quarta-feira, 31 de agosto de 2016

“PICK-OFF PLAY”* – ARREMESSADOR COMETE “BALK”

Corredor na 1ª base. O arremessador na Posição “Set” afastou-se, tirou o pé de apoio para o lado do “pitcher’s plate” e ameaçou lançar ao defensor da 1ª base.
Deve ser declarado um “balk”.  
(Regra 2.00 “BALK”)

Regra 8.01 (b) – NOTA 4: Quando há corredor(es) em base, o arremessador pode sair de sua posição a fim de executar uma jogada, mesmo após ter assumido a Posição “Set”. Nesse caso, deve tirar o pé de apoio para trás do “pitcher’s plate”; não é permitido tirar para a frente ou para os lados da placa. ...

*“Pick-ff Play” é aquela jogada para tentar segurar o corredor na base, ou eliminar o corredor que está fora da base. “Pickoff Play” = ‘Kensei’.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

“SET POSITION” LEGAL

O arremessador –com o pé de apoio em contato com o “pitcher’s plate” e o pé livre à frente do “pitcher’s plate”– juntou as mãos na frente do rosto e, após dar uma parada completa, lançou a uma base para tentar surpreender o corredor fora da ‘almofada’.
 
Lance normal. O arremessador pode juntar as mãos em qualquer posição, desde que seja à frente do seu corpo. Depois da parada completa, nenhum movimento deve ser feito; não é permitido mexer qualquer parte do corpo, a não ser o pescoço.

[Regra 8.01 (b) – NOTA 2]

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

ARREMESSADOR NA POSIÇÃO “WINDUP” – POSIÇÃO DO PÉ LIVRE

O arremessador assumiu a Posição “Windup” colocando o pé livre fora da extremidade do “pitcher’s plate”. O árbitro deve permitir isso?
 
Sim.
 
Comentário – Regra 8.01 (a): É permitido que, na Posição “Windup”, o arremessador tenha o seu pé livre sobre a/à frente da/atrás da/ou fora das extremidades da placa de borracha.

domingo, 28 de agosto de 2016

ARREMESSADOR – LANÇAMENTOS DESNECESSÁRIOS

Arremessador na Posição "Set" fez vários lançamentos ao defensor da 1ª base em situações que não havia possibilidade de eliminar  o corredor,  inclusive quando este se encontrava sobre a ‘almofada’.  Apesar de ter sido advertido várias vezes pelo árbitro de que tal procedimento deveria cessar, ele continuou fazendo ‘kyatti booru’* com seu companheiro.  Há alguma penalidade nesse caso? (Esse tipo de expediente é muito utilizado em jogos de categorias menores.)
 
Desde que seja para executar uma jogada, o arremessador pode lançar a bola para uma base ocupada quantas vezes desejar. Não foi o que ocorreu no caso citado acima. Não há uma regra específica estabelecendo penalidade para um lance assim. O árbitro poderá declarar um “balk”, aplicando a Regra 8.05 (h), se achar que o arremessador está retardando desnecessariamente o jogo.
 
*’Kyatti Booru’ (vem do inglês “catch ball”) é aquele treinamento para lançar a bola a um companheiro e apanhar a bola lançada por ele. É a primeira coisa que uma pessoa interessada em praticar beisebol deve aprender.

sábado, 27 de agosto de 2016

ARREMESSADOR – COMO DEVE RECEBER AS SENHAS DO RECEPTOR

O arremessador recebeu as senhas do receptor enquanto ainda não estava em contato com o “pitcher’s plate”. Há algum problema?
 
Beisebol
 
O fato de o arremessador receber as senhas do receptor sem estar tocando o “pitcher’s plate” não acarreta qualquer penalidade. Entretanto, o árbitro deve adverti-lo severamente e exigir que ele proceda corretamente.

(Regra 8.01)

Softbol
 
Deve ser aplicada a penalidade de um Arremesso Ilegal –é contado um “ball” ao batedor e os corredores podem avançar uma base.
 
Para receber as senhas do receptor, o arremessador deve posicionar-se com ambos os pés sobre o  “pitcher’s plate”, mantendo as mãos separadas, e segurando a bola com a luva ou com a mão livre. Não pode olhar as senhas, postando-se atrás do “plate”, ou enquanto se aproxima do “plate”.

(Regra 6 – Seção 1-d, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7)

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

ARREMESSADOR LAMBE OS DEDOS DA MÃO COM A QUAL FAZ OS ARREMESSOS (3)

Arremessador está dentro do círculo de 18 pés que circunda o “pitcher’s plate”. Após lamber os dedos da mão com a qual faz os arremessos, posicionou-se sobre a placa. Há penalidade?
 
O árbitro deve retirar a bola do jogo e fazer uma advertência ao arremessador; por cada infração subsequente deve ser declarado um “BALL”. Entretanto, se o arremessador efetuar o arremesso e o batedor chegar à 1ª base através de uma rebatida indefensável (“base hit”), um erro (“error”), por ter sido atingido pela bola arremessada (“hit  by pitch”), ou de outra maneira, e nenhum outro corredor for eliminado antes de avançar pelo menos uma base, a jogada deverá prosseguir sem levar em consideração a infração cometida. Se o arremessador repetir a infração, estará sujeito a uma multa que será imposta pelo Presidente da Liga.
 
[Regra 8.02 (a) (1) – PENALIDADE]

Desde que haja acordo entre ambos os técnicos antes do início de um jogo a ser realizado num dia frio, o árbitro pode permitir que o arremessador sopre sua mão.

[Regra 8.02 (a) (1) – EXCEÇÃO]

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

ARREMESSADOR LAMBE OS DEDOS DA MÃO COM A QUAL FAZ OS ARREMESSOS (2)

Arremessador posicionado sobre o “pitcher’s plate” lambeu os dedos da mão com a qual faz os arremessos enquanto recebia as senhas do receptor. Há penalidade?
 
O árbitro deve retirar a bola do jogo e fazer uma advertência ao arremessador; por cada infração subsequente deve ser declarado um “BALL”. Entretanto, se o arremessador efetuar o arremesso e o batedor chegar à 1ª base através de uma rebatida indefensável (“base hit”), um erro (“error”), por ter sido atingido pela bola arremessada (“hit by pitch”), ou de outra maneira, e nenhum outro corredor for eliminado antes de avançar pelo menos uma base, a jogada deverá prosseguir sem levar em consideração a infração cometida. Se o arremessador repetir a infração, estará sujeito a uma multa que será imposta pelo Presidente da Liga.

[Regra 8.02 (a) (1) – PENALIDADE]

Desde que haja acordo entre ambos os técnicos antes do início de um jogo a ser realizado num dia frio, o árbitro pode permitir que o arremessador sopre sua mão.
 
[Regra 8.02 (a) (1) – EXCEÇÃO]

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

ARREMESSADOR LAMBE OS DEDOS DA MÃO COM A QUAL FAZ OS ARREMESSOS (1)

Corredor na 1ª base. O arremessador está dentro do círculo de 18 pés que circunda o “pitcher’s plate”. Antes de se posicionar sobre a placa, lambe os dedos da mão com a qual faz os arremessos e pega a bola. Deve ser declarado um “balk”?
 
Não. O árbitro deve retirar a bola do jogo e fazer uma advertência ao arremessador; por cada infração subsequente deve ser declarado um “BALL”. Entretanto, se o arremessador efetuar o arremesso e o batedor chegar à 1ª base através de uma rebatida indefensável (“base hit”), um erro (“error”), por ter sido atingido pela bola arremessada (“hit by pitch”), ou de outra maneira, e nenhum outro corredor for eliminado antes de avançar pelo menos uma base, a jogada deverá prosseguir sem levar em consideração a infração cometida. Se o arremessador repetir a infração, estará sujeito a uma multa que será imposta pelo Presidente da Liga.

[Regra 8.02 (a) (1) – PENALIDADE]

Se o arremessador tivesse esfregado e enxugado completamente os dedos antes de tocar a bola, não haveria penalidade.
 
[Regra 8.02 (a) (1)]

Desde que haja acordo entre ambos os técnicos antes do início de um jogo a ser realizado num dia frio, o árbitro pode permitir que o arremessador sopre sua mão.

[Regra 8.02 (a) (1) – EXCEÇÃO]

terça-feira, 23 de agosto de 2016

ARREMESSADOR AMBIDESTRO

Arremessador –ambidestro– posicionou-se sobre o “pitcher’s plate” usando a luva na mão esquerda, para enfrentar um batedor destro (ou seja, indicou que iria arremessar com a mão direita); como este foi substituído por um “pinch-hitter” (batedor de emergência) canhoto, decidiu arremessar com a mão esquerda; e indicou a mudança, passando a luva para a mão direita. O árbitro deve permitir isso?
 
Sim. Se, porém, não tivesse ocorrido a substituição do batedor, a mudança não seria permitida.
 
Após o arremessador indicar a mão com a qual vai arremessar, o árbitro não deve permitir que ele efetue arremessos com a outra mão até que: (a) o batedor seja eliminado ou se torne um corredor; (b) o “inning” termine; (c) o batedor seja substituído por um “pinch-hitter”; (d) o arremessador se machuque.
 
Se o arremessador muda a mão com a qual vai efetuar arremessos enquanto o mesmo batedor está no “batter’s box”, em razão  de um ferimento, ele não pode voltar a arremessar com a outra mão pelo resto do jogo.
 
Depois que muda a mão para arremessar, o arremessador não deve ser autorizado a fazer arremessos preparatórios.
 
A mudança de mãos para efetuar arremessos tem de ser indicada claramente ao árbitro principal.

[Regra 8.01 (f)]

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

“TAG-UP”* LEGAL

Corredor na 2ª base, um eliminado. Rebatida “fly” ao espaço entre os jardineiros esquerdo e central.  Os dois correram em direção à bola. Quando o jardineiro esquerdo estendeu o braço para efetuar a defesa, a bola tocou a sua luva e desviou; o jardineiro central, que estava parado nas proximidades, agarrou-a antes de ela ir ao solo.  O corredor, que deixara a base no momento em que a bola teve contato com a luva do jardineiro esquerdo, chegou tranquilamente à 3ª base. A equipe na defensiva apelou, alegando saída antecipada da base.
 
Apelação indevida. Os corredores podem deixar suas bases no instante em que o primeiro defensor toca a bola. 
 
*“Tag-Up” (taeg-âp) é aquele lance em que o corredor deixa a base, numa rebatida "fly", depois que um defensor apanha ou toca a bola.
 
[Comentário – Regra 2.00 (“CATCH”)]

domingo, 21 de agosto de 2016

RECEPTOR TOCA UM "FAIR FLY" COM A MÁSCARA


Corredor na 1ª e 2ª base, um “out”. Rebatida “ fly” ao espaço entre o “pitcher’s plate” e o “home plate”.  O arremessador e o receptor foram em direção à bola. Foi declarado um “INFIELD FLY”. O receptor ‘pediu’ a bola, porém ao perceber que não conseguiria efetuar a defesa  estendeu o braço direito e tocou-a com a máscara quando ela estava caindo à sua frente. Os corredores tentaram avançar. O receptor, então, recuperou a bola e fez um lançamento perfeito ao defensor da 3ª base –o corredor da 2ª foi tocado pouco antes de alcançar a base.  
 
Decisão: O batedor-corredor é “out” [Regra 6.05 (e)]. Os corredores anotam ponto, já que são autorizados a avançar três bases [Regra 7.05 (b)].

Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vazquez Lopez

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

BATEDOR É ATINGIDO PELA BOLA ARREMESSADA

Um “out”, corredor na 1ª base, “ball count” (contagem de arremessos): dois “strikes”. O batedor fez ‘karaburi’*; a bola atingiu a sua perna e rolou para o campo interno. O arremessador apanhou a bola e lançou à 1ª base –o batedor foi declarado “out”; o corredor chegou  à 2ª base. E o jogo prosseguiu com corredor na 2ª base, dois “outs”.  
 
Nessa jogada, os árbitros deveriam ter eliminado o batedor e retornado o corredor à 1ª base, aplicando as Regras 6.05 (f) e 5.09 (a).
 
Regra 6.05 (f): Um batedor é eliminado quando tenta rebater um terceiro “strike” e a bola toca qualquer parte do seu corpo.
 
Regra 5.09 (a): A bola torna-se morta e os corredores avançam uma base ou retornam às suas bases, sem o risco de serem eliminados, quando uma bola arremessada toca um batedor, ou a sua roupa, enquanto ele está posicionado legalmente no “batter’s box”; os corredores avançam se forem forçados.
 
Regra 6.08 (b) – REGRA APROVADA: Quando o batedor é atingido por uma bola arremessada, mas não adquire o direito de ir à 1ª base, a bola torna-se morta e nenhum corredor pode avançar.

*‘Karaburi’ é um termo japonês. Dizemos que um batedor fez ‘karaburi’ quando ele faz “swing” e o “bat” não tem contato com a bola arremessada.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

ERRO NO “BATTING ORDER” (ORDEM DE BATEDORES) ENTREGUE AO ÁRBITRO PRINCIPAL

Por engano o técnico de uma equipe relacionou o primeiro batedor “A” também como o quinto batedor na Ordem de Batedores entregue ao árbitro principal. No primeiro “inning”, “A” foi eliminado com um “fly” na direção da 3ª base.  Os batedores “B”, “C” e “D”, com boas rebatidas, encheram as bases. O batedor “E” (quinto batedor) acertou um “two-base hit” (rebatida de duas bases) e empurrou os corredores da 3ªB e 2ªB para “home”.  Como deve ser resolvido este caso?
 
“E” deve ser tratado da mesma forma que um batedor substituto que entra no jogo sem ser anunciado. Portanto, sua ação é legal; a rebatida de duas bases é válida.

[Regras:  3.08 (a) (2), 4.01 (d)]

Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vasquez Lopes

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

JOGO PROTESTADO INDEVIDAMENTE

Segunda metade do oitavo “inning”, placar empatado, corredor na 3ª base, um “out”. O técnico da equipe na ofensiva resolveu utilizar o Batedor Designado como “pinch-runner” (corredor de emergência). Como o árbitro de “home” não permitiu a substituição, o jogo foi protestado. O protesto deve ser reconhecido?
 
Não. De acordo com a Regra 6.10 (b) (6), um Batedor Designado não pode ser um corredor de emergência.  

terça-feira, 16 de agosto de 2016

COMPETÊNCIA PARA DECIDIR SE O TEMPO E AS CONDIÇÕES DO CAMPO DE JOGO SÃO ADEQUADAS PARA INICIAR O JOGO

As condições do campo de jogo não estavam boas devido ao mau tempo.  Após esperar uma hora, o técnico da equipe local comunicou aos árbitros que iniciaria o jogo dentro de trinta minutos. Ele tem competência para tomar tal decisão? 
 
Sim. Somente a equipe local tem autorização para decidir se um jogo deve ou não ser iniciado, por causa de mau tempo ou condições inadequadas do campo de jogo, exceto para a segunda partida de uma rodada dupla (“doubleheader”).
 
[Regra 3.10 (a)  vide EXCEÇÃO e NOTA ] 

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

RESPONSABILIDADE SOBRE O CAMPO DE JOGO

Depois que o árbitro de “home” recebeu a Ordem de Batedores (“Batting Order”)  de ambas as equipes,  começou a chover. O técnico da equipe local resolveu adiar o jogo. Ele pode fazer isso?
 
Não. Tão logo a equipe local entregue sua Ordem de Batedores ao árbitro principal, a responsabilidade sobre o campo de jogo fica inteiramente a cargo dos árbitros, e, a partir desse momento, eles terão autoridade exclusiva para determinar quando um jogo deve ser dado por terminado, suspenso ou reiniciado, por causa do tempo ou das condições do campo. O árbitro principal deve dar o jogo por terminado somente depois de decorridos, pelo menos, 30 minutos após a paralisação; ele pode continuar a paralisação, desde que acredite em alguma possibilidade de reiniciar a partida.

[Regra 4.01 (e)]

domingo, 14 de agosto de 2016

JOGO NULO (“NO GAME”)

Jogo “A” vs. “B”. “A” estava liderando o placar (3 x 2) no fim da 1ª metade do quinto “inning”. Na 2ª metade desse “inning”, quando “B” –com dois “outs”– tinha corredor na 2ª base, começou a chover forte. O jogo ficou paralisado por algum tempo e, mais tarde, foi encerrado devido ao mau estado do campo de jogo. É um Jogo Suspenso?
 
Não. Como foi encerrado antes de se tornar um jogo regulamentar, o árbitro principal deve declará-lo nulo (“No Game”).

[Regra 4.10 (e)]

sábado, 13 de agosto de 2016

OBSTRUÇÃO

Rebatida indefensável (“base hit”) em direção ao jardim esquerdo.  A bola tocou o solo e foi parar na cerca. Ao fazer a curva após pisar a 1ª base, o batedor-corredor chocou-se com o defensor da 1ª base, que estava parado observando a bola rebatida. O árbitro apontou a Obstrução. Apesar disso, o corredor obstruído continuou avançando: passou pela 2ª base, legalmente, e ao tentar chegar à 3ª base foi eliminado por toque. A equipe na ofensiva reclamou ao árbitro da 1ª base, alegando que o corredor deveria ser autorizado a retornar à 2ª base, mas a decisão "out" foi mantida.
 
Se numa situação em que a bola não está morta após uma Obstrução, de acordo com a Regra 7.06 (b), um corredor obstruído avançar além da base que, na opinião do árbitro, lhe teria sido concedida em razão da falta cometida pela defensiva, ele estará fazendo isso a seu próprio risco, e poderá ser eliminado se for tocado. Essa é uma decisão que depende da apreciação do árbitro.
 
[Comentário - Regra 7.06 (b)]

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

DEVE SER APLICADA A REGRA DE “INFIELD FLY”? (2)

Corredor na 1ª e 2ª base, nenhum out. O batedor, que estava preparado para executar bunt, girou o bat com força e rebateu um arremesso ‘in koona’*; a bola fly subiu pouco e foi na direção do defensor da 3ª base. Os árbitros declararam: “Infield Fly!”. A Regra 6.05 (e) deve ser aplicada mesmo quando um "fly" alcança pequena altura?
 
Sim, desde que, na opinião dos árbitros, a bola pode ser agarrada por um defensor do campo interno mediante um esforço normal (a regra não determina a altura que a bola deve alcançar). O arremessador, o receptor e qualquer defensor do campo externo posicionado no campo interno, na jogada, devem ser considerados defensores do campo interno para os propósitos desta regra.   
 
A Regra de “Infield Fly” não deve ser aplicada se a bola rebatida é um “liner”* ou um “fly” resultante de “bunt”.
 
Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vasquez Lopes
 
*Arremesso ‘in koona’ é aquele direcionado ao canto (lado) interno da zona de “strike” do batedor.
 
*“Liner” = “Line Drive”: É uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do “bat” a um defensor, sem tocar o solo.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

DEVE SER APLICADA A REGRA DE “INFIELD FLY”? (1)

Corredor na 1ª e 2ª base, um “out”. Uma tentativa de “bunt” resultou em “fly” entre o arremessador e o receptor; a bola tocou o solo e rolou em direção ao arremessador. Com a jogada 1 – 4 – 3 (“double play”), foi completada a terceira eliminação do “inning”. Uma pessoa que estava assistindo ao jogo achou que os árbitros deveriam ter eliminado o batedor aplicando a Regra 6.05 (e).  Deveriam?   
 
Não. A Regra de “Infield Fly” não deve ser aplicada quando a rebatida “fly” é resultante de “bunt”.
 
[Definições de Termos (“INFIELD FLY”)]

Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vazquez Lopez

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

BATEDOR ACERTA UM “HOME RUN” E ULTRAPASSA UM CORREDOR PRECEDENTE

Segunda metade do nono “inning”, um eliminado, corredor na 1ª e 3ª base, placar empatado (2 x 2). Rebatida forte para o jardim esquerdo –a bola passou sobre a cerca (“home run”). O corredor da 1ªB ficou parado entre a 1ª e a 2ª bases, achando que o jardineiro esquerdo apanharia a bola no ar, e foi ultrapassado pelo batedor-corredor.
 
Decisão: O batedor-corredor é “out” por ter ultrapassado um corredor precedente. O jogo termina imediatamente após ser anotado o ponto da vitória.

[Regras: 4.11 (c) – REGRA APROVADA, 7.08 (h)]

terça-feira, 9 de agosto de 2016

BATEDOR DE EMERGÊNCIA (“PINCH-HITTER”) NÃO ANUNCIADO

Um “pinch-hitter” foi ao “batter’s box”, sem ser anunciado, e no primeiro arremesso acertou um “two-base hit” (rebatida de duas bases).  O técnico da equipe na defensiva reclamou imediatamente, alegando que a jogada deveria ser anulada, já que fora executada por um batedor impróprio. Reclamou com razão?
 
Não. Um batedor substituto é considerado dentro do jogo no momento em que entra no “batter’s box”, ainda que não tenha sido anunciado. Portanto, sua rebatida é válida; ele deve permanecer na 2ª base.

[Regra 3.08 (a) (2)]

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

LANCES OCORRIDOS NO XXIII CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERSELEÇÃO – CATEGORIA: SESSENTÃO (60 ANOS)– REALIZADO NOS DIAS 06 E 07/08/2016

(1) Bases cheias, um eliminado. O defensor da 3ª base derrubou uma bola "fly"  declarada "Infield Fly".  O corredor da 3ª base deu alguns passos em direção ao “home” e retornou. O receptor, de posse da bola que recebera do 3ªB, pisou o “home base” e, em seguida, tocou o batedor-corredor, que estava parado nas proximidades do “batter’s box”. O árbitro de “home” eliminou o corredor da 3ª base e o batedor-corredor, aplicando as Regras 7.08 (e) e 6.05 (j).  O técnico da equipe na ofensiva reclamou, e aí o erro foi corrigido –o batedor-corredor foi declarado “out” pela Regra de “Infield Fly” [Regra 6.05 (e)] e o corredor da 3ª base permaneceu na sua base.   
 
(2) Bases cheias, contagem de arremessos: 1 – 2 (um “ball” – dois "strikes”). O arremesso seguinte, que estava passando lentamente na altura do ombro do batedor, atingiu-o (o batedor não tentou se esquivar da bola). O árbitro de “home” concedeu-lhe a 1ª base. A equipe na defensiva reclamou, mas a decisão (“hit by pitch”) foi mantida. 

Como o batedor não tentou evitar ser atingido pela bola, o árbitro deveria ter declarado um "ball".

[Regra 6.08 (b) (2)]

(3) Corredor na 2ª base, um “out”, contagem de arremessos 2 – 1 (dois “balls” – um “strike”). A bola rebatida subiu pouco, e quando estava caindo na frente do “home plate” foi agarrada legalmente pelo receptor. O batedor foi declarado “out” (“fly out”) –foi aplicada a Regra 6.05 (a). O técnico da equipe na ofensiva reclamou, alegando que o árbitro não deveria ter eliminado o batedor, e sim declarado um “foul tip”, já que a bola alcançou pequena altura.
 
Reclamou sem razão. No beisebol, deve ser declarado um “foul tip” somente quando a bola rebatida vai brusca e diretamente do “bat” às mãos do receptor e é agarrada legalmente.

(Definições de Termos: “FOUL TIP”)
No softbol, “foul tip” é uma bola rebatida que:

a) Vai diretamente do “bat” às mãos do receptor.

b) Não sobe além da cabeça do batedor.

c) É agarrada legalmente pelo receptor

(Regra 1 – Seção 39)

domingo, 7 de agosto de 2016

MUDANÇA DE POSIÇÕES DE DEFENSORES QUE ESTÃO NO JOGO

Num determinado “inning”, uma equipe fez as seguintes alterações nas posições de defensores: 6 para 5, 5 para 4 e 4 para 6, sem avisar o árbitro de “home” sobre a mudança. Há alguma penalidade?
 
Não. Defensores que estão no jogo podem mudar de posições sem notificar o árbitro de “home”, embora seja costume comunicar as alterações para que sejam anunciadas ao Anotador Oficial.

[Regra 3.08 (a) (3)]

Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vazquez Lopez

sábado, 6 de agosto de 2016

RECEPTOR É DESCOBERTO USANDO ‘MITTO’* GRANDE

O técnico da equipe na ofensiva, ao notar que o receptor da equipe contrária está usando um ‘mitto’ grande, reclama ao árbitro e solicita que seja ordenada a troca do equipamento. A reclamação é procedente?
 
O árbitro deve atender à reclamação somente após examinar a luva. O receptor pode usar um ‘mitto’ grande, desde que suas medidas estejam de acordo com a Regra 1.12.
 
*‘Mitto’: Vem do inglês “mitt” (mit), um tipo especial de luva que oferece maior proteção à mão de uma pessoa. No beisebol e softbol, há luva especial para receptor –‘kyatti mitto’ = “catcher’s mitt” (kaetshar’s mit)– e também para defensor da 1ª base – ‘fasto mitto’ = “first (baseman’s) mitt” [farst (béismaen's) mit].

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

BATEDOR-CORREDOR CHEGA “SAFE” À 1ª BASE E, APÓS ULTRAPASSÁ-LA, VAI CAMINHANDO EM DIREÇÃO AO “DUGOUT”

Dois eliminados. Rebatida “ground” ao campo interno. O interbases efetuou a defesa e lançou ao defensor da 1ª base. Este recebeu a bola antes de o batedor-corredor chegar à base, mas em seguida derrubou-a. Não percebendo isso, o batedor-corredor, que havia ultrapassado a 'almofada', foi caminhando em direção ao “dugout”. Alertado pelo “coach”, tentou corrigir a falha, mas como o defensor da 1ªB havia apelado ao árbitro, foi declarado “out”. 
 
Decisão correta.
 
Um corredor deve ser eliminado em apelação quando ultrapassa a 1ª base e não retorna a ela, imediatamente, e um defensor toca-o ou toca a base.

[Regras: 7.08 (j), 7.10 (c)]

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

FOI ANOTADO PONTO?

Corredor na 2ª e 3ª base, dois eliminados.  O batedor acertou um “three-base hit” (rebatida de três bases) e empurrou os corredores para “home”. O receptor, percebendo que o corredor da 3ªB cruzou a base principal ("home base") sem pisá-la, pediu a bola e apelou; o árbitro de “home” declarou-o “out”. Foi anotado ponto?
 
Não, porque o corredor precedente foi eliminado e completou a terceira eliminação.

(Regra 7.12)

Um corredor não pode retornar para tocar uma base omitida, depois que um corredor subsequente anota ponto.

[Regra 7.10 (b) – REGRA APROVADA (1)]