sexta-feira, 31 de julho de 2015

CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA E ESTORVA JOGADA SEGUINTE

Corredor na 1ª base, um eliminado, rebatida “ground” para o campo interno (“infield”). O interbases efetuou a defesa e lançou à 2ª base, mas não conseguiu concretizar a eliminação forçada (“force out”). No momento em que o defensor da 2ª base se preparava para fazer o lançamento à 1ª base, o corredor agarrou-o e impediu que ele completasse a jogada sobre o batedor-corredor. Quem deve ser declarado “out”?

Como a Interferência não foi cometida para ‘quebrar’ (impedir) uma jogada dupla, o corredor deve ser eliminado em razão da falta cometida. O batedor adquire o direito de ir à 1ª base.

[Regra: 2.00 “INTERFERENCE” (a), Interpretação do beisebol profissional]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans       

quinta-feira, 30 de julho de 2015

BATEDOR-CORREDOR ELIMINADO AO DAR ALGUNS PASSOS EM DIREÇÃO À 2ª BASE APÓS ULTRAPASSAR A 1ª BASE

Rebatida “ground” em direção ao espaço entre o defensor da 3ª base e o interbases; este efetuou a defesa e fez um mau lançamento à 1ª base –a bola bateu na mureta do “dugout” e voltou ao campo. O defensor da 1ª base apanhou essa bola e tocou o batedor-corredor, que havia dado alguns passos em direção à 2ª base após pisar e ultrapassar a 1ª base. (O batedor-corredor foi declarado “out”.) 
 

Foi aplicada a Regra 7.08 (j).

quarta-feira, 29 de julho de 2015

ARREMESSADOR PERDE O EQULÍBRIO NO MOMENTO EM QUE ESTÁ COMPLETANDO O ARREMESSO

Nenhum corredor em base. Contagem de bolas arremessadas ao batedor que iniciou batendo na primeira metade do nono “inning”: 3 – 2.   O arremessador perdeu o equilíbrio no momento em que estava completando o arremesso; a bola escapou da mão, tocou o solo e foi rolando até a metade da distância entre o “pitcher’s plate” e o “home plate”. O árbitro deve declarar o quarto “ball” e mandar o batedor à 1ª base?

Não. Como a bola não cruzou a linha de “foul”, deve-se considerar que não houve arremesso (“no pitch”). Se houvesse corredor(es) em base, seria declarado um “balk”.

[Comentário – Regra 8.01 (d)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans     

terça-feira, 28 de julho de 2015

CORREDOR É ATINGIDO POR UMA BOLA LANÇADA

Corredor na 1ª base. Rebatida “ground” ao espaço entre a 1ª e a 2ª bases. O defensor da 1ª base efetuou a defesa com dificuldade e lançou à 2ª base para tentar uma jogada dupla. O lançamento, porém, atingiu a cabeça do corredor e desviou. O jogo prosseguiu normalmente.


Como o corredor foi atingido pelo lançamento, acidentalmente, a bola continuou viva e em jogo. Se ele tivesse interferido, intencionalmente, na bola lançada, seria eliminado –nesse caso a bola ficaria fora de jogo (bola morta).

[Regras: 7.08 (b), 7.09 (j)]

segunda-feira, 27 de julho de 2015

LANCES OCORRIDOS EM JOGOS DO XXI CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERSELEÇÃO –CATEGORIA: 45 ANOS– REALIZADOS NO DIA 26/07/2015 NO ESTÁDIO MIE NISHI

1) O receptor fez um mau lançamento ao tentar eliminar o corredor da 2ª base que estava tentando um “steal” (roubo de base) –a bola rolou para o jardim esquerdo. Quando estava se aproximando da 3ª base, o corredor chocou-se com o defensor da 3ª base, mas continuou avançando e pisou o “home base”. O árbitro da 3ª base não sinalizou a Obstrução. 
 
Nesse lance, o árbitro deveria ter apontado a falta cometida pelo defensor. 

Se o corredor tivesse sido eliminado no “home”, seria aplicada a Regra 7.06 (b).

2) O primeiro batedor foi eliminado (primeiro “out”). O segundo batedor comeu ‘sanshin’* (segundo “out”) e estava se dirigindo ao “bench”, mas, surpreendentemente, retornou ao “batter’s box”, rebateu o primeiro arremesso que lhe foi efetuado e chegou à 1ª base. A equipe na defensiva apelou sobre o erro na ordem de batedores. O terceiro batedor foi declarado eliminado por ter deixado de bater no seu turno (terceiro “out”).

[Regra 6.07 (a) (b), Comentário – Regra 6.07 (d), vide NOTAS 1 e 2]

*Comeu ‘sanshin’ significa eliminado por três “strikes” = “strikeout”.

3) Corredor na 1ª base, dois eliminados, rebatida “ground” na direção do defensor da 2ª base. Quando este estava se preparando para efetuar a defesa, a bola atingiu a perna do corredor e desviou; o árbitro da 2ª base apontou a Interferência e eliminou-o.

[Regras: 2.00 "INTERFERENCE" (a), 7.08 (f), 7.09 (k)]

domingo, 26 de julho de 2015

PAULO ORLANDO – “GRAND SLAM”* DE DESPEDIDA

Jogo Tampa Bay Rays vs. Kansas City Royals. Segunda metade do 9º “inning”, bases cheias, um eliminado, contagem de arremessos: 1 – 0 (um “ball” – nenhum strike”), placar empatado (5 x 5). Royals no ataque. Paulo Orlando acerta um “home run” –a bola passa sobre a cerca do jardim esquerdo– e decide a partida. Placar final: Tampa Bay Rays (5) x Kansas City Royals (9). 
  


*“Grand Slam” é aquela jogada em que o batedor rebate um “home run” quando as bases estão cheias e permite que sua equipe anote quatro pontos.

sábado, 25 de julho de 2015

sexta-feira, 24 de julho de 2015

FOI ANOTADO PONTO


Aconteceu num jogo da categoria Veteranos. Bases cheias, um “out”, “fly” para o jardim central. Os corredores da 1ª e 2ª base –talvez tenham achado que seria ‘hitto’*– iniciaram a corrida às bases seguintes no momento da rebatida; o da 3ª base permaneceu na base. O jardineiro central conseguiu apanhar a bola no ar (segundo “out”). O corredor da 1ª base retornou; o da 2ª base foi eliminado pela bola devolvida pelo jardineiro central (terceiro “out”); o da 3ª base fez “tag-up”* e pisou o “home base” antes da terceira eliminação. O árbitro de “home” indicou que foi anotado ponto.

Decisão correta. O corredor da 3ª base tocou o “home base” antes do terceiro “out”  num “time play”*.
  
[Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (2) – vide Regra 7.08 (e)]

*‘Hitto’ vem de “hit”, do termo “base hit”. Significa rebatida indefensável –aquela por meio da qual o batedor alcança a 1ª base, ou qualquer base subsequente, com segurança ("safe"), sem que tenha ocorrido erro na ação defensiva.

*“Tag-up” é aquela jogada em que o corredor deixa a base, numa rebatida "fly", depois que um defensor apanha ou toca a bola.

*“Time Play” é aquela jogada em que  o ponto é contado ou não dependendo do momento antes ou depois do terceiro "out" em que o corredor toca o “home base”.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

CBBS - COMUNICADO

Curso de Anotação I-Score

Publicado em 21 de Julho de 2015, às 09h12

A CBBS e a FPBS, com o apoio do Departamento de Estatística e Departamento Técnico da CBBS, estão promovendo um Curso de Anotação utilizando Aplicativo I-Score nos dias 01 e 02 de agosto de 2015.

Esse aplicativo pode ser utilizado em Tablets e Smartphones, podendo ser adquirido a um custo aproximado de US$ 10,00 e disponível na Apple Store e Google Store.



Local: GECEBS – Arujá, SP.

Datas e Horário:
01/08 - 08:00 às 16:00 horas
02/08 - 08:00 às 16:00 horas

Período de inscrição: Até 30/07/2015 (quinta-feira).

Público Alvo: Anotadores com experiência. Não é recomendado para iniciantes uma vez que não serão abordados conceitos e regras.

Pré-Requisito:
- Conhecimento teórico e prático de Anotação Tradicional ou IBAF ou Codificada.
- Levar um Tablet (preferencialmente) ou Smartphone com o I-Score instalado.

Material Didático: Será encaminhado por e-mail no momento da confirmação da inscrição para o curso.

Custo do Curso: R$ 20,00 (vinte reais) – pagamento no 1º dia de curso.

Alojamento: Não haverá.

Refeições:
- Sábado – GECEBS => café da manhã e almoço - custo de refeição praticado no CT.
- Domingo – GECEBS => café da manhã (custo do CT) e Yakissoba (R$ 20,00).

Os interessados deverão encaminhar e-mail para anotacao@cbbs.com.br com as seguintes informações:

Nome completo;
 RG;
 Clube;
 Categoria;
 Telefones de Contato;
 E-mail;


O curso será ministrado pela equipe:
• Cristina Aoyagui
• Márcio Maeda
• Maria Sunto
• Sonoe Hirae

ARREMESSADOR APLICA SUBSTÂNCIA ESTRANHA NO BRAÇO

Jogo Baltimore Orioles vs. Miami Marlins. Segunda metade do 12º “inning”, nenhum corredor em base, dois “outs”, contagem de arremessos: 0 – 0,  placar 0 – 0.  O árbitro de “home” expulsou o arremessador do Orioles ao constatar que ele havia aplicado substância estranha no braço.  


Regra 8.02 (b): O arremessador não deve ter no seu corpo, ou em seu poder, qualquer substância estranha. Por infração desta regra, o arremessador deve ser expulso do jogo imediatamente; além disso, deve ser suspenso automaticamente. Nas Ligas da Associação Nacional, a suspensão automática deve ser por 10 jogos. 

quarta-feira, 22 de julho de 2015

CORREDOR DESVIA DE UM DEFENSOR

Corredor na 1ª base, ‘noo auto’*. Jogada combinada: ‘hitto endo ran’*. O corredor inicia a    corrida no momento em que o arremessador está executando o arremesso. O batedor acerta uma rebatida “ground” na direção do espaço entre a 1ª e a 2ª bases.  O corredor desvia do caminho da base para evitar uma colisão com o defensor da 2ª base,  que está preparado para apanhar a bola. O defensor efetua a defesa e elimina o batedor-corredor na 1ª base. O corredor deve ser  declarado   “out”  por
ter desviado de um defensor?

Não, porque ele não desviou para evitar um ‘tatti’*. O corredor é obrigado a desviar de um defensor
que está em ação para apanhar uma bola rebatida.

[Regra 7.08 (a) (1)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans               

*‘Noo auto’ vem de “no out” = nenhum eliminado, nenhuma eliminação.

*‘Hitto endo ran’ vem de “hit and run” = bater e correr. É aquela jogada em que o batedor tem de rebater a bola arremessada, com certeza, porque o corredor já está iniciando a corrida para a base seguinte.

*‘Tatti’ vem de “touch” = toque, contato etc. Dar ‘tatti’, como  costumamos dizer,  significa   tocar  o corredor (ou batedor-corredor) com a bola firmemente segura na mão ou luva. 

terça-feira, 21 de julho de 2015

“PICKOFF PLAY”* NA 2ª BASE

O arremessador girou o corpo e deu um passo em direção à 2ª base a fim de tentar uma jogada para surpreender o corredor fora da ‘almofada’. Como nenhum defensor estava cobrindo a base, lançou ao interbases, que se encontrava na sua posição normal (longe da ‘almofada’, portanto).  Deve ser declarado um "balk"?

Não, de acordo com o Manual do Árbitro da N.A.P.B.L.  – National Association of Professional Baseball Leagues.


Não há infração se um arremessador tenta um “pickoff play” na segunda base e, vendo que nenhum defensor está cobrindo a base, lança ao interbases ou ao defensor da segunda base, mesmo que nenhum dos dois esteja perto da ‘almofada’, nem esteja tentando realmente eliminar o corredor. 

*“Pickoff Play” é aquela jogada em que o arremessador tenta segurar o corredor na base, ou eliminar o corredor que está fora da base. "Pickoff Play" = 'Kensei'.  

segunda-feira, 20 de julho de 2015

BOLA REBATIDA ATINGE O CORREDOR, EM TERRITÓRIO “FOUL”

Corredor na 3ª base, nenhum “out”, contagem de bolas arremessadas: 1 – 1. O corredor iniciou a corrida no momento do arremesso. O batedor executou “bunt” e mandou a bola na direção da 3ª base. A bola rebatida atingiu o corredor, em território “foul”. Ele deve ser elimindo?
 
Não. É simplesmente um “foul ball”. O corredor deve ser eliminado somente quando desvia de alguma maneira, e intencionalmente, o curso de uma bola rebatida que continua em movimento sobre o território “foul”.   

[Regra 7.09 (b) – vide Regra 6.05 (i)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans              

domingo, 19 de julho de 2015

TRÊS EXPULSÕES APÓS BRIGA ENTRE JOGADORES

Jogo Boston Red Sox vs. Tampa Bay Rays. Segunda metade do sétimo “inning”, Rays no ataque. Corredor na 2ª base, dois eliminados, contagem de arremessos: 0 – 0. No arremesso seguinte, o corredor roubou a 3ª base e, por alguma razão, começou a discutir com um jogador da equipe adversária; e como ele –esbravejando muito– ameaçou ir em direção ao “bench” onde se encontrava esse jogador, teve início uma briga envolvendo jogadores das duas equipes. Nessa confusão, três jogadores foram expulsos.
 

sábado, 18 de julho de 2015

BELA JOGADA, HEM?

Defensor da 1ª base erra ao tentar apanhar um “ground ball",  mas faz uma jogada extraordinária e elimina o batedor-corredor.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

BOLA REBATIDA TEM CONTATO COM O “BAT”, EM TERRITÓRIO “FAIR”

A bola ("fair") pulou ao tocar o solo na frente do “home plate” e atingiu o “bat” enquanto o batedor estava dentro do “batter’s box”. O árbitro aplicou a Regra 6.05 (h) e declarou um “foul ball”.

 
Regra 6.05 (h): Um batedor é eliminado quando, após acertar uma rebatida “fair” (inclusive por meio de “bunt”), seu “bat” tem contato com a bola rebatida, em território "fair" ... Se o batedor estiver posicionado legalmente no “batter’s box” (vide Regra 6.03) –e, na opinião do árbitro, ele não teve nenhuma intenção de interferir no curso da bola–, uma bola rebatida que atinge o seu corpo ou o seu “bat” será declarada “foul ball”.  

quinta-feira, 16 de julho de 2015

BATEDOR-CORREDOR ULTRAPASSA O CORREDOR DA 1ª BASE

Corredor na 1ª base, nenhum “out”, rebatida “fly” para o jardim esquerdo (“leftfield”). O corredor permanece sobre a base e é ultrapassado pelo batedor-corredor, que pisa a ‘almofada’ e dá alguns passos em direção à 2ª base.  O jardineiro esquerdo não consegue apanhar a bola no ar; o corredor da 1ª base chega à 2ª base e o batedor-corredor retorna à 1ª base.  O árbitro deve deixá-los nas bases?
 
Não. O batedor-corredor deve ser declarado “out” por ter ultrapassado o corredor precedente. Como a bola continua viva, o avanço do corredor da 1ª base é legal –ele pode ficar na 2ª base.

[Beisebol – Regra 7.08 (h) – vide NOTAS 1 e 2]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9f, Regra 8 – EFEITO – Seção 9f)

quarta-feira, 15 de julho de 2015

CORREDOR FOGE DO TOQUE DE UM DEFENSOR

Quando um corredor desvia mais de três pés (91,44 cm) do caminho da base para fugir do toque de um defensor, o árbitro deve eliminá-lo –declarar “LINE OUT!”– após fazer um gesto indicando a infração de regra.

 
O caminho da base de um corredor é estabelecido quando ocorre a tentativa de toque, e é uma linha reta entre o corredor e a base para a qual ele está tentando chegar a salvo.
 
[Regra 7.08 (a) (1)]

terça-feira, 14 de julho de 2015

CASOS QUE ACONTECERAM EM JGOS DO VIII CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERSELEÇÃO – CATEGORIA: 30 ANOS– REALIZADOS NOS DIAS 11 E 12/07/2015 NO ESTÁDIO MIE NISHI

1) A equipe que estava na defensiva fez as seguintes alterações: a) o arremessador do jogo foi substituído e deslocado para a 3ª base; b) o jogador que estava atuando como Batedor Designado entrou na defensiva no lugar do defensor da 1ª base. Aí surgiu uma dúvida sobre a ordem de batedores, mas foi prontamente esclarecida pelo árbitro de “home”.  
O jogador que estava atuando como Batedor Designado continuou batendo na mesma posição.
Como houve duas substituições na defensiva ao mesmo tempo, o técnico designou o lugar do arremessador substituído e do novo arremessador na ordem de batedores, conforme determina a regra.
[Regra 6.10 (b) (5), Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues – Seção 2 – item 2.4]
2) O batedor saiu repentinamente do “batter’s box” quando o arremessador já havia iniciado os movimentos de arremesso.  O arremesso executado foi declarado “BALL”.
Regra 6.02 (b): O batedor não deve deixar a sua posição no “batter’s box” depois que o arremessador assume a Posição “Set” ou inicia o “Windup”. PENALIDADE: Se o arremessador efetuar o arremesso, o árbitro deverá declarar “BALL” ou “STRIKE”, de acordo com sua apreciação.  
[Comentário – Regra 6.02 (b): O batedor que sai do “batter’s box” corre o risco de ser surpreendido com um arremesso “strike”, a menos que peça “TIME” ao árbitro. O batedor não tem liberdade para entrar no/sair do “batter’s box” a seu bel-prazer.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

“FAIR BALL” OU “FOUL BALL”?

Contagem de bolas arremessadas: 1 – 2 (um “ball” – dois “strikes”). No arremesso seguinte o batedor executa um “bunt” e manda a bola na direção do arremessador. Ao tocar o solo, a bola volta para trás, passa entre as pernas do receptor –sem ter contato com ele– e atinge o joelho do árbitro, que está posicionado em território “foul”, atrás do “home plate”. É “fair ball” ou “foul ball’?
 
É “foul ball”. O batedor é “out”.

[Beisebol – Regras: 2.00 "FAIR BALL"/ “FOUL BALL”, 6.05 (d)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 37d, 7 – Seção 6f)

domingo, 12 de julho de 2015

ENTREVISTA COM ANDRÉ RIENZO E PAULO ORLANDO

André Rienzo, arremessador do Miami Marlins, e Paulo Orlando, defensor do campo externo do Kansas City Royals, foram entrevistados pela TV Brasil.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

DEVE SER DECLARADO UM “BALK”?

Após deixar um batedor andar (“walk”, “base on balls”), o arremessador fez 10 lançamentos consecutivos ao defensor da 1ª base. 

 
Deve ser declarado um “balk” por retardamento de jogo? 
 
Não, já que o arremessador estava tentando surpreender o corredor fora da base. 
 
Regra 8.02 (c): O arremessador não deve retardar, intencionalmente, o jogo lançando a bola a outros jogadores, ao invés de arremessá-la ao receptor, quando o batedor está posicionado no “batter’s box”, exceto numa tentativa de eliminar um corredor.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

“FAIR BALL” OU "FOUL BALL"?

A bola rebatida –um “ground ball” fraco– passou sobre a ‘almofada’ da 1ª base. O defensor da 1ª base apanhou-a em território “foul”. Decisão do árbitro da 1ª base: “fair ball”.

 
Uma bola rebatida que está em ou sobre território “fair” quando passa, rolando ou pulando, pela 1ª ou 3ª base é “fair ball”.  

(Regra 2.00 “FAIR BALL”)

quarta-feira, 8 de julho de 2015

CBBS - CT 2015

Para visualizar clique aqui.

CORREDOR EM CONTATO COM UMA BASE ESTORVA O DEFENSOR

Rebatida “fly” na direção da 2ª base. O interbases teria efetuado a defesa, mas ao trombar com o corredor da 2ª base, que estava sobre a ‘almofada’, foi ao solo e não conseguiu alcançar a bola. O jogo prosseguiu normalmente.

 
O árbitro considerou que o choque foi acidental, ou seja, o corredor não estorvou o defensor intencionalmente.  

[Comentário – Regra 7.08 (b)]

terça-feira, 7 de julho de 2015

AVALIAÇÃO DO RITMO DE JOGO

Os árbitros devem atuar com habilidade, para que os jogos transcorram normalmente, em harmonia, sem desperdício de tempo; devem envidar todos os esforços para acelerar o jogo, orientando e advertindo adequadamente os técnicos, “coaches” e jogadores. Enfim, devem tentar evitar que a duração de um jogo se prolongue demasiadamente.  

Há regras para evitar retardamentos desnecessários de jogo.

* O batedor deve posicionar-se rapidamente no “batter’s box” quando chega a sua vez de bater  [Regra 6.02 (a)].

* O batedor não deve deixar a sua posição no “batter’s box” depois que o arremessador assume a Posição “Set” ou inicia o “Windup” [Regra 6.02 (b)].

* Quando não há corredor(es) em base, o arremessador deve efetuar o arremesso, dentro de doze segundos após receber a bola (Regra 8.04).

* O arremessador não deve retardar, intencionalmente, o jogo lançando a bola a outros jogadores, ao invés de arremessá-la ao receptor, quando o batedor está posicionado no batter’s box”, exceto se estiver tentando eliminar um corredor [Regra 8.02 (c)].

* O arremessador não deve consumir mais de um minuto de tempo para efetuar os arremessos preparatórios  (Regra 8.03).

* O técnico ou “coach” não pode fazer mais de uma visita ao arremessador, num “inning” [Regra 8.06 (a)]. Além dessa regra, há um Regulamento da CBBS (CT – 04 – 2.4), que não permite mais de três visitas do técnico ou "coach" ao arremessador durante o jogo.

O retardamento de jogo pode ser evitado também através de outros procedimentos.


* O árbitro de "home" deve recomendar que os jogadores saiam do/entrem no campo correndo, e para isso  deve contar com a ajuda de seus companheiros da 1ª/3ª base.

* Os árbitros devem recomendar aos defensores do campo interno que evitem desperdiçar muito tempo quando lançam a bola um ao outro depois de uma jogada;

* O árbitro de "home" deve  anunciar as substituições ao anotador oficial, sem demora;

* Os árbitros devem recomendar que o jogo paralisado por solicitação de TEMPO (“TIME”) não leve muito tempo para ser reiniciado;  

* etc. etc.

Árbitro Paulo Suzuki, membro do Conselho Deliberativo da Associação de Árbitros e Anotadores de Beisebol e Softbol do Brasil – AAABSB–, tem empenhado seus esforços na resolução do problema ‘retardamento de jogo’, por meio de avaliação do ritmo de jogo –anotando o tempo gasto para fechar um “inning”, três “innings” e cinco “innings, chegou à conclusão de que a duração média ideal dos jogos deve ser:

* Pré-Infantil – 6 “innings”: 1,45H = 105 minutos;

* Infantil        – 7 “innings”: 2,00H = 120 minutos;

* Pré-Júnior   – 7 “innings”: 2,00H = 120 minutos;

* Júnior          – 7 “innings”: 2,00H = 120 minutos;

* Juvenil          – 9 “innings”: 2,40H = 160 minutos;

* Adulto          – 9 “innings”: 2,40H = 160 minutos.

Os árbitros devem tentar concluir o jogo dentro desse tempo ideal, porém, não devem fazê-lo a todo custo, ou seja,  sacrificando a qualidade da arbitragem.  

segunda-feira, 6 de julho de 2015

É “FAIR BALL” – O BATEDOR É “OUT”

A bola rebatida teve contato com o solo em território “foul” e caiu sobre o “home plate”; o receptor apanhou-a e tocou o batedor, que continuou dentro do “batter’s box”.  


O batedor é "out". 

[Regras: 2.00 “FAIR BALL”, 6.05 (j)]

sábado, 4 de julho de 2015

YAN GOMES – DOIS “HOME RUNS” NO MESMO JOGO

Jogo:  Seattle Mariners (3) vs. Cleveland Indians (2). Yan Gomes anota os dois pontos de sua equipe, com dois “home runs”; um no segundo “inning”, e outro, no nono “inning”.   
 
No segundo “inning”
 

No nono “inning”

sexta-feira, 3 de julho de 2015

JOGADA FORÇADA – CORREDOR DA 3ª BASE É “OUT”

Bases cheias, dois eliminados, contagem de bolas arremessadas: 3 – 2. O batedor girou o “bat” para tentar rebater o arremesso seguinte. A bola –não teve contato com o “bat”– tocou o solo e pulou na direção do “mitt”; o receptor apanhou-a e pisou o “home plate”.
 
Decisão: O corredor da 3ª base é “out” em jogada forçada e completa a terceira eliminação. Isso porque, como o terceiro “strike” não foi agarrado legalmente, o batedor tornou-se um batedor-corredor e forçou o avanço dos corredores.

[Beisebol – Regras: 6.09 (b) (2), 7.08 (e)]
 
(Softbol – Regras: 8 – Seção 1b-2, 8 – Seção 9c-1)

quinta-feira, 2 de julho de 2015

“TRIPLE PLAY” OU “DOUBLE PLAY”?

Bases cheias, nenhum eliminado, rebatida “ground” na direção da 3ª base. O defensor da 3ª base efetuou a defesa, tocou a 'almofada' antes que o corredor da 2ª base a alcançasse e lançou ao receptor, que estava posicionado sobre o “home plate”. O receptor recebeu a bola e, sem perda de tempo, despachou-a à 1ª base –a bola chegou às mãos do defensor da 1ª base  antes de o batedor-corredor pisar a  base. O corredor da 3ª base não havia tocado o “home plate” no momento em que o receptor fez o lançamento  à 1ª base. Houve uma jogada tripla (“triple play”)?

Não. Houve uma jogada dupla (“double play”). O lance no “home plate” não foi uma jogada forçada (“force play”); consequentemente, o corredor da 3ª base não foi eliminado.
 
[Regras: 2.00 “FORCE PLAY”, 7.08 (e)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans              

quarta-feira, 1 de julho de 2015

INTERFERÊNCIA DA OFENSIVA

Corredor na 3ª base, menos de dois eliminados, rebatida “fly” para o jardim direito. O corredor fez “tag-up”* e correu para “home”. No momento em que o receptor estava preparado para apanhar a bola lançada pelo jardineiro direito, o batedor seguinte  –que deixara  o Círculo do Batedor Seguinte  para recolher  o “bat” que o batedor-corredor deixou caído perto do “home base”– estorvou-o. O corredor pisou a base, mas foi declarado “out” em razão da falta cometida por seu companheiro de equipe. A equipe na ofensiva reclamou, mas a decisão foi mantida.
 
Foi aplicada a Regra 7.11: ... Se um membro da equipe na ofensiva (exceto um corredor) atrapalha um defensor que está tentando apanhar uma bola lançada, a bola torna-se morta, o corredor sobre o qual está sendo feita a jogada deve ser declarado eliminado e todos os corredores retornam à última base ocupada legalmente no momento da Interferência.  
 
*”Tag-Up” é aquele lance em que o corredor deixa a base, numa rebatida "fly", depois que um defensor apanha ou toca a bola.