segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

JOGO SUSPENSO

No jogo Reds x Expos, realizado em 1986, o placar estava empatado (1 – 1) ao término do quinto “inning”. Na primeira metade do sexto “inning”, Kurt Stillwell do Reds  acertou um “single” (rebatida “hit” de uma base) e empurrou o ponto de Tim Burke. Assim, Reds  passou  a  liderar  a  contagem:  2 - 1. Começou a chover. Inicialmente, os árbitros paralisaram a partida e ficaram aguardando o momento de poder reiniciá-la, mas, por fim, suspenderam-na.
 
Por que não foi dada a vitória ao Reds  pela contagem de 2 - 1?
 
Em tal situação –quando a equipe visitante passa a liderar o placar na primeira metade de um “inning”—, a equipe local deve ter sua chance de bater (atuar na ofensiva); se isso não for possível, o jogo será suspenso e terá de ser completado em uma data futura. No caso citado acima, como o Reds não tinha outra partida programada em Montreal, o jogo interrompido teve que ser concluído em Cincinnati. À primeira vista, isso parece injusto para o Expos, mas a regra assim determina (o Reds, mesmo jogando em seu próprio campo, continuou sendo a equipe visitante). Enquanto as equipes completavam o Jogo Suspenso, Dave Park do Reds acertou um “home run” com as bases cheias (“grand-slam”). A equipe de Cincinnati venceu: 10-2.
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker
 
[Regra 4.12 (a) (5)]

Sem comentários:

Enviar um comentário