quinta-feira, 12 de junho de 2014

VISITAS DO TÉCNICO OU “COACH” AO MONTÍCULO (4)

Num caso em que um técnico, após ter feito sua primeira visita ao montículo, tenta voltar pela segunda vez no mesmo “inning”, com o mesmo batedor no “batter’s box”, ele deve ser advertido pelo árbitro de que tal retorno não é permitido. Se o técnico ignorar tal advertência, deverá ser removido do jogo, e o arremessador terá de arremessar ao batedor até que este seja eliminado ou alcance uma base. Depois que o batedor é eliminado ou se torna um corredor, esse arremessador então tem de ser removido do jogo. O técnico deve ser notificado de que o arremessador será removido do jogo após arremessar para um batedor, para que possa ter um arremessador substituto aquecido. Neste caso, o arremessador substituto será autorizado a efetuar oito arremessos preparatórios, ou mais, se, na opinião do árbitro, as circunstâncias justificam essa quantidade maior de arremessos.
 
Se, por causa de erro do árbitro, o técnico é, inadvertidamente, autorizado a ir ao montículo uma segunda vez enquanto o mesmo batedor está no “batter’s box” (sem o técnico ser advertido de que ele não pode fazer isso), o arremessador que está ocupando a posição no momento precisa arremessar ao batedor que está no “batter’s box” até que ele seja eliminado ou alcance uma base. Depois que o batedor é eliminado ou se torna um corredor, esse arremessador então tem de ser removido do jogo. Entretanto, em razão de o árbitro não ter advertido o técnico de que ele não estava autorizado a fazer uma segunda visita ao montículo enquanto o mesmo batedor estava no “batter’s box”, esse técnico não deve ser expulso do jogo nesta situação.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

Sem comentários:

Enviar um comentário