segunda-feira, 30 de junho de 2014

BATEDOR EXECUTA “BUNT”, COM UM PÉ DENTRO DO “BATTER’S BOX”, E O OUTRO, NO AR

Um “out”, corredor na 3ª base. Prevendo um “squeeze play”, o arremessador jogou a bola para fora do canto externo do “home plate”. O batedor executou “bunt”, com um pé dentro do “batter’s box”, e o outro, no ar; o pé que estava no ar desceu sobre o “home plate” e ficou completamente fora do “batter’s box”.
 
Decisão: Neste caso, a rebatida não deve ser considerada ilegal, já que o pé que estava no ar saiu do “batter’s box” somente depois de concretizado o “bunt”. 

[Beisebol – Regra 6.06 (a)]
 
(Softbol – Regra 7 – Seção 6d)

“BALK” (14)

ARREMESSADOR NA POSIÇÃO “WINDUP” SAI DO “PITCHER’S PLATE” ILEGALMENTE

1) Bases cheias. O arremessador (canhoto) dá um passo para trás do “pitcher’s plate” com o pé direito (pé livre).
 

2) Corredor na 3ª base. O arremessador (destro) dá um passo para trás do “pitcher’s plate” com o pé esquerdo (pé livre).

[Regras: 8.01 (a), 8.05 (a)]
3) O arremessador assume a Posição “Windup” com o calcanhar do pé livre afastado do solo e sai do “pitcher’s plate” abaixando-o antes de soltar o pé de apoio da placa.
 
[Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues (Regulamentos Especiais de “Balk”)]

domingo, 29 de junho de 2014

ARREMESSADOR EFETUA O ARREMESSO SEM DAR UMA PARADA COMPLETA

Um "out", corredor na 2ª e 3ª base. O arremessador posicionado sobre o "pitcher's plate" segurando a bola com ambas as mãos à frente do seu corpo (Posição “Set”) arremessou sem ter ficado completamente parado. O batedor rebateu esse arremesso e mandou um “ground” forte na direção do interbases. Este não conseguiu efetuar uma defesa segura, e por isso não lançou à 1ª base. O batedor-corredor chegou à 1ª base e o corredor da 3ª base pisou o "home plate", porém, o corredor da 2ª base permaneceu na sua base. Que decisão deve ser tomada?
 
É "balk". Embora o batedor-corredor tenha alcançado a 1ª base, e o corredor da 3ª base , pisado o "home plate", o corredor da 2ª base permaneceu na sua base. O corredor da 3ª base anota ponto, o corredor da 2ª base vai à 3ª base, e o batedor continua batendo. O arremesso efetuado não é contado.

[Regras: 5.09 (c), 8.05 (m), 8.05 –PENALIDADE]

“BALK” (13)

ARREMESSADOR NA “SET POSITION” NÃO DÁ UMA PARADA COMPLETA

Corredor na 3ª base. O arremessador não deu uma parada completa antes de efetuar o arremesso.

[Regra 8.05 (m)]

sábado, 28 de junho de 2014

RECEPTOR SAI DE SUA POSIÇÃO PARA FAZER UMA JOGADA ANTES DE O ARREMESSADOR COMPLETAR O ARREMESSO

Corredor na 3ª base, batedor canhoto no “batter’s box”. O arremessador está na Posição “Windup”. Quando ele inicia os movimentos de arremesso, o corredor arranca para “home”. O receptor move-se rapidamente para trás do “box” destinado a batedor destro e, apanhando a bola arremessada, toca facilmente o corredor. O árbitro deve eliminá-lo?
 
Sim. O receptor pode sair de sua posição a qualquer momento para apanhar um arremesso ou fazer uma jogada, exceto quando estão sendo concedidos quatro “balls” intencionais (“intentional base on balls”) ao batedor, e nesse caso tem de permanecer com ambos os pés dentro das linhas do “catcher’s box” até que a bola  deixe a mão do arremessador.

[Regras: 4.03 (a), 8.05 (l)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

“BALK” (12)

ARREMESSADOR EFETUA O ARREMESSO AO RECEPTOR POSICIONADO FORA DO “CATCHER’S BOX”

Corredor na 3ª base. Enquanto estava concedendo quatro”balls” intencionais, o arremessador efetuou o arremesso ao receptor que estava fora do “catcher’s box”.  

 
[Regra 8.05 (l)]

sexta-feira, 27 de junho de 2014

BATEDOR INTERFERE NA AÇÃO DO RECEPTOR

O corredor da 1ª base está tentando um roubo de base. O batedor faz “swing” e,  colocando-se na frente do receptor, atrapalha-o no momento em que ele está efetuando o lançamento. (O corredor chega “safe” à 2ª base.) O árbitro de “home” aponta a falta cometida pelo batedor (Interferência da Ofensiva); declara-o eliminado e retorna o corredor à 1ª base.
 
1) Um “out”, contagem de arremessos: 0 – 0. O batedor sai do "batter's box".

 
 2) Um “out”, contagem de arremessos: 1 – 0. O batedor sai do "batter's box".

 
3) Um “out”, contagem de arremessos: 3 – 1. O batedor não sai do "batter's box", mas estorva o receptor.  
 

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE”, 6.06 (c)]

“BALK” (11)

ARREMESSADOR DERRUBA A BOLA

Há corredor(es) em base. O arremessador derruba a bola enquanto está posicionado sobre o “pitcher’s plate”.
 
[Regra 8.05 (k)]

quinta-feira, 26 de junho de 2014

58º PRÊMIO PAULISTA DE ESPORTES 2014 - SOFTBOL

Fernando Satori Matsumori, diretor da ASB - Árbitros de Softbol do Brasil, foi homenageado em cerimônia realizada na Câmara Municipal de São Paulo no dia 10/06/2014.
 
Parabéns!

 

DEFENSOR APANHA A BOLA NO AR 'MERGULHANDO' E ...

NÃO HOUVE “CATCH”

Rebatida “fly” ao espaço entre o jardim esquerdo e o jardim central. O jardineiro esquerdo apanhou a bola no ar ‘mergulhando’ e deslizou com a palma da luva virada para baixo. O batedor-corredor foi declarado “out”. A equipe na ofensiva reclamou. Os árbitros se reuniram e decidiram que não houve pegada legal porque a bola teve contato com o solo (ou seja, o defensor não teve controle absoluto dela).


 
[Regra 2.00 “CATCH” (PEGADA LEGAL)]
 
HOUVE “CATCH”
 
“Fly” curto ao espaço entre o jardim central e o jardim direito. O jardineiro central avançou rapidamente, apanhou a bola no ar ‘mergulhando’ e deslizou com a palma da luva virada para cima.  O batedor-corredor foi declarado “out”, já que o defensor teve controle absoluto da bola. 

[Regra 2.00 “CATCH” (PEGADA LEGAL)] 

“BALK” (10)

ARREMESSADOR RETIRA UMA MÃO DA BOLA APÓS ASSUMIR UMA POSIÇÃO LEGAL PARA ARREMESSAR

Corredor na 2ª base. O arremessador na “Set Position” retirou uma mão da bola (não arremessou nem lançou). 
 
[Regra 8.05 (j)] 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

NOTA DE FALECIMENTO

É com pesar que comunicamos o falecimento do Sr. Francisco Espildora, pai do nosso colega e árbitro Francisco Gentil.

Nossos sentimentos à família.

“FAIR BALL” OU “FOUL BALL”?

Rebatida “fly” para o jardim direito. Aparentemente a bola caiu sobre a linha de “foul”; o árbitro da 1ª base decidiu que foi “foul”. Será porque a bola, quando tocou o solo,  não levantou cal (como costumamos dizer)?


[Regra 2.00 “FOUL BALL” (REBATIDA NULA)]

“BALK” (9)

PROCEDIMENTO ILEGAL DO ARREMESSADOR

1) Corredor na 2ª base. O arremessador, sem estar de posse da bola, ficou com o “pitcher’s plate” entre suas pernas.
 
2) Com corredor(es) em base, o arremessador simulou um arremesso enquanto estava fora do "pitcher's plate".
 
 
[Regra 8.05 (i)]

terça-feira, 24 de junho de 2014

JOGADOR EXPULSO ENQUANTO UMA JOGADA ESTÁ EM ANDAMENTO

Um jogador do Kansas City, que ainda estava zangado por causa de duas decisões duvidosas dadas contra ele em jogadas apertadas, acertou um “home run” no oitavo “inning” e, ao passar pela 1ª base, ofendeu o árbitro. Este, imediatamente, expulsou-o.  O batedor-corredor deve ser retirado do campo nesse momento ou ele pode completar legalmente o quadrangular antes de deixar o jogo?
 
Ele deve ser autorizado a completar a jogada. Depois ele tem de deixar o campo de jogo.
 
Regra 9.01 (d): Cada árbitro tem autoridade para desqualificar qualquer jogador ... Se um árbitro desqualificar um jogador enquanto uma jogada está em andamento, a penalidade terá efeito somente quando essa jogada tiver sido concluída.
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           

“BALK” (8)

ARREMESSADOR RETARDA DESNECESSARIAMENTE O JOGO

Com corredor(es) em base, o arremessador continuou retardando o jogo, intencionalmente, apesar de ter sido advertido pelo árbitro.    

 
 
[Regra 8.05 (h)]

segunda-feira, 23 de junho de 2014

ARREMESSADOR COMPLETA O ARREMESSO APÓS O ÁRBITRO DECLARAR UM “BALK”

Corredor na 2ª e 3ª base, dois eliminados. O arremessador cometeu um “balk”, mas mesmo assim completou o arremesso. O batedor acertou uma rebatida de duas bases (“two-base hit”)  –a bola foi na direção do espaço entre o jardim direito (“rightfield”) e o jardim central (“centerfield”)– e empurrou os dois corredores para “home”. Ocorre que o batedor-corredor foi declarado eliminado em apelação por ter omitido a 1ª base. Os corredores que pisaram o “home base” anotaram ponto?
 
Nenhum ponto foi anotado nessa jogada, porque o batedor-corredor foi eliminado na 1ª base e completou a terceira eliminação. A falta cometida pelo arremessador não é levada em consideração.
 
[Regras: 4.09 (a) – EXCEÇÃO (1), 8.05 – PENALIDADE/REGRA APROVADA]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans              

“BALK” (7)

ARREMESSADOR FAZ MOVIMENTO RELACIONADO COM ARREMESSO, SEM ESTAR TOCANDO O “PITCHER’S PLATE”

Quando havia corredor na 1ª base, o arremessador, que não estava tocando o “pitcher’s plate”, fez movimento relacionado com arremesso.  

 
[Regra 8.05 (g)]

domingo, 22 de junho de 2014

BATEDOR FORA DE ORDEM

Os árbitros devem lembrar-se de que a única maneira de a defensiva conseguir uma eliminação quando um batedor bate fora de ordem é apelar imediatamente depois que um batedor incorreto completa a sua vez de bater, e antes do próximo arremesso (ou de uma jogada ou tentativa de jogada). A razão para isso é porque, toda vez que é efetuado um arremesso ao batedor seguinte depois que um batedor fora de turno completa a sua vez de bater, o batedor incorreto que acabara de bater torna-se legal imediatamente nesse momento, e a ordem de batedores, então, inicia com o jogador cujo nome vem em seguida ao do batedor ilegal (que acabara de bater e agora se tornara legal).
 
Se a defensiva apela no momento certo, o jogador que deve ser declarado eliminado é sempre o batedor correto.
 
Sempre que um batedor incorreto completa uma vez de bater e o arremessador faz um arremesso ao batedor seguinte, a situação do batedor ilegal (que acabara de bater) fica imediatamente regularizada nesse momento; e a ordem de batedores, então, inicia com o jogador escalado para bater depois do batedor incorreto (que se tornara, agora, o batedor correto).
 
Outra maneira de ver este último ponto é lembrar as seguintes afirmações: Tão logo é efetuado um arremesso a um batedor, o jogador que batera imediatamente antes dele é sempre legalizado, mesmo que ele seja um batedor incorreto. O próximo batedor correto será, então, aquele escalado para bater depois do jogador que acabara de completar a sua vez de bater.
 
Há um último e muito importante ponto que deve ser lembrado pelos árbitros com referência a batedor fora de ordem: Se a defensiva apela sobre a presença de um batedor fora de ordem, o árbitro precisa preocupar-se somente com os dois últimos batedores. A razão para isso é que nós sabemos que não importa quem tenha acabado de bater; o jogador que batera imediatamente antes dele era legal (correto). Portanto, o último batedor correto será sempre o jogador cujo nome vem em seguida ao do batedor que batera imediatamente antes desse último batedor.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

“BALK” (6)

ARREMESSADOR EFETUA O ARREMESSO SEM OLHAR O BATEDOR  

O arremessador efetuou o arremesso com o rosto voltado para o corredor, isto é, sem olhar o batedor.
 
 [Regra 8.05 (f)]

sábado, 21 de junho de 2014

ARREMESSADOR COMPLETA O ARREMESSO APÓS O ÁRBITRO DECLARAR UM “BALK”

Corredor na 1ª base, um eliminado, contagem de arremessos: 2 – 1 (dois “balls” – um “strike”). O arremesso seguinte –efetuado depois que o árbitro declarou um “balk”– foi mal executado (“wild pitch”); a bola passou para trás. O receptor recuperou-a perto do “backstop” e lançou rapidamente ao defensor da 3ª base. O corredor foi tocado pouco antes de alcançar a 3ª base. 
 
Decisão: O corredor é “out” –ele avançou além da base que lhe seria concedida (2ª base), a seu próprio risco. A contagem de bolas arremessadas continua 2 – 1, já que o arremesso é anulado.

(Regra 8.05 – REGRA APROVADA)

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans              

“BALK” (5)

ARREMESSADOR FAZ UM ARREMESSO ILEGAL
 
O arremessador efetuou o arremesso quando o batedor não estava ainda devidamente preparado; ele fez um arremesso apressado (“quick pitch”), portanto, um arremesso ilegal.  Com corredor(es) em base, a penalidade é um “balk”; sem corredor(es) em base, é um “ball”.


[Regra 8.05 (e)]

sexta-feira, 20 de junho de 2014

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DE ÁRBITROS (4)

ADMINISTRAÇÃO DE SITUAÇÕES NÃO COMUNS

  • Conhecimento/aplicação de regras e interpretações
  • Conduta/equilíbrio durante situações
  • Habilidade total em administrar situações (comunicação verbal, tomando atitudes, tato, profissionalismo)
  • Administração de pressões
  • Demonstração total de poder e profissionalismo durante situações difíceis no campo e fora dele
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues  

“BALK” (4)

ARREMESSADOR LANÇA A UMA BASE DESOCUPADA

Quando havia corredor somente na 3ª base, o arremessador lançou à 1ª base.
 
 
[Regra 8.05 (d)]

quinta-feira, 19 de junho de 2014

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DE ÁRBITROS (3)

FIRMEZA DE ATITUDE

  • Atenção voltada ao jogo
  • Intensidade do jogo/precaução
  • Entusiasmo
  • Transmissão de confiança
  • Movimento ou posição do corpo
  • Fraternização
  • Ânsia de aprender e progredir
  • Disposição para aceitar críticas construtivas
  • Relacionamento com o grupo e com outros
  • Profissionalismo no/e fora do campo
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

“BALK” (3)

ARREMESSADOR NÃO DÁ UM PASSO DIRETAMENTE EM DIREÇÃO A UMA BASE ANTES DE LANÇAR A ESSA BASE
 
1) Corredor na 1ª e 3ª base. O arremessador tentou uma jogada sobre o corredor da 1ª base  fazendo um movimento ilegal (deu um passo para a frente e depois em direção à base). 

 
2) O arremessador mudou a direção do pé livre –sem levantá-lo do solo– e lançou à 1ª base para tentar “pegar” o corredor fora da base; ou seja, ele tentou um “pickoff play”, sem dar um passo diretamente na direção da base.
 
 
[Regra 8.05(c)]

quarta-feira, 18 de junho de 2014

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DE ÁRBITROS (2)

BASES

  • Julgamento de jogadas
  • Posicionamento para jogadas
  • Mecânicas/estilo/forma
  • Uso de voz
  • Ritmo para jogadas
  • Atividade/mobilidade/coordenação
  • Reações a desenvolvimento de jogadas
  • Comunicação com companheiro(s)
  • Comportamento geral nas bases
  • Aparência
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

“BALK” (2)

ARREMESSADOR SIMULA UM LANÇAMENTO À 1ª BASE

Corredor na 1ª base. O arremessador ameaçou lançar ao defensor da 1ª base, sem tirar o pé de apoio para trás do “pitcher’s plate”.
 
 [Regra 8.05 (b)]

terça-feira, 17 de junho de 2014

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DE ÁRBITROS (1)

"HOME"

  • Julgamento da zona de “strike”
  • Estabilidade da zona de “strike”
  • Mecânicas/estilo/forma
  • Uso de voz
  • Posicionamento dos pés, corpo e cabeça
  • Ritmo atrás do “home plate”
  • Atividade/mobilidade/coordenação
  • Reações a desenvolvimento de jogadas
  • Comunicação com companheiro(s)
  • Comportamento geral atrás do “home plate”
  • Aparência
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

“BALK” (1)

ARREMESSADOR NÃO COMPLETA O ARREMESSO

1) Corredor na 1ª e 3ª base. Ao iniciar o arremesso, o arremessador perdeu o equilíbrio e  foi ao solo; em razão disso, não soltou a bola.

2) Corredor na 1ª e 2ª base. O arremessador fez todos os movimentos de arremesso, mas não soltou a bola.
[Regra 8.05 (a)]

segunda-feira, 16 de junho de 2014

CORREDOR ABANDONA SEU ESFORÇO PARA CORRER AS BASES

Segunda metade do nono “inning”, placar empatado em 4 – 4, corredor na 1ª base, dois eliminados. O batedor acerta um “home run” –a bola passa sobre o muro do jardim central. O corredor da 1ª base toca a 2ª base e, em vez de continuar avançando, vai em direção ao “dugout” de sua equipe, imaginando que com essa rebatida a vitória estaria automaticamente garantida. O batedor-corredor pisa, legalmente, todas as bases. A equipe na defensiva não apela. O árbitro deve encerrar a partida?
 
Não. Esta não é uma Jogada de Apelação. O corredor da 1ª base é “out” por ter abandonado seu esforço para correr as bases; e como é a terceira eliminação, o batedor-corredor (corredor subsequente) não anota ponto.

[Regra: 7.08 (a) (2), Comentário – Regra 7.08 (a), regra 7.12]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           
 
No softbol seria aplicada a Regra 5 – Seção 7b-5.

domingo, 15 de junho de 2014

BATEDOR EXECUTA “BUNT” COLOCANDO UM PÉ NO SOLO COMPLETAMNTE FORA DO “BATTER’S BOX”

Um “out”, corredor na 3ª base. O “coach” da 3ª base soltou a senha de “squeeze play”*. Percebendo isso, o arremessador jogou um ‘auto koona’*. Quando o corredor já estava bem perto do “home plate”, o batedor deu um passo e, colocando um pé no solo completamente fora do “batter’s box”, executou “bunt”; a bola foi em direção à 3ª base.  Como decidir este lance?
 
O batedor é “out” por ação ilegal. A bola torna-se morta e o corredor da 3ª base deve retornar à sua base.

[Beisebol – Regras: 5.09 (d), 6.06 (a)]
 
(Softbol – Regras: 7 – Seção 6d, 7- EFEITO – Seção 6a-j, 9 – Seção 1a)

*“Squeeze Play” = Jogada em que uma equipe, com corredor na 3ª base, tenta anotar ponto por meio de um “bunt”.
 
*‘Auto Koona’ vem de “out corner” (aut k’órna), que significa canto externo. Arremesso ‘auto koona’ é aquele direcionado ao lado externo da zona de “strike” do batedor.
 
No softbol, o batedor é eliminado quando rebate o arremesso enquanto está com um ou ambos os pés em contato com o solo completamente fora das linhas do “batter’s box”, ou  com qualquer parte de um pé tocando o “home plate”, independentemente de a bola rebatida ser “fair” ou “foul”. Já no beisebol, o batedor que rebate o arremesso com qualquer parte de um pé tocando o “home plate” deve ser eliminado somente quando esse pé está completamente fora das linhas do “batter’s box”.

CORREDOR É ATINGIDO POR UMA BOLA REBATIDA “FAIR”

Corredor na 2ª base, nenhum “out”, “ball count”: 2 – 2. Rebatida “ground” na direção do interbases. Quando este se preparou para efetuar a defesa, a bola atingiu a perna direita do corredor, que passava na sua frente a caminho da 3ª base; o árbitro da 2ª base apontou a Interferência e eliminou-o. O batedor-corredor foi autorizado a ocupar a 1ª base.
 


[Regras: 6.08 (d), 7.08 (f), 7.09 (k)] 

sábado, 14 de junho de 2014

ARREMESSADOR MUDA DE POSIÇÕES

Um arremessador pode mudar para outra posição somente uma vez durante o mesmo “inning”; isto é, o arremessador não será autorizado a assumir uma posição que não seja a de arremessador mais de uma vez no mesmo “inning”.
 
Se um arremessador muda de posição e depois retorna ao montículo durante o mesmo “inning”, ele será autorizado a efetuar oito arremessos de aquecimento de praxe.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

“BAT” TEM CONTATO COM A BOLA REBATIDA

O batedor executou “bunt”; seu “bat” teve contato com a bola rebatida enquanto ele estava dentro do “batter’s box”.  O árbitro de “home” eliminou-o aplicando a Regra 6.05 (h). Houve reclamação da equipe na ofensiva, mas a decisão foi mantida.  (O árbitro deve ter julgado que o batedor teve intenção de interferir no curso da bola.)

 
Regra 6.05 (h): Um batedor é eliminado quando, após acertar uma rebatida “fair” (inclusive por meio de “bunt”), seu “bat” tem contato com a bola rebatida, em território “fair”. ... Se o batedor estiver posicionado legalmente no “batter’s box” (vide Regra 6.03) –e, na opinião do árbitro, ele não teve nenhuma intenção de interferir no curso da bola–, uma bola rebatida que atinge o seu corpo ou o seu “bat” será declarado “foul ball”.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

VISITAS DO TÉCNICO OU “COACH” AO MONTÍCULO (5)

O técnico pode solicitar permissão do árbitro para ir ao montículo em caso de o arremessador se ferir ou adoecer, e havendo a permissão, essa entrada no campo não será contada como uma visita ao montículo.  O árbitro-chefe deve acompanhar o técnico ou “coach” em tais situações e permanecer nas imediações do montículo, para assegurar-se de que este regulamento não está sendo desrespeitado. Encerrada a conversa com o arremessador, o técnico da equipe adversária deve ser informado de que essa ida ao montículo não é uma visita.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

BOLA LANÇADA FICOU FORA DE JOGO – NENHUM PONTO FOI ANOTADO

Jogo Boston Red Sox vs. Tampa Bay Rays. Segunda metade do 8º “inning”, Rays no ataque. Corredor na 1ª base, nenhum eliminado. O batedor executou “bunt”. O arremessador efetuou a defesa e fez um mau lançamento à 1ª base; a bola foi rolando para o jardim direito e ‘sumiu’ por entre materiais deixados em território “foul”, atrás do “bullpen”*. O jardineiro direito levantou os braços e sinalizou a ocorrência. Enquanto isso, o corredor e o batedor-corredor cruzaram o “home plate”. (Nessa jogada, a bola tornou-se morta; nenhum ponto foi anotado; os árbitros concederam duas bases a ambos a partir de onde eles estavam no momento do arremesso –o corredor foi autorizado a ocupar a 3ª base, e o batedor-corredor, a 2ª base.)  


[Regra 7.05 (g)]
 
*“Bullpen” é a área onde os arremessadores fazem aquecimento antes de entrarem num jogo. Em alguns estádios o “bullpen” está localizado em território “foul” ao longo das linhas de “foul” do campo de jogo ou atrás da cerca do “outfield” (campo externo).

quinta-feira, 12 de junho de 2014

VISITAS DO TÉCNICO OU “COACH” AO MONTÍCULO (4)

Num caso em que um técnico, após ter feito sua primeira visita ao montículo, tenta voltar pela segunda vez no mesmo “inning”, com o mesmo batedor no “batter’s box”, ele deve ser advertido pelo árbitro de que tal retorno não é permitido. Se o técnico ignorar tal advertência, deverá ser removido do jogo, e o arremessador terá de arremessar ao batedor até que este seja eliminado ou alcance uma base. Depois que o batedor é eliminado ou se torna um corredor, esse arremessador então tem de ser removido do jogo. O técnico deve ser notificado de que o arremessador será removido do jogo após arremessar para um batedor, para que possa ter um arremessador substituto aquecido. Neste caso, o arremessador substituto será autorizado a efetuar oito arremessos preparatórios, ou mais, se, na opinião do árbitro, as circunstâncias justificam essa quantidade maior de arremessos.
 
Se, por causa de erro do árbitro, o técnico é, inadvertidamente, autorizado a ir ao montículo uma segunda vez enquanto o mesmo batedor está no “batter’s box” (sem o técnico ser advertido de que ele não pode fazer isso), o arremessador que está ocupando a posição no momento precisa arremessar ao batedor que está no “batter’s box” até que ele seja eliminado ou alcance uma base. Depois que o batedor é eliminado ou se torna um corredor, esse arremessador então tem de ser removido do jogo. Entretanto, em razão de o árbitro não ter advertido o técnico de que ele não estava autorizado a fazer uma segunda visita ao montículo enquanto o mesmo batedor estava no “batter’s box”, esse técnico não deve ser expulso do jogo nesta situação.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

DEFENSOR DERRUBA A BOLA PROPOSITALMENTE

Corredor na 1ª base, um “out”, contagem de arremessos: 1- 2 (um “ball” – dois “strikes”). Rebatida “line drive” para o campo interno. O interbases apanhou a bola no ar e deixou-a cair, propositalmente, à sua frente; em seguida, recuperou-a rapidamente, pisou a 2ª base e lançou à 1ª base. (O defensor da 1ª base recebeu a bola antes de o batedor-corredor chegar à base.) O árbitro da 2ª base aplicou a Regra 6.05 (l) –o batedor-corredor foi declarado “out” e o corredor retornou à 1ª base.
 
 

quarta-feira, 11 de junho de 2014

“INFIELD FLY” SE FOR “FAIR”

Um “out”, bases cheias, “fly” para as proximidades da 1ª base. O árbitro de “home” declarou “INFIELD FLY” SE FOR “FAIR”. A bola, desviada pelo vento, caiu em território “foul”, sem ter contato com um defensor, e em seguida rolou para o território “fair” antes da 1ª base e parou. O corredor da 3ª base, que acompanhava o lance, correu para tentar anotar ponto, mas pouco antes do “home base” foi tocado pelo receptor, que tinha acabado de receber a bola que lhe foi lançada pelo defensor da 1ª base.
 
Decisão: Como a rebatida foi “fair”, o batedor é eliminado pela regra de “Infield Fly” (segundo “out”). O corredor da 3ª base também é eliminado (terceiro "out", "change").   

[Beisebol – Regras: 2.00 “INFIELD FLY”, 6.05 (e), 7.08 (c)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 56 “INFIELD FLY” – vide NOTA, 8 – Seção 2e, 8 – EFEITO – Seção 2a-e, 8 – Seção 9b, 9 – Seção 2b)

VISITAS DO TÉCNICO OU “COACH” AO MONTÍCULO (3)

Se um arremessador é removido e o técnico ou “coach” permanece no local para conversar com o novo arremessador, tal ato não é interpretado como uma visita ao novo arremessador. 
 
Se o “coach” vai ao montículo e remove o arremessador, e depois o técnico também se dirige ao montículo para conversar com o novo arremessador, deve-se considerar que houve uma visita a esse novo arremessador nesse “inning”.
 
Se um técnico muda o arremessador e deixa o montículo, ele (ou um “coach”) pode entrar no campo outra vez para visitar o arremessador enquanto o mesmo batedor está no “batter’s box”, mas isso constituirá uma visita a esse novo arremessador nesse “inning”.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

terça-feira, 10 de junho de 2014

VISITAS DO TÉCNICO OU “COACH” AO MONTÍCULO (2)

O receptor ou qualquer outro jogador vai ao “dugout” e, imediatamente depois, se dirige ao montículo. Esse ato será considerado uma visita do técnico ao montículo.
 
Se o técnico ou “coach” se dirige ao receptor (ou a um defensor do campo interno), e esse jogador depois vai ao montículo (ou o arremessador vai até a posição onde se encontra esse jogador) antes que haja uma jogada intermediária (um arremesso ou outra jogada), a interpretação que se deve dar é que o técnico ou “coach” foi conversar com o arremessador.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

LANCES OCORRIDOS EM JOGOS DO IX CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERCLUBE (CATEGORIA 55 ANOS), REALIZADO NO ESTÁDI MIE NISHI

07/06/2014

Corredor na 1ª base. O arremessador lançou ao defensor da 1ª base que estava posicionado atrás da base (não estava, portanto, tentando eliminar o corredor); o árbitro da 1ª base deveria ter declarado um “balk”, mas não o fez. Nessa jogada, o arremessador não teria cometido infração se tivesse feito o lançamento diretamente à 1ª base.

[Regra 8.05 (b), Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues (Regulmentos Especiais de “Balk”)]
 
08/06/2014
 
Jogada (1): A equipe “A” estava liderando o placar (6 – 5). Na segunda metade do 7º “inning”, a equipe “B”, com dois eliminados e contagem de arremessos em 3 – 2 (três “balls” – dois “strikes”), tinha um corredor na 3ª base. O arremesso seguinte atingiu a cabeça do batedor; o árbitro de “home” declarou um “strike” e eliminou-o. Houve reclamação da equipe na ofensiva, porém a decisão foi mantida (na opinião do árbitro, a bola teria passado na zona de “strike” se o batedor não tivesse simulado um ‘detto booru’*). Com esse “strikeout”, o jogo foi encerrado.
 
[Regra 6.08 (b) (1)]
 
*‘Detto Booru’ = “Hit by Pitch” = Lance em que o batedor atingido por um arremesso adquire o direito de ir à 1ª  base, sem o risco de ser eliminado.
 
Jogada (2): Rebatida “ground” ao espaço entre a 1ª e a 2ª bases. O defensor da 1ª base efetuou a defesa e lançou ao arremessador –que estava cobrindo a 1ª base–, mas este não fez uma pegada legal (a bola escapou da luva e ficou presa entre suas pernas); e antes de ele segurá-la com a mão ou luva, o batedor-corredor pisou a base. O árbitro declarou-o “safe”.  Houve reclamação, mas a decisão foi mantida.
 
[Regra 2.00 “CATCH” (PEGADA LEGAL)]
 
Jogada (3): Lance no “home plate”. O corredor da 3ª base chocou-se com o receptor –que havia recebido a bola lançada– antes de pisar a base. O árbitro declarou-o “out” (“tag-out”). O técnico da equipe na ofensiva reclamou, alegando que o receptor não tocara o corredor com a bola. A decisão foi mantida (o árbitro julgou que houve toque).
 
[Regra 7.08 (c)]

segunda-feira, 9 de junho de 2014

'KENSEI'* NA 1ª BASE - ARREMESSADOR COMETE "BALK"

Temos visto vários arremessadores que, para fazer ‘kensei’ na 1ª base, estão apenas direcionando o pé livre –sem levantá-lo do solo– àquela base. Ou seja, não estão dando um passo em direção à base. Esse movimento é ilegal; caracteriza um “balk”.  


Enquanto está em contato com o “pitcher’s plate”, o arremessador deve dar um passo diretamente em direção a uma base antes de lançar a essa base; se ele muda a direção do pé livre, ou gira sobre esse pé sem realmente dar um passo, ou vira o corpo e lança antes de dar o passo, o árbitro deve declarar um “balk”.
 
[Comentário – Regra 8.05 (c)]

Para dar o passo em direção a uma base, o arremessador tem de levantar o pé livre inteiro do solo e abaixá-lo num local diferente de onde foi iniciado o movimento, e tal pé deve estar direcionado à base. O pé livre inteiro tem de ser movimentado numa direção, de forma que ele fique voltado para a base. Isto constituirá um passo. Ele não pode levantar o pé livre e trazê-lo de volta ao mesmo ponto de onde foi iniciado o movimento. Ao dar o passo, o calcanhar do pé livre não pode voltar ao mesmo ponto de onde o pé foi levantado.

Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues
 
*‘Kensei’ = "Pickoff Play” = Jogada em que o arremessador tenta segurar o corredor na base, ou eliminar o corredor que está fora da base.

domingo, 8 de junho de 2014

ARREMESSADOR APLICA SUBSTÂNCIA ESTRANHA NO CORPO

Vídeo 1

O arremessador aplicou substância estranha (alcatrão de pinho) na mão com a qual faz os arremessos. Como a equipe contrária não reclamou, ele não foi punido.


Vídeo 2

Desta vez foi diferente (a equipe contrária reclamou). O arremessador foi expulso do jogo, imediatamente, após ser descoberto com substância estranha no pescoço.

 
Regra 8.02 (b): O arremessador não deve ter no seu corpo, ou em seu poder, qualquer substância estranha. Por infração deste item (b), o arremessador deve ser expulso do jogo imediatamente; além disso, deve ser suspenso automaticamente. Nas Ligas da Associação Nacional, a suspensão automática deve ser por 10 jogos.