lançou à 1ª base para tentar eliminar o batedor-corredor; o corredor da 1ª base chegou à 2ª ase.
 
O batedor é “out” por ação ilegal; a eliminação do corredor da 2ª base é mantida; o corredor da 1ª base tem de retornar.
 
[Regra 6.06 (d), Comentário – Regra 6.06 (d)]
 
*‘Saado’ vem de “third” (saard), que quer dizer terceiro(a). Usamos esse termo para designar tanto o defensor da 3ª base –“third baseman” (saard béismaen)— como o local onde está colocada a ‘almofada’ da 3ª base –“third base” (saard béis).

sábado, 18 de fevereiro de 2017

RECICLAGEM PARA ÁRBITROS DE BEISEBOL – 2017

No último final de semana estivemos em Curitiba, dias 11 e 12 de fevereiro de 2017.
No sábado houve a Clínica para novos árbitros. Participaram 23 árbitros.
No domingo fizemos a Reciclagem. E dessa vez participaram 31 árbitros.
Agradecemos ao srs. Gérson Trinoski, Tatsuo Yamaguchi e Alberto Yamamoto pela
realização desse evento.


Próximas datas da Reciclagem 2017:
- Indaiatuba – 18 e 19 de fevereiro de 2017
- São Paulo (Nippon) – 04 de março de 2017
- São Paulo (Cooper) – 05 de março de 2017
- Londrina – 11 de março de 2017

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

BATEDOR-CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA (2)

O batedor-corredor, que estava com o pé esquerdo fora da faixa de três pés (dentro do território “fair”), foi declarado “OUT” por ter atrapalhado o arremessador no momento em que ele se preparava para apanhar a bola rebatida (“ground ball”) nas proximidades da linha de “foul”.

Para visualizar clique aqui.
(1.49 – 2.05)
Foi aplicada a Regra 6.05 (k)

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

BATEDOR-CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA (1)

1) A bola rebatida tocou o solo e pulou. O arremessador efetuou a defesa e lançou à 1ª base. O defensor da 1ª base não conseguiu apanhar a bola porque esta bateu nas costas do batedor-corredor, que estava correndo dentro do território “fair” (fora da faixa de três pés), e desviou. O árbitro de “home” aplicou a Regra 6.05 (k) –o batedor-corredor foi declarado “OUT”. 

Para visualizar clique aqui.
(1.32 – 1.48)

2) O receptor apanhou a bola rebatida (“ground ball”) nas proximidades da linha de “foul” e lançou à 1ª base.  O defensor da 1ª base não conseguiu efetuar a defesa porque a bola lançada bateu nas costas do batedor-corredor, que estava correndo dentro do território “fair” (fora da faixa de três pés), e desviou. Foi aplicada a Regra 6.05 (k) –o batedor-corredor foi declarado “OUT”.

Para visualizar clique aqui.
(4.44 – 4.57)

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

NÃO DEVE SER DECLARADA UMA INTERFERÊNCIA DO BATEDOR

O batedor fez “swing” forte. O “bat” deu um giro completo e, no “backswing” (movimento para trás), atingiu as costas do receptor. Devido a isso, este não conseguiu fazer o lançamento para tentar eliminar o corredor da 1ª base, que estava avançando à base seguinte. 

Para visualizar clique aqui.
(2.31 – 2.38)

Não foi declarada uma INTERFERÊNCIA (o árbitro deve ter achado que o contato do “bat” com as costas do receptor foi involuntário). Nesse caso, deve ser declarado um “STRIKE” somente; a bola fica morta e o corredor tem de retornar.
[Comentário – Regra 6.06 (c)]

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

INTERFERÊNCIA DA DEFENSIVA

Interferência da Defensiva é um ato mediante o qual um defensor estorva um batedor ou impede que ele rebata um arremesso.

[Regra 2.00 “INTERFERENCE” (b)]
Clique aqui para ver vários lances em que o receptor comete a falta. 
O árbitro de “home” deve sinalizar a falta cometida; em seguida, deve declarar “INTERFERÊNCIA!” e mandar o batedor à 1ª base. A bola torna-se morta.
Se ocorrer uma jogada a despeito da infração cometida, o árbitro permitirá que essa jogada continue, porque o técnico da equipe na ofensiva poderá renunciar à penalidade da Interferência e aceitar o resultado da jogada
Se, porém, o batedor chegar à 1ª base por meio de uma rebatida indefensável, um erro, quatro “balls”, por ter sido atingido por um arremesso, ou de outra maneira, e todos os demais corredores avançarem pelo menos uma base, a jogada prosseguirá sem levar em conta a Interferência.
[Regra 6.08 (c)]

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

CASOS QUE ACONTECERAM EM JOGOS DO V CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERCLUBE –CATEGORIA: 70 ANOS (SETENTÃO)– REALIZADOS NOS DIAS 11 E 12/02/2017 NO ESTÁDIO MIE NISHI

1) Corredor na 1ª e 2ª base, um “out”, “fly” na direção do interbases. Este poderia ter efetuado a defesa com facilidade, mas a bola bateu na sua luva e foi ao solo. O árbitro declarou um “INFIELD FLY”. O corredor da 2ª permaneceu na base; o da 1ª, que havia iniciado o avanço à base seguinte, foi eliminado por toque ao tentar retornar.

Quando é declarado um “INFIELD FLY”, o batedor é eliminado. A bola permanece viva e em jogo.

[Regra 6.05 (e)]

2) Jogo Nikkey Santo Amaro vs. Londrina. Londrina no ataque. Nenhum corredor em base. “Fly” para o espaço entre o jardim esquerdo e jardim central.  O jardineiro central esforçou-se para efetuar a defesa, mas não conseguiu; a bola bateu na sua luva, ‘pipocou’ quatro vezes e foi ao solo. Enquanto isso, o batedor-corredor chegou à 2ª base. Para tentar uma jogada sobre o corredor, o arremessador lançou ao jardineiro central, que estava cobrindo a base. O lançamento, porém, saiu descontrolado; a bola foi rolando em direção à cerca do fundo. O corredor anotou ponto.

3) O batedor rebateu o arremesso na direção do defensor da 2ª base e foi eliminado na 1ª base. Ocorre que, quando ele fez “swing”, a luva do receptor tocou o  “bat”. O árbitro de “home” apontou a Interferência e concedeu a 1ª base ao batedor. O receptor reclamou; alegou que não interferira na ação do batedor, já que o “mitt”  teve contato com o “bat” porque ele (batedor) se afastara no momento em que girou o “bat”.  A decisão do árbitro foi mantida.

[Regra 6.08 (c)]

domingo, 12 de fevereiro de 2017

SINALIZANDO QUE FOI ANOTADO PONTO

Corredor na 3ª base, um “out”, “easy fly” (“fly” facilmente defensável) na direção do jardineiro central. Este agarrou a bola e lançou rapidamente ao receptor, mas não conseguiu eliminar o corredor no “home”. O árbitro sinalizou (apontou para o “home plate”) que foi anotado ponto e, em seguida, fez o gesto de “SAFE”.

Para visualizar clique aqui.
(7.30 – 7.43)

sábado, 11 de fevereiro de 2017

‘MITTO’*

Somente o receptor pode usar ‘mitto’?

Não. O defensor da 1ª base também pode usar esse tipo especial de luva.

*‘Mitto’ vem do inglês “mitt” (mit). É um tipo especial de luva que oferece maior proteção à mão de uma pessoa.

Luva especial para receptor: ‘Kyatti Mitto”Vem de  “catcher’s mitt”  (kaetchar’s mit).

Luva especial para defensor da 1ª base: ‘Fasto Mitto’  Vem de “first (baseman’s) mitt".

(Regras: 1.12 e 1.13)

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

BATEDOR COMETE INTERFERÊNCIA (4)

O batedor executou “bunt”; a bola tocou o solo e pulou; o receptor tentou apanhá-la, em território “fair”, mas não conseguiu porque chocou-se com o batedor, que ficou parado dentro do “batter’s box”. Foi aplicada a Regra 7.11 (o batedor foi declarado “OUT”).  

Para visualizar clique aqui.
(3.56 – 4.11)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

RECICLAGEM PARA ÁRBITROS DE BEISEBOL – 2017

Iniciamos mais uma Reciclagem para Árbitros de Beisebol.

Nessa 5a edição, resolvemos fazer a Reciclagem em apenas 1 dia pois não há muitas alterações nas regras. E também para diminuir as despesas dos participantes e organizadores.

Estivemos no dia 04 de fevereiro de 2017 em Marília.
Participaram 13 árbitros de Marília, Bastos e São Paulo.

Agradecemos ao sr. Koji Nakamura pela realização desse evento.




Também estivemos em Presidente Prudente, no dia 05 de fevereiro de 2017.
Participaram 24 árbitros das cidades de Presidente Prudente, Pereira Barreto, Aliança e Dourados.

Agradecemos ao presidente da ACAE, sr. Yoshinori Yassuda, pela realização desse evento.




Próximas datas da Reciclagem 2017:
- Curitiba - 11 e 12 de fevereiro de 2017
- Indaiatuba – 18 e 19 de fevereiro de 2017
- São Paulo (Nippon) – 04 de março de 2017
- São Paulo (Cooper) – 05 de março de 2017
- Londrina – 11 de março de 2017

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

BATEDOR COMETE INTERFERÊNCIA (3)

O receptor, que estava se preparando para apanhar um “foul fly” nas proximidades do “home plate”, trombou com o batedor (dentro do “batter’s box”) e parou. O defensor da 3ª base tentou efetuar a defesa, mas não conseguiu. O batedor foi declarado “OUT”.

Para visualizar clique aqui.
(2.39 – 2.54)

Foi aplicada a Regra 7.11.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

BATEDOR COMETE INTERFERÊNCIA (2)

O batedor executou “bunt”. No momento em que ele deu um passo para fora do “batter’s box” para iniciar a corrida, a bola rebatida (“fair ball”) tocou o seu corpo e desviou para o território “foul”. O árbitro apontou a INTERFERÊNCIA; o batedor foi declarado “OUT”.

Para visualizar clique aqui.
(0.59 – 1.15)
Se o batedor estivesse dentro do “batter’s box” quando foi atingido pela bola rebatida e, na opinião do árbitro, ele não teve nenhuma intenção de interferir no curso da bola, seria declarado um “FOUL BALL”.
[Regra 6.05 (h)]

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

BATEDOR COMETE INTERFERÊNCIA (1)

Corredor na 1ª base. Tentativa de “steal” (roubo de base). O batedor saiu do “batter’s box” após fazer “swing” e estorvou o receptor no momento em que este se levantou para lançar à 2ª base.  O árbitro apontou a INTERFERÊNCIA; o batedor foi declarado “OUT”.

[Regra 6.06 (c)]

Para visualizar clique aqui.

(0.15 – 0.28)
Para visualizar clique aqui.
(2.15 – 2.2
Se o receptor tivesse conseguido eliminar o corredor, a falta cometida pelo batedor não seria levada em consideração.
[Comentário – Regra 6.06 (c)]

domingo, 5 de fevereiro de 2017

RECEPTOR LEVA 'BATADA'

"Swing" forte. O "bat" dá um giro completo e, no "backswing" (movimento para trás), atinge o receptor.

Veja casos que aconteceram na MLB clicando aqui.

Deve ser declarada uma Interferência do batedor?

Se o árbitro achar que o contato do “bat” com o receptor foi involuntário, deve ser declarado um “STRIKE” somente (e não uma Interferência). A bola, porém, torna-se morta e nenhum corredor deve avançar. 
 
Se  o incidente ocorrer no primeiro ou segundo “strike”, será declarado um “STRIKE”, simplesmente. Se, contudo, acontecer no terceiro “strike”, o batedor será eliminado, inclusive num “foul tip” após dois “strikes”.

[Comentário – Regra 6.06 (c), vide OBSERVAÇÃO]

sábado, 4 de fevereiro de 2017

JOGADAS ESPETACULARES

Defesas acrobáticas evitam “home run”.

Para visualizar clique aqui.
(2.14 – 2.25)
Para visualizar clique aqui.
(3.00 – 3.10)
Para visualizar clique aqui.
(4.54 – 5.04)
Para visualizar clique aqui.
(5.59 – 6.09) 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

DEFENSOR APANHA UM “FOUL FLY” E CAI ALÉM DA CERCA

Nenhum corredor. O defensor da 3ª base apanhou um “foul fly” estendendo o braço para dentro das arquibancadas e caiu além da cerca. Após certificar-se de que houve pegada legal (ou seja: que a bola estava firmemente segura dentro da luva), o árbitro eliminou o batedor aplicando a Regra 6.05 (a).

Para visualizar clique aqui.
(0.40 – 1.57)
A bola torna-se morta. Se houvesse corredor(es) em base, seria aplicada a Regra 7.04 (c).