segunda-feira, 25 de agosto de 2014

ARBITRAGEM EM BEISEBOL E SOFTBOL

Os lances que surgem enquanto são jogados os “innings” devem ser julgados e decididos pelos árbitros. Não é uma tarefa muito fácil, mas também não é nenhum bicho de sete cabeças.

Para mediar uma partida de beisebol ou softbol, os árbitros devem, em primeiro lugar, conhecer as regras do jogo. Devem, também, dominar as diversas técnicas de arbitragem (posicionamento no campo, postura a ser adotada durante o jogo, movimentação dentro do campo, mecânica de cobertura de bases, gestos, impostação de voz etc.).
 
Beisebol e softbol são modalidades esportivas com quantidade muito grande de regras, algumas delas de difícil compreensão. Esse fato exige dos árbitros, além de boa memória, capacidade de interpretação. Mais do que memorizar as regras, é importante que os árbitros saibam interpretá-las corretamente.
 
E como se consegue isso? Estudando. E estudando muito!!!
 
As técnicas de arbitragem são também um tanto complexas. Os árbitros devem treinar sempre que possível, aproveitando todas as oportunidades que tiverem (participando de clínicas, atuando em jogos amistosos etc.); não se esquecendo também dos treinamentos em casa –em casa poderão fazer exercícios físicos;  procurar uma boa postura a ser adotada dentro do campo e treinar os diversos gestos, com a ajuda de um espelho; poderão exercitar a impostação de voz etc.
 
Além de estudar as regras e aprimorar as técnicas, os árbitros devem também se preparar emocionalmente. Precisam, antes de tudo, ter muita paciência. Paciência com as reclamações de jogadores, técnicos e “coaches”, que não serão poucas; reclamações essas, muitas vezes, descabidas e injustas. Paciência com as manifestações desagradáveis de torcedores, pais de jogadores, dirigentes de clubes etc., que não economizarão palavrões para criticá-los, xingá-los e ofendê-los. E sem razão na maioria das vezes. Ter paciência não significa que devam ser condescendentes. A autoridade que têm dentro do campo deve ser exercida plenamente; os atos de indisciplina e violência devem ser coibidos com veemência; os infratores devem ser  punidos com rigor. Por outro lado, devem tomar cuidado para não fazer uso abusivo de seus poderes.
 
Os árbitros não devem dar motivos para reclamações e críticas. Por isso, além de estarem bem preparados, devem envidar todos os esforços para não errar.
 
Em princípio, a função dos árbitros de beisebol e softbol resume-se, praticamente, em declarar “strike” ou “ball”, “fair” ou “foul” e “out” ou “safe”. O “pitcher” faz o arremesso: o árbitro de “home” deve decidir se esse arremesso é “strike” ou “ball”; o batedor rebate o arremesso: o árbitro responsável pelo lance deve decidir se a rebatida é “fair” ou “foul”; a rebatida é “fair” e há uma jogada sobre o batedor-corredor: o árbitro deve decidir se ele é “out” ou “safe”; a rebatida é um “fly” (“fair” ou “foul”): o árbitro que observou o lance deve decidir se o batedor é “out” ou não; o corredor tenta avançar uma ou mais bases e há uma jogada sobre ele: o árbitro deve decidir se esse corredor é “out” ou “safe”; etc. etc.

Sem comentários:

Enviar um comentário