sábado, 31 de agosto de 2013

INFIELD FLY – BOLA REBATIDA ATINGE CORREDOR

Nenhum eliminado, corredor na 1ª e na 2ª bases, fly facilmente defensável ao campo interno. O árbitro da 2ª base declarou “INFIELD FLY!”. A bola rebatida atingiu o corredor da 2ª base, que nesse momento estava:
 
(1)   fora da base;
 
(2)   sobre a base.
 
Decisão: O batedor-corredor é out [Beisebol – Regra 6.05 (e); Softbol – Regra 8 – Seção 2e].
 
(1)   O corredor é out; a bola fica fora de jogo (bola morta).
 
[Beisebol – Regra 7.08 (f) – vide NOTA 5]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9k, Regra 8 – EFEITO – Seção 9k-s)
 
(2)   O corredor não é out; a bola fica fora de jogo (bola morta).

[Beisebol – Regra 7.08 (f) – EXCEÇÃO; vide NOTA 5]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 10m)

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

DEFENSOR ESCONDE A BOLA

Esta artimanha já está muito manjada, porém algum defensor ainda poderá utilizá-la. Os árbitros devem ficar atentos.



BOLA ARREMESSADA ENTRA NO “DUGOUT”

Havia corredor(es) em base. A bola arremessada que o receptor deixou escapar para trás entrou no "dugout". Que decisão deve ser tomada?
 
A bola torna-se morta e cada corredor pode avançar uma base, sem o risco de ser eliminado. Se esse arremesso for o quarto "ball", o batedor poderá ir à 1ª base, e se for um terceiro "strike" não agarrado, também poderá ir à 1ª base, porém na seguinte situação: (1) a 1ª base não está ocupada, ou (2) há duas eliminações quando a 1ª base está ocupada. Se, entretanto, a bola arremessada passa pelo receptor, e, em seguida, enquanto permanece dentro do campo de jogo, é chutada ou desviada para dentro do “dugout”, a concessão deve ser de duas bases a partir da posição dos corredores no momento do arremesso.  

[Regras: 6.08 (a), 6.09 (b), 7.05 (h) – vide REGRA APROVADA]

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

TIRO CERTEIRO – INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

Jogo Toronto Blue Jays x Seattle Mariners. Segunda metade da 1ª entrada, Seattle no ataque, corredor na 1ª e 3ª base, “ball count”: 3 – 2. O árbitro da 2ª base é atingido  pela bola rebatida –um “line drive”– e vai ao solo. O batedor vai à 1ª base, o corredor da 1ª base, forçado, vai à 2ª base, e o da 3ª base anota ponto (???).
  
 

Comentário feito por Aiman Jarrar: Bola morta. Batedor vai à 1ª base e todos os corredores avançam uma base.  
Comentário feito por Matt1NorrisAndGold em resposta a Aiman Jarrar: Negativo. Bola morta, batedor vai à 1ª base e todos os corredores serão autorizados a avançar uma base SE FOREM FORÇADOS. Neste caso, com corredor na 1ª e 3ª base, C1 vai à 2ª base e C3 tem de retornar à 3ª base.
 
O comentário de Matt1NorrisAndGold está correto.
 
Vejam o que diz a Regra 5.09 (f): A bola torna-se morta e os corredores avançam uma base ou retornam às suas bases, sem o risco de serem eliminados, quando uma bola “fair” que não tenha tido contato com um defensor do campo interno, incluindo o arremessador, atinge um corredor ou um árbitro, em território “fair”; ou uma bola “fair” que não tenha passado um defensor do campo interno, exceto o arremessador, atinge um árbitro; os corredores avançam se forem forçados.
 
 

       

CONCESSÃO DE BASES

Um "out", corredor na 1ª e 2ª base, rebatida "ground" na direção do interbases. Este não conseguiu fazer uma defesa segura e, além disso, efetuou um mau lançamento à 1ª base –a bola foi parar nas arquibancadas. O corredor da 1ª base, devido ao tombo que sofrera, ainda não havia chegado à 2ª base quando o interbases fez o lançamento à 1ª base; o batedor-corredor, porém, já havia tocado a 1ª base. Que decisão deve ser tomada?
 
A bola torna-se morta. O corredor da 2ª base vai para "home"; ao corredor da 1ª base deve ser concedida a 3ª base, e ao batedor-corredor, a 2ª base.

[Beisebol – Regra 7.05 (g), Comentário – Regra 7.05 (g) – vide REGRA APROVADA]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 7f, Regra 8 – EFEITO – Seção 7f)

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

“SWING” INTERROMPIDO OU “HIT BY PITCH”?

Jogo Milwaukee Brewers x St. Louis Cardinals. Primeira metade do 2º “inning”, Brewers no ataque, nenhum corredor em base, um “out”, “ball count”: 2 – 0. Alex Gonzalez é atingido pelo arremesso (“hit by pitch”) e deixa o jogo com a mão esquerda machucada.  

 
[Regra 6.08 (b)]

TENTATIVA DE “BUNT” – A BOLA BATE EM UMA DAS MÃOS QUE ESTÃO SEGURANDO O “BAT”

O batedor prepara-se para executar um “bunt”, mas como o arremesso vem alto e em sua direção ele recua para não ser atingido. A bola, porém, bate em uma das mãos que estão segurando o “bat” e desvia para o território “fair”. É uma bola “fair” ... uma bola “foul” ... um “strike” ... ou um “hit batsman” (‘detto booru’, como costumamos dizer)?
 
É um “hit batsman”. O batedor adquire o direito de ir à 1ª base, sem o risco de ser eliminado, já que ele não tentou rebater o arremesso. A bola torna se morta.  

[Beisebol – Regra 6.08 (b)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 1f – vide NOTA, Regra 8 – EFEITO – Seção 1f)

terça-feira, 27 de agosto de 2013

BATEDOR-CORREDOR PISA A BASE ANTES DA PEGADA LEGAL

Rebatida “ground” na direção do interbases. O lançamento feito à 1ª base chegou às mãos do defensor da 1ª base pouco antes de o batedor-corredor alcançar a base. Ocorre que a bola saltou para fora do “mitt”, e enquanto o defensor a sustentava entre o corpo e o braço o batedor-corredor pisou a base. Logo depois, a bola foi agarrada firmemente com a mão.
 
O batedor-corredor é “safe”; quando ele pisou a base, o defensor não havia feito uma pegada legal. 

(Beisebol – Regra 2.00 “CATCH”)
 
(Softbol – Regra 1 – Seção 15 “CATCH”)

SUBSTITUIÇÃO DE ÁRBITRO

Jogo Los Angeles Angels x Oakland A’s. Segunda metade do 1º “inning”, Oakland A’s no ataque, dois “outs”, “ball count”: 0 – 0. A bola arremessada passa direto pelo receptor e atinge o peito do árbitro. Após ser examinado, ele continua atuando, mas é visível que não está bem; na segunda metade da 5ª entrada “elimina” o batedor quando este deixa passar o segundo “strike”, e na segunda metade da 6ª entrada comete o mesmo equívoco. Antes de terminar a 6ª entrada é substituído.

 
 CUIDADO! ACIDENTES ACONTECEM!

 

Nenhum árbitro pode ser substituído durante um jogo, a menos que ele se machuque ou adoeça.
 
[Regra 9.02 (d)]

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

HOMENAGEM AO PROF. DR. II-SEI WATANABE

Na sexta-feira passada (23/08), nosso companheiro de arbitragem –presidiu a AAABSB (duas gestões)– recebeu o título de Cidadão Paulistano, por iniciativa do vereador Aurélio Nomura. A cerimônia foi realizada na Câmara Municipal de São Paulo.
 
Parabéns!

ARREMESSADOR INTERROMPE O "STRETCH" - "BALK"

Jogo Washington Nationals x Colorado Rockies. Primeira metade do 7º “inning”, Nationals no ataque, corredor na 3ª base, dois eliminados, contagem de bolas arremessadas: 2 – 1. O árbitro da 2ª base declarou um “balk” porque o arremessador não foi à Posição “Set” num movimento contínuo (mexeu os braços e parou).  



[Regra 8.01 (b)]

“BALK” OU JOGADA LEGAL?

Nenhum “out”, corredor na 1ª e 2ª base, contagem de bolas arremessadas: 3 – 2 (três “balls” – dois “strikes”). O arremessador –destro– estava completamente parado após o “stretch”*. No momento em que ele levantou o pé livre, cada corredor arrancou em direção à base seguinte. O arremessador, então, deu um passo em direção à 3ª base e “pegou” o corredor da 2ª base (quando lançou à 3ª base, ele não havia movimentado o pé livre além da borda traseira do “pitcher’s plate”.) Isso é legal?
 
Sim. Se o corredor não estivesse avançando, o arremessador seria penalizado com um “balk” por ter lançado a uma base desocupada.

[Regra 8.05 (d)]

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans
              
*“Stretch” é aquele movimento preliminar natural que o arremessador faz antes de assumir a Posição “Set”; consiste em estender os braços acima da cabeça ou à frente do corpo.

domingo, 25 de agosto de 2013

ARREMESSADOR LANÇA À 2ª BASE APÓS TER DIRECIONADO O PÉ LIVRE AO “HOME PLATE”

Jogo Chicago White Sox x Philadelphia  Phillies. Segunda metade do 9º “inning”, Phillies no ataque, corredor na 1ª e 2ª base, nenhum “out”, contagem de bolas arremessadas: 0 – 1. O arremessador lançou à 2ª base sem dar um passo diretamente em direção àquela base. O árbitro da 2ª base declarou um “balk”.


[Regras:  8.01 (c), 8.05 (c)]

RECEPTOR ESTORVA O BATEDOR

Softbol

Corredor na 1ª base. Apesar de ter sido estorvado pelo receptor –no momento em que fez “swing” o “bat” teve contato com o “mitt”–, o batedor rebateu um “ground”  na direção do interbases e chegou “safe” à 1ª base; o corredor, porém, foi eliminado na 2ª base.
 
Deve ser aplicada a regra de “Obstrução do Receptor”; o batedor é autorizado a ir à 1ª base, e o corredor (forçado a avançar), à 2ª base.
 
(Regra 8 - Seção 1d, Regra 8 - EFEITO - Seção 1d-4)

No beisebol, seria aplicada a Regra 6.08 (c).
 
No softbol, a falta cometida pelo receptor é tratada como Obstrução (Regra 1 – Seção 66a), e no beisebol, como Interferência da Defensiva [Regra 2.00 “INTERFERENCE” (b)].

sábado, 24 de agosto de 2013

ARREMESSADOR INTERROMPE O “STRETCH” – “BALK”

Jogo Philadelphia Phillies x Washington Nationals. Primeira metade do 8º “inning”, Phillies no ataque, corredor na 3ª base, dois eliminados, contagem de bolas arremessadas: 2 – 2. O árbitro de “home” declarou um “balk” porque o arremessador não foi à Posição "Set" num movimento contínuo (mexeu o braço direito e parou).  


[Regra 8.01 (b)]

BOLA LANÇADA ATINGE O BATEDOR-CORREDOR DENTRO DA FAIXA DE TRÊS PÉS

Corredor na 3ª base, rebatida “ground” na direção da 1ª base. O defensor da 1ª base efetuou a defesa e lançou ao receptor para tentar eliminar o corredor da 3ª base. A bola lançada, porém, atingiu o batedor-corredor –ele estava correndo dentro da faixa de três pés– e desviou.    
 
Como o batedor-corredor estava correndo dentro da área permitida, não é Interferência. É bola em jogo. Se ele estivesse correndo fora da faixa de três pés, seria eliminado por Interferência [No beisebol, seria aplicada a Regra 6.05 (k), e no softbol, a Regra 8 – Seção 2g-1].

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

“HIT BY PITCH” OU “FOUL BALL”?

Jogo San Francisco Giants x Milwaukee Brewers. Segunda metade do 2º “inning”, Brewers no ataque, nenhum corredor em base, um “out”, “ball count”: 1 – 1. O arremesso aparentemente teve contato com o “bat” e foi para o território “foul”. O árbitro de “home” levantou os braços (sinalizou um “foul ball” ou um “hit by pitch”?).  O batedor foi caminhando em direção à 1ª base. Nesse momento,  o técnico do Giants reclamou. Inicialmente o árbitro de “home conversou com um companheiro, e depois reuniu-se com os demais árbitros. Prevaleceu a decisão “hit by pitch”.
 

[Regra 6.08 (b)]

BATEDOR-CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA APÓS UMA JOGADA INTERMEDIÁRIA

Um eliminado, bases cheias. O arremessador apanhou a bola “ground” rebatida em sua direção e eliminou o corredor da 3ª base no “home”.  Continuando a jogada, o receptor lançou à 1ª base, mas a bola atingiu o batedor-corredor que estava a, aproximadamente, três metros da 1ª base, correndo fora da faixa de três pés (dentro do território “fair”).
 
O batedor-corredor é “out” em razão da falta cometida (Interferência). Quando o batedor-corredor é eliminado por Interferência antes de alcançar a 1ª base, em princípio, cada corredor tem de retornar à base que estava ocupando no momento do arremesso. Caso, porém, tenha havido uma jogada intermediária, a base de origem é aquela onde o corredor estava no momento em que ocorreu a Interferência. No caso apresentado acima, se o corredor da 3ª base tivesse chegado “safe” ao “home plate” antes da eliminação do batedor-corredor, o ponto seria válido.

[Beisebol – Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a) – vide NOTA, 6.05 (k)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 60a, 8 – Seção 2g-1, Regra 8 – EFEITO – Seção 2g-k – EXCEÇÃO)

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

PESSOA AUTORIZADA A PERMANECER NO CAMPO COMETE INTERFERÊNCIA

Jogo Arizona D-backs x San Francisco Giants. Primeira metade do 8º “inning”, D-backs no ataque, um “out”, “ball count”: 0 – 0. Rebatida “liner”* em direção ao “leftfield” –a bola toca o solo em território “fair” e desvia para o território “foul”.  Um arremessador do Giants, que está treinando no “bullpen” (dentro do campo), apanha a bola. Os árbitros se reúnem e concedem duas bases ao batedor-corredor.
 

 (Regra 3.15)
 
*“Liner” é uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do "bat" a um defensor, sem tocar o solo. “Liner ” = “Line Drive”.

ARREMESSADOR INICIA OS MOVIMENTOS DE ARREMESSO E PARA

Nenhum corredor em base. O arremessador iniciou os movimentos de arremesso e, ao desequilibrar-se, parou. Deve ser declarado um “ball”?
 
Não. Quando não há corredor(es) em base, nenhuma penalidade deve ser aplicada. Se nesse lance a bola escapasse da mão do arremessador e cruzasse a linha de “foul”, aí sim, seria declarado um “ball”.
 
Se uma bola que escapa da mão do arremessador não cruza a linha de “foul”, deve-se considerar que não houve arremesso. Portanto, se isso ocorre quando há corredor(es) em base, deve ser declarado um “balk”.  

[Comentário – Regra 8.01 (d), Regra 8.05 (a)]

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

Jogo Chicago White Sox x Boston Red Sox. Segunda metade do 4º “inning”, Red Sox no ataque, um “out”, “ball count”: 0 – 0, corredor na 1ª  e 2ª base. O corredor da 2ª base arranca em direção à 3ª base assim que o arremessador inicia o arremesso. O receptor tenta eliminá-lo. (No momento em que ele se preparara para lançar, sua mão tem contato com a máscara do árbitro.) O corredor é declarado “safe”. O árbitro de “home” paralisa o jogo (“Time”), sinaliza que ele interferira na jogada e manda o corredor retornar à 2ª base.
 

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (c), 5.09 (b) – vide NOTA]

CONCESSÃO DE BASES

Um "out", corredor na 1ª base e na 2ª base. Foi tentada uma jogada de ‘hitto endo ran’*, mas a rebatida resultou em "fly" na direção do jardim central. O corredor da 2ª base, que havia iniciado a corrida em direção à base seguinte, apressou-se em retornar à sua base para retocá-la; o corredor da 1ª base, por sua vez, já havia passado a 2ª base; os dois corredores estavam, portanto, entre a 2ª base e a 3ª base. Nesse momento, o jardineiro central efetuou a defesa e fez um mau lançamento à 3ª base –a bola tocou o solo e pulou para fora da cerca lateral. O corredor da 1ª base também tem o direito de ir para "home"?
 
Não. O corredor da 1ª base deve parar na 3ª base, pois a concessão de duas bases é a partir da base original –a base que ele tem de retocar. 

[Beisebol – Regra 7.05 (g), Comentário – Regra 7.05 (i)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 7f, Regra 8 – EFEITO – Seção 7f)
 
*‘Hitto endo ran’ vem de “hit and run” (hit aend rân), que significa bater e correr. É uma jogada em que o batedor tem de rebater a bola arremessada, com certeza, porque o corredor já está iniciando a corrida para a base seguinte.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

DEFENSOR ESCONDE A BOLA

Jogo Tampa Bay Rays x Los Angeles Dodgers. O corredor da 3ª base (do Dodgers), não percebendo que o defensor da 3ª base está atrás dele com a bola na mão, levanta o pé esquerdo da base e leva ‘tatti’*. O árbitro da 3ª base declara-o eliminado.
 
*‘Levar tatti’ significa ser tocado com a bola firmemente segura na mão ou luva.

 
 
[Regra 7.08 (c)]
 
 

RECEPTOR ESTORVA O BATEDOR

Um eliminado, corredor na 2ª base. Apesar de ter sido estorvado pelo receptor, o batedor acertou uma rebatida indefensável (“base hit”) –a bola foi parar na cerca do jardim central– e chegou à 1ª base. O corredor da 2ª base passou pela 3ª base e foi para “home”, porém foi eliminado por toque pouco antes do “home plate”. O técnico da equipe na ofensiva reivindicou o direito de optar pela penalidade da falta cometida pelo receptor. Isso deve ser permitido?
 
Não. Como o batedor-corredor chegou “safe” à 1ª base e o corredor da 2ª base avançou pelo menos uma base, a falta cometida pelo receptor não é levada em consideração. A equipe na ofensiva não tem o direito de optar; vale o resultado da jogada.  

[Beisebol – Regra 6.08 (c)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 1d, Regra 8 – EFEITO – Seção 1d-3)

No softbol, a falta cometida pelo receptor é tratada como Obstrução (Regra 1 – Seção 66a), e no beisebol, como Interferência da Defensiva [Regra 2.00 “INTERFERENCE” (b)].

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

PEDAÇO DE “BAT” QUEBRADO ATINGE UM DEFENSOR

Jogo Houston Astros x Oakland A’s. No momento em que Eric Sogard, interbases do A’s, apanhou um “line drive” fraco rebatido por Chris Carter, uma parte do “bat” quebrado voou em sua direção e atingiu-o; Sogard foi ao solo.


Se esse lance tivesse ocorrido antes de Sogard apanhar a bola e impedido que ele efetuasse a defesa, a jogada continuaria normalmente.
 
Comentário Regra 6.05 (h): Um “bat” se quebra e parte dele cai em território “fair”. Se essa parte for atingida por uma bola rebatida, ou tiver contato com um corredor ou defensor, a jogada continuará; não será declarada uma Interferência. Se a bola rebatida atingir parte do “bat” quebrado, em território “foul”, será um “foul ball”.

CONCESSÃO DE BASES

Corredor na 1ª base, rebatida “fly” para o jardim direito. O corredor ficou parado entre a 1ª e a 2ª bases observando o lance. O jardineiro direito não conseguiu efetuar a defesa e, apressadamente, lançou à 3ª base. O lançamento, porém, foi mal executado –a bola tocou o solo e pulou para fora da cerca lateral. O batedor-corredor já havia passado a 1ª base antes de o jardineiro direito soltar a bola, mas o corredor da 1ª base ainda estava a caminho da 2ª base.  Como resolver esta situação?
 
A bola torna-se morta. O corredor da 1ª base vai à 3ª base, e o batedor-corredor, à 2ª base.

[Beisebol – Regra 7.05 (g), Comentário – Regra 7.05 (g) - REGRA APROVADA]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 7f, Regra 8 – EFEITO – Seção 7f)

domingo, 18 de agosto de 2013

BATEDOR-CORREDOR É DECLARADO “OUT” EM RAZÃO DA FALTA COMETIDA (INTERFERÊNCIA)

Jogo St. Louis Cardinals x Chicago Cubs, segunda metade do 7º “inning”. Julio Borbon do Cubs, que estava correndo dentro do território “fair”, foi declarado “out” por ter estorvado o defensor da 1ª base que estava recebendo a bola lançada.
 
 
 
 
[Regra 6.05 (k)]

DEFENSOR ATIRA SUA LUVA E ATINGE UMA BOLA “FOUL”

Rebatida "ground" para o território "foul" entre a 3ª base e o "home plate". O defensor da 3ª base atirou sua luva contra a bola e atingiu-a. Que decisão deve ser tomada?
 
Como o lance foi com uma bola "foul", não há penalidade.

Beisebol

Regra 7.05 (c): Cada corredor, incluindo o batedor-corredor, pode avançar três bases –sem o risco de ser eliminado– se um defensor atira sua luva, intencionalmente, e toca uma bola “fair”. A bola permanece em jogo e o batedor pode avançar para “home”, a seu risco.

Softbol

Regra 8 – EFEITO – Seção 7e: Todos os corredores, incluindo o batedor-corredor, devem ser autorizados a avançar três bases a partir de onde estavam no momento do arremesso, quando a infração é cometida sobre uma bola rebatida “fair”.

sábado, 17 de agosto de 2013

OBSTRUÇÃO EM "RUN-DOWN PLAY"

Jogo Detroit Tigers x Chicago White Sox. O corredor da 1ª base do Tigers, Torii Hunter,  foi pego em “run-down play” quando tentava roubar a 2ª base e foi tocado pelo defensor da 2ª base no momento em que estava retornando; o árbitro da 1ª base mandou-o para a 2ª base em razão da Obstrução cometida por Adam Dunn, defensor da 1ª base.

 

Obstrução é o ato de um defensor que, sem estar de posse da bola e sem estar em ação para apanhar a bola, impede ou estorva o avanço/retorno de um corredor.

[Regra 2.00 “OBSTRUCTION” – vide Regras 7.06 (a), 7.06 (b)]

É LEGAL CORRER AS BASES EM ORDEM INVERSA?

Aconteceu num jogo de beisebol da Categoria Pré-Infantil.
 
Havia corredor somente na 2ª base. O batedor obteve “ball four” e foi andando em direção à 1ª base. O corredor, talvez por distração, foi para a 3ª base; e no momento em que o arremessador iniciou o próximo arremesso, surpreendentemente, retornou  à 2ª base. Isso é legal?
 
É legal, desde que tenha voltado por engano, e não com o propósito de confundir a defesa ou ridicularizar o jogo. Se fosse tocado por um defensor enquanto retornava, seria eliminado.

[Regra 7.08 (i), Comentário - Regra 7.08 (i)]

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

TOMBO DO ARREMESSADOR RESULTA EM "BALK"

Lincecum, arremessador do San Francisco Giants, escorrega enquanto faz os movimentos de arremesso e comete um "balk".  
 
 
[Regra 8.05 (a)]
 

“FAIR BALL” OU “FOUL BALL”?

Rebatida “fly” para as proximidades da linha de “foul” do “left field” (jardim esquerdo). O jardineiro esquerdo movimentou-se rapidamente e tentou efetuar a defesa, mas não conseguiu –a bola bateu na sua luva e caiu em território “foul”. Quando sua luva tocou a bola, seus pés estavam em território “foul”.
 
Se os pés do defensor estão em território “foul” quando sua luva tem contato com a bola, a rebatida é “foul”?
 
Nem sempre. Uma rebatida “fly” deve ser julgada –se é “foul” ou “fair”– de acordo com a posição da bola em relação à linha de “foul, incluindo o poste de “foul”, e não pela posição do defensor –se ele estava em território “foul” ou “fair”– no momento em que tocou a bola.  

(Beisebol – Regras: 2.00 “FAIR BALL”, 2.00 “FOUL BALL”)
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 29, 1 – Seção 37)

“BALK” COM CORREDOR NA 3ª BASE DECIDE A PARTIDA

Jogo Kansas City Royals 4 x 5 Chicago White Sox. Segunda metade do nono “inning”, dois “outs”, contagem de bolas arremessadas: 1 – 0, placar: 4 x 4.

O arremessador do Royals –Aaron Crow– comete um “balk” e concede o ponto da vitória (A. J. Pierzynski estava na 3ª base).    

O árbitro de “home” considerou os movimentos que o arremessador fez  como interrupção do “stretch”*.

[Regra 8.01 (b)]

*"Stretch" é aquele movimento preliminar natural que o arremessador faz antes de assumir a "set position".

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

JOGADA DE APELAÇÃO

“Fly” longo para o jardim esquerdo. O corredor da 1ª base, acreditando ser uma rebatida indefensável, saiu correndo e, após pisar a 2ª base, deu alguns passos na direção da 3ª base. O jardineiro esquerdo, com muito esforço, conseguiu apanhar a bola no ar. O corredor, então, retornou à 1ª base, porém, sem tocar a 2ª base. O defensor da 1ª base recebeu a bola lançada pelo jardineiro esquerdo e tocou o corredor que estava sobre a “almofada”. O corredor é “out”?
 
Se o defensor apelar de maneira inequívoca –através de solicitação verbal, ou por um ato que indique claramente a intenção de apelar–, o corredor será declarado eliminado, ainda que se encontre sobre a base.

[Beisebol – Regras: 7.02, 7.10 (b)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9h, Regra 8 – EFEITO – Seção 9g-j)

DEFESA IMPRESSIONANTE DO JARDINEIRO CENTRAL EVITA UM “HOME RUN”

Jogo Kansas City Royals  x Minnesota Twins.  Placar: KC 5 x 2 MIN,  dois “outs”, “ball count”: 3 - 2 .

Lorenzo Cain, jardineiro central do Royals, faz uma impressionante defesa –apanha a bola dando um salto e estendendo a luva sobre a cerca–, evita um “home run” e encerra a segunda metade do 5º “inning”.  

 

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

LANCES OCORRIDOS NO V TORNEIO NIPPON COUNTRY CLUB DE BEISEBOL PRÉ-JÚNIOR – TAÇA SADAO KAYANO

1) O arremessador recebeu a senha do receptor fora do “pitcher’s plate” e, em seguida, deu um passo rápido sobre a placa e efetuou o arremesso. Isso é interpretado como um arremesso apressado (“quick pitch”), portanto, um arremesso ilegal. Sem corredor(es) em base, deve ser declarado um “ball”, e com corredor(es) em base, um “balk”.

[Comentário – Regra 8.01, Comentário – Regra 8.05 (e), Regras: 8.01 (d), 8.05 (e)]

2) Não havia corredor em base. O arremessador efetuou o arremesso quando o batedor não estava ainda preparado dentro do “batter’s box”, ou seja, fez um “quick pitch”, um arremesso ilegal portanto. O árbitro declarou um “strike”; deveria ter declarado um “ball”. Quando o arremessador faz um arremesso ilegal, sem corredor(es) em base, a penalidade é um “ball”, e com corredor(es) em base, é um “balk”.
 
[Comentário – Regra 8.01 (b), Comentário – Regra 8.05 (e), Regras: 8.01 (d), 8.05 (e)]

3) O arremessador ameaçou lançar à 1ª base, sem sair do “pitcher’s plate”. Na realidade, o que ocorreu foi o seguinte: o arremessador moveu o pé de apoio para trás  e achou que havia deixado o “pitcher’s plate”; não percebeu que uma parte do pé continuou em contato com a placa.  Os árbitros nada declararam; deveriam ter aplicado a Regra 8.05 (b).

4) Havia corredor na 1ª base. O arremessador parou os movimentos de arremesso porque o batedor saiu do “batter’s box”. O árbitro de “home” nada declarou, porém o árbitro da 1ª base aplicou a Regra 8.05 (a) e mandou o corredor à 2ª base. Houve reclamação da equipe na defensiva, mas a decisão “balk” foi mantida. Nesse lance, os árbitros deveriam ter declarado "TIME" e ordenado que ambos começassem novamente desde o princípio [Comentário - Regra 6.02 (b)].
 
5) O arremessador apenas mudou a direção do pé livre (ou seja, direcionou-o à 1ª base, sem dar um passo) e tentou surpreender o corredor fora da base. Esse movimento caracteriza um “balk”.

[Comentário – Regra 8.05 (c)]

DEFESA ESPETACULAR DO JARDINEIRO CENTRAL PERMITE QUE O ARREMESSADOR TERMINE O JOGO SEM CONCEDER “HIT”

Jogo Milwaukee Brewers x Baltimore Orioles. Nono “inning”, dois “outs”. Robin Yount do Brewers faz um espetacular “diving catch” (apanha a bola “mergulhando” no chão) e permite que o arremessador Juan Nieves termine o jogo sem conceder "hit".
 

terça-feira, 13 de agosto de 2013

'OSHIDASHI'

“Entrou um ponto com oshidashi!”, comentou alguém que estava assistindo a um jogo de beisebol.  

Oshidashi é um termo japonês; significa empurrar (para fora).

No beisebol e softbol, dizemos que um ponto foi anotado com oshidashi quando, com as bases cheias, o batedor obtém ball four e “empurra” os corredores para as bases seguintes.

EQUIPE NA DEFENSIVA APELA SOBRE “TAG-UP” ILEGAL APÓS O PRIMEIRO ARREMESSO AO BATEDOR SEGUINTE

Corredor na 3ª base, um eliminado. O batedor acertou um “fly” longo para o jardim esquerdo. O corredor estava sobre a base, mas deixou-a antes de a bola ser tocada pelo jardineiro esquerdo e cruzou o “home plate” facilmente. Após o primeiro arremesso ao batedor seguinte, a equipe na defensiva apelou sobre “tag-up” ilegal do corredor. O ponto deve ser anulado?
 
Não. O ponto deve ser contado porque a apelação não foi feita legalmente. (A apelação tem de ser feita antes do arremesso seguinte ou de qualquer jogada ou tentativa de jogada.)  
 
[Beisebol – Regras: 7.08 (d), 7.10 (a), Comentário – Regra 7.10 (a)]
 
[Softbol – Regra 8 – Seção 9g, Regra 8 – EFEITO – Seção 9g-j (a)]

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

CORREDOR DA 3ª BASE COLIDE COM O RECEPTOR

Corredor na 3ª base, “fly” de sacrifício (“sacrifice fly”) para o jardim esquerdo. O corredor arranca para “home” e tromba com o receptor –que está na frente da base esperando a bola que lhe foi lançada pelo jardineiro esquerdo– e derruba-o; e enquanto ele permanece caído no solo, toca o “home plate” com a mão. O árbitro declara-o “safe”.


Quando está apanhando uma bola, ou quando já tem a bola em sua mão, o receptor tem o direito de bloquear o caminho do corredor que está tentando anotar ponto, com o risco de sofrer um tranco.

 [Regra 7.06 (b) – NOTA]

CONCESSÃO DE BASES

Corredor na 1ª base, rebatida “fly” para o jardim direito. O corredor ficou parado entre a 1ª e a 2ª bases observando o lance. O jardineiro direito não conseguiu efetuar a defesa e, apressadamente, lançou à 3ª base. O lançamento, porém, foi mal executado –a bola tocou o solo e pulou para fora da cerca lateral. O batedor-corredor já havia passado a 1ª base antes de o jardineiro direito soltar a bola, mas o corredor da 1ª base ainda estava a caminho da 2ª base.  Como resolver esta situação?
 
A bola torna-se morta. O corredor da 1ª base vai à 3ª base, e o batedor-corredor, à 2ª base.

[Beisebol – Regra 7.05 (g), Comentário – Regra 7.05 (g) - REGRA APROVADA]

(Softbol – Regra 8 – Seção 7f, Regra 8 – EFEITO – Seção 7f)

domingo, 11 de agosto de 2013

BOLA LANÇADA ATINGE UM BATEDOR-CORREDOR QUE ESTÁ CORRENDO DENTRO DO TERRITÓRIO “FAIR”

Quando o batedor-corredor estava indo em direção à 1ª base –correndo dentro do território “fair”– após executar um “bunt”, a bola lançada pelo receptor atingiu-o nas costas antes de ele chegar à faixa de três pés (“three-foot lane”). É Interferência?
 
Não. É bola em jogo. Se o batedor-corredor estivesse correndo fora da faixa de três pés, aí sim, seria Interferência; ele seria eliminado e a bola ficaria fora de jogo (bola morta).  [No softbol seria aplicada a Regra 8 – Seção 2g-1, e no beisebol, a Regra 6.05 (k)].

sábado, 10 de agosto de 2013

DEFENSOR COLIDE COM ÁRBITRO

Ocorreu num jogo do XXI Campeonato Brasileiro de Beisebol Interseleções –Categoria 35 anos–, realizado no Estádio “Mie Nishi” (Bom Retiro).
 
Dois “outs”, corredor na 1ª e na 2ª bases, rebatida “fly” para o campo interno --a bola  alcançou pequena altura e estava caindo entre o arremessador e o defensor da 2ª base. O arremessador afastou-se e tentou efetuar a defesa; o interbases e o defensor da 2ª base também foram em direção à bola. O defensor da 2ª base colidiu com o árbitro da 2ª base --que estava dentro do “infield” observando o lance-- e parou.  A bola tocou o solo e desviou; os corredores avançaram às bases seguintes e o batedor-corredor chegou “safe” à 1ª base. A equipe na defensiva reclamou, alegando que o defensor da 2ª base teria possibilidade de apanhar a bola no ar se não tivesse sido "atrapalhado” pelo árbitro.
 
Reclamou sem razão, pois o choque entre os dois foi acidental; o árbitro estava de costas para o defensor da 2ª base e não percebeu a sua aproximação.