quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

PONTO DA VITÓRIA É ANULADO (3)

O ponto da vitória estava garantido. O corredor da 3ª base, porém, em vez de avançar e pisar o “home plate”, foi abraçar seus companheiros que haviam saído do “bench” para comemorar a “vitória”. O árbitro de “home” deve encerrar a partida?
 
Não. Se o corredor da 3ª base não tocar o “home plate” dentro de um tempo razoável, será declarado eliminado mesmo que não haja apelação da equipe na defensiva, e o árbitro ordenará o reinício do jogo.  
 
Será uma exceção se fãs entrarem repentinamente no campo e impedirem, fisicamente, que o corredor toque o “home plate”; nesse caso, o árbitro deve conceder-lhe a base em razão da obstrução cometida por fãs.

[Regra 4.09 (b) – PENALIDADE, Regra 4.09 – NOTA, Comentário – Regra 4.09]

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

PONTO DA VITÓRIA É ANULADO (2)

Segunda metade do nono “inning”, placar empatado (3 – 3), corredor na 3ª base, dois eliminados. O batedor acertou uma rebatida indefensável (“hit”) para o “rightfield” (jardim direito). O ponto da vitória estava garantido. O batedor, em vez de ir à 1ª base, aguardou a chegada do corredor para se cumprimentarem. A equipe na defensiva deixou o campo. O batedor e o corredor, exultantes, entraram no “dugout”. O árbitro de “home” deve encerrar a partida?

Não. Como o batedor-corredor não pisou a 1ª base, não foi anotado ponto. O jogo deve continuar.

[Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (1), Regra 4.09 (b) –  vide Comentário Regra 4.09, Regra 4.09 –  PENALIDADE, Regra 4.09 – NOTA, Comentário  – Regra 4.09 – REGRA APROVADA]

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

PONTO DA VITÓRIA É ANULADO (1)

Bases lotadas, dois eliminados, placar empatado (5 – 5) na segunda metade do nono “inning”. O batedor obteve “ball four” (quatro “balls”). O corredor da 3ª base, explodindo de alegria, tocou o “home plate” e cumprimentou o batedor, que, em vez de ir à 1ª base, ficou aguardando a sua chegada. Em seguida, os dois foram correndo ao “dugout”. O árbitro de “home” deve encerrar a partida?
 
Não. O jogo deve ser prorrogado. Isso porque o corredor da 3ª base não anotou ponto, já que o batedor-corredor não pisou a 1ª base.

[Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (1), Regra 4.09 (b) –  vide Comentário Regra 4.09, Regra 4.09 –  PENALIDADE, Regra 4.09 – NOTA, Comentário  – Regra 4.09 – REGRA APROVADA]

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

CORREDOR COMETEU INTERFERÊNCIA?

Rebatida “ground” na direção do interbases. Quando este se preparou para efetuar a defesa, o corredor da 2ª base estava retornando à sua base. No momento em que a bola ‘pipocou’ após ter contato com a luva, o corredor esbarrou no defensor. O árbitro considerou que o lance foi normal. 

O corredor seria eliminado por Interferência se tivesse estorvado o interbases e provocado o erro; e nesse caso, seria aplicada a Regra 7.08 (b).

domingo, 27 de dezembro de 2015

O CORREDOR DEVE SER ELIMINADO?

Bases cheias. Rebatida “ground” para o campo interno. A bola passou ao lado do interbases e tocou o corredor da 2ª base que estava avançando à 3ª base. (No momento em que foi atingido pela bola rebatida, o corredor estava passando atrás do interbases.) 

Se, na opinião do árbitro, nenhum outro defensor conseguiria efetuar a defesa, a jogada deve continuar normalmente; a bola permanece em jogo e o corredor não deve ser eliminado.   

[Regra 5.09 (f)]

sábado, 26 de dezembro de 2015

“HALF SWING”

O técnico ou o receptor podem solicitar que o árbitro de “home” consulte um companheiro sobre um “half swing” quando o arremesso é declarado “BALL”. O árbitro consultado deve responder imediatamente. Se, na sua opinião,  o batedor fez meio-“swing”, deve fazer o gesto de “STRIKE”; do contrário, deve fazer o gesto de “SAFE”.

O árbitro de “home” deve consultar o árbitro da 1ª base quando o batedor é destro, e o da 3ª base quando o batedor é canhoto. 

Para consultar o árbitro da 1ª base, deve apontar para ele, de preferência com a mão esquerda, mas pode também sair de sua posição e apontar com a mão direita. A consulta ao árbitro da 3ª base deve ser feita, sempre, com a mão esquerda. 

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

ARREMESSO ATINGE O CORPO DO BATEDOR

O árbitro de “home” julgou que o arremessador jogou a bola, intencionalmente, no corpo do batedor; por isso, advertiu-o de que será expulso se fizer outro arremesso dessa natureza.  O técnico da equipe entrou no campo para discutir com o árbitro e contestar a advertência. Há alguma penalidade? 

Sim.  

Comentário – Regra 8.02 (d): O pessoal da equipe não pode entrar na área de jogo para discutir ou contestar uma advertência feita de acordo com a Regra 8.02 (d). Se um técnico, “coach” ou jogador deixa o “dugout” ou a sua posição para contestar uma advertência, o árbitro deve chamar a sua atenção e mandar parar. Se ele continuar, poderá ser expulso.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

ÁRBITROS SE CONSULTAM E MUDAM UMA DECISÃO DADA POR UM COMPANHEIRO

Rebatida “ground” na direção da 2ª base. O defensor da 2ª base tentou efetuar a defesa, mas não conseguiu –a bola bateu na sua luva e foi rolando para a frente; no momento em que ele deu alguns passos na direção da bola, colidiu com o corredor da 1ª base, que estava avançando à 2ª base, e foi ao solo. O árbitro da 2ª base declarou “Interferência!” e eliminou o corredor. O técnico da equipe na ofensiva reclamou. Aí os árbitros se consultaram e decidiram que o defensor cometeu Obstrução, já que, sem estar de posse da bola e sem estar em ação para apanhar a bola, estorvou o corredor. (O corredor foi autorizado a ocupar a 2ª base.) 

Se os árbitros se consultam após uma jogada e mudam uma decisão que havia sido dada por um companheiro, eles têm autoridade para tomar todas as medidas que julgarem necessárias –segundo seus critérios– para anular os resultados e as consequências da decisão anterior que estão mudando, inclusive colocando corredores onde eles acharem que deveriam estar depois da jogada se a decisão final tivesse sido tomada como a decisão inicial, ... 

[Regra 9.02 (c)]

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

CORREDOR ELIMINADO POR ABANDONO DE BASE

Corredor na 2ª e 3ª base. Rebatida “ground” na direção da 1ª base. O defensor da 1ª base efetuou a defesa e lançou ao receptor. O corredor da 3ª base, que estava avançando para “home”, retornou. O receptor foi atrás dele para tentar eliminá-lo. Enquanto isso o corredor da 2ª base chegou à 3ª base. O corredor da 3ª base continuou correndo após pisar a base e alcançou uma distância razoável. O receptor, então, tocou o corredor da 2ª base, que se encontrava sobre a ‘almofada’. O corredor da 3ª base foi declarado “out” por abandono de base; o da 2ª base foi declarado “safe”. 


Se nessa jogada o corredor da 3ª tivesse parado na base, o da 2ª seria eliminado

[Regra 7.03 (a), Comentário – Regra 7.08 (a)]

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

BOAS FESTAS!


DESEJAMOS A TODOS 

UM

BOM NATAL

E

ÓTIMO 2016

INTERFERÊNCIA DO “COACH”?

Rebatida “ground” curta para o jardim direito. O jardineiro direito fez um mau lançamento à 1ª base. Ao se movimentar para ir atrás da bola, que rolou em direção à cerca lateral, o defensor da 1ª base trombou com o “coach”, que havia saído do “box” para evitar ser atingido pelo lançamento; o batedor-corredor conseguiu chegar à 2ª base. 

A decisão sobre esse lance –se deve ou não ser declarada uma Interferência do “coach”– fica a critério do árbitro; se, na sua opinião, o “coach” fez todo o possível para evitar interferir na jogada, não deve declarar uma Interferência.  

(Regra 3.15)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

É BOLA EM JOGO

Corredor na 3ª base. Arremesso descontrolado (“wild pitch”). A bola desviou ao tocar o receptor e atingiu o batedor, que estava dentro do “batter’s box”. Ao movimentar-se para ir atrás da bola, o receptor trombou com o batedor –os dois foram ao solo.  Enquanto isso, o corredor cruzou o “home plate” e foi declarado “safe”. 


O árbitro considerou que o lance foi normal, já que a colisão entre o receptor e o batedor foi involuntária. 

O batedor seria eliminado por ação ilegal se tivesse saído do “batter’s box’ e interferido na ação do receptor,  ou feito qualquer outro movimento para estorvar o receptor. 

[Regra 6.06 (c)]

domingo, 20 de dezembro de 2015

O CORREDOR DEVE SER ELIMINADO?

Bases cheias. Rebatida “ground” para o campo interno. A bola desviou após ter contato com a luva do interbases e atingiu o corredor que estava avançando à 3ª base.
  
A bola permanece em jogo; o árbitro não deve eliminá-lo.

[Regra 5.09 (f)]

sábado, 19 de dezembro de 2015

NÃO FOI “FOUL BALL”???

Corredor na 1ª base. O batedor fez “swing”. A bola arremessada –não teve contato com o “bat" – bateu no ‘kyatti mitto’* e foi para trás. O corredor avançou, mas achando que seria declarado um “foul ball”, passou pela 2ª base, sem pisá-la, e deu alguns passos em direção ao jardim central. Ao perceber o equívoco, voltou apressadamente à base.



*‘Kyatti  Mitto’ vem de “catcher’s mitt” (kaetchar’s mit) = luva especial para receptor.

CBBS - CALENDÁRIO 2016 - BEISEBOL

Para visualizar clique aqui.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

HOUVE PEGADA LEGAL (“CATCH”)

“Bunt” resultou em “fly” para as proximidades da linha de “foul”. O receptor esforçou-se para efetuar a defesa, mas não teve bom êxito –a bola tocou sua luva e desviou; o arremessador, que também estava na jogada, apanhou-a antes de ela tocar o solo.
  

Uma pegada é legal se uma bola “fly” que desvia após ter contato com um defensor é agarrada por outro defensor antes que ela toque o solo.

(Regra 2.00 “CATCH”)

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

CORREDOR COMETEU INTERFERÊNCIA?

Aconteceu num jogo da XXII Taça Brasil de Beisebol Interclube – 2015 (categoria Adultos). Corredor na 1ª base, menos de dois eliminados. Rebatida “ground” na direção do defensor da 2ª base. Este apanhou a bola e, após tocar o corredor, fez um mau lançamento ao tentar uma jogada dupla –o batedor-corredor  chegou “safe” à 1ª base. O técnico da equipe na defensiva reclamou, alegando que o corredor estorvara o defensor. O árbitro da 2ª base, porém, interpretou que o lance foi normal considerou que o defensor desequilibrou-se no momento do toque ("tag").
 
Decisão correta.  

Se o corredor tivesse atrapalhado, propositalmente, o defensor, seria aplicada a Regra 7.09 (e) –nesse caso, o batedor-corredor seria declarado eliminado em razão da Interferência cometida por seu companheiro de equipe.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

TAÇA BRASIL ADULTO 2015

O último evento do beisebol nacional aconteceu neste final de semana. 

No sábado, as semifinais terminaram com os seguintes resultados:

Atibaia 6 X 0 Anhanguera 

Marília 3 X 0 Gecebs 

No domingo, a disputa pelo 3o lugar teve como vencedora a equipe de Anhanguera, pelo placar de 6 a 2, ficando a equipe de Gecebs com o 4o lugar.

Árbitros que atuaram nesse jogo, da esquerda para direita: Arlindo Yamamoto (linha RF), Alberto Iwano (1a base), Francisco Gentil Espildora (home), Everaldo Medeiros (2a base), Milson Aoki (3a base) e Leonardo Silva (linha LF).



E a grande campeã da Taça Brasil 2015 foi a equipe de Atibaia, que venceu Marília pelo placar de 6 a 4.

Árbitros que atuaram nesse jogo, da esquerda para direita: Reinaldo Kamizaki (linha LF), Alberto Iwano (3a base), Chunyti Moritaca (2a base), Eiki Uehara (home), Marcelo Nakayama (1a base) e Hélio Tacacura (linha RF).


terça-feira, 15 de dezembro de 2015

BOLA LANÇADA PELO RECEPTOR ATINGE O “BAT” NAS MÃOS DO BATEDOR

A bola lançada pelo receptor para tentar eliminar o corredor da 2ª base, que estava avançando à 3ª base, atingiu o “bat” nas mãos do batedor e desviou.


Lance normal. 

O batedor não teve a intenção de atrapalhar a jogada; se tivesse saído do “batter’s box” e interferido na ação do receptor,  seria aplicada a Regra 6.06 (c) –ele seria eliminado por ação ilegal, a bola ficaria fora de jogo (bola morta), e o corredor teria que retornar à 2ª base. 
  
Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues – Seção 4 – item 4.12:  … Se o batedor dá um passo para fora do “batter’s box” e atrapalha o receptor que está fazendo um lançamento para eliminar um corredor, deve ser declarada uma Interferência do batedor, de acordo com a Regra Oficial 6.06 (c). Entretanto, se o batedor está em pé dentro do “batter’s box” quando ele ou o seu “bat” é atingido pelo lançamento do receptor que está devolvendo a bola ao arremessador (ou pelo lançamento feito para tentar eliminar um corredor), e, na opinião do árbitro, não há qualquer intenção da parte do batedor em interferir no lançamento, a bola continua viva e em jogo.

BOONEN - KAI DA AAA

No dia 10 de dezembro de 2015, ocorreu a nossa tradicional festa de final de ano.

Estiveram presentes os árbitros de beisebol, os árbitros de softbol e as anotadoras, além das respectivas famílias.

Também compareceram:
- Jorge Otsuka (presidente da CBBS)
- Olívio Sawasato (presidente da Federação Paulista de Beisebol e Softbol)
- Masayuki Ishikawa (presidente da Federação do Mato Grosso do Sul)
- Dirceu Sato (diretor da Acema - Maringá)
- Takayoshi Tuboni (presidente do STJD da CBBS)
- Graciano "Marajá" Yagura (responsável pelo CT Yakult)
- Akira Azuma (diretor técnico da CBBS)




Agradecemos ao Mie Kenjinkai, ao Prof. Dr. Ii-Sei Watanabe e ao buffet Tajima.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

BOLA MORTA OU BOLA EM JOGO?

Corredor na 1ª base. Um arremesso descontrolado (“wild pitch”) pulou ao tocar o solo antes do “home plate”, bateu no peito do receptor e, no rebote, atingiu o “bat” nas mãos do batedor. (O batedor estava dentro do "batter's box".) O receptor apanhou a bola que caiu à sua frente e lançou à 1ª base para tentar eliminar o corredor, que havia dado alguns passos em direção à 2ª base. 
  
Jogada normal, já que a bola continua em jogo. 

Regra 6.06 (c) – NOTA 1: Num lance em que o batedor deixa passar o arremesso, sem girar o “bat”, o receptor não consegue agarrar a bola. Esta, no rebote, atinge o “bat” em poder do batedor que se encontra dentro do “batter’s box”. Nesse caso, a bola continua em jogo.

domingo, 13 de dezembro de 2015

BOBEADA DO BATEDOR

O receptor apanha a bola rebatida que está rolando sobre o “home plate” e toca o batedor, que continua dentro do “batter’s box”. (O batedor é declarado “out”.) 


O batedor deve ter achado que seria declarado um “foul ball”. 

Há um mito segundo o qual se uma bola rebatida toca o “home plate” deve ser declarado um “foul ball”.

sábado, 12 de dezembro de 2015

BOLA MORTA OU BOLA EM JOGO?

“Base Hit” em direção ao espaço entre os jardins central e esquerdo. A bola lançada para tentar uma jogada sobre o batedor-corredor atingiu um defensor e desviou.

É bola em jogo.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

JOGADOR SUBSTITUÍDO RETORNA AO JOGO

Enquanto um jogador removido do jogo estava ocupando novamente uma posição defensiva, ocorreu uma jogada –o jardineiro esquerdo apanhou um “fly” rebatido em sua direção. A jogada é válida? 

Sim; o batedor é “out”. Se o árbitro julgar que o jogador que deixara o jogo voltou a atuar, sabendo que isso contraria a Regra 3.03, poderá expulsar o técnico. 

(Comentário – Regra 3.03)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

CBBS – NOTÍCIA

RAFAEL MIRANDA, MEMBRO DA SELEÇÃO BRASILEIRA, CONVOCADO PARA O ALL STAR GAME DA LIGA AUSTRALIANA

Rafael Miranda, que está jogando como arremessador na Liga de Beisebol Profissional Australiana, foi escalado para participar do Jogo das Estrelas da liga no dia 16 de dezembro, compondo o time "Mundo", que enfrentará o time da "Austrália".
Rafael, atualmente com 29 anos, atuou em 9 jogos (duas vezes como abridor) e 22.1 entradas pelo time Canberra Cavalry, registrando 23 strikeouts e um ERA de 4.43.
A notícia (em inglês) sobre o jogo das estrelas australiano encontra-se em:http://web.theabl.com.au/news/article.jspymd=20151207&content_id=159042830&fext=.jsp&vkey=news_l595&sid=l595

CORREDOR ELIMINADO POR TER EVITADO O TOQUE DE UM DEFENSOR

Nessa jogada o corredor da 1ª base foi declarado eliminado por ter fugido do toque do defensor da 2ª base (???). O corredor e o técnico de sua equipe reclamaram, mas a decisão foi mantida.

O corredor não teria desviado do caminho da base para não estorvar o defensor que estava preparado para apanhar a bola rebatida?


Vejamos o que diz a Regra 7.08 (a) (1): Um corredor é eliminado quando desvia mais de três pés (91,44 cm) do caminho da base, para fugir do toque de um defensor, a menos que sua ação seja para evitar interferir na jogada de um defensor que está apanhando uma bola rebatida. O caminho da base de um corredor é estabelecido quando ocorre a tentativa de toque, e é uma linha reta entre o corredor e a base para a qual ele está tentando chegar a salvo.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

Corredor na 2ª base. No momento em que o receptor levantou o braço para devolver a bola ao arremessador, sua mão teve contato com a máscara do árbitro –a bola foi ao solo e rolou em direção à cerca lateral. Aproveitando-se disso, o corredor avançou à 3ª base.
  
Deve ser declarada uma Interferência do Árbitro; o corredor tem de retornar à 2ª base. 

Comentário – Regra 2.00 [‘INTERFERENCE” (c)/Comentário – Regra 5.09 (b): Interferência do Árbitro pode ocorrer também quando ele estorva o receptor que está devolvendo a bola ao arremessador.