domingo, 16 de março de 2014

BOLAS DESVIADAS PARA ÁREA FORA DE JOGO (1)

Se uma bola arremessada desvia do receptor e vai diretamente para uma área fora de jogo, a concessão é de uma base a partir da posição que o corredor ocupava no momento do arremesso.
 
Se uma bola lançada pelo arremessador enquanto ele está em contato com o “plate” desvia de um defensor e vai diretamente a uma área fora de jogo, a concessão é de uma base a partir da posição que o corredor ocupava no momento do lançamento. 
 
Se uma bola arremessada passa através ou ao lado do receptor e, subsequentemente, enquanto permanece no campo de jogo é chutada ou desviada para uma área fora de jogo (involuntariamente, tanto num caso como no outro), a concessão é de duas bases a partir da posição dos corredores no momento do arremesso. Se uma bola lançada pelo arremessador enquanto ele está em contato com o “plate” passa através ou ao lado de um defensor e, subsequentemente, enquanto permanece no campo de jogo é chutada ou desviada para uma área fora de jogo, a concessão é de duas bases a partir da posição dos corredores no momento do lançamento.
 
Interpretação da frase “e, subsequentemente, enquanto permanece no campo de jogo é chutada ou desviada para uma área fora de jogo”: significa que o defensor, ao ter contato com a bola, causa a sua saída para uma área fora de jogo (por exemplo, a bola para e depois é desviada para uma área fora de jogo; ou a bola não está rolando em direção a uma área fora de jogo, mas, ao ser desviada, sai para tal área). Se, na opinião do árbitro, a bola desviada teria ido, inevitavelmente, para uma área fora de jogo, a concessão em tais situações é de uma base. Por outro lado, se o árbitro julgar que o desvio, de fato, causou a saída da bola para uma área fora de jogo (e ela não teria ido para tal área se o defensor não a tivesse tocado), a concessão então é de duas bases.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National  Association of Professional Baseball Leagues

Sem comentários:

Enviar um comentário