domingo, 30 de novembro de 2014

PÁSSAROS DENTRO DO CAMPO (2)

Aconteceu num jogo realizado no Bom Retiro (Estádio Mie Nishi). Rebatida “fly” em direção ao jardim esquerdo. Dois quero-quero que estavam no chão levantaram voo no momento em que o jardineiro esquerdo começou a se movimentar para efetuar a defesa. Com um grande esforço o defensor conseguiu apanhar a bola no ar. Se a bola tivesse atingido um dos pássaros antes de ser apanhada, a pegada seria válida?  
 
Sim, porque  a bola permaneceria em jogo e continuaria sendo considerada em voo.

[Regras: 6.05 (a) , 7.05 (a) – NOTA 1] 

sábado, 29 de novembro de 2014

PÁSSAROS DENTRO DO CAMPO (1)

Que decisão deve dar o árbitro se um desses pássaros for atingido por uma bola arremessada, lançada ou rebatida?  
 
 
Se for atingido por um arremesso, a bola ficará morta, e esse arremesso não será contado. Se for atingido por uma bola lançada ou rebatida, o jogo deverá prosseguir normalmente (bola viva e em jogo).
 
[Regra 7.05 (a) – NOTA 1]

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

INTERFERÊNCIA DO ESPECTADOR

Corredor na 2ª base, nenhum eliminado. Rebatida indefensável ao jardim direito. A bola tocou o solo e pulou em direção à cerca do fundo; um espectador estendeu o braço para dentro do campo e apanhou-a. O corredor e o batedor-corredor foram mandados para as bases que, na opinião dos árbitros, teriam alcançado se a Interferência não tivesse ocorrido –o corredor anotou ponto e ao batedor-corredor foi concedida a 2ª base.  
 
 
Foi aplicada a Regra 3.16: Quando um espectador interfere numa jogada com qualquer bola lançada ou rebatida, a bola fica morta no momento em que ocorre a falta, e o árbitro deve impor as penalidades que, na sua opinião, anularão o ato da Interferência.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

JOGADA DE APELAÇÃO

Um “out”, corredor na 1ª base, “fly” para as proximidades da cerca do jardim esquerdo. O corredor, achando que seria um ‘hitto’*, passou pela 2ª base e deu alguns passos em direção à 3ª base; como, porém, o jardineiro esquerdo efetuou a defesa (“catch”*), apressou-se em voltar à 1ª base. O jardineiro esquerdo, ao tentar eliminar o corredor, fez um mau lançamento à 1ª base –a bola foi parar nas arquibancadas. O corredor, então, foi à 3ª base sem retornar à 1ª base.  Como deve ser decidido este lance?
 
Se houver apelação na 1ª base –após o reinício do jogo–, o corredor será eliminado. 
 
[Regra 7.02 - NOTA 2 (1), Comentário - Regra 7.05 (i), Regra 7.08 (d) - NOTA, Regra 7.10 (a)]

*Hitto’ vem do inglês  “hit”. Significa rebatida indefensável –aquela por meio da qual o batedor alcança a 1ª base, ou qualquer base subsequente, com segurança ("safe"), sem que tenha ocorrido erro na ação defensiva.

 *"Catch” é o ato de um defensor apanhar uma bola em voo e conseguir mantê-la firmemente segura em sua mão ou luva.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

BOLA REBATIDA ATINGE O “PITCHER’S PLATE” E VOLTA

Corredor na 1ª base. Rebatida “ground” forte em direção ao arremessador. A bola atingiu o “pitcher’s plate” e voltou. O receptor, que se encontrava atrás do “home base”, apanhou-a e lançou à 1ª base. Os árbitros declararam um “foul ball” e retornaram o corredor –que já havia alcançado a 2ª base– à 1ª base.
 
Decisão correta.  
 
Se o receptor estivesse em território “fair” quando apanhou a bola, a rebatida seria válida (“fair ball”).  Seria “fair ball” também se a bola tivesse ido para o território “foul” após passar a 1ª ou 3ª base. 
 
NOTA:  O “pitcher’s plate” é considerado parte do terreno natural.

 
Comentário – Regra 2.00 (“FOUL BALL”): Se uma bola rebatida –que não tenha tido contato com um defensor– atinge o “pitcher’s plate” e ricocheteia para o território “foul” entre o “home base” e a 1ª base, ou entre o “home base” e a 3ª base, é um “foul ball”.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

NÃO HOUVE “CATCH” (PEGADA LEGAL)

Corredor na 1ª e 3ª base, um eliminado, rebatida “ground” ao campo interno. O interbases efetuou a defesa e lançou à 2ª base para tentar uma jogada dupla (“double play”). O corredor da 1ª base foi declarado eliminado.


O vídeo mostra que o defensor da 2ª base não efetuou uma pegada legal (não teve controle absoluto da bola que lhe foi lançada pelo interbases); o árbitro da 2ª base, porém, considerou que a bola caiu no momento em que o defensor se preparou para fazer o lançamento à 1ª base.  
 
Regra 2.00 “CATCH” (PEGADA LEGAL): É o ato de um defensor apanhar uma bola em voo e conseguir mantê-la firmemente segura em sua mão ou luva ... Para a pegada ser válida, o defensor deve segurar a bola por um tempo suficiente para provar que teve controle absoluto dela, e que ela caiu no lance seguinte, ou seja, no momento de retirá-la da luva ou no ato do lançamento.

domingo, 23 de novembro de 2014

'MALANDRAGEM' DO DEFENSOR ENGANA O ÁRBITRO

Corredor na 1ª base. Rebatida forte ao espaço entre o defensor da 3ª base e o interbases.  O jardineiro esquerdo efetuou a defesa e, ao tentar eliminar o corredor na 3ª base, fez um mau lançamento. O arremessador apanhou a bola nas proximidades da linha de “foul” da 3ª base e despachou-a rapidamente à 1ª base. O defensor da 1ª base recebeu a bola, deu ‘tatti’* na perna do batedor-corredor –este já havia retornado à 1ª base após dar alguns passos em direção à 2ª base– e, em seguida, puxou-o para fora da ‘almofada’; o árbitro declarou-o eliminado.  O jogador e o “base coach” reclamaram, mas a decisão “out” foi mantida.


Se a moda pega ...

*‘TATTI’ vem de “TOUCH” (tâtch), que quer dizer toque, contato etc. Dar ‘TATTI’, como costumamos dizer, é tocar o corredor (ou batedor-corredor) com a bola firmemente segura na mão ou luva.

sábado, 22 de novembro de 2014

CORREDOR FOGE DO TOQUE (“TAG”) DE UM DEFENSOR

Um corredor deve ser eliminado quando foge do  toque de um defensor?
 
Nem sempre. Ele é “out” somente quando, para evitar ser tocado, desvia mais de três pés do caminho da base.

 
O vídeo abaixo mostra o corredor fugindo do toque, mas sem desviar mais de três pés do caminho da base. É declarado "safe".

 
Regra 7.08 (a) (1): Um corredor é eliminado quando desvia mais de três pés (91,44 cm) do caminho da base, para fugir do toque de um defensor, a menos que sua ação seja para evitar interferir na jogada de um defensor que está apanhando uma bola rebatida. O caminho da base de um corredor é estabelecido quando ocorre a tentativa de toque, e é uma linha reta entre o corredor e a base para a qual ele está tentando chegar a salvo.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

DEFENSOR APANHA UM “FAIR FLY” E CAI ALÉM DA CERCA

Aconteceu num jogo do XLII Campeonato Brasileiro de Beisebol Interclubes Pré-Júnior e – V Taça de Clubes Campeões de Beisebol Pré-Júnior “João Tadashi Nakaie” e – II Copa Los Angeles Dodgers. Rebatida “fly” ao jardim central. O jardineiro central efetuou uma pegada legal (“catch”) e caiu para o lado de lá da cerca, mas manteve a bola firmemente segura na luva. O árbitro que observou o lance sinalizou um “home run”.
 
Decisão equivocada. O batedor é “out”. Seria “home run” se o defensor tivesse derrubado a bola em razão da queda. Quando um defensor, após apanhar uma bola “fly”, cai além da cerca, a bola torna-se morta e cada corredor pode avançar uma base, sem o risco de ser eliminado.

[Regras: 2.00 “CATCH” (PEGADA LEGAL), 7.04 (c)]

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

FAIXA DE TRÊS PÉS (“THREE-FOOT LANE”)

O batedor-corredor estava com um pé dentro da faixa de três pés, e com outro, sobre a linha de “foul” quando foi atingido pela bola lançada pelo receptor. Ele deve ser eliminado por Interferência?
 
Não. As linhas que marcam a faixa de três pés são parte dessa “faixa”; portanto, se o batedor-corredor está com um pé dentro da faixa, e com outro, sobre uma das linhas que a delimitam, deve-se considerar que ele está correndo legalmente (ou seja, com ambos os pés dentro da faixa de três pés).  Se o corredor fica com uma das linhas que limitam a faixa entre as pernas enquanto corre os últimos 45 pés até a 1ª base, ele é considerado fora da faixa.
 
JOGADA (Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans) Corredor na 2ª base, um eliminado, contagem de bolas arremessadas: dois “strikes”. O batedor tentou rebater o arremesso seguinte, mas errou; a bola não teve contato com o “bat” e, após bater na luva do receptor, foi ao solo. Vendo isso, o batedor correu para a 1ª base. O receptor recuperou a bola e lançou-a rapidamente ao defensor da 1ª base. O lançamento, porém, atingiu o batedor-corredor –que estava com um pé dentro da faixa de três pés, e com outro,  sobre a linha de “foul”– e desviou (foi parar dentro do “dugout”).  Que decisão deve dar o árbitro?
 
O batedor-corredor estava correndo legalmente quando foi atingido pelo lançamento do receptor. A jogada, portanto, foi normal. Como a bola entrou no “dugout”, o batedor-corredor e o corredor devem ser autorizados a avançar duas bases; assim, o corredor da 2ª base anota ponto e o batedor-corredor vai à 2ª base.
 
[Comentário – Regra 6.05 (k), Regra: 7.05 (g)]

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

BATEDOR COMETE INTERFERÊNCIA

Aconteceu num jogo da Taça Brasil – 2014. Corredor na 1ª base. A bola arremessada bateu na luva do receptor e foi em direção ao batedor. Este, talvez inadvertidamente, apanhou essa bola. O árbitro de “home”, após conversar com seus companheiros, decidiu que ele cometeu Interferência e declarou-o eliminado. (Na opinião dos árbitros, o receptor poderia ter feito uma jogada sobre o corredor –que estava afastado da base– se o batedor não tivesse pegado a bola.)

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a) – Interferência da Ofensiva, 9.01 (c)]

terça-feira, 18 de novembro de 2014

BOLA LANÇADA ATINGE O CAPACETE DO BATEDOR-CORREDOR

Aconteceu num jogo da Taça Brasil – 2014. Corredor na 2ª e 3ª base, um “out”. “Squeeze Play”. O arremessador apanhou a bola rebatida e, ao notar que o corredor da 3ª base já havia chegado bem perto do “home base”, lançou à 1ª base. A bola lançada acertou o capacete do batedor-corredor e desviou. Como ele (batedor-corredor) foi declarado “safe”, o técnico da equipe na defensiva reclamou. A decisão, porém, foi mantida (na opinião do árbitro da 1ª base, o batedor-corredor estava dentro da faixa de três pés quando o lançamento o atingiu). O corredor da 3ª base anotou ponto e o da 2ª base alcançou a 3ª base.
 
Se nesse lance o batedor-corredor estivesse correndo fora da faixa de três pés, ele seria eliminado (Interferência da Ofensiva), e os corredores teriam de retornar às bases que estavam ocupando no momento do arremesso.
 
Se o arremessador tivesse lançado ao receptor, e o batedor-corredor tivesse cometido a falta depois de concluído o lance no “home”, a jogada sobre o corredor da 3ª base seria válida –ele seria declarado “out” ou “safe”–, e o corredor da 2ª base teria de retornar à última base que, na opinião do árbitro, teria tocado no momento da Interferência.

[Comentário – Regra 2.00 [“INTERFERENCE” (a), vide NOTA]

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

ELIMINAÇÃO DUPLA

Aconteceu no Campeonato da Liga Noroeste. Bases cheias, um eliminado. A bola rebatida parou em território “fair”, na frente do receptor; este apanhou-a rapidamente –nesse momento estava com um pé em contato com o “home base”– e, em seguida, tocou o batedor-corredor. (O corredor da 3ª base cruzou o “home base”.) O árbitro de “home” eliminou ambos –o corredor da 3ª base, aplicando a Regra 7.08 (e), e o batedor-corredor, aplicando a  Regra 6.05 (j).

Decisão correta. Se o receptor tivesse apanhado a bola sem estar em contato com o “home base”, o corredor da 3ª base teria anotado ponto, e somente o batedor-corredor seria eliminado.

domingo, 16 de novembro de 2014

‘DEDDO BOORU’* INTENCIONAL – ARREMESSADOR É EXPULSO

Jogo Pittsburgh Pirates vs. Arizona Diamondbacks. Primeira metade do 9º “iining”, placar: 5 x 1. Pirates na ofensiva. Corredor na 2ª e 3ª base, um eliminado, contagem de arremessos: 2 – 0. O arremesso seguinte atingiu em cheio o braço esquerdo do batedor. O arremessador foi expulso imediatamente –o árbitro de “home” julgou que ele jogou a bola, intencionalmente, no corpo do batedor.

 
[Regra 8.02 (d)]
 
*‘Deddo Booru’ (ou 'Detto Booru', como costumamos dizer) vem do inglês “dead ball” (déd ból), que quer dizer bola morta (é uma bola que está fora de jogo em razão de uma paralisação temporária da partida determinada legalmente). No beisebol brasileiro, esse termo é usado para designar aquele lance em que o batedor atingido por um arremesso adquire o direito de ir à 1ª base.  ‘Deddo Booru’ = “Hit By Pitch”.

sábado, 15 de novembro de 2014

REBATIDA DECLARADA “INFIELD FLY” – DEFENSOR DEIXA A BOLA CAIR PROPOSITALMENTE

Um eliminado, corredor na 1ª e 2ª base, rebatida “fly” na direção do defensor da 2ª base. Este conseguiria apanhar a bola no ar, facilmente, mas não o fez; deixou-a cair na sua frente, propositalmente. Vendo isso, o corredor da 1ª base tentou avançar, porém foi tocado pelo interbases, que estava de posse da bola que lhe foi lançada pelo defensor da 2ª base.  

 
Nesse lance, o batedor-corredor foi eliminado pela regra de Infield Fly” [6.05 (e)], e o corredor da 1ª base, por ter sido tocado fora da base [Regra 7.08 (c)].
 
Comentário – Regra 2.00 (“INFIELD FLY”): Para aplicar a regra de “Infield Fly”, o árbitro deve julgar se a bola pode ser agarrada normalmente por um defensor do campo interno. ...
 
... Quando é declarado um “Infield Fly”, os corredores podem avançar a seu próprio risco. Se num “Infield Fly” declarado o defensor derrubar, intencionalmente, um “fair fly”, a bola continuará em jogo, a despeito das disposições da Regra 6.05 (l). A regra de “Infield Fly” terá prioridade.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

BATEDOR DÁ UM PASSO SOBRE O “HOME PLATE” E TENTA EXECUTAR UM “BUNT”

O batedor preparou-se para executar um “bunt”. Como a bola estava fora de seu alcance, ele deu um passo sobre o “home plate” e tentou tocá-la, mas não conseguiu. O receptor reclamou, alegando que o batedor deveria ser eliminado por ter colocado um pé para fora do “batter’s box”. O árbitro deve concordar com isso?
 
Não. Foi uma jogada normal. Ele seria eliminado por ação ilegal se tivesse tocado a bola com o “bat”.

[Regra 6.06 (a)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

‘SANSHIN KUSSAI’

Quando um batedor deu várias rebatidas “foul” depois de “two-strike” (dois “strikes”), um beisebolista veterano que estava assistindo ao jogo usou uma expressão que há muito não se ouvia: ‘SANSHIN KUSSAI’.
 
O que ele quis dizer com isso?
 
Lá vai a explicação: ‘SANSHIN’ = eliminação por três “strikes” = “strikeout”; ‘KUSSAI’ significa está com cheiro de; ‘SANSHIN KUSSAI’ = está com cheiro de “strikeout” (ou seja, é indício de que o batedor será eliminado por três “strikes”).

APELAÇÃO COM BOLA MORTA

“Base Hit” (rebatida indefensável) para as proximidades da linha de “foul” do “rightfield” (jardim direito). A bola tocou o solo e pulou para fora da cerca lateral. Um espectador apanhou essa bola e jogou-a para dentro do campo. O batedor-corredor chegou à 2ª base, porém sem pisar a 1ª base. Um defensor, de posse da bola que retornou ao campo, apelou ao árbitro da 1ª base sobre a omissão de base. A apelação deve ser aceita?
 
Não, já que a bola ficou morta quando caiu além da cerca. Se, porém, a equipe na defensiva apelar após o reinício do jogo, o batedor-corredor será eliminado.  
 
[Regra 7.10 (b) – REGRA APROVADA (2), Comentário – Regra 7.10 (b)]
 
No softbol, a equipe na defensiva pode apelar enquanto a bola está morta. Uma vez que a bola tenha sido devolvida ao campo interno, qualquer defensor que está no campo interno –com ou sem a posse da bola– pode fazer uma apelação verbal sobre um corredor que tenha omitido uma base.   
 
(Regra 8 – Seção 9 – EFEITO – Seção 9g-j)

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

DECISÃO PRECIPITADA DO ÁRBITRO DE "HOME"

Jogo San Diego Padres vs. Los Angeles Dodgers. Primeira metade do nono inning, placar: 5 – 6. Padres no ataque. Dois eliminados, corredor na 2ª e 3ª base, contagem de arremessos: 2 – 2. O corredor da 3ª base arranca para home aproveitando uma distração do arremessador. Este, apanhado de surpresa, faz um mau lançamento ao receptor –a bola rola em direção à cerca. O árbitro de home faz um gesto grande e declara "OUT!" (???!!!)mas  logo em seguida corrige a falha. Enquanto isso, o corredor da 2ª base também pisa o home base, em jogada apertada, e é declarado  SAFE.


Nessa jogada o árbitro deve ter desviado os olhos da bola e dado a decisão sem observar o lance até o fim.
Para decidir uma jogada de forma convincente, os árbitros
a) não devem desviar os olhos da bola enquanto uma jogada está em andamento;
b) devem
1) movimentar-se corretamente e procurar a melhor posição para observar cada jogada (no momento de dar a decisão, devem estar parados);
2) estar sempre prevenidos para as jogadas seguintes, sem, no entanto, prejulgar o resultado dos lances;
3) manifestar-se sobre as decisões tomadas, de maneira clara e segura; em lances 'apertados', devem dar ênfase na voz e no gesto (fazer gesto grande);
4) envidar todos os esforços para não errar; mas, infelizmente, erros acontecem, e podem muitas vezes prejudicar esta ou aquela equipe (quando cometerem um erro, nunca devem procurar compensá-lo, de alguma maneira, pois, assim procedendo, estarão errando novamente).
Decidindo de forma convincente, evitar-se-ão comentários desagradáveis e críticas do tipo “PERDEMOS O JOGO POR CAUSA DOS ÁRBITROS”.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

JOGADA DE APELAÇÃO - NÃO FOI ANOTADO PONTO

Com dois eliminados e as bases cheias, Chet Lemon do Tigers acertou um triplo (“three-base hit”) e empurrou os corredores para “home”. O corredor da 3ª base não pisou o “home base”; e depois que os corredores da 2ª e 1ª base cruzaram a base legalmente, voltou para corrigir a falha. O receptor, então, pediu a bola e apelou sobre a omissão de base. O árbitro deve aceitar a apelação?
 
Sim. Um corredor não pode retornar para pisar uma base omitida, depois que um corredor subsequente toca essa base. Nesta jogada nenhum corredor anotou ponto, já que a falha cometida pelo corredor da 3ª base resultou na terceira eliminação.

[Regras: 7.10 (b) – REGRA APROVADA (1), 7.12]

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           

No softbol seria aplicada a Regra 5 – Seção 7b-5.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

BATEDOR-CORREDOR RETORNA PARA TOCAR UMA BASE QUE OMITIRA

Rebatida “fair” indefensável para as proximidades da linha de “foul” do jardim esquerdo. A bola tocou o solo e pulou para fora da cerca lateral (bola morta).  O batedor-corredor chegou à 2ª base, porém sem pisar a 1ª base. Logo em seguida retornou e, após corrigir a falha, seguiu novamente para a 2ª base. O procedimento do corredor está correto?
 
Não. Como ele alcançara a base seguinte enquanto a bola estava morta, não tinha mais o direito de voltar para tocar a base omitida.  Portanto, se houver apelação na 1ª base –após o reinício do jogo–, deverá ser declarado eliminado.  

[Regra 7.10 (b) - REGRA APROVADA 2, Comentário – Regra 7.10 (b)]

domingo, 9 de novembro de 2014

TÉCNICO EXPULSO AO CONTESTAR UMA DECISÃO DO ÁRBITRO DE "HOME"

Corredor na 1ª e 3ª base, um eliminado, contagem de arremessos: 1 – 2 (um ball – dois strikes). O batedor girou o bat para tentar rebater o arremesso seguinte; a bola tocou o solo, bateu no mitt e caiu à frente do receptor. O árbitro de home declarou “FOUL BALL!” agitando os braços erguidos. O receptor reclamou –alegou que não houve contato do bat com a bola. Como, apesar disso, o árbitro manteve a decisão, o técnico entrou no campo e discutiu rispidamente com ele (e por essa razão foi expulso).
O receptor e o técnico reclamaram com razão; realmente o “bat” não teve contato com a bola (o vídeo mostra claramente isso). Assim sendo, o árbitro deveria ter aplicado a Regra 6.05 (c) e eliminado o batedor (“strikeout”). 

sábado, 8 de novembro de 2014

CACHORRO ENTRA NO CAMPO DE SOFTBOL E APRONTA


Se um incidente assim ocorrer com uma jogada em andamento, o árbitro deverá paralisar o jogo, ‘matar’ a bola e dar uma decisão adequada (essa decisão fica a seu critério). Isso tanto no softbol como no beisebol.
(Softbol: Regra 10 – Seção 1)
[Beisebol: Regra 9.01 (c)]

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

DOIS CORREDORES SOBRE A MESMA BASE

Astros tem corredor na 1ª e 2ª base quando Glenn Davis rebate um “liner”* ao espaço entre o jardim esquerdo e o jardim central. Ao iniciar a corrida, o corredor da 2ª base colide com o interbases, no caminho da base, e vai ao solo; mas consegue chegar –cambaleando– à 3ª base. Enquanto isso, o corredor da 1ª base passa pela 2ª base e chega deslizando à 3ª base (não estava ocorrendo jogada sobre ele).
 
Dois corredores sobre a mesma base. O defensor da 3ª base do Pirates, Bobby Bonilla, toca o corredor da 2ª base. Ele é “out”? O que acontece com o corredor da 1ª base?
 
O corredor da 2ª base anota ponto e o da 1ª base permanece na 3ª base. Isso porque o interbases cometeu Obstrução ao chocar-se com o corredor da 2ª base.

[Regra 7.06 (b)]

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           
 
*”Liner” = “Line Drive”: É uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do “bat” a um defensor, sem tocar o solo.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

INTERFERÊNCIA DO BATEDOR

Corredor na 1ª base, um “out”, “ball count” (contagem de arremessos): 3 – 2 (três “balls” – dois “strikes”). O batedor fez "swing" e saiu do “batter’s box” a fim de estorvar a jogada sobre o corredor, que estava tentando roubar a 2ª base; apesar disso o receptor conseguiu eliminá-lo com um lançamento perfeito ao defensor da 2ª base.  

 
A falta cometida pelo batedor não é levada em consideração (deve-se admitir que, na realidade, não houve Interferência).
 
[Comentário – Regra 6.06 (c)]
 
O batedor é “out” (“strikeout”).
 
[Regra 6.05 (b)]
 
Se o corredor tivesse chegado “safe” à base, seria aplicada a Regra 7.09 (e).
 
Regra 7.09 (e): Deve ser declarada uma Interferência da Ofensiva quando um batedor ou corredor que acabara de ser eliminado, ou um corredor que acabara de anotar ponto, estorva ou impede uma jogada subsequente sobre um corredor. Neste caso, o corredor que seria o alvo da jogada deve ser declarado eliminado em razão da Interferência cometida por seu companheiro de equipe.   

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

JOGADA DE APELAÇÃO

Rebatida indefensável (“hit”) de três bases (“three-base hit”) entre os jardins esquerdo (“leftfield”) e central (“centerfield”). O defensor da 3ª base, alertado por um companheiro de que o batedor-corredor omitira a 1ª base, tocou-o com a bola que havia recebido do jardineiro esquerdo (“leftfielder”) e apelou ao árbitro da 3ª base. A apelação deve ser aceita?
 
Sim. Se o defensor da 3ª base fizer a apelação indicando a base omitida, o árbitro da 3ª base deverá apontar para o árbitro da 1ª base, e este terá de decidir se o batedor-corredor é “out” ou “safe”. 
 
[Beisebol - Regra 7.10 (b) – vide Regra 7.02]

(Softbol – Regra 8 – Seção 9d)

terça-feira, 4 de novembro de 2014

“RUN-DOWN” (JOGADA DE PERSEGUIÇÃO) – CORREDOR CHEGA “SAFE” À BASE SEGUINTE

Jogo New York Mets vs. Pittsburgh Pirates. Segunda metade do 10º “inning”, placar empatado (2 – 2). Pirates no ataque. Nenhum eliminado, corredor na 2ª base, contagem de arremessos: 0 – 1. O arremessador apanha a bola (“ground ball”) rebatida em sua direção, lança ao interbases e dá início a um  “run-down”. O corredor escapa das tentativas de toque (“tag”) e alcança a 3ª base –é declarado “SAFE”; enquanto isso, o batedor-corredor chega à 2ª base. O técnico do Mets reclama, mas a decisão é mantida.


Decisão correta. O corredor evitou ser tocado, mas sem desviar mais de três pés do caminho da base . Nessa jogada foi aplicada a Regra 7.08 (a) (1).
 
Vejamos o que diz essa regra: Um corredor é eliminado quando desvia mais de três pés (91,44 cm) do caminho da base, para fugir do toque de um defensor, a menos que sua ação seja para evitar interferir na jogada de um defensor que está apanhando uma bola rebatida. O caminho da base de um corredor é estabelecido quando ocorre a tentativa de toque, e é uma linha reta entre o corredor e a base para a qual ele está tentando chegar a salvo.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

CORREDOR ESTORVA O DEFENSOR QUE ESTÁ TENTANDO FAZER UMA JOGADA

Corredor na 1ª e 2ª base, nenhum “out”, rebatida “ground” forte e rápida na direção da 3ª base. O defensor da 3ª base efetua a defesa e lança à 2ª base  para iniciar uma jogada dupla (“double play”). O corredor da 2ª base estica o braço e toca a bola lançada. Quem deve ser declarado “out”?

Beisebol

O corredor da 2ª base é "out" pela falta cometida (Interferência da Ofensiva), e o batedor-corredor também deve ser eliminado devido à ação de seu companheiro de equipe. O corredor da 1ª base tem de retornar.

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a), 6.05 (m) – vide NOTA, 7.08 (b) – vide NOTA 1]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans 

Softbol
 
Além do jogador infrator, o corredor subsequente imediato (o da 1ª base) deve ser eliminado.  O batedor-corredor fica na 1ª base.  

(Regra 8 – Seção 9m, vide NOTA – Seção k-m)

domingo, 2 de novembro de 2014

“STRIKE” OU “FOUL BALL”?

Corredor na 1ª e 2ª base, um “out”, contagem de arremessos: 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). O batedor fez “swing” para tentar rebater o arremesso seguinte; a bola tocou o solo e desviou para trás do receptor. Foi declarado um “strike”. O batedor reclamou, alegando que houve contato  do “bat” com  a bola.  O árbitro de “home” reuniu-se com seus companheiros e, após consultá-los, mudou a decisão para “foul ball”. O técnico da equipe na defensiva contestou veementemente a decisão final e foi expulso.


[Regra 9.02 (c)]

sábado, 1 de novembro de 2014

BOLA ESCAPA DA MÃO DO DEFENSOR E CAI ALÉM DA CERCA

Rebatida para “leftfield” (jardim esquerdo). O jardineiro esquerdo apanhou a bola e, ao levantar o braço para efetuar o lançamento, deixou-a cair além da cerca.

 
Suponhamos que esse lance tenha ocorrido com corredores em base. Quantas bases devem ser concedidas a cada um deles?
 
Cada corredor, incluindo o batedor-corredor, deve ser autorizado a avançar duas bases, sem o risco de ser eliminado, a partir de onde estava no momento em que a bola caiu para fora da cerca. A bola torna-se morta.  
 
[Regra 7.05 (g)]