quinta-feira, 30 de junho de 2016

CACHORRO ENTRA NO CAMPO E SEGURA ENTRE OS DENTES UMA BOLA REBATIDA

A bola rebatida por meio de “bunt” foi rolando rente à linha de “foul” da 1ª base, em território “fair”; um cachorro que acabara de entrar no campo segurou-a entre os dentes e saiu correndo.

O jogo deve ser paralisado. A bola torna-se morta e a decisão sobre o lance fica a critério do árbitro.

[Regra 7.05 (a) – NOTA 1]

quarta-feira, 29 de junho de 2016

BOLA LANÇADA ATINGE UM PÁSSARO (2)

Corredor na 1ª base. Rebatida "ground" na direção da 3ª base. A bola lançada à 2ª base pelo defensor da 3ª base atingiu um pássaro no ar e desviou; o interbases conseguiu apanhá-la antes que ela fosse ao solo e pisou a ‘almofada’. O corredor foi declarado “out” (jogada forçada).
 
Decisão correta, já que a bola permanece em jogo.

[Regras: 7.05 (a) –  vide NOTA 1, 7.08 (e)]  

terça-feira, 28 de junho de 2016

BOLA LANÇADA ATINGE UM PÁSSARO (1)

"Base Hit" (rebatida indefensável) para “centerfield” (jardim central). A bola lançada à 2ª base pelo “centerfielder” (jardineiro central) atingiu um pássaro que estava sobre o solo e desviou. O batedor-corredor chegou tranquilamente à 2ª base.  O árbitro da 2ª base, porém, ‘matou’ a bola e mandou-o de volta à 1ª base. 
 
Decisão equivocada.  Quando uma bola lançada ou rebatida atinge um pássaro ou um animal que está sobre o solo, o jogo deve prosseguir normalmente. (A bola permanece em jogo.)

[Regra 7.05 (a) – vide NOTA 1]

segunda-feira, 27 de junho de 2016

ESPECTADOR TOCA UMA BOLA “FLY”

Uma bola  “fly” que, na opinião do árbitro, teria claramente passado sobre a cerca do jardim direito foi tocada por um espectador e caiu dentro do campo.
 
Deve ser declarado um “home run”.

[Regra 7.05 (a) – NOTA 1]

domingo, 26 de junho de 2016

BOLA “FLY” ATINGE UM PÁSSARO

Uma bola “fly” que, na opinião do árbitro da 3ª base, teria passado sobre a cerca do jardim esquerdo atingiu um pássaro e caiu dentro do campo.
 
Deve ser declarado um “home run”.

[Regra 7.05 (a) – NOTA 1]

sábado, 25 de junho de 2016

CONCESSÃO DE BASES

Um “out”, corredor na 1ª e 2ª base, rebatida “ground” na direção da 3ª base. O defensor da 3ª base efetuou a defesa e lançou à 2ª base, mas não conseguiu eliminar o corredor da 1ª base. Em seguida, o defensor da 2ª base fez um mau lançamento à 1ª base; a bola desviou ao tocar o solo e ficou presa na cerca (o batedor-corredor não havia chegado à 1ª base quando o lançamento descontrolado foi efetuado).
 
Como o lançamento descontrolado não foi a primeira jogada de um defensor do campo interno, a concessão de bases deve ser feita a partir da posição dos corredores no momento em que a bola mal lançada saiu realmente da mão do defensor. Assim, os corredores da 1ª e 2ª anotam ponto, e ao batedor-corredor deve ser concedida a 2ª base.
 
[Regra 7.05 (g) – vide REGRA APROVADA]

sexta-feira, 24 de junho de 2016

CORREDOR PERDE A PROTEÇÃO CONTRA O RISCO DE SER ELIMINADO (2)

Rebatida “ground” para o campo interno. O defensor da 2ª base efetuou a defesa e fez um mau lançamento à 1ª base. O defensor da 1ª base tentou parar a bola atirando sua luva contra ela. (A bola teve contato com a luva e rolou em direção à cerca lateral.) O batedor-corredor, que adquirira o direito de avançar duas bases, deu alguns passos em direção à 3ª base, porém sem pisar a 2ª base. Ao perceber a falha, tentou voltar, mas foi eliminado em apelação –o interbases, de posse da bola que lhe foi lançada pelo receptor (este havia se deslocado de sua posição para cobrir o defensor da 1ª base), apelou ao árbitro, tocando a base omitida.
 
[Regras: 7.04 (d) – NOTA, 7.05 (e)]

quinta-feira, 23 de junho de 2016

CORREDOR PERDE A PROTEÇÃO CONTRA O RISCO DE SER ELIMINADO (1)

“Base Hit” (rebatida indefensável) ao espaço entre a 2ª e a 1ª bases.  O defensor da 2ª base tentou parar a bola atirando sua luva contra ela.  (A bola teve contato com a luva e rolou em direção ao jardim direito.) O batedor-corredor, que adquirira o direito de avançar três bases, deu alguns passos rumo ao "home base", porém sem pisar a 3ª base. Ao perceber a falha, tentou voltar, mas foi eliminado em apelação –o defensor da 3ª base, de posse da bola que lhe foi lançada pelo jardineiro direito, apelou ao árbitro, tocando a base omitida.

[Regras: 7.04 (d) – NOTA, 7.05 (c)]

quarta-feira, 22 de junho de 2016

CONCESSÃO DE BASES

Corredor na 1ª e 3ª base. “Wild Pitch”*. O corredor da 3ª base tentou anotar ponto. O receptor recuperou a bola nas proximidades do “backstop”* e lançou ao arremessador, que estava cobrindo o “home base”. O lançamento, porém, foi mal executado; a bola tocou o solo e rolou para dentro do “dugout”. (O corredor da 1ª base havia dado alguns passos em direção à 3ª base, após pisar a 2ª base, quando o receptor efetuou o lançamento.) O árbitro mandou o corredor da 1ª base também  para "home". Decisão correta?
 
Sim. A concessão de duas bases é feita a partir da posição dos corredores no momento em que o receptor lançou a bola.  
 
[Comentário – Regra 7.05 (g) – REGRA APROVADA]
 
Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vazquez Lopez
 
*“Wild Pitch” = Arremesso descontrolado.
 
*“Backstop” =  Barreira situada a 60 pés (18,288m) atrás do "home plate".

terça-feira, 21 de junho de 2016

RECEPTOR COMETE INTERFERÊNCIA ENQUANTO CORREDORES ESTÃO TENTANDO ‘TOORUI’*

Um "out". No momento em que os corredores da 1ª e 2ª base arrancaram em direção às bases seguintes, o receptor cometeu Interferência.
 
Decisão: O batedor adquire o direito de ir à 1ª base e os corredores poderão avançar uma base, sem o risco de serem eliminados.
 
[Regras: 6.08(c), 7.04 (d)]

A Regra 7.04 (d) não seria aplicada se o corredor da 2ª base não estivesse  tentando roubar a base seguinte, ou se estivesse simplesmente fora da 'almofada', sem intenção de avançar à base seguinte.
[Regra 7.04 (d) – NOTA]
*‘Toorui’ é um termo japonês; significa roubo de base. ‘Toorui’ = “Steal” (stiil).

segunda-feira, 20 de junho de 2016

DOIS CORREDORES ESTÃO OCUPANDO A BASE PARA A QUAL O CORREDOR SUBSEQUENTE É OBRIGADO A IR

Um eliminado, bases cheias. O defensor da 2ª base apanhou a bola rebatida ("ground ball") em sua direção e surpreendeu o corredor da 3ª fora da base; teve início um “run-down play”, mas ele  conseguiu retornar. Ocorre que, enquanto isso, o corredor da 2ª base havia chegado à 3ª base  –dois corredores sobre uma base. O interbases, que estava de posse da bola, deu toque em ambos.
 
Nessa jogada, o corredor da 3ª base –forçado a avançar pelo batedor que se tornara um corredor– deve ser eliminado, e o da 2ª base tem o direito de ocupar a 3ª base.
 
Regra 7.03 (b): Numa jogada em que um corredor é “empurrado” (forçado a avançar) pelo batedor que se tornara um corredor, dois corredores estão ocupando a base para a qual o corredor subsequente é obrigado a ir. Nesse caso, o corredor subsequente tem o direito de ocupar essa base, e o corredor precedente deve ser eliminado se for tocado, ou se um defensor, de posse da bola, pisar a base para a qual ele (corredor precedente) é obrigado a avançar.

domingo, 19 de junho de 2016

CBBS - NOTÍCIA

No dia 17 de Junho de 2016, foi realizada na Câmara Municipal de São Paulo a cerimônia de entrega de prêmios do 60º Prêmio Paulista de Esportes 2016 –promoção do Jornal Nippak–, com a presença de várias autoridades, do Presidente da CBBS – Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol,  Sr. Jorge Otsuka,  e do Presidente da FPBS – Federação Paulista de Beisebol e Softbol,  Sr. Olívio Sawasato.
 
No beisebol, foi homenageado PAULO ROBERTO ORLANDO (representado pela família), 1º brasileiro Campeão da MLB – Major League Baseball (“World Series”), e no softbol,  CAMILA MAYUMI OGUIURA SILVA, atleta campeã de dois Sul Americanos e vários Campeonatos Brasileiros, 4º lugar pela Seleção Brasileira nos Jogos Panamericanos  2015 (Toronto  - Canadá ).

Parabéns aos homenageados  em nome do Beisebol  e Softbol do Brasil.
 
Vídeo (Camila recebendo o prêmio):
Clique aqui

Álbum de fotos:

FaceBook CBBS:

DOIS CORREDORES SOBRE UMA BASE

Um eliminado, corredor na 2ª e 3ª base. Rebatida “ground” na direção do espaço entre o interbases e a 3ª base. O interbases efetuou a defesa e surpreendeu o corredor da 3ª base fora da ‘almofada’. Teve início um “run-down play”, mas o corredor conseguiu retornar a salvo. Ocorre que, enquanto ocorria a jogada de perseguição, o corredor da 2ª base havia chegado à 3ª base –dois corredores sobre uma base. O defensor da 3ª base, que estava de posse da bola, deu toque em ambos.
 
Nessa jogada, somente o corredor da 2ª base é “out” (foi tocado fora de sua base).
 
Regra 7.03 (a): Dois corredores não podem ocupar uma base, mas se, enquanto a bola está viva, dois corredores estiverem tocando uma base, o corredor subsequente será eliminado se for tocado, e o corredor precedente terá o direito de ocupar essa base, a menos que seja aplicada a regra 7.03 (b).

sábado, 18 de junho de 2016

RETORNO DE CORREDORES ÀS BASES QUE ESTAVAM OCUPANDO

Corredor na 1ª e 2ª base. “Fly” longo para “centerfield” (jardim central). Julgando que a rebatida seria indefensável, os corredores avançaram, partindo de onde se encontravam (fora de suas bases). Ocorre que o jardineiro central conseguiu apanhar a bola no ar, nas proximidades da cerca. (Quando ocorreu o “catch”, o corredor da 2ª base estava a caminho do “home”, e o da 1ª base havia chegado perto da 3ª base.) Ao tentarem retornar, o corredor da 2ª ultrapassou o da 1ª.
 
Nesse caso, o corredor da 1ª base deve ser eliminado.
 
Quando dois corredores tiverem de retornar às suas bases, deverão fazê-lo em ordem inversa, ou seja, sem que o precedente ultrapasse o subsequente. Mesmo quando o corredor precedente ultrapassa o subsequente no retorno a suas bases, o corredor que deve ser eliminado é sempre o subsequente.

[Regras: 702 – vide NOTA 2, 7.08 (h) – vide NOTA 2]

sexta-feira, 17 de junho de 2016

“DOUBLE PLAY” (JOGADA DUPLA) EM “NEIGHBORHOOD PLAY”*

Num jogo do Campeonato Paulista de Beisebol 2016 –Categoria Adultos– realizado no dia 12/06/2016, ocorreu uma jogada conhecida por “neighborhood play”.
 
Jogada: Nenhum “out”, corredor na 1ª base, rebatida “ground” para o campo interno. O defensor da 2ª base efetuou a defesa e fez um lançamento perfeito à 2ª base. O interbases recebeu a bola, com os pés fora da 'almofada', e lançou à 1ª base (sem tocar a base). O árbitro da 2ª base eliminou o corredor; o batedor-corredor também foi declarado "out". A equipe na ofensiva reclamou sobre o lance na 2ª base, alegando que o corredor deveria ser declarado “safe”, mas a decisão “out” foi mantida.
 
ooo 0 ooo
 
*“Neighborhood play” é uma jogada forçada (“force play”) em que um defensor que está recebendo um lançamento efetuado para tentar uma eliminação forçada (“force out”) na 2ª base apanha a bola, com os pés fora da ‘almofada’, e despacha-a rapidamente à 1ª base (sem tocar a base),  numa tentativa de concretizar uma jogada dupla.  
 
De acordo com a Regra 7.08 (e) –ao pé da letra– tal jogada não elimina o corredor; para eliminá-lo, o defensor, de posse da bola, tem de pisar a base para a qual ele está avançando, ou tocar o corredor (antes que ele alcance a base).  
 
Essa jogada é decidida diferentemente em vários níveis e em várias Ligas no beisebol amador (no beisebol colegial e universitário, nas categorias menores etc.). Há debates sobre sua conveniência e necessidade, tanto no beisebol amador como no beisebol profissional.
 
A orientação para eliminar o corredor mesmo quando o defensor não toca a base começou a ser adotada porque é comum um corredor que chega deslizando colidir com o defensor na 2ª base, algumas vezes causando ferimento. Numa tentativa de jogada dupla, o defensor tem de lançar a bola à 1ª base, e para isso, geralmente, dá um passo diretamente na direção do caminho do corredor que está se aproximando. Numa jogada forçada ‘apertada’ na 2ª base, o defensor, muitas vezes, não consegue evitar uma colisão enquanto está completando o lançamento à 1ª base, a menos que ele esteja afastado da base. Por medida de segurança, os árbitros têm permitido que o defensor concretize a primeira eliminação numa tentativa de jogada dupla, sem tocar a 2ª base, mas desde que a eliminação do corredor seja evidente, ou seja, o defensor apanhe a bola com facilidade perto da base e lance antes de o corredor chegar.
 
Jogada em que o lançamento é mal executado e obrigue o defensor apanhar a bola com o(s) pé(s) fora da base não é considerada “neighborhood play”.  
 
Fonte: Wikipedia, the free encyclopedia
 
   


CONCESSÃO DE BASES

O corredor da 1ª base arrancou em direção à base seguinte no momento do arremesso.  Em razão disso, o arremessador afobou-se e efetuou um mau arremesso (“wild pitch”*). O receptor, ao tentar parar a bola, chutou-a para dentro do “dugout”.  O corredor já havia alcançado a 2ª base quando a bola foi chutada.   
 
O corredor pode avançar à 3ª base. Isso porque a concessão de duas bases é a partir da 1ª base (a base onde ele estava no momento do arremesso).
 
[Regra 7.05 (h) – REGRA APROVADA]
 
Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vazquez Lopez

*“Wild Pich” é um arremesso tão alto, tão baixo ou tão fora do “home plate” que não pode ser apanhado pelo receptor mediante um esforço normal.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

CORREDOR RETORNA À BASE QUE ESTAVA OCUPANDO

Corredor na 1ª base. Rebatida "liner" na direção do jardim esquerdo. A bola caiu em território “foul”, nas proximidades da cerca do fundo. O corredor, que estava a caminho da 3ª base após passar legalmente pela 2ª base, retornou à 1ª base, sem pisar novamente a 2ª base.  O corredor será eliminado por omissão de base se houver uma apelação da equipe na defensiva?
 
Não. Quando a bola está morta sob qualquer das disposições da Regra 5.09, o corredor pode ir diretamente à base que estava ocupando.  
 
[Regra 7.02]

quarta-feira, 15 de junho de 2016

CORREDOR ULTRAPASSA A BASE QUE LHE FORA CONCEDIDA

Bases cheias. O batedor obteve “base on balls”*. O corredor da 1ª base  pisou a 2ª base e deu alguns passos em direção à 3ª base. Vendo isso, o arremessador jogou a bola ao interbases, e este tocou o distraído corredor fora da base. É “out”, ou nessa situação ele pode ultrapassar a base que lhe fora concedida?

É “out”. Deve ser aplicada a Regra 7.08 (c). Vide Comentário – Regra 6.08 (a).

*“Base on Balls” (Base por “Balls”): É a concessão da 1ª base garantida a um batedor que, durante a sua vez de bater, recebe quatro arremessos fora da zona de “strike”. Vide Regra 6.08 (a).

terça-feira, 14 de junho de 2016

CORREDOR DESVIA O CURSO DE UMA BOLA REBATIDA QUE CONTINUA EM MOVIMENTO SOBRE O TERRITÓRIO "FOUL"

A bola rebatida foi rolando na direção da 3ª base, ao longo da linha de base, em território “foul”. O corredor da 3ª base atirou o capacete contra ela e mudou a sua trajetória; e assim impediu que entrasse no território “fair”.
 
Decisão: O corredor é “out” e a bola torna-se morta.

[Regra 7.09 (b) – vide Regra 6.05 (i)]

segunda-feira, 13 de junho de 2016

BATEDOR SAI DO “BATTER’S BOX”

No momento em que o arremessador iniciou o “windup”, o batedor deixou a sua posição repentinamente. O arremesso foi completado, e o árbitro decidiu que foi “STRIKE”. O técnico da equipe na ofensiva reclamou, alegando que o arremesso deveria ser anulado, uma vez que fora executado quando o batedor estava fora do “batter’s box”. O árbitro manteve a sua decisão.  
 
Foi aplicada a Regra 6.02 (b): O batedor não deve deixar a sua posição no “batter’s box” depois que o arremessador assume a Posição “Set” ou inicia o “Windup”. Penalidade: Se o arremessador efetuar o arremesso, o árbitro deverá declarar “BALL” ou "STRIKE”, de acordo com sua apreciação. Vide Comentário.

domingo, 12 de junho de 2016

BATEDOR ABANDONA O “BATTER’S BOX”

Corredor na 3ª base. O arremessador iniciou o “Windup”, porém não completou o arremesso porque o batedor saiu do “batter’s box”. É “balk”?
 
Não. Deve ser declarado um “strike” automático se o batedor, após ter sido advertido pelo árbitro, permanecer fora do “batter’s box” e estiver retardando o jogo. A bola torna-se morta e nenhum corredor pode avançar. Se o batedor continuar fora do “batter’s box”, apesar da oportunidade razoável que lhe é dada para se posicionar corretamente,  o árbitro deverá contar “strikes” adicionais, sem que o arremessador efetue arremessos.  
 
[Comentário – Regra 6.02 (b), Regra 6.02 (d) (1), vide Comentário – Regra 6.02 (d) (1)]

sábado, 11 de junho de 2016

REGRA DE “INFIELD FLY”

Corredor na 1ª e 2ª base, “no out” (nenhum eliminado), rebatida “fly” em direção ao espaço entre o interbases e o defensor da 3ª base; ambos poderiam ter agarrado a bola mediante um esforço normal. Ocorre que o jardineiro esquerdo, que estava posicionado logo atrás do interbases, 'pediu' a bola e deixou-a cair, intencionalmente, após tocá-la com a luva. O árbitro da 3ª base eliminou o batedor.
 
Decisão correta. Foi aplicada a Regra 6.05 (e).
 
Para os propósitos da regra de “Infield Fly”, qualquer defensor do campo externo posicionado no campo interno deve ser considerado defensor do campo interno.
 
(Regra 2.00 “INFIELD FLY”)
 
O árbitro deve declarar um “Infield Fly”, mesmo quando a bola é apanhada por um defensor do campo externo, se, na sua opinião, ela poderia ter sido agarrada facilmente por um defensor do campo interno. Se num "Infield Fly" declarado o defensor derrubar, intencionalmente, um "fair fly", a bola continuará em jogo, a despeito das disposições da Regra 6.05 (l). A regra de "Infield Fly" terá prioridade.
 
[Comentário – Regra 2.00 (“INFIELD FLY”)]  

sexta-feira, 10 de junho de 2016

CONCESSÃO DE BASES

Corredor na 1ª base. Jogada combinada: ‘hitto endo ran’*. Rebatida “ground” fraca para o campo interno. O interbases apanhou a bola logo atrás do arremessador, mas   como o corredor já havia chegado à 2ª base, tentou eliminar o batedor-corredor. O lançamento, porém, foi mal executado; a bola desviou ao tocar a luva do defensor da 1ª base e rolou para dentro do “dugout”. Para que base deve ser mandado o corredor que alcançara a 2ª base?
 
Como o lançamento descontrolado foi a primeira jogada de um defensor do campo interno –e o batedor-corredor ainda não havia chegado à 1ª base–, a concessão de duas bases deve ser feita com base na posição do corredor no momento em que o arremesso foi executado (ou seja, o corredor deve ser mandado à 3ª base). Ao batedor-corredor deve ser concedida a 2ª base.
 
[Regra 7.05 (g) – vide REGRA APROVADA]

*‘HITTO ENDO RAN’ (o R não tem o som áspero): Vem de “HIT AND RUN” (hit aend rân), que significa bater e correr. É uma jogada em que o batedor tem de rebater a bola arremessada, com certeza, porque o corredor já está iniciando a corrida para a base seguinte.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

DEFENSOR ATIRA SUA LUVA, INTENCIONALMENTE, E TOCA UMA BOLA “FAIR”

Rebatida “fly” em direção ao espaço entre os jardins central e direito.  O jardineiro central, percebendo que não conseguiria efetuar a defesa, atirou a luva para tentar parar a bola. Mas não conseguiu (a bola desviou ao ser atingida pela luva e foi parar na  cerca do fundo). O batedor-corredor tentou um ‘raningu’*, mas foi eliminado ("tag out"*) pouco antes de alcançar o “home base”.  O técnico da equipe na ofensiva reclamou alegou que ele (batedor-corredor) teria o direito de retornar à base que lhe fora concedida (3ª base) em razão de a luva atirada ter tido contato com a bola , porém a decisão "out" foi mantida.

Foi aplicada a Regra 7.05 (c). O batedor-corredor pode avançar, sem o risco de ser eliminado, somente até a 3ª base; ele pode ir para “home”, porém a seu risco,  já que a bola permanece em jogo.

*‘Raningu’ (o R não tem o som áspero) vem de “running home run” (râning houm rân) –rebatida por meio da qual o batedor-corredor pisa todas as bases enquanto a bola está dentro do campo e anota um ponto.

*"Tag Out" = Eliminação por toque.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

CURSO PARA NOVOS ÁRBITROS EM JULHO

Esse curso é voltado aos iniciantes, atletas e pais novos que gostariam de aprender as regras básicas desse esporte fascinante. E é item obrigatório para quem quer se tornar um árbitro de beisebol.
 
Datas:   09, 10, 16, 17, 23 e 24 de julho de 2016
Local:   Gecebs (Arujá-SP)
Taxa:   R$ 100,00 (só o curso. Café e refeição acertar direto no baitem)
Material:     Livro de Regras, incluso na taxa. As apostilas são as mesmas utilizadas na Reciclagem e podem ser baixadas da internet. 

Informações: 

Paulo Yamada
Tel.: (11) 3921.4997 / 97369.4737 

Alberto Iwano
Tel.: (11) 98145.3599 
Email: alberto.iwano@gmail.com 

Milson Aoki
Tel.: (11) 98169.3266 

É “STRIKEOUT”

Nenhum corredor em base, um “out”, “ball count” (contagem de bolas arremessadas): 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). O batedor fez “swing” (girou o “bat”) para tentar rebater o arremesso seguinte. A bola –não teve contato com o “bat”– foi de encontro ao protetor de tórax do receptor, e este apanhou-a com o ‘mitto’* antes de ela tocar o solo.
 
Decisão: “Strikeout” (o terceiro “strike” foi agarrado legalmente* pelo receptor). 

[Regra 6.05 (b), Comentário – Regra 6.05 (b)]

*‘Mitto’: Vem de “mitt” (mit), um tipo especial de luva que oferece maior proteção à mão de uma pessoa. No beisebol e softbol, há luva especial para receptor –‘kyatti mitto’ (vem de “catcher’s mitt”)– e também para defensor da primeira base– ‘fasto  mitto’ [vem de  “first (baseman’s) mitt”].
 
*Agarrado legalmente significa que a bola entrou na luva do receptor, sem tocar o solo. 

terça-feira, 7 de junho de 2016

EQUIPE VISITANTE ("VISITING TEAM")/EQUIPE LOCAL ("HOME TEAM")

Jogo entre “A” (equipe visitante) e “B” (equipe local). O técnico de “B”, ao constatar que o jogador escalado como arremessador havia chegado momentos antes de começar o jogo, comunicou ao árbitro de “home” que sua equipe iria atacar primeiro. O árbitro deve permitir isso?
 
Não. Antes, as regras permitiam que a equipe local iniciasse o jogo atacando primeiro ou depois, mas, a partir de 1950, estipulou-se que ela (equipe local) deve bater depois.
 
(Regra 4.02)

Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vazquez Lopez
 
Equipe visitante = Aquela que inicia o jogo atacando primeiro.
 
Equipe local = Aquela que inicia o jogo defendendo primeiro.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

CASOS OCORRIDOS EM JOGOS DO XXIII CAMPEONATO BRASILEIRO INTERCLUBE – CATEGORIA: 40 ANOS (QUARENTÃO) – REALIZADOS NO DIA 04/06/2015 NO ESTÁDIO MIE NISHI (BOM RETIRO)

(1) Nenhum “out”, corredor na 1ª e 2ª base. Quando o árbitro declarou o terceiro “ball”, o batedor, achando ter obtido “base on balls”*, foi andando em direção à 1ª base e provocou a eliminação do corredor da 1ª base (este, que havia dado alguns passos  rumo à 2ª base, foi tocado pelo defensor da 1ª base –que recebera a bola lançada pelo receptor– antes de conseguir retornar). O corredor da 2ª base avançou à 3ª base.
 
*“Base on Balls” (Base por “Balls”) é a concessão da 1ª base garantida a um batedor que, durante a sua vez de bater, recebe quatro arremessos fora da zona de “strike”.
 
(2) Contagem de bolas arremessadas: 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). Ao afastar-se para evitar ser atingido pela bola arremessada, o batedor (destro) movimentou o “bat” –involuntariamente– pra frente. Antes de o árbitro dar a decisão sobre o arremesso, o receptor apontou para o árbitro da 1ª base, e este, imediatamente, indicou que houve “swing”* (levantou o braço direito e girou a mão com o dedo indicador apontando para cima, ou seja, fez o gesto que se usa para indicar um “home run”). “Strikeout”*. O batedor reclamou, mas a decisão foi mantida.
 
Observações:
 
(a) Não houve “swing”, pois o batedor não tentou rebater a bola.
 
(b) O árbitro da 1ª base não deveria ter dado a sua decisão, já que não fora consultado pelo árbitro de “home”.
 
(c) Para indicar que houve “swing”, o árbitro de base consultado deveria ter feito o gesto de “strike” (mesmo gesto de  “out”). 
 
*“Swing” é o ato de girar (rodar) o "bat" para tentar rebater a bola arremessada.
 
*“Strikeout” = eliminação por “strike”. 

domingo, 5 de junho de 2016

TÉCNICO-JOGADOR ATUA COMO “BASE COACH” APÓS SER SUBSTITUÍDO

Na primeira metade do quinto “inning” o técnico-jogador que estava defendendo a 1ª base foi substituído e deixou o campo. Na segunda metade desse “inning” ele continuou no jogo, atuando como “base coach” da 1ª base.  O árbitro deve permitir isso?   
 
Sim. De acordo com a Regra 3.03, ele pode continuar orientando sua equipe após ser substituído como jogador. 

sábado, 4 de junho de 2016

OBSTRUÇÃO

Corredor na 1ª base. Rebatida indefensável (‘hitto’*) ao jardim central (“centerfield”). O corredor chegou à 3ª base. O batedor-corredor, ao dar dois passos após pisar a 1ª base, trombou com o defensor da 1ª base e foi ao solo. Levantando-se rapidamente, continuou avançando, mas foi tocado pelo interbases –que estava de posse da bola que lhe foi lançada pelo jardineiro central (“centerfielder”)– pouco antes de alcançar a 2ª base; foi declarado “out”.
 
O árbitro da 1ª base, que havia apontado a falta cometida pelo defensor da 1ª base (Obstrução), revogou a decisão dada pelo companheiro e concedeu a 2ª base ao batedor-corredor.
 
[Regra 7.06 (a) (b)]
 
Fonte: Metodologia de Las Reglas Oficiales de Beisbol, de Humberto Vazquez Lopez
 
*‘HITTO’: Vem de “HIT” (hit), do termo “BASE HIT” (béis hit). Significa rebatida indefensável –aquela por meio da qual o batedor alcança a 1ª base, ou qualquer base subsequente, com segurança ("safe"), sem que tenha ocorrido erro na ação defensiva.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

RECEPTOR APANHA UM “FOUL FLY” NA BEIRA DO “DUGOUT”

O receptor apanhou um “foul fly” estendendo o(s) braço(s) para dentro do “dugout”. Quando ele efetuou a pegada,
 
(1) estava com ambos os pés na beira do “dugout”;
 
(2) estava com um pé sobre o solo dentro do “dugout”.
 
Decisão:
 
(1) Se ele conseguir segurar firmemente a bola, a pegada será válida. A bola permanece em jogo, a menos que ele caia para dentro do “dugout” enquanto está de posse da bola que apanhara, ou caia enquanto está dentro do “dugout” após efetuar a pegada; nesses casos, cada corredor deve avançar uma base, sem o risco de ser eliminado, a partir da última base tocada legalmente no momento em que o receptor caiu para dentro (ou caiu enquanto  estava dentro) do “dugout”.
 
(2) Mesmo que ele consiga segurar firmemente a bola, a pegada não será válida. É “foul ball”.  A bola torna-se morta.

[Regras:  6.05 (a), 7.04 (c); Comentário – Regra 6.05 (a), Comentário – Regra 7.04 (c)]

quinta-feira, 2 de junho de 2016

“FOUL TIP” OU “FOUL BALL”?

Contagem de bolas arremessadas: 1 – 2 (um “ball” – dois “strikes”). No arremesso seguinte o batedor fez “swing”. A bola triscou o “bat” e foi diretamente de encontro ao corpo do receptor; este sentiu a pancada, mas conseguiu retê-la contra o protetor de tórax, com ambas as mãos. O batedor é “out”?
 
Não. É “foul ball”. Se a bola tivesse tocado a luva ou a mão do receptor antes de ter contato com o equipamento de proteção, seria um “foul tip”, e nesse caso, sim, o batedor seria eliminado por três “strikes”.
 
[Regra 6.05 (b), Comentário – Regra 6.05 (b)]

quarta-feira, 1 de junho de 2016

É "FAIR BALL" OU “FOUL BALL”?

A bola rebatida (“fair ball”) pulou ao tocar o “home plate” e teve contato com o braço esquerdo do batedor.   

Se o batedor estiver posicionado legalmente no “batter’s box” conforme determina a Regra 6.03 (com ambos os pés dentro do “batter’s box”) –e, na opinião do árbitro, ele não teve nenhuma intenção de interferir no curso da bola– uma bola rebatida que atinge o seu corpo ou o seu “bat” será declarada “foul ball”. 

[Regra 6.05 (g)]
 
Regra 2.00 “FOUL BALL” (REBATIDA NULA) – NOTA 1: ... Se uma bola rebatida (incluindo “bunt”) toca o “bat” nas mãos do batedor ou o corpo do batedor enquanto este ainda se encontra dentro do “batter’s box”, o árbitro deve declarar um “foul ball” (não importa se isso ocorre em território “fair” ou “foul”).