domingo, 19 de janeiro de 2014

BATEDOR-CORREDOR COMETEU INTERFERÊNCIA?

Corredor na 1ª base. Batedor do Cincinnati Reds executa um “bunt” de sacrifício (“sacrifice bunt”) e, ao sair do “batter’s box” para iniciar a corrida à 1ª base, tem contato com o receptor que está apanhando a bola. Apesar disso, ele (receptor) consegue efetuar a defesa e lançar à 2ª base. O lançamento, porém, sai descontrolado –a bola vai parar no jardim central. Vendo isso, o corredor continua avançando; passa legalmente pela 2ª base e chega “safe” á 3ª base numa jogada apertada. O técnico do Boston Red Sox reclama que o batedor-corredor cometera Interferência, porém os árbitros decidem que o lance foi normal.
 
 
Quando o batedor-corredor que está indo à 1ª base e o receptor que está tentando apanhar a bola colidem, geralmente não há infração, e nada deve ser declarado. Isso não significa, entretanto, que o batedor-corredor e o receptor podem chocar-se intencionalmente. Em caso de colisão intencional, deve ser declarada uma Interferência ou uma Obstrução. Obstrução por um defensor que está tentando apanhar uma bola deve ser declarada somente em casos muito flagrantes e violentos, porque as regras lhe dão o direito do caminho; porém, obviamente, tal direito do caminho não é uma permissão para, por exemplo, tropeçar intencionalmente num corredor, mesmo quando está apanhando a bola. Uma colisão inevitável não pode ser interpretada como uma infração, nem da parte do corredor nem da parte do receptor.

 [Comentário – Regra 7.09 (j)]

Sem comentários:

Enviar um comentário