sábado, 30 de abril de 2016

REGRA DO BATEDOR DESIGNADO (“DESIGNATED HITTER RULE”) - 4

Segunda metade do quinto “inning”, placar empatado, corredor na 3ª base, dois eliminados, contagem de arremessos: 0 – 1. Quando o batedor –“DH”– deixou passar o segundo “strike”, o técnico substituiu-o. O “DH” pode ser substituído?
 
Sim.
 
Regra 6.10 (b) (4): Podem ser usados “pinch-hitters” (batedores de emergência) para um Batedor Designado. Qualquer batedor que substitua um Batedor Designado torna-se, daí em diante, o novo Batedor Designado. Um Batedor Designado substituído não pode retornar ao jogo em nenhuma circunstância.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

REGRA DO BATEDOR DESIGNADO ("DESIGNATED HITTER RULE") - 3

Após a ordem “Play Ball!” para começar o jogo, o técnico da equipe visitante (aquela que inicia o jogo atacando primeiro) comunicou ao árbitro principal sua intenção de designar um batedor para o arremessador. Isso deve ser permitido?
 
Não. Uma equipe não é obrigada a designar um batedor para o arremessador, mas se deixar de fazê-lo antes do jogo, ficará impedida de usar um Batedor Designado para esse jogo.

[Regra 6.10 (b) (3)]

quinta-feira, 28 de abril de 2016

REGRA DO BATEDOR DESIGNADO ("DESIGNATED HITTER RULE") - 2

Batedor Designado indicado no “starting lineup” (escalação inicial) saiu do jogo antes de bater pelo menos uma vez porque o técnico da equipe contrária substituiu o arremessador. O árbitro deve permitir isso?
 
Sim.
 
Regra 6.10 (b) (2): O Batedor Designado indicado na escalação inicial tem de bater pelo menos uma vez, a menos que a equipe contrária substitua o arremessador.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

REGRA DO BATEDOR DESIGNADO ("DESIGNATED HITTER RULE") - 1

Uma equipe relacionou 10 jogadores no “Lineup Card”*,  porém sem indicar um deles como o Batedor Designado ("DH") –aquele que deve bater no lugar do arremessador. O técnico da equipe adversária percebeu o erro antes de o árbitro dar início ao jogo. Como deve ser regularizada essa situação?
 
O árbitro principal deve mandar o técnico que cometeu a falha mencionar qual dos nove jogadores, exceto o arremessador, será o Batedor Designado (A não indicação do "DH" quando são relacionados 10 jogadores na Ordem de Batedores é um erro “óbvio” que pode ser corrigido antes do início de um jogo.)
 
Caso o técnico da equipe oponente comunique essa omissão ao árbitro principal depois da ordem “Play” para iniciar o jogo, o arremessador terá de bater no lugar do jogador relacionado no “Lineup Card” que não tenha assumido uma posição na defesa –se a equipe tiver entrado no campo para atuar na defesa; se a equipe não tiver ainda entrado no campo para atuar na defesa, o arremessador será colocado na ordem de batedores no lugar de qualquer jogador escolhido pelo técnico dessa equipe. Em qualquer caso, o jogador cujo lugar na ordem de batedores é ocupado pelo arremessador deve ser considerado como se tivesse sido substituído e removido do jogo; e a função do Batedor Designado termina para o resto do jogo. Qualquer jogada que tenha ocorrido antes de a infração ser levada ao conhecimento do árbitro principal deve ser mantida.

[Regras: 4.01 (c), 6.10 (b) (1) (11)]

*“Lineup Card” (Formulário de Escalação) = “Batting Order” (Ordem de Batedores)   

terça-feira, 26 de abril de 2016

JOGADORES DO “BENCH” NÃO CONCORDAM COM UMA DECISÃO “SAFE”/ “OUT”

O defensor da 3ª base apanhou a bola rebatida –um “ground ball” fraco– em sua direção  e lançou à 1ª base. Jogada apertada. No momento em que o árbitro da 1ª base declarou “SAFE”, jogadores do “bench” da equipe na defensiva contestaram a decisão. O árbitro de “home” advertiu-os de que tal manifestação deveria cessar. Como, porém, eles continuaram reclamando, foi aplicada a Penalidade da Regra 4.08 –todos os jogadores foram retirados do “bench” e mandados para o vestiário, já que não foi possível identificar o(s) infrator(es).  
 
(Nesse caso, o técnico da equipe infratora terá permissão para chamar ao campo de jogo somente aqueles jogadores necessários para as substituições que pretende fazer.)

segunda-feira, 25 de abril de 2016

REGRA DE “INFIELD FLY”

O propósito da Regra de “infield Fly” –no beisebol e no softbol– é impedir que defensores do campo interno derrubem um “fair fly” –exceto um “line drive” ou um “fly” resultante de “bunt”– que pode ser agarrado mediante um esforço normal, ou permitam que a bola caia, para tentar executar uma jogada dupla ou tripla. Deve ser aplicada quando a 1ª e a 2ª bases estão ocupadas, ou quando as bases estão cheias, e há menos de duas eliminações. Vejamos o que poderia acontecer se não houvesse essa regra: se os corredores estiverem fora (mas perto) das bases, o defensor poderia deixar a bola cair e conseguir eliminação forçada em cada base, ou seja, poderia executar uma jogada dupla ou tripla.  Quando a bola está no ar e o árbitro sinaliza que está aplicando a Regra de “Infield Fly”, o batedor é “out” e as situações de jogada forçada deixam de existir, independente de a bola ser apanhada no ar ou não.

Para aplicar a Regra de “Infield Fly”, o árbitro deve julgar se a bola pode ser apanhada por um defensor do campo interno (“infielder”) mediante um esforço normal; não deve se basear em algumas limitações arbitrárias, tais como o gramado ou as linhas de base. 

O árbitro deve declarar um “Infield Fly” mesmo quando a bola é apanhada por um defensor do campo externo (“outfielder”), se, na sua opinião, ela poderia ser agarrada facilmente por um defensor do campo interno.

Quando parecer evidente que uma bola rebatida será um “Infield Fly”, o árbitro deve declarar, imediatamente, “INFIELD FLY!”, em benefício dos corredores (erguer o braço direito e apontar para cima). Se a bola estiver perto das linhas de base, o árbitro deve declarar “INFIELD FLY SE FOR FAIR!” e aguardar; deve aplicar a regra somente após certificar-se de que a rebatida é “fair” (declarar “OUT!” fazendo o gesto correspondente). Se a rebatida se tornar um “foul ball”, ela será tratada da mesma forma que qualquer “foul” (declarar “FOUL BALL!” fazendo o gesto correspondente).

No beisebol, a Regra de "Infield Fly" deve ser aplicada somente quando os árbitros apontam a ocorrência do lance; no softbol, porém, a orientação da Federação Internacional de Softbol (International Softball Federation – ISF) é no sentido de aplicar a regra mesmo que os árbitros não se manifestem, desde que a jogada preencha todas as condições de um “Infield Fly”.

Um “Infield Fly” pode ser declarado por qualquer árbitro no campo.

O “Infield Fly” não é, de maneira alguma, considerado uma jogada de apelação (a opinião do árbitro tem de prevalecer).

Num “Infield Fly”, a bola permanece em jogo.

[Beisebol – Regras: 2.00 "INFIELD FLY" – vide NOTA , 6.05 (e)]

[Softbol – Regras: 1 – Seção 56, 8 – Seção 2e, 8 – EFEITO – Seção 2a-e, 9 – Seção 2b)

domingo, 24 de abril de 2016

POSICIONAMENTO INCORRETO DO ÁRBITRO DA 1ª BASE

O defensor da 1ª base apanhou um “ground ball” rebatido em sua direção e lançou ao arremessador, que estava se movimentando para cobrir a 1ª base. Logo após o arremessador receber a bola e pisar a base, o batedor-corredor tocou a ‘almofada’ e continuou correndo; e poderia ter colidido com o árbitro posicionado dentro do território “fair”, nas  proximidades da linha de “foul”.  
 
 
Nessa jogada o árbitro posicionou-se incorretamente. Em todas as rebatidas “ground” na direção do defensor da 1ª base e para o lado esquerdo extremo do defensor da 2ª base, ou em rebatidas “ground” curtas ao jardim direito, deve deslocar-se para a esquerda e permanecer no território “foul”, mantendo uma distância de cinco a seis metros da base.

sábado, 23 de abril de 2016

BATEDOR-CORREDOR É TOCADO ANTES DE CHEGAR À 1ª BASE – "OUT" OU "SAFE"?

O interbases apanhou um “ground ball” nas proximidades da 2ª base e fez um lançamento descontrolado (“wild throw”) à 1ª base. O defensor da 1ª base apanhou a bola com dificuldade e tocou o batedor-corredor pouco antes de ele alcançar a base. Ocorre que, após o toque, a bola soltou-se da luva, e enquanto o defensor tentava segurá-la, o batedor-corredor pisou a base.  
 
Decisão: Como a bola não estava firmemente segura na luva no momento do toque, o batedor-corredor não é "out".  
 
[Regras: 2.00 "TAG" (TOQUE), 6.05 (j) – NOTA]

sexta-feira, 22 de abril de 2016

CORREDOR TROMBA COM UM DEFENSOR NO MOMENTO EM QUE ELE SE PREPARA PARA LANÇAR A UMA BASE

Corredor na 1ª e 2ª base, nenhum “out”. Rebatida "ground" na direção do interbases. O corredor da 2ª base parou para evitar uma colisão com o defensor ...  depois, no momento em que ele efetuou a defesa e se preparou para lançar à 2ª base, empurrou-o  –o defensor e a bola foram ao solo. E assim foi evitada uma provável jogada dupla (“double play”).  Que decisão deve ser dada a este lance?
 
O árbitro deve ‘matar’ a bola e eliminar o corredor em razão da falta cometida (Interferência da Ofensiva –atrapalhou a jogada do interbases, que estava tentando fazer uma jogada sobre uma bola rebatida); o batedor-corredor também é “out”. O corredor da 1ª base tem de retornar.
 
Quando a regra diz ‘defensor que está tentando fazer uma jogada sobre uma bola rebatida’, está se referindo à ação de um defensor, desde quando ele se prepara para apanhar a bola rebatida até o momento em que ele completa o lançamento a um companheiro.
 
[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a), 6.05 (m) – vide NOTA, 7.08 (b) – vide NOTA 1]

quinta-feira, 21 de abril de 2016

“BASE COACH” COMETE INTERFERÊNCIA

Corredor na 2ª base. “Foul Fly” na direção do “coach’s box” da 3ª base. O defensor da 3ª base tentou apanhar a bola no ar, mas não conseguiu porque o “base coach” o atrapalhou (não desocupou o espaço que era necessário  para o defensor  efetuar a defesa).
 
Decisão: O batedor  é declarado “out”. A bola torna-se morta e o corredor retorna à base que estava ocupando no momento do arremesso.

[Regra 6.05 (o) – vide Regra 7.11]

quarta-feira, 20 de abril de 2016

BOLA ARREMESSADA TOCA A CAMISA DO BATEDOR

O batedor afastou-se e conseguiu evitar ser atingido pelo arremesso;  a bola, porém, tocou a sua camisa de raspão. O árbitro sinalizou um "hit by pitch"* e concedeu-lhe a 1ª base. Decisão correta?
 
Sim.
 
O batedor adquire o direito de ir à 1ª base, sem o risco de ser eliminado, quando uma bola arremessada atinge o seu corpo, ou toca a sua roupa, enquanto ele está posicionado legalmente no “batter’s box”, a menos que (a) ele tenha tentado rebatê-la; (b) ele não tenha tentado se esquivar dela; ou (c)    isso tenha ocorrido na zona de “strike”.
 
A bola torna-se morta. Se houver corredor(es) em base, ele(s) avança(m) uma base, sem o risco de ser(em) eliminado(s) se for(em) forçado(s). 
 
[Regras: 5.09 (a), 6.08 (b)]
 
Quando o batedor é atingido por uma bola arremessada, mas não adquire o direito de ir à 1ª base, a bola torna-se morta e nenhum corredor pode avançar.
 
[Regra 6.08 (b) – REGRA APROVADA]
 
*"Hit by Pitch":  Lance em que o batedor atingido por um arremesso adquire o direito de ir à 1ª base, sem o risco de ser eliminado.   

terça-feira, 19 de abril de 2016

TERCEIRO “STRIKE” NÃO AGARRADO – O BATEDOR É “SAFE” OU “OUT”?

Corredor na 1ª base, dois “outs”, “ball count” (contagem de bolas arremessadas): 2 – 2. O batedor  fez um “swing” grande para tentar rebater o arremesso seguinte, mas errou –seu “bat” não teve contato com a bola–, e achando que havia sido eliminado, foi caminhando em direção ao “bench”; alertado pelos companheiros de que a bola passara para trás, da posição em que se encontrava (perto do “bench”) correu à 1ª base e conseguiu alcançá-la antes de a bola lançada pelo receptor ser apanhada pelo defensor da 1ª base. Deve ser declarado “safe”?
 
Não. Como ele deixou o círculo que circunda o “home plate”, deve ser declarado eliminado.
 
Comentário – Regra 6.09 (b): Um batedor que não percebe sua situação num terceiro   “strike” não agarrado, e que por isso não tenta avançar à 1ª base, deve ser declarado eliminado tão logo deixe o círculo de terra que circunda o “home plate”.
 
No softbol, o batedor-corredor é eliminado quando entra na área de sua equipe. [Regra 8 - Seção 2 (d) (3)] 

segunda-feira, 18 de abril de 2016

BOLA “FLY” TOCA O SOLO EM TERRITÓRIO “FOUL” E DESVIA PARA O TERRITÓRIO “FAIR”

Rebatida “fly” para o território “foul”. A bola tocou a parte do “coach’s box” da 3ª base onde há um desnível na superfície e desviou para o território “fair” –passou do lado de cá da ‘almofada’ e seguiu para o campo externo. O defensor da 3ª base efetuou a defesa e lançou à 1ª base; o batedor-corredor foi declarado “safe”.  

 
Jogada normal. Uma bola rebatida que está em território “fair” quando passa, rolando ou pulando, pela 1ª ou 3ª base e segue para o campo externo é “fair ball” (‘hia booru’, como costumamos dizer).
 
(Regra 2.00  “FAIR BALL”)
 
 Se a bola tivesse desviado para o território “fair” após passar a 3ª base, seria “foul ball”.

(Regra 2.00 “FOUL BALL”)

domingo, 17 de abril de 2016

BATEDOR SAI DO “BATTER’S BOX” NO MOMENTO EM QUE O ARREMESSADOR INICIA O “WINDUP”

Corredor na 1ª base. No momento em que o arremessador iniciou o “windup”, o batedor saiu do “batter’s box”; em razão disso, o arremesso não foi completado. O árbitro declarou um “balk” e mandou o corredor à 2ª base. O técnico da equipe na defensiva reclamou.
 
Reclamou com razão.

Comentário - Regra 6.02 (b)] ... Se, com corredor(es) em base, o arremessador –após iniciar o “windup” ou assumir a Posição “Set”– não completa o arremesso porque o batedor abandona o “batter’s box”, o árbitro não deve declarar um “balk”; deve declarar um “strike” automático se a Regra 6.02 (d) (1) determina tal penalidade (ou seja, se o batedor, após ter sido advertido pelo árbitro, permanecer fora do “batter’s box” e estiver retardando o jogo). 

sábado, 16 de abril de 2016

BATEDOR RECUSA-SE A OCUPAR SUA POSIÇÃO NO “BATTER’S BOX”

O batedor não concordou com o primeiro “strike” declarado pelo árbitro. Ele saiu do “batter’s box” e reclamou. O árbitro ouviu-o, pacientemente, e depois ordenou-lhe que ocupasse sua posição. Como, porém, ele se recusou a fazê-lo, declarou um “strike”.
 
Foi aplicada a Regra 6.02 (c), que estabelece: Se o batedor se recusar a ocupar sua posição no “batter’s box”, na sua vez de bater, o árbitro deverá declarar um “strike”. A bola ficará morta e os corredores não poderão avançar. Depois dessa penalidade, o batedor poderá se posicionar corretamente no “batter’s box”; a contagem regular de “ball” e “strike” continuará. Se o batedor não ocupar sua posição correta antes de serem contados três “strikes”, será declarado “out”.
 
Após declarar um “strike”, e antes de declarar “strikes” sucessivos, o árbitro deve dar ao batedor uma oportunidade razoável para ele se posicionar corretamente no “batter’s box”. [Comentário – Regra 6.02 (c)]

sexta-feira, 15 de abril de 2016

“BUNT” RESULTA EM “FOUL BALL”

Corredor na 3ª base, um “out”, contagem de arremessos: 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). Jogada combinada: “squeeze play”. O “bunt” resultou em “foul fly” em direção ao “backstop”. O receptor esforçou-se para apanhar a bola no ar, mas não conseguiu – "foul ball". O batedor foi declarado “out”.
 
Foi aplicada a Regra 6.05 (d): Um batedor é eliminado quando um “bunt” executado depois de "two strikes" (dois “strikes”) resulta em “foul ball”.
 
Se o receptor tivesse conseguido efetuar a pegada (“catch”), seria aplicada a Regra 6.05 (a): Um batedor é eliminado quando sua rebatida “fair fly” (“fly” rebatido para o território “fair”) ou "foul fly” (“fly” rebatido para o território “foul”), exceto um “foul tip”, é apanhada legalmente por um defensor.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

DEFENSOR ADENTRA O “DUGOUT” E APANHA UM “FOUL FLY”

Defensor da 1ª base e receptor vão atrás de um “foul fly”. O defensor da 1ª base adentra o “dugout” e apanha a bola no ar. O batedor é “out’?
 
Não. A pegada não é válida. Um defensor não pode entrar no “dugout” para apanhar um “foul fly”.
 
Um defensor pode chegar à beira de um “dugout” (mas não pode por os pés dentro dele) para apanhar uma bola "fly". Se esse defensor conseguir segurar firmemente a bola estendendo o(s) braço(s) para dentro do “dugout”, a pegada será válida. Para apanhar um “foul fly” nas proximidades de um “dugout”, o defensor tem de ter um ou ambos os pés na/sobre a superfície do campo de jogo, incluindo a beira do “dugout”, e nenhum dos pés pode estar sobre o solo dentro do “dugout”. A bola permanece em jogo, a menos que o defensor, após efetuar uma pegada legal, caia para dentro do “dugout”, caso em que a bola se torna morta e cada corredor pode avançar uma base, sem o risco de ser eliminado. 
 
[Comentário – Regra 6.05 (a), Regra 7.04 (c)]

quarta-feira, 13 de abril de 2016

OCUPANTES DE UM ‘BENTI’* DISCORDAM VIOLENTAMENTE DAS DECISÕES “BALL”/”STRIKE”

Ocupantes de um ‘benti’ gritavam repetidamente discordando das decisões “ball”/”strike”.  Apesar de terem sido advertidos pelo árbitro de “home”, continuaram reclamando. Como o árbitro não tinha condição de identificar o infrator, ou infratores, ordenou que todos os jogadores reservas se retirassem do ‘benti’ e se dirigissem ao vestiário. Esses jogadores podem ser utilizados no jogo?
 
Sim. O técnico poderá chamar ao campo de jogo aqueles necessários para as substituições que pretende fazer.

(Regra 4.08 - PENALIDADE)
 
*‘Benti’ vem de “bench”, cuja tradução é banco, assento etc. É o local reservado para os membros de uma equipe. ‘Benti’ = “Dugout”.

terça-feira, 12 de abril de 2016

TÉCNICO EXPULSO DO JOGO PERMANECE PERTO DO “BENCH” DE SUA EQUIPE

Um técnico foi expulso do jogo por conduta antidesportiva. Ele retirou-se do campo, mas sentou-se nas arquibancadas, perto do “bench” de sua equipe, e continuou orientando seus jogadores. O árbitro deve permitir isso? 
 
Não. Deve ordenar-lhe que permaneça bem longe do “bench” ou “bullpen”  de sua equipe.
 
Regra 4.07: Quando um técnico, jogador, “coach” ou treinador é expulso de um jogo, ele deve deixar o campo, imediatamente, e não pode mais continuar participando desse jogo; deve permanecer no vestiário, ou vestir roupa comum e se retirar do estádio, ou sentar nas arquibancadas, bem longe do “bench” ou “bullpen” de sua equipe.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

BOLA ARREMESSADA SE ALOJA NA MÁSCARA DO ÁRBITRO

Corredor na 2ª e 3ª base, um eliminado, “ball count” (contagem de arremessos): 1 – 2 (um “ball” – dois “strikes”). O batedor girou o “bat” para tentar rebater o arremesso seguinte. A bola –não teve contato com o “bat”– desviou após tocar o “mitt” (luva do receptor) e se alojou na máscara do árbitro. Que decisão deve ser dada a este lance?
 
A bola torna-se morta. O batedor adquire o direito de ir à 1ª base, e os corredores avançam uma base.
 
[Comentário – Regra 5.09 (g)]

domingo, 10 de abril de 2016

NÃO HOUVE PEGADA LEGAL

Rebatida “line drive”*. A bola desviou ao ter contato com a luva do arremessador e atingiu –enquanto ainda em voo– o corredor da 2ª base, que estava retornando; o interbases moveu-se rapidamente e apanhou-a antes de ela ir ao solo. O batedor-corredor é “out”?
 
Não, já que não houve pegada legal. A bola continua em jogo.
 
Comentário – Regra 5.09 (f): Se uma bola "fair" toca um árbitro ... Se uma bola rebatida desviada por um defensor, em território "fair", atinge, enquanto ainda em voo, um corredor ou um árbitro, e em seguida é apanhada por um defensor, a pegada não é considerada legal, mas a bola permanece em jogo.

“Line Drive” é uma bola rebatida que vai com força diretamente do “bat” a um defensor, sem tocar o solo. “Line Drvive” = “Liner”.

sábado, 9 de abril de 2016

TERCEIRO “STRIKE” PASSA O RECEPTOR E ATINGE O ÁRBITRO

Corredor na 2ª base, dois eliminados, contagem de bolas arremessadas: 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). O batedor fez “swing” (girou o “bat”) para tentar rebater o arremesso seguinte. A bola (sem ter contato com o “bat”) passou o receptor, atingiu o árbitro e pulou pra frente; o receptor estendeu o braço e agarrou-a antes de ela tocar o solo.  O batedor é “out”?
 
O batedor não é “out” no momento em que ocorre a pegada, mas como a bola permanece em jogo, ele poderá ser eliminado na 1ª base ou por toque de um defensor.
 
[Comentário – Regra 5.09 (g)]

sexta-feira, 8 de abril de 2016

REINÍCIO DE JOGO DEPOIS QUE A BOLA SE TORNA MORTA

Nenhum eliminado, corredor na 2ª base. Contagem de bolas arremessadas: 2 – 2 (dois balls – dois strikes). O batedor rebateu o arremesso seguinte; a bola parou em território foul entre o home base e a 3ª base. O árbitro de home declarou “FOUL BALL!” e, em seguida, jogou uma nova bola ao arremessador. Enquanto este esfregava a bola com as mãos antes de se posicionar sobre o pitcher’s plate, o corredor arrancou em direção à 3ª base. O árbitro da 3ª base sinalizou que a bola estava morta e mandou o corredor retornar.
 
Decisão correta. Foi aplicada a Regra 5.11 (Depois que a bola se torna morta, a partida deve ser reiniciada quando o arremessador ocupa seu lugar sobre o pitcher’s plate, com uma nova bola ou a mesma bola na mão, e o árbitro de home declara “PLAY!”.)

quinta-feira, 7 de abril de 2016

"BASE ON BALLS"* – A BOLA FICA ALOJADA NO EQUIPAMENTO DO ÁRBITRO

Nenhum eliminado, corredor na 2ª base. Contagem de bolas arremessadas: 3 – 1 (três “balls” – um “strike”). O arremesso seguinte foi declarado “BALL”. A bola passou o receptor e se alojou no equipamento do árbitro. Deve ser concedida a 2ª base ao batedor-corredor?
 
Não. Ele adquire o direito de ir somente até a 1ª base [Regra 6.08 (a)]. A bola fica fora de jogo (bola morta) [Regra 5.09 (g)]. O corredor da 2ª base é autorizado a avançar uma base [Regra 7.05 (i)].
 
* "Base on Balls": É a concessão da 1ª base garantida a um batedor que, durante a sua vez de bater, recebe quatro arremessos fora da zona de "strike" (Regra 2.00 DEFINIÇÕES DE TERMOS). 

quarta-feira, 6 de abril de 2016

BOLA DO TERCEIRO “STRIKE” FICA ALOJADA NA MÁSCARA DO ÁRBITRO

Corredor na 1ª base, um “out”, contagem de bolas arremessadas: 3 – 2. O batedor girou o “bat” para tentar rebater o arremesso seguinte, que estava passando na altura do seu ombro. A bola –não teve contato com o “bat”– roçou levemente a luva do receptor, foi para trás e ficou alojada na máscara do árbitro de “home”. O batedor foi declarado “out”, e o corredor, autorizado a avançar uma base.  
 
Decisão correta.
 
[Regras: 5.09 (g), 6.05 (c) – vide NOTA]

terça-feira, 5 de abril de 2016

CORREDOR TENTANDO “HOME STEAL” É ATINGIDO PELA BOLA ARREMESSADA

Dois "outs", corredor no ‘secando’* e ‘saado’*, contagem de arremessos: 3 - 2 (três “balls” - dois  “strikes”). No momento em que o arremessador iniciou os movimentos de arremesso, o corredor do ‘saado’ tentou um “home steal” (roubo de “home”); e ao deslizar em direção à base foi atingido pela bola arremessada, fora da zona de “strike”   (o arremesso foi declarado “BALL”). Como decidir esta jogada?
 
A bola torna-se morta. O batedor vai para 'fasto'*, por “ball four” (quatro “balls”); o corredor do 'saado'  anota ponto; e o corredor do 'secando' avança uma base.
 
[Regras:  5.09 (h), 6.08 (a)]
 
*‘Secando’ vem de “second” (sékand), que quer dizer segundo(a). Usamos esse termo para designar tanto o defensor da 2ª base –“second baseman” (sékand béismaen)— como o local onde está colocada a almofada da 2ª base –“second base” (s'ékand béis).
 
*‘Saado’ vem de “third” (saard), que quer dizer terceiro(a). Usamos esse termo para designar tanto o defensor da 3ª base –“third baseman”  (saard béismaen)— como o local onde está colocada a almofada da 3ª base –“rhird base” (saard béis).

*‘Fasto’ vem de “first” (farst), que quer dizer primeiro(a). Usamos esse termo para designar tanto o defensor da 1ª base –“first baseman” (farst béismaen)—como o local onde está colocada a almofada da 1ª base –“first base” (farst béis).

segunda-feira, 4 de abril de 2016

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO (3)

Corredor na 2ª base. O árbitro de “home” estorvou o receptor quando ele estava devolvendo a bola ao arremessador. (A mão do receptor tocou a máscara do árbitro; em razão disso, a bola foi ao solo.) Aproveitando-se desse incidente, o corredor avançou à  3ª base.
 
O árbitro deve declarar "TIME”, imediatamente, e mandar o corredor retornar à 2ª base.
 
[Comentário – Regra 5.09 (b)]

domingo, 3 de abril de 2016

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO (2)

Corredor da 1ª base está tentando um “steal” (roubo de base). No momento em que o receptor se prepara para lançar à 2ª base, sua mão toca a máscara do árbitro; mesmo assim ele consegue jogar a bola e ‘pegar’ o corredor em “run-down play” (jogada de perseguição).  
 
O árbitro deve declarar “TIME”, imediatamente, e mandar o corredor retornar à 1ª base.

[Regra 5.09 (b) – NOTA]

sábado, 2 de abril de 2016

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO (1)

Corredor da 2ª base está tentando um “steal” (roubo de base). No momento em que o receptor se prepara para lançar à 3ª base, sua mão toca a máscara do árbitro;  mesmo assim ele consegue executar a jogada e tem bom êxito –o corredor é declarado “out”.
 
Nesse caso, a Interferência não é levada em consideração.

[Regra 5.09 (b) – NOTA]

sexta-feira, 1 de abril de 2016

BATEDOR EXECUTA “BUNT” COLOCANDO UM PÉ FORA DO “BATTER’S BOX”

Nenhum “out”, corredor na 1ª e 2ª base, contagem de arremessos: 1 – 1. No arremesso seguinte o batedor executou “bunt” colocando um pé em contato com o solo totalmente fora das linhas do “batter’s box”; os corredores  avançaram às bases seguintes.
 
O batedor é “out” por ação ilegal; a bola torna-se morta e os corredores retornam às suas bases, sem o risco de serem eliminados.

[Regras: 5.09 (d), 6.06 (a)]