terça-feira, 31 de janeiro de 2017

REGULAMENTO ESPECIAL DE CAMPO – CONCESSÃO DE UMA BASE

Num campo com dimensões pequenas em que a área de jogo está marcada com cal (não há cercas), um lançamento mal executado pelo interbases ultrapassa a linha lateral quando a 1ª base está ocupada. A bola torna-se morta. Se houver um Regulamento Especial de Campo de acordo com o qual cada corredor (incluindo o batedor-corredor) é autorizado a avançar uma base, ao batedor será concedida a 1ª base, e ao corredor da 1ª base, a 2ª base.

Fonte: Manual editado pela Associação de Beisebol Nanshiki do Japão

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

COMO O ARREMESSADOR NA POSIÇÃO “SET” DEVE RECEBER AS SENHAS DO RECEPTOR

Para olhar as senhas do receptor, o arremessador na Posição “Set” (com seu pé de apoio em contato com o "pitcher's plate" e o outro pé à frente do "pitcher's plate") deve estar com uma das mãos  abaixada e em contato com a parte lateral do corpo.  [Regra 8.01 (b)]

Fonte: Manual editado pela Associação de Beisebol Nanshiki do Japão

sábado, 28 de janeiro de 2017

GESTO DE “OUT” EM JOGADA APERTADA

Em jogada apertada o árbitro deve fazer gesto grande e vigoroso.

Para visualizar clique aqui.
(0.42 – 0.46)
Para visualizar clique aqui. 
(2.19 – 2.22)

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

DEFENSOR AGARRA UM “FLY” E CAI PARA OUTRO LADO DO MURO

Jogo Toronto Blue Jays vs. Los Angeles Angels. Primeira metade do 4º “inning”, corredor na 1ª base, nenhum “out”, 1 – 0 (um “ball” – nenhum “strike”), placar: TOR 1 x 0 LAA. TOR no ataque. Rebatida “fly” na direção do jardim esquerdo. O jardineiro esquerdo afastou-se, deu um salto e agarrou a bola na beira do muro; após efetuar a defesa, porém, ele caiu para dentro das arquibancadas, mas manteve a bola firmemente segura na sua luva. 

Para visualizar clique aqui.
(0.00 – 0.55)
O batedor é “out”; o corredor deve ser autorizado a avançar uma base.  Se o defensor tivesse derrubado a bola em razão da queda, seria “home run”. 
[Regras: 2.00 “CATCH”, 6.05 (a), 7.04 (c) – vide Comentário]

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

RECICLAGEM PARA ÁRBITROS DE BEISEBOL

Convidamos todos os árbitros a participarem da Reciclagem 2017, que será realizada nos
meses de fevereiro e março de 2017.


Pedimos a todos os dirigentes e diretores de clubes que divulguem o calendário abaixo.


Locais:

1. Marília - 04 de fevereiro de 2017
2. Pres. Prudente - 05 de fevereiro de 2017
3. Curitiba - 11 e 12 de fevereiro de 2017
4. Maringá - 18 de fevereiro de 2017
5. Londrina - 19 de fevereiro de 2017
6. Indaiatuba - 25 e 26 de fevereiro de 2017
7. São Paulo (Nippon) – 04 de março de 2017
8. São Paulo (Cooper) – 05 de março de 2017
9. Dourados – 11 e 12 de março de 2017

Horário:

Sábado e Domingo
07:00 café da manhã
08:00 início do curso teórico
12:00 almoço
13:00 início do curso prático
18:00 final das atividades do dia
Obs.: 1- mais ênfase em: regras, balk e zona de strike.
2- em Curitiba, Indiatuba e Dourados, a Reciclagem será ministrada em
forma de Clínica.

Taxa:

A taxa para fazer a Reciclagem é de R$ 60,00 (valor da anuidade).
O material impresso (mesmo de 2016) é opcional e custa R$ 20,00.

Observação:

Vir devidamente uniformizados e com material para principal.
Trazer o “Quadro de Atuações” referente 2016, devidamente preenchido.
O árbitro que não fizer a Reciclagem não poderá atuar em torneios oficiais da
CBBS durante o ano de 2017.

SHINNENKAI DA AAABSB

No dia 21.01.2017 comemoramos a chegada do Ano Novo, no Estádio Mie Nishi (Bom Retiro), com uma partida de softbol –AAABSB vs. Giants–, churrasco e karaokê.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

JOGO REGULAMENTAR – QUANTIDADE DE “INNINGS” QUE DEVEM SER JOGADOS

A quantidade de “innings” que devem ser jogados para um jogo dado por terminado pelo árbitro –antes do nono “inning”– ser considerado regulamentar está prescrita na Regra 4.10 (c), mas há certames em que é permitido adotar um regulamento próprio.

Por exemplo, há campeonatos universitários em que é adotado um regulamento especial –o jogo é considerado regulamentar nas seguintes situações: (1) se as duas equipes tiverem terminado a vez de bater no sétimo “inning”; (2) se a equipe local (aquela que inicia o jogo defendendo primeiro) tiver anotado em seis “innings”, ou em seis “innings” e uma fração, mais pontos do que a equipe visitante (aquela que inicia o jogo atacando primeiro) em sete meios-“innings” completos.  Há certames em que é adotado um regulamento especial de acordo com o qual o jogo é considerado regulamentar quando o árbitro dá por terminado (“called game”) antes do nono “inning” e: (1) uma equipe está com dez pontos de vantagem ao término do quinto “inning”; (2) encerrado o sétimo “inning”, uma equipe está com sete pontos de vantagem.

Fonte: Manual editado pela Associação de Beisebol Nanshiki do Japão

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

BATEDOR-CORREDOR TROMBA COM O ÁRBITRO

Rebatida “ground” para o lado esquerdo do defensor da 2ª base. Este efetuou a defesa com dificuldade e fez um mau lançamento à 1ª base.  O batedor-corredor ultrapassou a base após pisá-la e trombou com o árbitro da 1ª base, que estava posicionado –ajoelhado– em território "foul".

Para visualizar clique aqui.
(1.04 – 1.13)

Se o árbitro estivesse posicionado adequadamente, teria evitado a colisão.

Em bolas rebatidas que vão rolando ou saltando na direção do defensor da 1ª base e para o lado esquerdo do defensor da 2ª base, ou para o jardim direito, o árbitro da 1ª base deve deslocar-se para a esquerda e ficar afastado da base cerca de cinco a seis metros. Essa movimentação deve ser feita, ligeiramente, em diagonal. Não deve ultrapassar uma linha imaginária, que vai de um canto a outro da 1ª base e segue em direção ao território “foul”. Dessa posição, deve acompanhar a trajetória da bola lançada e observar a jogada.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

CBBS - COMUNICADO

Comunicado- Reciclagem Árbitros Softbol 2017- ASB/CBBS


RECICLAGEM ÁRBITROS SOFTBOL 2017 - ASB/CBBS

ÁRBITROS DE SOFTBOL DO BRASIL
Vinculado à CBBS Confederação Brasileira Beisebol e Softbol
COMUNICADO
 
Credenciamento e Habilitação dos Árbitros/as do Softbol para jogos oficiais de Softbol – 2017 / ASB-CBBS Árbitros Softbol do Brasil.
Do: Departamento de Arbitragem do Softbol do Brasil da CBBS  

Para: Todos os Clubes e Árbitros de Softbol atuantes

Ref.: CREDENCIAMENTO E HABILITAÇÃO para os Jogos Oficiais do Softbol em 2017

 (Obrigatório aos árbitros do Softbol)

Conforme rege o CT Soft 2017 –  Ct X item ” i “ –  do Regimento Básico de Competição:

O Departamento de Arbitragem do Softbol ASB, com a supervisão da CBBS –Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol, vem a comunicar ao Departamento, Diretores e Árbitros dos Clubes de Softbol que faremos o credenciamento dos árbitros para o ano 2017
(01) Local: ACBS- Piraquqra – Curitiba Pr.
Data: 28 e 29 janeiro 2017

(02 )Local: Cooper Clube - S.Paulo.

Data: 04 e 05 de fevereiro de 2017.
(03) local: ACEMA- Maringá Pr.
Data: 11 e 12 fevereiro 2017

Horário:- 07:30 h > 18:00h (sabado), 8:00H AS 14h (domingo).  

Obs :Uniformizados , c/ Livro de Regra e com material de campo.

Obs 1: Todos são obrigados a participar da Reciclagem 2017. Se um árbitroperder a Reciclagem próximo a sua cidade, deverá se deslocar e fazer a Reciclagem em outra cidade e data.
Obs 2: O Curso Básico Iniciante para Árbitros do Softbol (aberto), será realizado em 3 fim de semanas, (a confirmar em julho-dependendo do quórum- mínimo 10 ) e a homologação como árbitro será dada após participarem sem nenhuma falta. Não haverá taxa de participação, só o custo do material (Livro de Regra e apostilha).

Obs 3: Caso alguém necessitar de alojamento (Cooper), favor entrar em contato com o Sr. Edson Narita  - narita@ihara.com.br   ou Sr. Hirokazu Nitta - 11 98105-9731 / 11 4617-3206 / nitta@graficet.com.br


Mais informações :
Presidente:
         Carlos Oba - 11-99978 8267 – obacarlos28@gmail.com   
Diretor Técnico:
         Fernando Matsumori –11 99919-3330-    fmatsumori@hotmail.com

Comunicação e divulgação:
          Nelson Yajima - 11-99985 3060 - asbsoftbol@uol.com.br

Diretoria ASB-CBBS                                         .

ARREMESSADOR ASSUME SUA POSIÇÃO SOBRE O “PITCHER’S PLATE”, SEM ESTAR DE POSSE DA BOLA

Corredor na 2ª base. O defensor da 2ª base tem a bola escondida dentro da luva. No momento em que o arremessador se posiciona sobre o “pitcher’s plate”, o corredor sai da base e, ao dar alguns passos em direção à 3ª base, é tocado com a bola. É “out”?
 
Não. Deve ser declarado um “balk”. O corredor adquire o direito de ir à 3ª base, sem correr o risco de ser eliminado.  

[Regra 8.05 (i)]

sábado, 21 de janeiro de 2017

MLB – “TRIPLE PLAYS” (JOGADAS TRIPLAS)

Para ver as jogadas clique aqui.

“Triple Play” (Jogada Tripla) é uma jogada da defensiva na qual três jogadores da ofensiva são eliminados em consequência de uma ação contínua, desde que não haja erro entre as eliminações.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

ARREMESSADOR POSICIONA-SE NO “MOUND” (MONTÍCULO) COM O “PITCHER’S PLATE” ENTRE SUAS PERNAS, SEM ESTAR DE POSSE DA BOLA

Rebatida indefensável em direção ao jardim central.  O batedor-corredor chega à 2ª base. O defensor da 2ª base recebe o lançamento feito pelo jardineiro central, aproxima-se do arremessador e, após conversar com ele, volta à sua posição, porém com a bola dentro da luva.  O arremessador posiciona-se no montículo, com o “pitcher’s plate” entre suas pernas. Nesse momento o corredor sai da base e é tocado pelo defensor da 2ª base. É “out”?

Não. Deve ser declarado um “balk”. Posicionar-se no montículo com o “pitcher’s plate” entre suas pernas, sem estar de posse da bola, deve ser interpretado como um intento de enganar o corredor.

Os árbitros devem ter em mente que o propósito da regra de “balk” é evitar que o arremessador engane, deliberadamente, o corredor de base. Se o árbitro tiver alguma dúvida, a “intenção” do arremessador deverá prevalecer.


[Regra 8.05 (i), Comentário – Regra 8.05]

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

DEFENSOR SOBE NO MURO E APANHA UM “FOUL FLY”

Nenhum corredor em base, “foul fly” na direção das arquibancadas do lado da 1ª base. O defensor da 1ª base sobe no muro, estende o braço e apanha a bola no ar.

Para visualizar clique aqui. 
(6.31 – 6.44)

Pegada legal. O batedor é “out”. A bola permanece em jogo. Se o defensor caísse para dentro das arquibancadas após efetuar a defesa, a bola ficaria morta [e se houvesse corredor(es) em base, ele(s) seria(m) autorizado(s) a avançar uma base, sem o risco de ser(em) eliminado(s)].  

[Regra: 6.05 (a) – vide Comentário, Comentário – Regra 7.04 (c)]

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

ARREMESSADOR FAZ UM LANÇAMENTO DESCONTROLADO A UMA BASE APÓS COMETER “BALK”

Ao notar que o corredor da 1ª base estava se afastando demasiadamente da ‘almofada’, o arremessador na Posição “Set” virou o corpo e fez um mau lançamento ao defensor da 1ª base, e isso sem direcionar o pé livre à base. Foi declarado um “balk”. (A bola bateu na cerca lateral e foi rolando em direção ao jardim direito.) O corredor chegou à 3ª base.  O árbitro deve retornar o corredor à 2ª base?
 
Não. O avanço foi legal.
 
Se o arremessador comete um “balk” e atira a bola descontroladamente a uma base ou ao “home plate”, o corredor pode avançar além da base para a qual é autorizado a ir, a seu próprio risco

[Regra 8.05 – REGRA APROVADA (1)]

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

ARREMESSADOR MOVIMENTA O PÉ LIVRE ALÉM DA BORDA TRASEIRA DO “PITCHER’S PLATE” E NÃO EFETUA O ARREMESSO

Corredor na 1ª base. Arremessador canhoto na Posição “Set” movimentou o pé livre além da borda traseira do “pitche’s plate” e, percebendo que o corredor estava distraído, fora da base, lançou ao defensor da 1ª base para tentar eliminá-lo.
 
Deve ser declarado um “balk”.
 
Comentário – Regra 8.05 (a): Se um arremessador canhoto ou destro movimenta o pé livre além da borda traseira do “pitcher’s plate”, ele é obrigado a arremessar, a menos que lance à 2ª base para surpreender um corredor fora da base.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

CBBS - COMUNICADO

Curso de Anotação 2017

A Equipe de Anotação e Estatística, com o apoio da CBBS, FPBS e AAA, convida os interessados a participarem do Curso Básico IBAF 2017 e Curso Avançado IBAF 2017 de Anotação.

O Curso Básico IBAF tem como objetivo desenvolver o olhar e o raciocínio sobre o jogo de beisebol, suas regras e seu registro. É recomendado para Anotadores(as) iniciantes, Dirigentes, Técnicos, Torcedores e Atletas que queiram conhecer mais a fundo regras e anotações.

O Curso Avançado IBAF tem como objetivo aprimorar a capacidade de registro gráfico do jogo e do fechamento do box score. É recomendado para Anotadores(as) com experiência em registrar o jogo.

As inscrições deverão ser feitas até o dia 18/01/2017 através do e-mail
anotacao@cbbs.com.br com as seguintes informações:
  • Curso: informar se Básico ouAvançado;
  • Nomecompleto;
  • RG;
  • Time;
  • Modalidade(Beisebol/Softbol/Ambos);
  • Categoria;
  • Telefones deContato;
  • E-mail.
NÃO SERÃO ACEITAS INSCRIÇÕES FORA DO PRAZO!

Datas:21 e 22 de Janeiro de 2017

Local:Coopercotia Clube - R. Valentim Nicolai, s/n - Parque Ipê, São Paulo –SP

Taxa Curso:R$60,00

Taxa Refeição:R$ 10,00 (para o coffee break dos 2 dias) e Almoço no restaurante do Clube a ser pago individualmente no local (almoço por kilo)

Material Didático: Será enviado por e-mail

Instrutores:Cristina Aoyagui , Marcio Maeda, Maria Sunto e SonoeHirae

OBS:O CURSO DE RECICLAGEM ESTÁ PROGRAMADO PARA O 1º FINAL DE SEMANA DE
FEVEREIRO/2017 (Curso recomendado para quem já anota regularmente e realiza fechamento do Score Box).
As informações para inscrição serão divulgadas no início de Janeiro/2017

PEGADA LEGAL (“CATCH”)

“Fly” para o território “foul” entre o “home plate” e a 3ª base. O receptor e o defensor da 3ª base correm na direção da bola. Quando o receptor tenta efetuar a defesa, a bola toca sua luva e pula. Mas ele não desiste; com muito esforço consegue agarrá-la no ar, com a mão direita (sem utilizar a luva).  Pegada legal?

Sim. Se o defensor da 3ª base tivesse apanhado a bola desviada, a pegada seria também legal.

Para visualizar clique aqui.

(4.22 – 4.33)

Comentário –Regra 2.00 (“CATCH”): Uma pegada é legal se a bola é finalmente retida por um defensor, ainda que tenha havido ‘malabarismo’ (tenha ‘pipocado’ após bater na luva); uma pegada é legal também se uma bola que desvia após ter contato com um defensor é agarrada por outro defensor antes que ela toque o solo. ...

domingo, 15 de janeiro de 2017

REINÍCIO DO JOGO

Para o jogo ser reiniciado depois que a bola fica morta, há duas condições que devem ser satisfeitas: (1) o arremessador, de posse de uma nova bola ou da mesma bola, deve posicionar-se sobre o “pitcher’s plate”; (2) o árbitro de “home” deve declarar “PLAY”.

(Regra 5.11)

Fonte: Manual editado pela Associação de Beisebol Nanshiki do Japão

sábado, 14 de janeiro de 2017

ORDEM DE BATEDORES

Corredor na 3ª base, dois “outs”, contagem de arremessos: 1 – 2 (um “ball” – dois “strikes”).  O corredor tentou um “home steal” (roubo de “home”), porém não teve bom êxito. ‘Tchendi’*. Para evitar dúvida sobre quem será o primeiro batedor do “inning” seguinte, o árbitro de “home” deve indicar claramente se o terceiro “out” foi completado com ‘sanshin’* ou com a jogada sobre o corredor da 3ª base. 

[Regra 6.01 (b)]
Fonte: Manual editado pela Associação de Beisebol Nanshiki do Japão
*‘Tchendi’ vem de “change" (tchéindj). Quer dizer mudança, alteração, variação etc. Usa-se esse termo quando as equipes se alternam no ataque e na defesa.
*‘Sanshin’ é um termo japonês. Significa eliminação por três "strikes". ‘Sanshin’ = “strikeout”.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

ARREMESSADOR MUDA A POSIÇÃO DO PÉ DE APOIO SOBRE O “PITCHER’S PLATE” E LANÇA À 1ª BASE

Arremessador na Posição “Set” mudou a posição do pé de apoio sobre o “pitcher’s plate” e, com um lançamento “snap”*, tentou eliminar o corredor que estava distraído, fora da base. O árbitro declarou um “balk”.
 
Decisão correta. Para lançar à 1ª base sem sair do “pitcher’s plate”, o arremessador pode mudar a posição do pé de apoio sobre a placa, desde que o faça ao mesmo tempo que dá um passo em direção à base com o pé livre. Se fizer o lançamento direcionando o pé livre à base após ter mudado a posição do pé de apoio sobre o “pitcher’s plate”, será “balk”.

[Regra 8.01 (c) – vide Comentário e  NOTA]

*Lançamento “snap” = Bola lançada só com movimento do punho.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

ARREMESSAR, INTENCIONALMENTE, PARA ATINGIR O BATEDOR

O primeiro arremesso quase atingiu o batedor. Como o arremesso seguinte também foi na direção do batedor, o árbitro de “home” julgou que o arremessador estava atirando a bola, intencionalmente, no corpo do batedor.  E por isso advertiu-o.

Num caso como esse  o árbitro pode tomar qualquer das seguintes medidas:

1) expulsar o arremessador, ou o técnico e o arremessador, do jogo, ou

2) advertir o arremessador e o técnico de ambas as equipes de que outro arremesso dessa natureza resultará na expulsão imediata desse arremessador (ou um substituto) e do técnico.

Se, na opinião do árbitro, as circunstâncias justificam, ambas as equipes podem ser “advertidas” oficialmente antes do jogo ou a qualquer momento durante o jogo.

[Regra 8.02 (d)]

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

LUVA DO ARREMESSADOR

O arremessador pode usar luva de qualquer cor?

Não. Além das normas estabelecidas para luva de defensor (Regra 1.14), a luva do arremessador –incluindo costuras, cordões e trançado– tem outras restrições: a) não pode ser branca, cinza, ou de outra cor que, na opinião do árbitro, possa distrair o batedor, de alguma maneira; b) não pode ser colocado nela um material estranho que não seja da mesma cor da luva.

O árbitro principal deve retirar do jogo, por iniciativa própria, por recomendação de outro árbitro, ou mediante reclamação do técnico da equipe adversária –desde que concorde com ele– qualquer luva que infrinja a Regra 1.15.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

BATEDOR ELIMINADO POR AÇÃO ILEGAL

A bola rebatida por meio de “bunt” rolou para o território “foul”. Como o batedor estava com um pé completamente  fora do “batter’s box” no momento em que o “bat” tocou a bola, foi declarado “out”. O técnico da equipe na ofensiva reclamou, alegando que o árbitro deveria ter declarado um “foul ball” ao invés de eliminar o batedor.

Reclamou sem razão.

Se um batedor rebate uma bola para o território “fair” ou “foul” enquanto está fora do “batter’s box”, ele deve ser eliminado por ação ilegal.

[Comentário – Regra 6.06 (a)]

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

BLOG DA AAABSB

Em seis anos, 2.988 postagens, 99.742 visualizações.

PARTICIPEM, COLABOREM, DIVULGUEM

ARREMESSADOR FAZ UM MOVIMENTO DE ARREMESSO, SEM ESTAR EM CONTATO COM O “PITCHER’S PLATE”

Corredor na 2ª base. O arremessador (destro) posicionado atrás do “pitcher’s plate”, com ambas as mãos à frente do seu corpo, deu um passo com o pé esquerdo em direção ao “home plate” e parou; em seguida, ameaçou lançar à 2ª base.

Deve ser declarado um “balk”. O arremessador não pode fazer um movimento relacionado com seu arremesso, sem estar tocando o “pitcher’s plate”.

[Regra 8.05 (g)]

domingo, 8 de janeiro de 2017

PONTO DECISIVO NA SEGUNDA METADE DO ÚLTIMO “INNING” OU DE UM “INNING” EXTRA

Quando, no último meio-“inning” de um jogo regulamentar, ou na segunda metade de um “inning” extra, o corredor da 3ª base é autorizado ir para “home” e anotar o ponto decisivo, com a aplicação da Regra 7.07, o batedor não tem a obrigação de ir à 1ª base.

[Regras: 4.09 (b), 7.07]

Fonte: Manual editado pela Associação de Beisebol Nanshiki do Japão

sábado, 7 de janeiro de 2017

MOMENTO EM QUE UMA ELIMINAÇÃO (“OUT”) SE CONCRETIZA

Uma eliminação se concretiza não quando o árbitro declara < “OUT”>, e sim quando ela realmente acontece.

Durante uma jogada em que ocorre a terceira eliminação –em "tag play"* ou de outra forma–, um  corredor chega ao "home plate". Nesse caso, conforme a situação, o árbitro deve declarar <"OUT”> rapidamente.

[Regra 4.09 (a)]

Fonte: Manual editado pela Associação de Beisebol Nanshiki do Japão

*"Tag Play" é aquela jogada em que, para eliminar um corredor (ou batedor-corredor), o defensor tem de tocá-lo com a bola firmemente segura na mão ou luva.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

ARREMESSADOR COSPE NA BOLA

Corredor na 3ª base, um eliminado. O arremessador na Posição “Set” cuspiu na bola. Há alguma penalidade?

Sim. O arremessador deve ser expulso do jogo, imediatamente, e suspenso automaticamente. (Nas Ligas da Associação Nacional, a suspensão deve ser por 10 jogos.)

Suponhamos que o arremessador, após cometer a infração, efetue o arremesso e ocorra uma jogada.  Nesse caso, o técnico da equipe na ofensiva poderá avisar o árbitro de “home” que ele prefere aceitar essa jogada. Tal opção deve ser feita imediatamente depois de concluída a jogada. Entretanto, se o batedor chegar à primeira base através de uma rebatida indefensável, um erro, uma base por “balls”, por ter sido atingido por um arremesso, ou de outra maneira, e nenhum outro corredor for eliminado antes de avançar pelo menos uma base, a jogada deverá prosseguir sem levar em conta a infração cometida.

Mesmo que a equipe na ofensiva prefira aceitar a jogada, a infração não será anulada, e as penalidades serão aplicadas.

Se o técnico da equipe na ofensiva não decidir aceitara jogada, o árbitro deverá declarar um “ball” automático –quando as bases não estão ocupadas– ou um “balk” –quando há corredor(es) em base. 

Se o árbitro achar que o arremessador não pretendia, com seu ato, alterar as características da bola arremessada, poderá, a seu critério, adverti-lo em vez de aplicar a penalidade estabelecida para infrações da Regra 8.02 (a) (2) a (6). Se, porém, ele continuar infringindo essa regra, o árbitro deverá aplicar a penalidade. 

[Regra 8.02 (a) (2), Regra 8.02 (a) (2) – PENALIDADE, Comentário – Regra 8.02 (a) (2) a (6)]