terça-feira, 14 de janeiro de 2014

HOUVE OMISSÃO DE BASE?

Rebatida indefensável  para “rightfield” (jardim direito). O corredor da 1ª base passou pela 2ª base e estava a caminho da base seguinte, porém, ao ver a bola lançada pelo jardineiro direito voando em direção à 3ª base, voltou apressadamente à 2ª base, deslizando.  Ocorre que, devido ao impulso do “sliding”*, acabou ultrapassando a base. Vendo isso, o defensor da 3ª base lançou à 2ª base, mas o lançamento saiu descontrolado; a bola foi rolando para o campo externo. O corredor levantou-se e, do ponto onde se encontrava, correu para a 3ª base, sem pisar a 2ª base. A equipe na defensiva apelou alegando o seguinte: <como houve “oversliding”* no retorno à 2ª base, o corredor teria que ter tocado novamente a 2ª base antes de ir à 3ª base; e como não o fez, deve ser eliminado por omissão de base>.
 
Apelação improcedente. Nesse caso não houve omissão da 2ª base, já que o corredor a tocou legalmente conforme determina a regra [Regra 8–Seção 4 (no softbol), e Regra 7.02 (no beisebol)], e não tinha a obrigação de retornar; ele seria eliminado se fosse tocado enquanto estava fora da base [Regra 8 – Seção 9b (no softbol), e Regra 7.08 (c) (no beisebol)].
 
*“Sliding” é o ato de lançar-se ao solo para chegar deslizando a uma base. “Sliding” = ‘Suberikomi’. Muitos dizem simplesmente ‘SUBERI’. Quando um jogador diz que fez um ‘SUBERI’, está se referindo a um lance em que ele entrou deslizando a uma base.
 
*“Oversliding” é o ato de um corredor que desliza para uma base e ultrapassa-a. Isso ocorre geralmente quando o impulso da corrida faz o corredor perder o contato com a base; e nesse caso ele corre o risco de ser eliminado. O batedor-corredor pode ultrapassar a 1ª base, sem correr o risco de ser eliminado, desde que retorne imediatamente a essa base. 

Sem comentários:

Enviar um comentário