terça-feira, 30 de setembro de 2014

APARENTE “FOUL BALL” TORNA-SE “FAIR BALL”

Bases cheias. A bola rebatida, que aparentemente seria “foul”, desvia ao tocar a borda do gramado em território “foul”. O defensor da 3ª base apanha-a no momento em que ela está passando sobre a linha de “foul” e concretiza um “double play” (jogada dupla).

 
Este é o tipo de lance que não deve ser decidido precipitadamente. O procedimento do árbitro de “home” foi correto; deu a decisão (“fair”) somente após o defensor tocar a bola.
 
(Regra 2.00 "FAIR BALL")

JOGADA DE APELAÇÃO

A bola lançada pelo arremessador para tentar eliminar o corredor da 1ª base (“pickoff play”) tocou o solo e rolou para o território “foul”.  O corredor chegou “safe” à 3ª base, num lance apertado, porém sem pisar a 2ª base.  Como ocorreu uma jogada depois da omissão de base, pode a equipe na defensiva ainda apelar na 2ª base?
 
Sim. O direito de apelar permanece, já que a jogada sobre o corredor, na 3ª base, é considerada parte da ação continuada da defensiva.
 
(Regra 7.10 – vide NOTAS)
 
Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

DECISÕES EQUIVOCADAS EM JOGO DE SOFTBOL

Erros acontecem, mas esses mostrados no vídeo ...
 

Decisão 1
“Safe” ou “out”? O árbitro declarou “out”, mas foi “safe” claro; a corredora pisou o “home plate” bem antes de ser tocada pela receptora.
Decisão 2
“Fair” ou “Foul”? O árbitro considerou “fair”, mas foi “foul”; a receptora apanhou a bola em território “foul”.
Decisão 3
“Safe” ou “Out”?  O árbitro declarou “out”, mas a batedora-corredora já havia pisado a base quando a defensora da 1ª base apanhou a bola.
Decisão 4
“Strikeout” ou “Ball Four”? Contagem de arremessos: 3 – 2 (três “balls” – dois “strikes”). O árbitro declarou o terceiro “strike”, mas depois mudou a decisão para “ball” e mandou o batedor à 1ª base.  

LANCES OCORRIDOS NO XXVI CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERSELEÇÃO – CATEGORIA: 55 ANOS – REALIZADO NOS DIAS 27 E 28 DE SETEMBRO DE 2014 NO ESTÁDIO MIE NISHI

1) “Pickoff Play”* na 3ª base. O corredor retornou; e ao tirar o pé da base enquanto recebia instruções do “coach”, foi tocado pelo defensor da 3ª base, que ainda não havia devolvido a bola ao arremessador. O árbitro da 3ª base declarou-o “out”. A equipe na ofensiva reclamou, alegando que deveria ser declarado um “balk”, já que o arremessador, permanecendo perto do “pitcher’s plate” sem estar de posse da bola, teve a intenção de enganar o corredor. O jogo ficou paralisado por algum tempo. Os árbitros se reuniram e mantiveram a decisão “out”.

(Comentário – Regra 8.05)

*“Pickoff Play” é aquela jogada em que o arremessador tenta segurar o corredor na base, ou eliminar o corredor que está fora da base. “Pickoff Play” = ‘Kensei’.

2) Bases cheias, nenhum out. No momento em que o arremessador levantou o pé livre para iniciar o arremesso, a bola escapou de sua mão e caiu nas proximidades do “pitcher’s plate”. O árbitro de “home”, corretamente, declarou um “balk” –o corredor da 3ª base anotou ponto e os demais corredores avançaram uma base.  O arremessador reclamou, veementemente, argumentando que deveria ser declarado um “ball” e não um “balk”. A decisão do árbitro de “home” foi mantida.

[Comentário – Regra 8.01 (d), Regra 8.05 (k)]

3) O defensor da 3ª base apanhou um “ground” forte rebatido em sua direção e fez um lançamento perfeito à 1ª base. A bola lançada bateu na luva do defensor da 1ª base e pulou; e enquanto ele tentava segurá-la firmemente com a mão ou luva, o batedor-corredor pisou a base. O árbitro da 1ª base declarou-o “out”. Houve reclamação da equipe na ofensiva. A decisão equivocada foi corrigida.

(Regra 2.00 “CATCH”) 
 

domingo, 28 de setembro de 2014

CORREDOR É ELIMINADO POR TOQUE APÓS COLIDIR COM RECEPTOR

Corredor na 1ª e 2ª base, rebatida indefensável –a bola rolou para o jardim esquerdo. O corredor da 2ª base passou pela 3ª base e tentou anotar ponto. (O jardineiro esquerdo lançou para “home”.) Nas proximidades do "home plate" o corredor colidiu com o receptor --que estava se preparando para apanhar a bola--, e os dois foram ao solo (o corredor não pisou a base).  Enquanto eles discutiam, o corredor foi tocado pelo arremessador, que havia recuperado a bola que passara para trás. O árbitro de “home” declarou-o “out”.  

 
O árbitro decidiu que o lance foi normal –considerou que o receptor não conseguiria efetuar a defesa se não se posicionasse naquele local, e que a colisão entre os dois foi inevitável.  

sábado, 27 de setembro de 2014

BEISEBOL NO NÁUTICO, DE PERNAMBUCO

CORREDOR DA 3ª BASE FAZ “TAG-UP”* DEPOIS QUE O ÁRBITRO SINALIZA UM “INFIELD FLY”

Bases cheias, um “out”, contagem de arremessos: 0 – 2 (nenhum “ball” – dois “strikes”). Rebatida “fly” para trás do interbases. Este afastou-se rapidamente e efetuou a defesa. (Antes de o defensor apanhar a bola, o árbitro da 3ª base havia sinalizado um “Infield Fly”.) Como o defensor distraiu-se um pouco após efetuar a defesa, o corredor da 3ª base –que estava sobre a ‘almofada'– arrancou para “home” e anotou um ponto.

 
Num “Infield Fly” a bola permanece viva.  Os corredores podem avançar, correndo o risco de a bola ser apanhada no ar, ou podem retocar a base e avançar depois que a bola é tocada por um defensor, como em qualquer bola “fly”.

(Regra 2.00 “INFIELD FLY”)

*“TAG-UP” é aquele lance em que o corredor sai da base, numa rebatida "fly", depois que um defensor apanha ou toca a bola.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

SUBSTITUIÇÃO NÃO ANUNCIADA

No sexto “inning”, o técnico do Milwaukee Brewer mandou ao “batter’s box” um “pinch-hitter” (batedor de emergência), sem comunicar a mudança ao árbitro; depois mudou de ideia quando o jogador entrou no “box” e substituiu-o por outro batedor.  No sétimo “inning”, tentou usar novamente o “pinch-hitter” que fora substituído no sexto “inning”. Isso deve ser permitido?
 
Não. Embora esse batedor não tenha sido anunciado como “pinch-hitter” no sexto “inning”, ele foi considerado como tendo participado do jogo no momento em que entrou no “batter’s box”.

[Regra 3.08 (a) (2)]

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

SISTEMA DE TRÊS ÁRBITROS – CONSULTA SOBRE “HALF SWING”

Batedor canhoto iniciou o “swing” e parou. O arremesso foi declarado “ball”. Atendendo à solicitação do receptor, o árbitro de “home” apontou para o árbitro posicionado dentro do quadrilátero, entre a 3ª e a 2ª bases, e pediu seu auxílio sobre o “swing” interrompido; e esse árbitro fez o gesto de "safe" (indicou que não houve “half swing”).   

Para ver o vídeo, clique aqui.

Muitos podem achar que o árbitro de “home” consultou o árbitro da 2ª base. Mas isso não ocorreu. A consulta foi feita, corretamente, ao árbitro da 3ª base. (Nesse jogo, a arbitragem estava trabalhando com três árbitros, e o da 3ª base havia se deslocado para aquela posição porque havia corredor na 1ª base.)

[Comentário – Regra 9.02 (c)]

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

“HOME RUN” – CORREDOR PRECEDENTE É ELIMINADO POR OMISSÃO DE BASE

Mickey Mantle bateu tantos “home runs” que nem consegue lembrar de todos eles.
 
Uma tarde, no Sportsman’s Park em St. Louis, ele bateu um para fora do estádio. Com um “out”, havia corredor na 2ª base naquele momento. Quando Mantle deu a rebatida, o corredor, que estava se aproxomando da 3ª base, virou a cabeça rapidamente para ver, por cima de seus ombros, onde a bola estava caindo. Ao fazer isso, passou pela 3ª base, sem tocá-la, e foi em direção ao “home plate”. A equipe adversária (Browns) apelou sobre a omissão da 3ª base. O corredor foi declarado eliminado.
 
Foi creditado um “home run” para Mantle.
 
Regra 7.12: A menos que haja duas eliminações, a situação de um corredor subsequente não será afetada se um corredor precedente deixar de tocar ou retocar uma base.
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           

terça-feira, 23 de setembro de 2014

"INFIELD FLY" - CORREDOR DA 1ª BASE É ELIMINADO POR TOQUE

Corredor na 1ª e 2ª base, nenhum out, rebatida fly ao espaço entre a 2ª e a 1ª bases. O árbitro da 2ª base levantou o braço e declarou “INFIELD FLY!". O defensor da 2ª base preparou-se para efetuar a defesa, mas a bola desviou (?) e foi ao solo (ou o defensor deixou-a cair intencionalmente???). Os corredores avançaram; o da 1ª base ultrapassou a 2ª base, após pisá-la, e foi eliminado (o interbases, que recebera a bola lançada pelo defensor da 2ª base, tocou-o fora da base).



Comentário – Regra 2.00 (“INFIELD FLY”): Quando é declarado um Infield Fly, os corredores podem avançar a seu próprio risco. Se num Infield Fly declarado o defensor derrubar, intencionalmente, um “fair fly”, a bola continuará em jogo, a despeito das disposições da Regra 6.05 (l). A Regra de Infield Fly terá prioridade.

“INFIELD FLY” – JOGADA DUPLA

Aconteceu num jogo de beisebol. Bases cheias, um eliminado, rebatida fly para as proximidades da ‘almofada’ da 2ª base. O árbitro da 2ª base declarou “INFIELD FLY!”. O interbases derrubou a bola e, recuperando-a rapidamente, tocou o corredor que, surpreso com o lance, estava fora da base. Quem é out ... o corredor ... o batedor ... ou ambos?

É uma jogada dupla (double play). O batedor é out de acordo com a Regra de INFIELD FLY. A bola continua viva. O corredor é “out” por toque (tag out).

[Regras: 2.00 “INFIELD FLY”, 6.05 (e), 7.08 (c)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

Se essa jogada tivesse ocorrido no softbol, seria dada a mesma decisão.

(Regras: 1 – Seção 56, 8 – Seção 2e, 8 – Seção 9b, 9 – Seção 2b).

No beisebol, a regra de Infield Fly não deve ser aplicada quando os árbitros não se manifestam sobre a ocorrência do lance (Regra 2.00 “INFIELD FLY” – NOTA). No softbol, porém, a orientação da Federação Internacional de Softbol (International Softball Federation  – ISF)  é no sentido de aplicar a regra mesmo que os árbitros não se manifestem, desde que a jogada preencha todas as condições de um Infield Fly.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

BEISEBOL NO NÁUTICO, DE PERNAMBUCO

Beisebol do Náutico vira 'solução' para os Aflitos; MLB planeja jogo no Brasil até 2020
Clique aqui

Em partida emocionante, Náutico vence por 10 a 9, jogo inaugural de beisebol nos Aflitos
Clique aqui

BOLA ARREMESSADA TRISCA O “BAT” E SE ALOJA NA MÁSCARA DO RECEPTOR

Bases vazias, nenhum “out”, contagem de arremessos: 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). O batedor fez “swing” para tentar rebater o arremesso seguinte; a bola triscou o “bat” e ficou alojada na máscara do receptor.


É “foul ball”. Se o receptor tivesse agarrado a bola legalmente, seria um “foul tip” (um “strike”, portanto), e o batedor seria declarado eliminado.

(Regra 2.00 “FOUL TIP”)

Se a bola não tivesse tido contato com o “bat”, seria declarado um “strike”, e o batedor, autorizado a ir à 1ª base.

[Regra 5.09 (g)]
 
Se nesse lance houvesse corredor(es) em base, ele(s) seria(m)  autorizado(s)  a avançar uma base.

[Regra: 5.09 (g)]

domingo, 21 de setembro de 2014

ARREMESSADOR COMETE “BALK” E ELIMINA O CORREDOR DA 3ª BASE EM ‘KENSEI’*

Será que o árbitro não percebeu que o arremessador mexeu o corpo antes de lançar à 3ª base


Depois da parada completa, o arremessador não deve fazer nenhum movimento; não é permitido mexer qualquer parte do corpo, a não ser o pescoço.

[Regra 8.01 (b) – NOTA 2]

*‘Kensei’ é um termo japonês. Fazer ‘kensei’ significa reprimir, suster a ação ou movimento de, segurar etc. No beisebol, esse termo é usado para designar aquela jogada em que o arremessador tenta segurar o corredor na base, ou eliminar o corredor que está fora da base.

FOI ANOTADO PONTO?

Corredor na 1ª e 3ª base, um “out”, rebatida “fly” longa para o jardim direito. A bola foi apanhada no ar. O corredor da 3ª base saiu legalmente da base e pisou o “home plate” antes de o corredor da 1ª base –que havia arrancado em direção à 2ª base no momento do arremesso– ser eliminado pela bola devolvida pelo jardineiro direito.  
 
Nessa jogada foi anotado ponto. O ponto não seria contado se a terceira eliminação tivesse ocorrido em jogada forçada. (O lance em que o corredor da 1ª base foi eliminado quando tentava retornar não é de eliminação forçada.)

[Beisebol – Regras: 2.00 “FORCE PLAY”, 4.09 (a), 7.10 (a)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 35, 5 – Seção 7a, 8 – Seção 9g)

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

sábado, 20 de setembro de 2014

JOGANDO BEISEBOL OU BRINCANDO DE PEGA-PEGA?

Finalmente o defensor se tocou e pisou a base!

 
 
Para evitar ou retardar o toque de um defensor, o batedor-corredor pode recuar em direção ao “home plate”, desde que não desvie para os lados; mas se ele chegar ao “home plate”, será eliminado.  Ele será eliminado também se for tocado, ou a 1ª base for tocada, por um defensor.
 
[Regra 7.08 (i) – NOTA]

OBSTRUÇÃO OU INTERFERÊNCIA DA OFENSIVA?

"Bunt" para as proximidades do "home plate". Quando iniciou a corrida à 1ª base, o batedor-corredor chocou-se com o receptor, que havia avançado para efetuar a defesa. A ocorrência caracteriza Obstrução ou Interferência?
 
Como o lance ocorreu nas proximidades do “home plate”, não é Obstrução nem Interferência, a menos que uma das partes atrapalhe, intencionalmente, a ação da outra. A bola permanece viva e o jogo deve prosseguir normalmente.

[Comentário - Regra 7.09 (j)]

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

GESTOS EXTRAVAGANTES NO TERCEIRO “STRIKE”

Há quem goste e se divirta, mas ...


 
 

INTERFERÊNCIA DA OFENSIVA - LANÇAMENTO DO RECEPTOR ATINGE O BATEDOR-CORREDOR FORA DA FAIXA DE TRÊS PÉS

Nenhum “out”, bases cheias, rebatida “ground” na direção do interbases. Este efetua a defesa e lança para “home”, mas o receptor derruba a bola e permite que o corredor da 3ª base pise o “home base”. Em seguida, a bola é lançada à 1ª base. O batedor-corredor,  que está correndo a última metade da distância entre o “home base” e a 1ª base, fora da faixa de três pés (dentro do território “fair”), é atingido nas costas pelo lançamento. Por essa razão, o defensor da 1ª base não consegue apanhar a bola. Como deve ser decidido este lance?
 
A bola torna-se morta. O batedor-corredor é “out” pela falta cometida (Interferência da Ofensiva). Deve ser contado um ponto, já que o corredor da 3ª base pisou o “home base” antes do lance na 1ª base. Os corredores da 1ª e da 2ª bases têm de retornar às bases que, na opinião do árbitro, haviam conquistado no momento em que ocorreu a Interferência.

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a) – vide NOTA,  6.05 (k)]

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

GESTO ENFÁTICO NO SEGUNDO “STRIKE”?

Isso acontece até com árbitros da MLB.

 

BOLA ARREMESSADA FICA PRESA NA MÁSCARA DO ÁRBITRO

Dodgers tem as bases lotadas. Dois eliminados. Contagem de bolas arremessadas sobre o batedor Willie Randolph: 3 – 2. Kirk Gibson está na 3ª base, Eddie Murray, na 2ª base, e Mike Scioscia, na 1ª base. Os três corredores saem em disparada no momento em que o arremessador inicia o arremesso. Randolph gira o “bat” e erra; a bola passa sobre a cabeça do receptor do Phillies e se aloja na máscara do árbitro. Antes de o receptor conseguir retirá-la do equipamento do árbitro, os três corredores pisam o “home base” e Randolph chega à 3ª base. Dodgers anota três pontos nessa jogada? Suponhamos que esse lance tenha acontecido quando havia menos de duas eliminações; isso teria afetado a jogada?
 
Somente Gibson anota ponto. A bola torna-se morta tão logo ela se aloja na máscara do árbitro. Randolph adquire o direito de ir à 1ª base e cada corredor avança uma base. Se essa jogada tivesse ocorrido com menos de dois “outs”, Randolph seria eliminado automaticamente, já que a 1ª base estava ocupada no momento, mas cada corredor avançaria uma base.
 
[Regras: 5.09 (g), 6.05 (c) - vide NOTA, 6.09 (b) (2), 7.05 (i)
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

ÁRBITRO APRESSADO EM DAR SHOW

Ai, que vontade de fazer aquele gesto de 'sanshin'*!!!
 

*‘Sanshin’ é um termo japonês. Significa eliminação por três "strikes". Ao pé da letra ‘sanshin’ quer dizer girar (o "bat") três vezes. ‘Sanshin’ = “strikeout” (straikaut).

INTERFERÊNCIA DA OFENSIVA – “BASE COACH” CORRE EM DIREÇÃO AO “HOME PLATE”

Um “out”, corredor na 3ª base, rebatida “ground” na direção do interbases. O “base coach” da 3ª base deixou subitamente o “coach’s box” e começou a correr em direção ao “home plate”. O interbases, achando que o corredor da 3ª base estava tentando anotar ponto, lançou rapidamente  ao receptor. Como deve ser decidido este lance?
 
O ato do “base coach” revela, claramente, o intuito de atrair um lançamento de um defensor. A bola torna-se morta e o corredor da 3ª base deve ser declarado eliminado.
 
[Beisebol – Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a), 7.09 (i)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 60a, 8 – Seção 9q)

terça-feira, 16 de setembro de 2014

INTERFERÊNCIA DO CORREDOR

 
  
 
No primeiro caso o corredor é “out”, independente de o ato ter sido intencional ou não. Se o árbitro julgar que o ato foi intencional, deverá aplicar a seguinte penalidade: com menos de “two out” (dois eliminados), eliminará ambos –o corredor e o batedor–; com “two out”, eliminará o batedor.
 
No segundo caso o corredor é “out” somente se o árbitro julgar que o ato foi intencional;  e nesse caso será aplicada a seguinte penalidade: com menos de “two out”, ambos –o corredor e o batedor–  serão eliminados; com “two out”, o batedor será eliminado.
 
[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a),  7.08 (b), 7.09 (j)] 

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

TODOS “SAFE”

Corredor na 2ª e 3ª base, um “out”, contagem de arremessos: 1 – 2 (um “ball” – dois “strikes”), rebatida “ground” em direção à 3ª base. O defensor da 3ª base efetua a defesa e lança para “home” ao ver o corredor da 3ª base tentando anotar ponto. Ocorre que o corredor para e resolve voltar. O receptor, então, persegue-o e tenta eliminá-lo, lançando ao defensor da 3ª base. Este, porém, deixa a bola passar para trás; o interbases recupera-a e lança rapidamente ao receptor. [O corredor consegue retornar a salvo (“safe”).] Enquanto ocorre essa jogada, o corredor da 2ª base, que havia chegado à 3ª base, e o batedor-corredor, que estava na 2ª base, também conseguem retornar “safe” às suas bases.


domingo, 14 de setembro de 2014

“INFIELD FLY” – BOBEADA DA DEFENSIVA

Bases cheias, um “out”, “fly” entre o arremessador e o receptor. O árbitro de “home” levantou o braço e declarou “Infield Fly”. A bola caiu entre receptor, arremessador, defensor da 3ª base e defensor da 1ª base –que tentaram efetuar a defesa– e rolou em direção à linha de “foul”. O defensor da 3ª base apanhou-a rapidamente e pisou o “home plate”. Enquanto os quatro estavam reunidos –talvez ‘comemorando a jogada’–, o corredor da 3ª base cruzou o “home plate”. O árbitro de “home” validou o ponto.

 
Decisão correta.  Como o batedor-corredor havia sido eliminado pela Regra de “Infield Fly”, os corredores não tinham a obrigação de avançar. Para eliminar o corredor da 3ª base, portanto, o defensor teria de tê-lo tocado com a bola.
 
[Regras: 2.00 “INFIELD FLY”, 6.05 (e), 7.08 (e)]

sábado, 13 de setembro de 2014

JOGADA PROIBIDA

Essa jogada, conhecida entre nós como 'bicicleta'/'pedalada', não é mais permitida. A Regra 8.05 (c) foi alterada em 2013.


Comentário – Regra 8.05 (c): ...  Um arremessador deve dar um passo diretamente em direção a uma base antes de lançar a essa base; ele é obrigado a lançar cada vez que dá o passo (exceto para a 2ª base). É um “balk” se, com corredor na 1ª e 3ª base, o arremessador dá um passo em direção à 3ª base só para blefar (fazer o corredor voltar à base) e não lança; em seguida, vendo o corredor da 1ª base mover-se em direção à 2ª base, vira, dá um passo em direção à 1ª base e lança a essa base. É legal o arremessador simular um lançamento à 2ª base.

A Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol (CBBS) oficializou essa mudança em 2014. Vide CT – 02 – 1 (i).

Nova redação da Regra 8.05 (b): Se há corredor(es) em base, deve ser declarado um "balk" quando o arremessador, enquanto está em contato com o "pitcher's plate", simula um lançamento à 1ª  e 3ª base (não completa o lançamento).

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

JOGADA DE APELAÇÃO

Corredor na 1ª e 2ª base, dois “outs”. O batedor acertou um “three-base hit” (rebatida de três bases) e empurrou ambos os corredores para “home”. O corredor da 1ª base, porém, passou pela 3ª base, sem tocá-la. O interbases, que recebera a bola devolvida ao campo interno, lançou à 3ª base para apelar sobre a omissão de base. A bola, mal lançada, tocou o solo e foi parar na cerca lateral. O batedor-corredor, que se encontrava sobre a 3ª base, pisou o “home plate” tranquilamente. O defensor da 3ª base apanhou a bola e apelou novamente. Como decidir este lance?
 
Como a apelação foi feita corretamente, o corredor da 1ª base é “out”. Nessa jogada deve ser anotado somente um ponto. (Num lance como esse, o lançamento à 3ª base tem de caracterizar uma inequívoca tentativa de apelação; do contrário, pode ser interpretado como uma jogada sobre o corredor, caso em que a equipe na defensiva perde o direito de apelar.)

(Comentário – Regra 7.10, Regra 7.12)

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

BATEDOR-CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA PARA EVITAR UMA JOGADA DUPLA

Nenhum “out”, corredor na 1ª e 3ª base. No momento em que o corredor da 1ª base estava tentando roubar a 2ª base, a rebatida resultou em “fly” à frente da 1ª base. O batedor-corredor, prevendo uma eliminação dupla, atrapalhou propositadamente o defensor da 1ª base e impediu que ele apanhasse a bola.
 
Decisão: A bola torna-se morta. O batedor-corredor é “out” por Interferência, e o corredor que está mais perto do “home plate” (o da 3ª base) também é “out” em razão da falta cometida por seu companheiro de equipe. O corredor da 1ª base tem de retornar.

[Beisebol – Regra 7.09 (g)]
 
(Softbol – Regras: 8 – Seção 2g-2 – vide NOTA – Seção 2g (1-7), 9 – Seção 1f)

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

DÚVIDA SOBRE CONCESSÃO DE BASES

Rebatida indefensável em direção ao jardim central. O batedor-corredor chegou tranquilamente à 2ª base. O interbases recebeu a bola devolvida ao campo interno pelo jardineiro central e, ao retorná-la ao arremessador, fez um mau lançamento –a bola entrou no “bench”. Aí surgiu uma dúvida sobre concessão de bases. Os árbitros se reuniram e, após conversarem por algum tempo, mandaram o corredor para “home”.
 
Decisão correta.  Nesse lance o corredor adquiriu o direito de avançar duas bases a partir de onde estava  no momento em que o lançamento descontrolado foi efetuado.
 
[Regra 7.05 (g)]

terça-feira, 9 de setembro de 2014

CORREDOR ESCORREGA NA LAMA - RECEBE AJUDA FÍSICA DE UM COMPANHEIRO E ANOTA PONTO

Billy Ripken e Cal Ripken –corredores do Orioles– arrancam da 2ª base e 1ª base, respectivamente, no momento em que Mickey Tettleton acerta um “hit” para o jardim central –a bola bate na cerca e desvia. Ambos os corredores anotariam ponto, facilmente, mas Billy escorrega na lama no meio do caminho entre a 3ª base e o “home plate”. Cal chega atrás de Billy, ajuda-o a levantar-se e, sem ultrapassar seu irmão, empurra-o na direção do “home plate”. Os dois cruzam o “home plate” pouco antes de a bola lançada chegar às mãos do receptor.  Jogada legal?
 
Sim. Quando um corredor ajuda um companheiro de equipe, não há penalidade. Se, porém, um “coach” ajuda fisicamente um corredor, deve ser declarada uma Interferência; o corredor é “out” e a bola torna-se morta.

[Regra 7.09 (h), Regra 7.09 – PENALIDADE]

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

ARREMESSADOR ATIRA A BOLA AO CHÃO

 

Nesse lance, como a bola não cruzou a linha de “foul”, nada foi declarado; se houvesse corredor(es) em base, seria um “balk”.

Comentário – Regra 8.01 (d): Se uma bola que escapa da mão de um arremessador cruza a linha de “foul”, deve ser declarado um “ball”; caso contrário, deve-se considerar que não houve arremesso. Isto seria um “balk” com corredor(es) em base.

domingo, 7 de setembro de 2014

BOLA REBATIDA DESVIADA POR UM DEFENSOR ATINGE UM CORREDOR

Corredor na 1ª base, rebatida “ground” forte na direção da 1ª base. O defensor da 1ª base, que estava posicionado dentro do quadrilátero, “mergulhou” para apanhar a bola, mas não teve sucesso; apenas coseguiu desviá-la para trás, onde se encontrava o defensor da 2ª base. A bola desviada, no entanto, atingiu o corredor da 1ª base, que estava a caminho da 2ª base. (O defensor da 2ª base tinha grande chance de efetuar a defesa e eliminar o batedor-corredor na 1ª base.) Quem deve ser declarado “out”?
 
Ninguém é “out”; nesse caso a bola continua viva e em jogo. Um corredor não deve ser eliminado por ter sido atingido por uma bola rebatida desviada –a qualquer momento uma bola rebatida pode ser desviada por um defensor–, a menos que ele interfira, intencionalmente, na ação de um defensor que está tentando apanhá-la.

[Regra 7.09 (k)/Interpretação do beisebol profissional]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

sábado, 6 de setembro de 2014

GESTO DESNECESSÁRIO DO ÁRBITRO DE "HOME" CAUSA CONFUSÃO – TERCEIRO "STRIKE" NÃO AGARRADO RESULTA EM "HOME RUN"

Ocorreu no Beisebol Colegial do Japão (Kookoo Yakyuu): Primeira metade do quarto inning. Corredor na 1ª e 3ª base, dois eliminados, dois strikes. O batedor iniciou o swing e interrompeu-o; o arremesso foi declarado BALL. O receptor não concordou com a decisão e reclamou. O árbitro de home, então, solicitou o auxílio do árbitro da 1ª base. No momento em que o árbitro consultado fez o gesto de strike indicando que houve half swing, o árbitro de home levantou o braço direito, com o punho cerrado. Interpretando esse gesto como de eliminação do batedor (terceiro out), os defensores deixaram suas posições e foram caminhando em direção ao dugout. Como a bola havia tocado o solo antes de ser apanhada pelo receptor, o batedor saiu correndo e deu a volta no quadrilátero, pisando todas as bases; os corredores da 1ª e 3ª também pisaram o home plate. 
 
O árbitro de home reuniu-se com seus companheiros. Depois de conversar com eles por algum tempo, pegou o microfone e deu a explicação sobre o ocorrido. Disse ele: “Houve um half swing; eu consultei o árbitro da 1ª base; minha decisão BALL foi mudada para STRIKE; foi o terceiro strike, mas não um strikeout; o gesto que fiz foi para avisar o batedor sobre a mudança de decisão; e como o batedor não foi eliminado, foram anotados três pontos”.
 
A equipe contrária não questionou a explicação dada pelo árbitro. O placar passou de 3 – 0 para 6 – 0.
 
Essa confusão foi causada por um gesto desnecessário feito pelo árbitro de home (ele não precisava fazer aquele gesto para sinalizar que a decisão sobre o arremesso havia sido mudada).

 

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

INTERFERÊNCIA OU LANCE NORMAL?

Aconteceu num jogo de beisebol da Categoria Júnior: Corredor na 2ª base, um “out”, ‘hitto’* na direção do jardim central. O corredor passou pela 3ª base e foi decididamente para “home”. A bola lançada pelo jardineiro central –um ‘wan baundo’*– teve contato com o ‘mitto’* do receptor e rolou para as proximidades do “home plate”; o corredor, ao chegar deslizando para tentar anotar ponto, tocou essa bola com um dos pés e desviou-a. O árbitro decidiu que a jogada foi normal e validou o ponto.
 
Houve comentário de que deveria ser declarada uma Interferência.
 
Num lance assim, a decisão –se deve ou não ser declarada uma Interferência– fica a critério do árbitro; se, na sua opinião,  o contato do corredor com a bola foi intencional, deve declarar uma Interferência; se, porém, achar que o contato foi inevitável (portanto, involuntário), deverá decidir que o lance foi normal.
 
[Regras: 7.08 (b), 7.09 (j)]

*‘Hitto’ vem de “hit” (hit), do termo “base hit” (béis hit). Significa rebatida indefensável –aquela por meio da qual o batedor alcança a 1ª base, ou qualquer base subsequente, com segurança ("safe"), sem que tenha ocorrido erro na ação defensiva.
 
*‘Wan baundo’ vem de “one bound” (wân baund), que quer dizer um pulo, um salto; é aquela bola rebatida ou lançada que dá um pulo após tocar o solo.  
 
*‘Mitto’ vem de “mitt” (mit), um tipo especial de luva que oferece maior proteção à mão de uma pessoa. No beisebol, há luva especial para receptor –‘kyatti mitto’ = “catcher’s mitt” (kaetshar’s mitt)– e também para defensor da primeira base – ‘fasto mitto’ = “first (baseman’s) mitt” [farst (béismaen's) mit].

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

"TRIPLE PLAY"

É uma jogada da defensiva na qual três jogadores da ofensiva são eliminados em consequência de uma ação contínua, desde que não haja erro entre as eliminações.
 
 
[Regras: 2.00 “TRIPLE PLAY” (JOGADA TRIPLA), 10.11]

CORREDOR COLIDE, ACIDENTALMENTE, COM UM DEFENSOR QUE ESTÁ TENTANDO APANHAR UMA BOLA REBATIDA

Corredor na 1ª base, nenhum “out”, rebatida “line drive”*; a bola bate na luva do arremessador e  desvia em direção à 2ª base. O defensor da 2ª base movimenta-se rapidamente para efetuar a defesa, mas não consegue –o corredor da 1ª base colide com ele, acidentalmente, e derruba-o. (Certamente o defensor da 2ª base poderia ter apanhado a bola e eliminado o batedor-corredor na 1ª base se o corredor não o tivesse estorvado.) Quem deve ser declarado “out”?
 
O corredor é “out”. O batedor-corredor tem o direito de ir à 1ª base. (O corredor é obrigado a desviar de um defensor que está tentando apanhar uma bola rebatida.)

[Regras: 7.08 (b) – vide Comentário, 7.09 (j)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans 
 
*"Line Drive" é uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do "bat" a um defensor, sem tocar o solo.          

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

JOGADA INTELIGENTE (“DOUBLE PLAY”* 3 – 6 – 5)

Corredor na 1ª e 2ª base, um “out”. A tentativa de “Sacrifice Bunt”* resultou em “fly” entre “home” e 1ª base. O defensor da 1ª base poderia ter efetuado a defesa, facilmente, porém não o fez –a bola foi ao solo, sem ter contato com ele, e rolou à sua frente; recuperando-a rapidamente, lançou ao interbases, que estava cobrindo a 2ª base (o corredor da 1ª base foi declarado “out” – jogada forçada). Em seguida, a bola foi lançada ao defensor da 3ª base, e este eliminou o corredor da 2ª base por toque.
 
 
 [Regra 6.05 (l) – REGRA APROVADA]
 
*“Double Play” é uma jogada da defensiva na qual dois jogadores da ofensiva são eliminados em consequência de uma ação contínua, desde que não haja erro entre as eliminações.
 
[Regras: 2.00 “DOUBLE PLAY” (JOGADA DUPLA), 10.11]
 
*“Sacrifice Bunt” é aquela jogada através da qual o batedor “empurra” (faz avançar) um ou mais corredores por meio de “bunt”, sacrificando sua própria chance de alcançar a 1ª base.  
 
(Regra 10.08)

terça-feira, 2 de setembro de 2014

MUDANÇA DE DECISÃO "BALL" PARA "STRIKE" NUM "SWING" * INTERROMPIDO - NÃO FOI ANOTADO PONTO

Don Mattingly do Yankees estava na 3ª base. Dois “outs”, contagem de bolas arremessadas a Dave Winfield: “two-two” (dois “balls” – dois “strikes”). O arremesso seguinte efetuado por Teddy Higuera do Brewers (um “curve ball”*) fez um efeito grande, tocou o solo e pulou.  Aparentemente Winfield parou repentinamente seu “swing”. A bola passou o receptor B. J. Surhoff e foi parar no “backstop”*. O árbitro de “home” decidiu que o arremesso foi “ball”.
 
Enquanto o receptor foi apanhar a bola, Mattingly pisou o “home plate”. Atendendo à solicitação de Surhoff, o árbitro de "home" consultou um companheiro  sobre o "swing" interrompido; e sua decisão "ball" foi mudada para "strike".  Surhoff, então, tocou Winfield (terceiro “out”).
 
Mattingly anotou ponto?
 
Não. Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (1): Não deve ser anotado um ponto se o corredor avança ao “home base” durante uma jogada em que a terceira eliminação é feita sobre o batedor-corredor antes que ele toque a 1ª base.
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker   

*“Swing” é o ato de girar (rodar) o "bat" para tentar rebater a bola arremessada.     

*“Curve ball” é um arremesso que faz curva quando se aproxima do "home plate".

*“Backstop” é a barreira situada a 60 pés (18,288m) atrás do "home plate".

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

BATEDOR-CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA PARA EVITAR UMA JOGADA DUPLA

Nenhum “out”, corredor na 2ª e 3ª base, “squeeze play” (jogada para tentar anotar ponto por meio de um “bunt”). Após levantar um pequeno “fly” na frente do receptor, o batedor-corredor atrapalhou-o, intencionalmente, no momento em que ele estava tentando apanhar a bola no ar.
 
Decisão: A bola torna-se morta. O batedor-corredor é “out” por Interferência, e o corredor que está mais perto do “home plate” (o da 3ª base) também é “out” em razão da falta cometida por seu companheiro de equipe.  O corredor da 2ª base não pode avançar.  

[Beisebol – Regra 7.09 (g)]
 
(Softbol – Regras: 8 – Seção 2g-2 – vide NOTA – Seção 2g (1-7), 9 – Seção 1f)