sábado, 31 de maio de 2014

ARREMESSADOR SAI DO “PITCHER’S PLATE” TIRANDO O PÉ LIVRE PARA TRÁS DA PLACA

Se o arremessador sai do “pitcher’s plate” tirando o pé livre para trás da placa quando está arremessando da Posição “Windup”, ele deve ser punido com um “balk”.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

OBSTRUÇÃO/INTERFERÊNCIA

Obstrução é o ato de um defensor que, sem ter a posse da bola, e sem estar em ação para apanhar a bola, impede o avanço de um corredor [Regras: 2.00 / 7.06 (a) (b)]. Quando ocorre uma Obstrução, o corredor deve ser autorizado a avançar pelo menos uma base além daquela que havia tocado legalmente antes de o defensor cometer a falta. Se a defensiva estiver fazendo uma jogada sobre o corredor obstruído, ou se o corredor for obstruído antes de tocar a 1ª base, a bola estará morta e todos os corredores deverão avançar, sem o risco de serem eliminados, às bases que, na opinião do árbitro, teriam alcançado se não tivesse ocorrido a Obstrução [Regra 7.06 (a)]. Se a defensiva não estiver fazendo uma jogada sobre o corredor obstruído, o jogo deverá prosseguir até que todas as ações estejam concluídas; o árbitro deverá, então, declarar “TIME” e impor as penalidades –se houver– que, na sua opinião, anularão o efeito da Obstrução [Regra 7.06 (b)]. Não é necessário que haja contato físico. Se o árbitro julgar que um defensor retardou o avanço do corredor, de alguma maneira –por exemplo, fazendo-o desviar do caminho da base–, deverá penalizá-lo aplicando a Regra 7.06 (a) ou (b).
 
Muitos confundem Obstrução com Interferência da Ofensiva; Obstrução é uma falta cometida por um defensor contra um jogador da ofensiva, enquanto Interferência da Ofensiva é uma infração cometida por um jogador da ofensiva contra um jogador da defensiva.
 
OBSTRUÇÃO
 
 
 
INTERFERÊNCIA DA OFENSIVA

 
 

sexta-feira, 30 de maio de 2014

REGRAS DE ANOTAÇÃO - "EARNED RUN AVERAGE" ("ERA")

No beisebol, “earned run average” (“ERA”) é a média de pontos limpos (“earned runs”) permitidos por um arremessador nos “innings” em que arremessou; é determinada multiplicando o total de pontos limpos imputados a esse arremessador por 9 e dividindo o resultado pela quantidade total de “innings” arremessados por ele, incluindo frações de um “inning”.
 
Os pontos resultantes de erros da defensiva (incluindo os cometidos pelo arremessador) não são usados para determinar a média, já que não são considerados pontos limpos.
 
[Regra 10.21 (e)]

BOLA REBATIDA “FAIR” ATINGE CORREDOR

Corredor na 1ª e 3ª base, rebatida “ground” na direção da 2ª base. O defensor da 2ª base, que estava mais à frente de sua posição normal, tentou efetuar a defesa, porém a bola passou entre suas pernas e atingiu o corredor da 1ª base que passava logo atrás.
 
Se o árbitro julgar que nenhum outro defensor do campo interno (“infielder”) teria conseguido apanhar a bola, o jogo deverá prosseguir normalmente. 
 
[Regras: 5.09 (f), 7.09 (k)]

quinta-feira, 29 de maio de 2014

ARREMESSADOR EXPULSO

Se um arremessador é expulso durante um “inning” em que ele está arremessando, ao arremessador substituto deve ser concedido tempo suficiente para aquecimento, da mesma forma que quando um arremessador machucado é removido do jogo.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

“INFIELD FLY” – DEFENSOR DERRUBA A BOLA

Nenhum “out”, corredor na 1ª e 2ª base, rebatida “fly” para o campo interno (“infield”). O árbitro de “home” declarou “INFIELD FLY”. Como o defensor derrubou a bola, o corredor da 2ª base arrancou em direção à 3ª base; o lançamento àquela base para tentar eliminá-lo foi mal executado –a bola foi parar na cerca. Aproveitando-se disso, o corredor da 2ª base pisou o “home plate”; o da 1ª base chegou à 3ª base; e o batedor-corredor alcançou a 2ª base.  Como decidir este lance?
 
O batedor é “out” de acordo com a regra de “Infield Fly”. Quando é declarado um “Infield Fly”, a bola continua em jogo; os corredores podem avançar, correndo o risco de serem eliminados.

[Beisebol – Regras: 2.00 “INFIELD FLY”, 6.05 (e)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 56 “INFIELD FLY” – vide NOTA, 8 – Seção 2e, 8 – EFEITO – Seção 2a-e, 9 – Seção 2b)

quarta-feira, 28 de maio de 2014

EQUIPAMENTO DESTACADO DE SEU LUGAR TOCA UMA BOLA ARREMESSADA OU REBATIDA

Qualquer jogador da defensiva que, deliberadamente, toca uma bola arremessada, com equipamento destacado de seu lugar (tais como uma máscara do receptor, boné etc.), dará a todos os corredores o direito de avançar uma base, sem o risco de serem eliminados, a partir de onde estavam no momento em que a bola foi tocada. A bola permanece em jogo, e os corredores podem avançar além das bases concedidas, a seu próprio risco.
 
Qualquer jogador da defensiva que, deliberadamente, toca uma bola rebatida “fair” (ou uma bola rebatida “foul” que, na opinião do árbitro, poderia se tornar uma bola “fair”), com equipamento destacado de seu lugar, dará a todos os corredores –incluindo o batedor-corredor– o direito de avançar três bases, sem o risco de serem eliminados, a partir de onde estavam no momento em que a bola foi tocada. A bola permanece em jogo, e os corredores podem avançar além das bases concedidas, a seu próprio risco.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

CORREDOR DA 1ª BASE COLIDE INTENCIONALMENTE COM O DEFENSOR DA 2ª BASE QUE ESTÁ SOBRE A BASE ESPERANDO O LANÇAMENTO

Corredor na 1ª e 3ª base, um “out”. No momento em que o corredor da 1ª base está tentando roubar a 2ª base, o batedor acerta um “ground ball” na direção do interbases. O corredor da 1ª base, antevendo uma jogada dupla (“double play”), colide intencionalmente com o defensor da 2ª base que está sobre a base esperando o lançamento. Que penalidade deve ser aplicada à equipe na ofensiva?
 
Interpretação do beisebol profissional: Quando o corredor desliza para a base e impede (quebra) uma jogada dupla, o lance é legal; entretanto, quando ele atrapalha intencionalmente a jogada, tanto o corredor como o batedor-corredor devem ser eliminados.
 
[Regra 6.05 (m)]
 
Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

terça-feira, 27 de maio de 2014

ÁRBITROS – NO “HOME PLATE” ANTES DE UM JOGO

Todos os árbitros designados para trabalhar numa partida devem caminhar juntos como um grupo ao “home plate” cinco minutos antes do início de um jogo. Em alguns estádios onde o hino nacional é executado depois que os jogadores se posicionam no campo, cinco minutos podem não ser suficientes. O chefe do grupo deve fixar o tempo de chegada ao “home plate” cedo o suficiente para permitir que as discussões dos regulamentos de campo sejam completadas e a ordem “Play” seja dada dentro de poucos segundos antes do horário oficial estabelecido para o início do jogo. Inicie os jogos na hora marcada!

Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

NÃO HOUVE PEGADA LEGAL

Um “out”, corredor na 2ª base, “line drive”* para o lado esquerdo do defensor da 3ª base. Este tentou efetuar a defesa, mas não conseguiu (a bola tocou a luva e desviou). A bola desviada atingiu o corredor e, antes de tocar o solo, foi apanhada pelo interbases. O lançamento feito em seguida à 1ª base chegou às mãos do ‘fasto’* depois que o batedor-corredor já havia pisado a “almofada”. A equipe na defensiva manifestou-se, alegando que ambos (batedor-corredor e corredor) deveriam ser eliminados, uma vez que a bola rebatida foi agarrada antes de tocar o chão. 
 
Decisão: O jogo deve prosseguir normalmente, já que a bola permanece viva. Como o corredor da 2ª base foi atingido pela bola “fair” desviada pelo defensor da 3ª base, ele não é “out”. O batedor-corredor também não é “out”, apesar de a bola rebatida ter sido apanhada pelo interbases antes de cair ao chão; isso porque, nesse caso, não houve pegada legal (uma bola rebatida que, enquanto em voo, tem contato com qualquer coisa, exceto um jogador da defensiva, é tratada da mesma forma como se ela tivesse tocado o solo).

[Beisebol – Regras: 2.00 “CATCH” (PEGADA LEGAL), 5.09 (f), Comentário – Regra 5.09 (f)]
 
[Softbol – Regras: 1 – Seção 15 “CATCH” (PEGADA LEGAL), 8 – Seção 10f, 9 – Seção 2d-2]

*“Line Drive” é uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do “bat” a um defensor, sem tocar o solo. “Line Drive” = “Liner”.
 
*‘Fasto’ vem de “first” (farst), que quer dizer primeiro(a). Usamos esse termo para designar tanto o defensor da 1ª base –“first baseman” (farst béismaen)—como o local onde está colocada a “almofada” da 1ª base –“first base” (farst béis).

segunda-feira, 26 de maio de 2014

BEISEBOL DA MLB NA TV

MITUO KIRIHARA, dedicado beisebolista, técnico de “Teeball” e Coordenador Técnico de Beisebol do Coopercotia Atlético Clube, está atuando como COMENTARISTA de jogos de beisebol da Major League Baseball (MLB) transmitidos pelo canal FOX SPORTS II.

BOLA “FAIR” DESVIADA POR UM DEFENSOR ATINGE CORREDOR

Um “out”, corredor na 1ª e 2ª base, rebatida “ground” para o campo interno. A bola desviou após bater na luva do interbases e atingiu o corredor da 2ª base. O defensor da 3ª base, que se encontrava perto do interbases, apanhou a bola e lançou à 2ª base para tentar eliminar o corredor da 1ª base.
 
Decisão: O jogo deve prosseguir normalmente porque a bola permanece em jogo. 

[Beisebol – Regras: 5.09 (f), 7.09 (k), vide Regra 7.08 (f) - NOTA 1]
 
(Softbol – Regra 9 – Seção 2d-2)

“CATCH” (PEGADA LEGAL)

“Foul Fly” para as proximidades da cerca do lado da 3ª base. O receptor estendeu o braço e tentou efetuar a defesa, mas a bola bateu na sua luva e desviou;  o defensor da 3ª base, que também tinha chegado perto da cerca, fez um “barehanded catch” (agarrou a bola com a mão antes de ela tocar o solo).
 
 
Uma pegada é legal se uma bola que desvia após ter contato com um defensor é agarrada por outro defensor antes que ela toque o solo.

[Comentário – Regra 2.00 (“CATCH”)]

domingo, 25 de maio de 2014

REGRA 8.05 (b) – NOVA REDAÇÃO A PARTIR DE 2013

Se há corredor(es) em base, deve ser declarado um “balk” quando o arremessador, enquanto está em contato com o “pitcher’s plate”, simula um lançamento à 1ª ou 3ª base (não completa o lançamento).

“FAIR BALL" OU “FOUL BALL”?

Jogo Detroit Tigers vs. Boston Red Sox. Segunda metade do 7º “inning”, Red Sox no ataque. Nenhum “out”, “ball count”: 0 – 2. Rebatida “ground” fraca.  O arremessador efetuou a defesa e lançou à 1ª base; o batedor-corredor foi declarado “out”.  Depois disso os árbitros se reuniram e decidiram que a rebatida foi “foul” (devem ter considerado que o "bat" teve contato com a bola rebatida enquanto o batedor estava dentro do "batter's box").  O técnico do Tigers reclamou, porém a decisão “foul ball” foi mantida. O batedor voltou a bater e foi eliminado com um “fly” ao jardim direito (“rightfield”).

 
Regra 6.05 (h): O batedor é eliminado quando, após acertar uma rebatida "fair" (inclusive por meio de "bunt"), seu "bat" tem contato com a bola rebatida, em território "fair". ... Se o batedor estiver posicionado legalmente no "batter's box" (vide Regra 6.03) --e, na opinião do árbitro, ele não teve nenhuma intenção de interferir no curso da bola-- , uma bola rebatida que atinge o seu corpo ou o seu "bat" será declarada "foul ball".  

sábado, 24 de maio de 2014

ARREMESSADOR TOCA SEUS LÁBIOS ENQUANTO ESTÁ DENTRO DO CÍRCULO DE 18 PÉS


Se não esfregar e enxugar completamente os dedos antes de tocar a bola ou o “pitcher’s plate”, estará infringindo a Regra 8.02 (a) (1).
 
O árbitro deve declarar um “ball” imediatamente. Entretanto, se o arremessador efetuar o arremesso e o batedor chegar à 1ª base através de um ‘hitto’*, um erro, um ‘detto booru’*, ou de outra maneira, e nenhum outro corredor for eliminado antes de avançar pelo menos uma base, a jogada deverá prosseguir sem levar em consideração a falta cometida. Se o arremessador repetir a infração, estará sujeito a uma multa que será imposta pelo Presidente da Liga.
 
*‘Hitto’ = “Base Hit” = Rebatida indefensável: aquela por meio da qual o batedor alcança a 1ª base, ou qualquer base subsequente, com segurança ("safe"), sem que tenha ocorrido erro na ação defensiva.
 
*‘Detto Booru’ = “Hit By Pitch”: é  aquele lance em que o batedor atingido por um arremesso adquire o direito de ir à 1ª base, sem o risco de ser eliminado.

INSTRUÇÕES PARA ÁRBITROS – CONVERSAÇÃO COM “COACHES”, JOGADORES OU OUTROS ÁRBITROS

Árbitros não devem manter conversação com “coaches” ou jogadores durante o andamento de um jogo, ou com outros árbitros, a menos que isso seja necessário para uma correta condução do jogo.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

sexta-feira, 23 de maio de 2014

NÃO SÃO PERMITIDOS VISITANTES NOS VESTIÁRIOS DOS ÁRBITROS

Em nenhum momento deve ser permitida a presença de visitantes nos vestiários dos árbitros. O termo “visitantes” deve incluir administradores e empregados do clube, representantes de jornal, rádio e televisão, fotógrafos, amigos e parentes. Ninguém, exceto os árbitros, supervisores dos árbitros, funcionários da Liga e o servente da sede do clube designado à sala dos árbitros, deve ser autorizado a entrar nesses vestiários, antes, durante ou depois do jogo. Não há exceções para esta regra. O árbitro-chefe deve ser o responsável pela aplicação desta regra e pela comunicação de quaisquer infrações ao Presidente da Liga.
 
A Associação Nacional tem fornecido a cada clube cartazes pintados com o aviso “ENTRADA PROIBIDA”. Este aviso deve ser afixado fora da entrada aos vestiários dos árbitros e seu cumprimento deve ser exigido rigorosamente.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. - National Association of Professional Baseball Leagues

JOGADA FORÇADA RESTABELECIDA

Com corredor na 1ª base, a jogada combinada era de “hit and run”*. O batedor acertou um “fly” na direção do espaço entre o jardim esquerdo (“leftfield”) e o jardim central (“centerfield”). No momento em que o corredor –que já havia chegado à 2ª base– estava retornando, o jardineiro esquerdo (“leftfielder”) derrubou a bola, mas conseguiu apanhá-la rapidamente do solo e lançar à 2ª base;  o defensor que recebeu a bola deu um toque no corredor antes que ele conseguisse pisar novamente a 2ª base.  Que decisão deve ser tomada?
 
Embora tenha tocado a 2ª base uma vez, o corredor deve ser eliminado, pois, quando ele  tentou voltar à 1ª base, a situação de Jogada Forçada (“Force Play”) foi restabelecida.

[Beisebol – Regra 7.08 (e) - vide exemplo na Nota 2]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9c – vide NOTA)

*‘Hit and run’ é uma jogada em que o batedor tem de rebater a bola arremessada, com certeza, porque o corredor já está iniciando a corrida para a base seguinte.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

INSTRUÇÕES PARA ÁRBITROS – RELATÓRIO SOBRE PROBLEMAS

Qualquer ocorrência que não seja normal deve ser comunicada ao escritório da Liga no dia seguinte de manhã cedo, ou, a critério do Presidente da Liga, na noite do jogo.  Exemplos disso incluem brigas, incidentes (colisões, boladas), jogos protestados etc. O relatório correspondente deve depois ser enviado ao escritório da Liga dentro de vinte e quatro horas. O relatório deve ser preparado com muito cuidado.
 
Em casos de incidentes violentos (colisão, agressão de um árbitro, briga fora de campo etc.), uma cópia do relatório do árbitro deve também ser enviada, dentro de vinte e quatro horas, para Baseball Office for Umpire Development (entidade que cuida do desenvolvimento do árbitro).

Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

“FOUL BALL” – CORREDOR NÃO RETORNA PARA RETOCAR SUA BASE

Corredor na 1ª e 2ª base, dois “outs”, “fly” grande para as proximidades da linha de “foul” do “left field” (jardim esquerdo). A bola caiu em território “foul”. Os corredores tinham de retornar a suas respectivas bases, porém o da 2ª voltou até perto da base e parou (não tocou a “almofada”). No arremesso seguinte, o batedor acertou um “three-base hit” (“hit” de três bases) e empurrou os corredores para “home”. Cabe uma apelação sobre o corredor da 2ª base?
 
Não há penalidade estipulada em regra para corredores que deixam de retocar suas bases após uma rebatida “foul”. De acordo com a interpretação do beisebol profissional, tecnicamente, o árbitro não deve por a bola em jogo até que todos os corredores tenham retocado suas bases; mas se o fizer ... todos os corredores serão considerados legais, e nenhuma apelação será autorizada.

[Regra 5.09 (e)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

quarta-feira, 21 de maio de 2014

RECEPTOR SAI DO “CATCHER’S BOX” ANTES DE O ARREMESSADOR SOLTAR A BOLA

Como em “innings” anteriores Vince Coleman do Cardinals havia demonstrado intenção de roubar base, o receptor do Pirates preparou-se para uma tentativa de “steal” (roubo) quando ele ocupou novamente a 1ª base. E quando o arremessador do Pittsburgh iniciou os movimentos de arremesso, saiu do “catcher’s box” para estar em melhor posição para fazer o lançamento à 2ª base. Coleman correu e foi eliminado –o interbases tocou-o com a bola recebida do receptor, pouco antes de ele alcançar a base. O técnico do Cardinals reclamou, alegando que o receptor cometera falta por ter saído do “catcher’s box” antes de o arremessador soltar a bola. Reclamou com razão?
 
Não. A Regra 4.03 (a) diz: O receptor deve colocar-se logo atrás do “home plate”.  Ele pode sair de sua posição a qualquer momento para apanhar um arremesso ou fazer uma jogada, exceto quando estão sendo concedidos quatro “balls” intencionais (“intentional base on balls”) ao batedor, e nesse caso tem de permanecer com ambos os pés dentro das linhas do “catcher’s box” até que a bola  deixe a mão do arremessador.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           

terça-feira, 20 de maio de 2014

JOGADA FORÇADA

Um “out”, corredor na 1ª e 2ª base, rebatida “fly” para trás do interbases. O corredor da 2ª base, achando que seria declarado um “Infield Fly”, permaneceu sobre a “almofada”; o da 1ª base, percebendo que seria um ‘poten hitto’*, correu para a 2ª base. A bola caiu entre o interbases e o jardineiro esquerdo. Este –que havia avançado para tentar efetuar a defesa– apanhou a bola que foi rolando em sua direção e lançou rapidamente à 2ª base; o defensor que a  recebeu deu ‘tatti’* no corredor da 2ª base, que se encontrava sobre a “almofada”, e em seguida tocou também o corredor da 1ª base.  Qual dos corredores deve ser eliminado?
 
Como a bola não foi apanhada no ar, o corredor da 2ª base teria que ter avançado à 3ª base; assim sendo, deve ser eliminado por ter sido tocado pelo defensor (Jogada Forçada). Quanto ao corredor da 1ª base, desde que tenha alcançado a 2ª base e esteja sobre a “almofada”, é “safe”.

[Beisebol – Regra 7.08 (e)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9c)

*‘Poten Hitto’ é um “pop fly” (bola rebatida que se eleva bastante mas não vai muito longe) que cai ao solo –nenhum defensor consegue apanhá-lo no ar– e permite que o batedor-corredor chegue a uma base.  ‘Poten’ é um vocábulo japonês que expressa o ruído de queda de algo. Usa-se, por exemplo, quando um objeto escapa da mão e vai ao solo <objeto tal escapou da mão e ‘poten’ no chão>. ‘Hitto’ vem do inglês “hit” (golpe, pancada etc.), que no beisebol e softbol significa rebatida indefensável.
 
*‘Tatti’ vem de “touch” (tâtch), que quer dizer toque, contato etc. Dar ‘tatti’, como costumamos dizer, é tocar o corredor (ou batedor-corredor) com a bola firmemente segura na mão ou luva. 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

DECISÃO MANTIDA APÓS REVISÃO DA JOGADA

Jogo Los Angeles Angels vs. Philadelphia Phillies. Segunda metade do 4º “inning”, Phillies na ofensiva. Corredor na 1ª base, um “out”, contagem de arremessos: 1 – 0, rebatida indefensável para o jardim direito. O corredor da 1ª base cruzou o “home plate”; o batedor-corredor chegou deslizando à 3ª base e foi declarado “safe”. O técnico do Angels reclamou. Os árbitros que revisaram a jogada mantiveram a decisão dada pelo árbitro da 3ª base.


LANCE OCORRIDO NUM JOGO DO IV CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERCLUBE – CATEGORIA: 65 ANOS, REALIZADO NO ESTÁDIO MIE NISHI NOS DIAS 17-18/05/2014

Corredor na 2ª e 3ª base. O arremessador, que estava em contato com o “pitcher’s plate”, deu um passo em direção à 1ª base e, percebendo que não havia corredor, não completou o lançamento. Foi declarado um “balk”.
 
[Regra 8.05 (b) (d)]

domingo, 18 de maio de 2014

SUBSTITUIÇÃO ILEGAL DE ARREMESSADOR

Jogo Los Angeles Angels vs. Houston Astros. Primeira metade do 7º “inning”, Angels no ataque, corredor na 1ª e 2ª base, “two-out” (dois “outs"). O técnico do Astros substituiu o arremessador destro por um canhoto, para enfrentar o batedor de turno (canhoto). Ao notar, porém, que um batedor destro estava no círculo do batedor seguinte, resolveu mandar ao montículo outro arremessador (destro), e isso depois que o substituto anunciado anteriormente  havia feito os arremessos de aquecimento. Como o árbitro de “home” autorizou a nova alteração, o técnico do Angels reclamou, furiosamente, e após tentar várias vezes explicar-lhe que o substituto anterior teria que enfrentar pelo menos um batedor, finalmente usou um batedor canhoto, e este foi eliminado rebatendo um “fly”. Em seguida, dirigiu-se ao chefe do grupo de árbitros e informou-lhe que continuaria o resto do jogo sob protesto. O protesto tornou-se nulo porque Angels ganhou o jogo.

 
Regra 3.05 (b): Se o arremessador for substituído, o substituto deverá arremessar ao batedor de turno, ou ao seu substituto, até que ele seja eliminado ou alcance a 1ª base, ou até que a equipe na ofensiva sofra a terceira eliminação, a menos que se machuque ou adoeça e o árbitro principal o considere incapacitado para continuar atuando como um arremessador.

sábado, 17 de maio de 2014

“HOME RUN” OU “FOUL BALL”?

Jogo Cincinnati Reds vs. Chicago Cubs. Segunda metade do 2º “inning”, Cubs no ataque, placar: 0 – 0. Corredor na 1ª e 3ª base, nenhum “out”, contagem de arremessos: 1 – 1 (um “ball” – um “strike”), rebatida “fly” para “leftfield”; a bola caiu  nas arquibancadas, em território “foul”. O árbitro da 3ª base decidiu que a rebatida foi “home run” e causou uma grande confusão. Os árbitros se reuniram e mudaram a decisão para “foul ball”.  Aí o técnico e “coaches” do Cubs ficaram furiosos e não aceitaram a reversão da decisão; o técnico foi expulso e quase provocou um tumulto após 15 minutos de discussão. A decisão “foul ball”, porém, foi mantida. O batedor voltou ao “batter’s box” –“ball count”: 1 – 2 (um “ball” – dois “strikes”)–, e com um “line drive” em direção ao interbases foi eliminado.

Para ver o vídeo, clique aqui.
 
Atualmente, em caso de dúvida sobre um lance como o apresentado no vídeo, a MLB – Major League Baseball utiliza um sistema –implantado em 28 de agosto de 2008– que  permite reconsiderar uma decisão, usando replay instantâneo; a medida é usada em caso de dúvida sobre um “fly” ou “line drive” rebatido para fora do campo, para determinar:

a) se a rebatida foi "fair" ("home run") ou "foul";

b) se a bola realmente passou sobre a cerca;

c) se ocorreu uma Interferência do Espectador.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

BATEDOR SAI DO “BATTER’S BOX”

Atualmente, quando um batedor sai do “batter’s box” e faz o arremessador interromper o arremesso, o árbitro de “home” não declara um “balk”;  em vez disso, declara “TIME” e reinicia o jogo como se o incidente não tivesse ocorrido. Se o árbitro julgar que o batedor deixou o “batter’s box”, deliberadamente, deverá tomar outras providências, inclusive expulsá-lo do jogo.
 
Antes de 1957, até o arremessador concretizar o arremesso (soltar a bola), o batedor tinha a liberdade de sair do “batter’s box”. Como não havia uma norma equivalente à Regra 6.02 (b), era permitido que o batedor tentasse uma artimanha que hoje não funciona. Com um corredor na 3ª base, um batedor podia derrubar o “bat” enquanto o arremessador dava início aos movimentos de arremesso, para fazê-lo cometer um “balk”.
 
Aliás, não há nada ainda no livro de regras dizendo que um jogador tem de ter um “bat” em suas mãos enquanto aguarda um arremesso. Não há nem mesmo uma regra que o  obrigue a levar um “bat” consigo quando entra no “batter’s box”.

Fonte: Rules of Baseball, de David Nemec

CORREDOR ATRAPALHA, INVOLUNTARIAMENTE, UMA JOGADA DA DEFENSIVA

O corredor da 2ª base está saindo normalmente (da base) no momento em que o arremessador inicia os movimentos de arremesso. Rebatida “ground” forte para o meio do campo.  O interbases (“shortstop”) vai no encalço da bola para efetuar a defesa. O corredor procura retornar rapidamente à 2ª base para não ser eliminado por uma jogada do interbases. Enquanto se move em direção à base, é atingido pela bola que o “shortstop” lança à 1ª base. Quem deve ser eliminado?  
 
Uma vez que o corredor não atrapalhou a jogada, intencionalmente, nenhuma falta deve ser atribuída a ele. A bola permanece em jogo. Ninguém é “out”.

[Regra 7.08 (b)]
 
Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

quinta-feira, 15 de maio de 2014

ACIDENTES ACONTECEM ... MAS PODEM E DEVEM SER EVITADOS

Vejam o vídeo; o árbitro estava mal posicionado?
 
 
POSICIONAMENTO PARA JOGADAS NO “HOME PLATE”
 
A posição fundamental básica para jogadas no “home plate” recomendada por Umpire Development Program a árbitros profissionais iniciantes é no prolongamento da linha da 1ª base. Entretanto, após adquirir experiência profissional, é permissível que árbitros veteranos usem posições alternativas para observar tais jogadas. Particularmente para árbitros experientes, é admissível a seguinte técnica:
 
Observem a jogada, iniciando na área entre o prolongamento da linha da 1ª base e a ponta do “home plate; depois, movam-se para a esquerda (isto é, para o prolongamento da linha da 1ªbase) ou direita (isto é, para o prolongamento da linha da 3ªbase), dependendo da direção do lançamento ao “home plate” e da natureza da jogada (apertada ou folgada). Ao usar esta alternativa, o árbitro de “home” tem de estar certo de que está perfeitamente posicionado, e não deve se mover antes que a jogada ocorra.
 
A alternativa acima leva em consideração o fato de que, se a jogada no “home plate” é um toque (“tag”) forte, o posicionamento ideal é geralmente no prolongamento da linha da 3ª base; e se o lance no “home” resulta num real bloqueio do “home plate”, a posição preferida é no prolongamento da linha da 1ª base. Toques fortes ocorrem frequentemente quando a jogada é apertada e o corredor tenta evitar ser tocado, enquanto o bloqueio do “home plate” pode acontecer numa rebatida “ground” ao campo interno ou numa jogada em que o lançamento pode eliminar o corredor com facilidade. Podem ocorrer toques fortes também quando o receptor tem de conseguir apanhar a bola do lado direito, enquanto que o bloqueio do “home plate” acontece muitas vezes quando o lançamento está vindo do lado esquerdo do receptor. (As considerações acima são simplesmente normas de procedimento, e se o árbitro decide adotar uma posição alternativa para jogada no “home plate”, ele tem de observar cada jogada independentemente e posicionar-se adequadamente.)
 
Fonte: Manual do Árbitro  da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues 

FOI ANOTADO PONTO?

Um “out”, bases cheias, rebatida “ground” na direção da 1ª base. Foi tentada uma jogada dupla (“double play”) 3-6-3, porém o corredor da 1ª base deslanchou bem e chegou “safe”  à 2ª base; o batedor-corredor foi eliminado na 1ª base. Notando que o corredor que acabara de chegar à 2ª base estava fora da “almofada”, o defensor da 1ª base lançou rapidamente àquela base e eliminou-o, completando a terceira eliminação. Foi anotado algum ponto?
 
Se o(s) corredor(es) tiver(em) pisado o “home plate” antes do terceiro “out”, o(s) ponto(s) será(ão) válido(s), já que a eliminação na 2ª base não ocorreu em Jogada Forçada.

[Beisebol – Regras: 4.09 (a), 7.08 (e), Comentário – Regra 7.08 (e)]
 
(Softbol – Regras: 5 – Seção 7a, 8 – Seção 9b)

quarta-feira, 14 de maio de 2014

"STRIKE", "BALL", OU INTERFERÊNCIA DA OFENSIVA?

Jogo San Francisco Giants vs. Pittsburgh Pirates. Primeira metade do 2º “inning”, Giants no ataque. Corredor na 1ª base, nenhum “out”, “ball count” (contagem de arremessos): 0  – 1 (nenhum “ball” – um “strike”). No momento em que o corredor da 1ª base está tentando roubar a 2ª base, o batedor movimenta o “bat” –de cima para baixo como se estivesse dando uma ‘machadada’– depois que o receptor apanha a bola arremessada, e ao fazer isso coloca o pé esquerdo fora do “batter’s box”. O lançamento do receptor à 2ª base é mal executado –a bola vai parar no “centerfield” (jardim central). Enquanto isso, o corredor chega à 3ª base.  

 
Quando o batedor movimentou o “bat”, o árbitro de “home” fez um gesto (teria declarado um “strike” ?); no “scoreboard” (placar) a contagem de arremessos foi alterada para 1 – 1 (???)
 
O movimento feito pelo batedor não caracteriza uma Interferência da Ofensiva? O árbitro de “home” não deveria ter eliminado o batedor por ação ilegal, aplicando a Regra 6.06 (c), e retornado o corredor à 1ª base?
 
[Regra 2.00 "INTERFERENCE" (a)]

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

O corredor da 1ª base tenta um “steal” (roubo de base) enquanto o receptor está se preparando para devolver a bola ao arremessador. Apanhado de surpresa, ele (receptor) atrapalha-se, e na pressa de lançar à 2ª base, toca acidentalmente a máscara do árbitro com a mão. Percebendo que não há ninguém cobrindo a base, acaba não efetuando o lançamento. O corredor pode permanecer na 2ª base?
 
Não. Ele tem de retornar à 1ª base. Quando ocorre uma Interferência do Árbitro, a bola torna-se morta e os corredores não podem avançar.   

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (c), 5.09 (b)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

terça-feira, 13 de maio de 2014

DEFENSOR DERRUBA A BOLA AO COLIDIR COM A CERCA

Jogo St. Louis Cardinals vs. Chicago Cubs. Segunda metade do 2º “inning”, Cubs no ataque. Corredor na 1ª base, nenhum “out”, contagem de arremessos: 3 – 2. Rebatida “fly” em direção ao espaço entre o jardim central e o jardim direito. O jardineiro direito apanhou a bola, mas, ao chocar-se com a cerca, derrubou-a. O corredor da 1ª base foi declarado “safe” na 3ª base, em jogada apertada, e o batedor-corredor chegou à 2ª base.
 
 
Não houve pegada legal; o defensor não conseguiu manter a bola firmemente segura em sua luva.

[Regra 2.00 “CATCH” (PEGADA LEGAL)]

JOGADA FORÇADA RESTABELECIDA

Corredor na 1ª base, “ground ball”* para o território “fair”. O defensor da 3ª base tocou a bola nas proximidades da linha de “foul”, mas não conseguiu segurá-la firmemente na luva. O corredor da 1ª base chegou a tocar a 2ª base, porém, pensando tratar-se de um “foul ball”, foi caminhando na direção da 1ª base. Vendo isso, o defensor da 3ª base lançou ao defensor da 2ª base, que se encontrava sobre a “almofada”. Como deve ser decidido este lance?  
 
Quando o corredor iniciou o retorno à 1ª base após ter tocado a base seguinte, a Jogada Forçada (“Force Play”) foi restabelecida. Portanto, ele é eliminado na 2ª base.

[Beisebol – Regra 7.08 (e) - vide exemplo na Nota 2]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9c – vide NOTA)

*“Ground Ball” é uma bola rebatida que vai rolando ou dando saltos baixos sobre o solo.”Ground Ball” = ‘Gorô’ (como costumamos dizer).

segunda-feira, 12 de maio de 2014

DEFENSOR PRÁTICO

Jogo Chicago White Sox vs. Cleveland Indians. Segunda metade do 6º “inning”, Indians no ataque. Nenhum corredor, um “out”, "ball count" (contagem de arremessos): 3 – 2. Rebatida “ground” forte. O defensor da 1ª base efetua a defesa e, para ganhar tempo, tira a luva da mão –com a bola dentro– e joga-a ao arremessador, que está cobrindo a 1ª base. O batedor-corredor é declarado “out”.
 

[Regra 6.05 (j)]

“FOUL TIP”

Quando o corredor da 1ª base tentava roubar a 2ª base, o receptor lançou a bola de um “foul tip” àquela base, mas não conseguiu eliminá-lo.  Que decisão deve ser tomada?
 
Num “foul tip” a bola permanece em jogo. Portanto, o corredor da 1ª base é “safe”.

[Beisebol – Regra 2.00 “FOUL TIP”, Comentário – Regra 7.08 (d)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 39 “FOUL TIP”, 9 – Seção 2aa)

domingo, 11 de maio de 2014

JOGADA COM BOLA PARCIALMENTE AVARIADA

O defensor da 3ª base apanhou um “ground ball” e lançou ao defensor da 1ª base.  Como uma costura da bola havia se rompido devido à pancada da rebatida, o lançamento saiu descontrolado e permitiu que o batedor-corredor chegasse “safe”, tranquilamente, à 1ª base.


Comentário – Regra 5.02: Se uma bola ficar parcialmente avariada num jogo, ela permanecerá viva  até que a jogada seja completada.

TENTATIVA DE JOGADA – EQUIPE NA DEFENSIVA PERDE O DIREITO DE APELAR

Um "out", corredor na 1ª e 3ª base, "fly" para o campo externo; a bola foi apanhada no ar. O corredor da 3ª base deixou a "almofada" antecipadamente e  pisou o "home plate". Após esse lance, o arremessador, que havia assumido a posição "set", tirou o pé de apoio para trás do "pitcher's plate" e simulou um lançamento à 1ª base. Logo em seguida, alertado de que o corredor (da 3ª base) saíra ilegalmente da base, jogou a bola ao defensor da 3ª base, e este apelou ao árbitro. A apelação é válida?
 
Não. Como o arremessador simulou um lançamento à 1ª base (tentativa de jogada), a equipe na defensiva perdeu o direito de apelar. (Uma apelação tem de ser feita antes do arremesso seguinte ou de qualquer jogada ou tentativa de jogada.)  

[Regras: 7.08 (d) – vide NOTA, 7.10 (a)]

sábado, 10 de maio de 2014

DEFENSOR SIMULA UM LANÇAMENTO À 1ª BASE E JOGA A BOLA PARA “HOME”

Corredor na 2ª e na 3ª bases, dois “outs”, rebatida “ground” para as proximidades da linha da 3ª base. O arremessador apanha a bola e, após simular um lançamento à 1ª base, tenta tocar o corredor da 3ª base, que está indo para “home"; mas não tem êxito.  Em seguida, joga a bola ao receptor. (O corredor é eliminado por toque.)
 
 

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO - JOGADA NULA

O corredor da 1ª base está tentando um roubo de base. O receptor levanta-se para lançar à 2ª base, mas desiste porque sua mão toca acidentalmente a máscara do árbitro. O corredor alcança a 2ª base e, em seguida, dá alguns passos na direção da 3ª base; e enquanto ainda está fora da base, é tocado pelo interbases, que recebera a bola lançada pelo receptor.  Ele é “out”?
 
Não. A jogada sobre o corredor não é válida, já que ocorreu enquanto a bola estava morta. O corredor retorna à 1ª base. 
 
Quando ocorre uma Interferência do Árbitro, a bola torna-se morta, e os corredores retornam às suas bases, sem o risco de serem eliminados.
 
[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (c), 5.09 (b)]
 
Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans

sexta-feira, 9 de maio de 2014

FINALMENTE HOUVE “CATCH” (PEGADA LEGAL)

Rebatida “fly” em direção ao espaço entre a 2ª e a 1ª bases. O defensor da 2ª base afasta-se, e na primeira tentativa de efetuar a defesa deixa a bola “pipocar” após bater na luva; mas, em seguida, consegue apanhá-la com a mão antes de ela ir para o solo.
 
 
Comentário – Regra 2.00 (“CATCH”): Uma pegada é legal se a bola é finalmente retida por um defensor, ainda que tenha havido “malabarismo” (tenha “pipocado” após bater na luva); uma pegada é legal também ...

CORREDOR SAI DA BASE PARA CONVERSAR COM "BASE COACH"

O batedor obteve "ball four" (quatro “balls”) e, após pisar a 1ª base, foi em direção ao "coach's box". Nesse momento, foi tocado com a bola pelo defensor da 1ª base. É "out"?
 
Sim, é "out". Para sair de uma base, o corredor tem de pedir "TIME" (TEMPO) ao árbitro e esperar até que sua solicitação seja atendida. Ele pode deixar a base, sem o risco de ser eliminado, somente quando o árbitro ordena a paralisação do jogo declarando “TIME”.

[Beisebol – Regras: 5.10, 7.08 (c)]
 
(Softbol – Regras: 8 – Seção 9b, 9 – Seção1l)

quinta-feira, 8 de maio de 2014

DEFENSOR NÃO APANHA UM “FOUL FLY” PARA EVITAR UM PONTO

Jogo Milwaukee Brewers vs. St. Louis Cardinals. Primeira metade do 12º “inning”, Brewers no ataque. Corredor na 3ª base, um “out”, contagem de arremessos: 0 – 2. Placar: 3 x 3. Rebatida “fly” para as proximidades da linha de “foul” do jardim esquerdo. Percebendo que seria um “foul fly”, o jardineiro esquerdo deixou a bola ir ao solo para evitar um ponto que, certamente, seria anotado se efetuasse a defesa.

 

BATEDOR DESIGNADO ("DH")

Aconteceu num jogo do 12º Campeonato Paulista de Beisebol (categoria: adultos) – 2014, em que estava sendo usado “DH”. O arremessador de uma das equipes foi substituído, porém não saiu do jogo; foi ocupar o lugar do defensor da 3ª base (este deixou o jogo). (Com essa alteração, terminou a função do “DH” para o resto do jogo.) Um novo arremessador foi ao montículo (“mound”). Quando essa equipe foi à ofensiva, a ordem de batedores não foi seguida corretamente, mas nenhuma penalidade foi aplicada porque não houve apelação da equipe na defensiva.

Num caso como o apresentado acima, o arremessador substituído pode bater na vez do “DH”, e o novo arremessador, na vez do defensor que deixou o jogo.

[Regra 6.10 (b)] 

quarta-feira, 7 de maio de 2014

ÁRBITRO DE "HOME" PERDE A CONTAGEM DE ARREMESSOS

Jogo Houston Astros vs.  Oakland Athletics. Primeira metade do 8º “inning”, Astros no ataque, “two-out” (dois eliminados), “ball count” (contagem de arremessos): 0 – 2 (nenhum “ball” – dois “strikes”). O arremesso seguinte foi declarado “ball”. Como o árbitro de “home” sinalizou 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”), houve reclamação. Recorrendo ao “replay”, os árbitros constataram o equívoco: o primeiro arremesso resultou em "foul ball"; o segundo arremesso foi “strike”; o terceiro arremesso resultou em “foul ball”; e o quarto arremesso foi “ball”. Corrigido o erro, o jogo teve prosseguimento.

OMISSÃO DE BASE – NÃO HOUVE OBSTRUÇÃO

O corredor da 1ª base está roubando a 2ª base. O interbases, que se encarregara de receber o lançamento do receptor, escorrega e cai na frente da base.  A bola toca o solo e rola na direção do “centerfield” (jardim central). O corredor salta sobre o defensor estendido no chão e, sem pisar a base, chega tranquilamente à 3ª base. A equipe na defensiva apela sobre a omissão da 2ª base, e o corredor é declarado eliminado. A equipe na ofensiva não concorda com a decisão do árbitro e reclama, argumentando que o corredor não conseguiu pisar a base porque fora obstruído pelo interbases. Reclamou com razão?
 
Não. O defensor não cometeu OBSTRUÇÃO, já que ele estava em ação para apanhar a bola lançada pelo receptor quando foi ao solo.   

[Regras: 2.00 “OBSTRUCTION”, 7.10 (b)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans           

terça-feira, 6 de maio de 2014

DECISÃO "OUT" CONFIRMADA NA REVISÃO DA JOGADA

Jogo Cincinnati Reds vs. Atlanta Braves. Primeira metade do 9º “inning”, Cincinnati Reds no ataque. Corredor na 1ª e na 2ª bases, dois “outs”. Placar CIN 4 x 5 ATL. Rebatida “ground”. O defensor da 3ª base efetuou a defesa e fez um lançamento “curto” à 1ª base; o defensor da 1ª base esticou o corpo e pegou a bola antes de o batedor-corredor chegar à base. Decisão do árbitro: "out". A equipe na ofensiva reclamou, alegando que o defensor não estava tocando a “almofada” no momento do “catch”. Feita a revisão da jogada, constatou-se que o pé direito do defensor estava em contato com a base. A decisão foi mantida, e o jogo foi encerrado com a vitória do Atlanta Braves.  


[Regra 4.11 (a)

BATEDOR-CORREDOR PISA A 1ª BASE E ULTRAPASSA-A

O batedor obteve quatro "balls" e pisou a 1ª base, porém ultrapassou-a um ou dois passos.  Notando isso, o receptor lançou ao defensor da 1ª base, e este, com a bola na mão, tocou o batedor-corredor antes de ele voltar à base. É "out"?
 
Não. Um batedor-corredor não pode ser eliminado por toque depois de ultrapassar a 1ª base --correndo ou deslizando--,  desde que retorne imediatamente à base.

[Beisebol – Regra 7.08  (c) – vide NOTA 1]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 10i – vide Regra 8 – Seção 6b e Seção 9i)