quarta-feira, 31 de julho de 2013

“INFIELD FLY”?

Nenhum eliminado, corredor na 1ª e 2ª base. O batedor preparou-se para executar um “bunt”, mas no momento em que o arremessador soltou a bola movimentou o “bat” para trás e, com um “swing” rápido, acertou um “fly” em direção ao defensor da 3ª base. (A bola rebatida subiu aproximadamente três metros acima do solo.) O árbitro da 3ª base declarou um “Infield Fly”. Decisão correta?
 
A regra não determina a altura que uma bola “fly” tem de atingir para ser considerada um “Infield Fly”. E como a rebatida não foi um “line drive”, tampouco um “fly” resultante de “bunt”, a decisão dada está correta. O batedor-corredor é “out”, a bola permanece em jogo e os corredores podem avançar a seu próprio risco.

[Beisebol – Regrs: 2.00 “INFIELD FLY”, 6.05 (e)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 56 “INFIELD FLY”, 8 – Seção 2e, 8 – EFEITO – Seção 2a-e)

ARREMESSADOR EXTRAVAGANTE

Este vídeo mostra Samuel Deduno, arremessador do Minnesota Twins, exibindo suas manias –arremessar mordendo o colar, fazer caretas e mostrar a língua antes de iniciar o arremesso. 

terça-feira, 30 de julho de 2013

CBBS - EXCELENTE NOTÍCIA

Mais um brasileiro na Major League Baseball - Parabéns André Rienzo

Publicado em 29 de Julho de 2013, às 23h46

Amanhã será mais um grande dia de orgulho para o beisebol do Brasil, André Rienzo, será o 2º brasileiro a jogar na Major League Baseball.

O arremessador que atualmente estava jogando pela equipe Triple A do Chicago White Sox, Charlotte Knights, foi chamado nesta segunda-feira para integrar a equipe principal.

Sua estréia está marcada para amanhã a noite, contra a equipe do Cleveland Indians, do receptor brasileiro Yan Gomes.

André que iniciou sua carreira pela equipe de Atibaia, vinha tendo grande desempenho nos últimos meses, sendo que foi escolhido para jogar o All Star Game Future e semana passada teve seu primeiro no-hitter pelo Charlotte Knights.

Um grande orgulho para todos nós brasileiros!!!
Parabéns André, estaremos torcendo pela sua estréia amanhã e principalmente por sua permanência na Major League Baseball.

Cópia da notícia publicada no site da CBBS (www.cbbs.com.br)

SURURU NO CAMPO POR CAUSA DE UM “HOME RUN” ANULADO

Com um corredor em base, George Brett do Kansas City Royals acertou um “home run” –a bola passou sobre a cerca entre os jardins central e direito. No momento em que os dois corredores pisaram o “home plate”, o técnico do Yankees reclamou, alegando que o batedor havia usado um “bat” ilegal, ou seja, com aplicação de alcatrão de pinho ("pine tar") sobre uma extensão maior do que 18 polegadas (45,72 cm) da extremidade mais fina do “bat”. Os árbitros se reuniram e constataram a irregularidade; o árbitro de “home”, então, apontou para Brett e declarou-o “out”. Brett entrou furiosamente no campo, e aí teve início um violento sururu.
 
Atualmente, se a substância (alcatrão de pinho) for aplicada sobre uma extensão maior do que a estabelecida na Regra 1.10 (c),  o árbitro, por sua iniciativa própria ou mediante reclamação da equipe adversária, deverá mandar o batedor usar outro “bat”. O batedor poderá usar o “bat” rejeitado, posteriormente no jogo, somente se o excesso de substância for removido. Se não houver contestação antes de o “bat” ser usado, a transgressão da Regra 1.10 (c) não anulará qualquer ação ou jogada no campo, e protestos sobre tal jogada não serão permitidos.

[Comentário – Regra 1.10 (c)]]

 ENTREVISTA DE GEORGE BRETT (21 TEMPORADAS DEFENDENDO ROYALS) NO 30º ANIVERSÁRIO DO CASO APRESENTADO ACIMA 
 

segunda-feira, 29 de julho de 2013

USO DE FITA PARA CABEÇA E VISEIRA

Softbol

Numa equipe feminina, todas as jogadoras estavam usando fita de cor branca na cabeça. Como o brilho do sol estava incomodando, num determinado “inning” as defensoras da 2ª e da 1ª bases entraram no campo usando viseira sobre a fita, e a jardineira direita , usando óculos escuros. O árbitro deve permitir isso?

Sim. A mistura de fita e viseira é permitida.  Entretanto, em caso de usar mais de um tipo, todas as peças têm de ser da mesma cor, e cada peça do mesmo tipo tem de ser da mesma cor e estilo. Não é permitido usar viseiras de plástico ou de material duro. Com relação a óculos escuros as regras nada dizem a respeito.

(Regra 3 – Seção 8a-2)

Fonte: Official Softball Rule Case Book, editado pela JSA – Japan Softball Association

CONCESSÃO DE BASES

O arremessador tirou o pé de apoio do "pitcher's plate", ilegalmente, e fez um mau lançamento à 1ª base depois que o árbitro declarou um “balk”.  A bola foi parar nas arquibancadas. Como deve ser decidido este lance?
 
A bola torna-se morta e o árbitro deve conceder uma base a cada corredor. Se a bola não tivesse saído do campo, os corredores poderiam avançar mais de uma base, a seu próprio risco.

[Regra 8.05 - PENALIDADE, Regra 8.05 - REGRA APROVADA (1)]

domingo, 28 de julho de 2013

LANCES OCORRIDOS EM JOGOS DO XXI CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERSELEÇÃO – CATEGORIA 60 ANOS (SESSENTÃO), REALIZADOS NO DIA 27/07/2013

1) Corredor na 2ª base, rebatida “ground” para o campo interno. O corredor avançou à 3ª base e o batedor-corredor foi declarado “safe” na 1ª base. O defensor da 1ª base fingiu que devolveu a bola ao arremessador e escondeu-a; e no momento em que o corredor, distraidamente, saiu da base, deu ‘tatti’* nele; o árbitro declarou-o eliminado. (Enquanto ocorria isso, o arremessador estava posicionado sobre o “pitcher’s plate”.) A decisão foi aceita e o jogo prosseguiu normalmente.
 
A artimanha de esconder a bola é legal, mas como o arremessador estava sobre o “pitcher’s plate”, sem estar de posse da bola, o árbitro deveria ter declarado um “balk”.
 
[Regra 8.05 (i), Regra 8.05 – PENALIDADE, Comentário – Regra 8.05]

*Dar ‘tatti’ é tocar o corredor (ou batedor-corredor) com a bola firmemente segura na mão ou luva.
 
2) Corredor na 1ª e 2ª base, menos de dois outs, rebatida fly ao espaço entre o defensor da 3ª base e o interbases. O defensor da 3ª base deu alguns passos para trás e estendeu a luva para efetuar a defesa; a bola bateu na sua luva e foi ao solo. O árbitro da 3ª base declarou “Infield Fly!” e eliminou o batedor. A equipe na ofensiva reclamou, alegando que a regra de Infield Fly não deveria ter sido aplicada, já que o defensor teve que se afastar para tentar apanhar a bola, ou seja, não conseguiria apanhá-la com um esforço normal. O jogo ficou paralisado um instante, mas prevaleceu a decisão dada.
 
O fato de o defensor ter se afastado é irrelevante; o árbitro deve ter julgado que a bola era facilmente defensável.  
 
(Regra 2.00 “INFIELD FLY”)

sábado, 27 de julho de 2013

MAIS LANCES SIMPLES QUE PODEM SUSCITAR DÚVIDAS

1) Nenhum eliminado, corredor na 1ª base, “ball count” (contagem de bolas arremessadas): 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). No quinto arremesso, o corredor arrancou em direção à 2ª base; o batedor fez “swing”, mas errou (o “bat” não teve contato com a bola).  Como o receptor deixou a bola passar para trás, o batedor correu para a 1ª base. 
 
O batedor é eliminado automaticamente (“strikeout”). (Quando, com menos de dois eliminados, há corredor na 1ª base no momento do arremesso, o batedor é eliminado imediatamente por três “strikes”.) O jogo continua com um “out” e corredor na 2ª base. A bola permanece viva.

[Beisebol – Regra 6.05 (c) – vide NOTA]
 
(Softbol – Regra 7 – Seção 6m, Regra 7 – EFEITO – Seção 6l-m)

2) Nenhum eliminado, corredor na 1ª base. Quando o corredor tentava um roubo de base, o batedor eliminado por três “strikes” atrapalhou o lançamento do receptor.
 
A bola torna-se morta. O corredor é “out” devido à Interferência cometida pelo batedor que acabara de ser eliminado.
 
No beisebol, o corredor que seria o alvo da jogada deve ser declarado eliminado. No softbol, o corredor que está mais perto do “home plate”, no momento da Interferência, deve ser declarado eliminado.

[Beisebol – Regra 7.09 (e) – vide Comentário e NOTA]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9o – vide NOTA, Regra 8 – EFEITO – Seção 9k-s)
 
3) Batedor destro foge do arremesso que vem na direção do seu peito, mas a bola atinge, simultaneamente, o “bat” e a sua mão direita; e ao tocar o solo, para na frente do “home plate”. Ele adquire o direito de ir à 1ª base?
 
Não. É uma bola “fair”. Este caso não deve ser confundido com aquele em que a bola atinge somente as mãos que seguram o “bat”.

(Beisebol – Regra 2.00 “FAIR BALL”)
 
(Regra 1 – Seção 29a)

sexta-feira, 26 de julho de 2013

CONCESSÃO DE BASES

Havia corredores em base. O arremessador posicionado sobre o "pitcher's plate" fez um mau lançamento à 1ª base e mandou a bola para as arquibancadas. Quantas bases os corredores podem avançar?
 
Uma base (sem o risco de serem eliminados). Se, entretanto, a bola lançada passar pelo defensor da 1ª base e, posteriormente, for desviada por outro defensor para uma área de bola morta, a concessão será de duas bases a partir da base onde estavam no momento do lançamento.
 
[Regra 7.05 (h) - REGRA APROVADA]

'SHIN' DE UM TACO DE BEISEBOL ("BAT")

“Tem que acertar no ‘shin’!”, disse o “coach” da 1ª base a um batedor que rebateu um “ground” fraco ao campo interno e foi eliminado na 1ª base.
 
‘Shin’ é um termo japonês; significa cerne, centro, núcleo, miolo etc. ‘Shin’ (“sweet spot” em inglês) de um “bat” de beisebol é aquela área que fica na parte central de sua parte mais grossa; pode ser definido como a melhor parte do taco para rebater a bola arremessada, ou seja, o ponto de percussão em que o taco transmite energia máxima à bola quando ela é rebatida –uma bola rebatida com essa parte do “bat”, além de resultar em “tacada eficiente”, pode alcançar grande distância.  
 
Uma das maneiras de encontrar o ‘shin’ do “bat”:
 
1) Segurar o cabo entre o polegar e o dedo indicador, com a ponta (parte mais grossa) para baixo.  
 
2) Bater suavemente a extremidade da parte mais grossa com um martelo ou qualquer material duro e continuar dando pancadas leves em direção ao cabo; quando atingir a área do ‘shin’, sentirá uma vibração nos dedos; quando bate fora dessa área, os dedos não sentem nada, e o som da pancada é ligeiramente diferente de quando o martelo (ou outro material) toca a área do ‘shin’. 

Acertar no 'shin' = Acertar na veia (como dizem alguns).
 

quinta-feira, 25 de julho de 2013

DEFENSOR ATIRA SUA LUVA E ATINGE UMA BOLA “FAIR”

Uma bola "fly" que, na opinião do árbitro, teria passado sobre a cerca entre os jardins esquerdo e central caiu dentro do campo após ser desviada pela luva atirada pelo jardineiro central.  Que decisão deve ser tomada?
 
É um "home run". 
 
[Beisebol - Regra 7.05 (a) – vide NOTA 2]
 
(Softbol - Regra 8 - Seção 7e, Regra 8 - EFEITO - Seção 7e - EXCEÇÃO)

quarta-feira, 24 de julho de 2013

USO DE RELÓGIO DE PULSO E JOIAS DURANTE UM JOGO

Softbol

Durante o andamento do jogo o árbitro percebeu que uma jogadora estava usando colar. Que providência ele deve tomar? 
 
Para evitar acidentes, os(as) jogadores(as) não podem usar relógio de pulso, bracelete, colar, brinco ou qualquer outro item considerado perigoso pelo árbitro.
 
Se o árbitro julgar que é perigoso usar determinado objeto, deverá mandar tirá-lo. Se o(a) jogador(a) continuar usando tal objeto, será removido(a) do jogo; se ele(ela) atender à exigência do árbitro, não haverá qualquer penalidade.
 
Podem ser usados braceletes ou colares com fins medicinais. Braceletes e/ou colares com fins medicinais não são considerados joias, mas caso sejam usados têm de estar presos ao corpo, com fita adesiva.
 
(Regra 3 - Seção 8f-g,  Regra 3 - EFEITO  - Seção a-g - vide NOTA)

RECEPTOR ESTORVA O BATEDOR

Corredor na 3ª base. Apesar de ter sido estorvado pelo receptor, o batedor acertou uma rebatida “fly” –a bola foi em direção ao jardim direito. O jardineiro direito apanhou facilmente a bola. O corredor fez “tag-up” (saiu legalmente da base) e pisou o “home plate”. O técnico da equipe na ofensiva manifestou o desejo de aceitar o resultado da jogada.  Isso é possível?
 
É perfeitamente possível. O técnico da equipe na ofensiva tem o direito de renunciar à penalidade da falta cometida pelo receptor e aceitar o resultado da jogada.
 
[Beisebol – Regra 6.08 (c)]
 
[Softbol – Regra 8 – Seção 1d, Regra 8 – EFEITO – Seção 1d – 2 (b)]

No softbol, a falta cometida pelo receptor é tratada como Obstrução (Regra 1 – Seção 66a), e no beisebol, como Interferência da Defensiva [Regra 2.00 “INTERFERENCE” (b)].

terça-feira, 23 de julho de 2013

“BAT” COM O CARIMBO DE APROVAÇÃO DA INTERNATIONAL SOFTBALL FEDERATION (ISF) ILEGÍVEL

Um “bat” que tem o carimbo “OFFICIAL ISF APPROVED SOFTBALL” ilegível devido ao desgaste pelo uso pode ser utilizado no jogo? 
 
Sim, se todos os outros aspectos estiverem de acordo com as Regras da ISF, e desde que isso possa ser constatado com razoável segurança.

(Regra 3 – Seção 1n)

"INFIELD FLY"

Nenhum eliminado. Billy Ripken e Cal Ripken estavam na 1ª base e 2ª base, respectivamente, quando um companheiro de equipe levantou um fly para o campo interno. (O batedor foi declarado out pela regra de Infield Fly.) O interbases preparou-se para efetuar a defesa, porém, “perdeu” a bola no sol e deixou-a cair. A bola pulou ao tocar o solo e atingiu Cal, que, nesse momento, estava sobre a 2ª base.
 
Cal também deve ser eliminado?
 
Cal é safe. Regra 7.08 (f) – EXCEÇÃO: Se um corredor que está tocando sua base for atingido por um Infield Fly, ele não será eliminado, embora o batedor o seja.
 
Suponhamos que os árbitros não tenham declarado “Infield Fly!”. Mas Cal Ripken, achando que a regra fora aplicada, permanece na 2ª base, enquanto Billy Ripken, sabendo que não fora, arranca em direção à 2ª base ao perceber que o defensor não efetuaria a defesa.

A bola pula ao tocar o solo, desvia após ter contato com Cal, que se encontra sobre a 2ª base, e depois atinge Billy, que está se aproximando da 2ª base. É uma jogada dupla?
 
Não. Somente Cal é out. Comentário – Regra 7.08 (f): Se dois corredores forem atingidos pela mesma bola “fair”, somente aquele que foi atingido primeiro será eliminado. Isso porque a bola torna-se morta, imediatamente, no momento em que tem contato com um corredor.
 
Acrescentemos mais uma hipótese.  Suponhamos que a regra de Infield Fly tenha sido aplicada, e Billy Ripken, que estava fora da base, tenha sido atingido pela bola. É uma jogada dupla?
 
Sim. Regra 7.08 (f): Se um corredor for atingido por um Infield Fly quando não está tocando sua base, ambos –corredor e batedo – serão eliminados.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker         

segunda-feira, 22 de julho de 2013

RED SOX GANHA O JOGO COM UM ‘SAYONARA HOOMURAN’

O jogo Yankees vs. Red Sox estava empatado (7 x 7 ) ao término do nono “inning”, e esse placar continuou até o final do 10º "inning". Na primeira metade do 11º “inning", Yankees não pontuou. Na segunda metade desse “inning” --não havia corredor em base--, com dois eliminados e a contagem de bolas arremessadas  ("ball count") em 3 - 2, o quinto batedor Mike Napoli acertou um "home run" e decidiu a partida. Placar final:  Yankees 7 x  8 Red Sox.

Quando ocorre um lance assim, costumamos dizer que o jogo foi decidido com um ‘sayonara hoomuran’ (“home run” de despedida).  

RECEPTOR ESTORVA O BATEDOR

Softbol

Nenhum eliminado, bases cheias. O batedor rebateu um arremesso efetuado ilegalmente –a bola foi na direção do defensor da 2ª base. Essa rebatida resultou em “double play” (4 – 6 - 3). Enquanto ocorria a jogada dupla, o corredor da 3ª base pisou o “home plate” e o corredor da 2ª base avançou à 3ª base. Como, porém, nesse lance o batedor havia sido obstruído pelo receptor, o técnico da equipe na ofensiva solicitou a aplicação da penalidade da Obstrução. 
 
Quando o batedor obstruído pelo receptor rebate um Arremesso Ilegal, não se aplica a regra de Obstrução. O técnico da equipe na ofensiva tem o direito de optar pela aplicação da penalidade de um Arremesso Ilegal, ou pelo resultado da jogada.  

(Regras: 1 – Seção 66a,  6 – EFEITO – Seções 1 – 7/3)

"DOUBLE PLAY" COM UM "FOUL FLY"

Corredor na 1ª base, um "out", "ball count": 0 - 2. "Foul Fly" em direção à cerca lateral próxima ao "backstop". O receptor encosta na cerca, estende o "mitt" --ao fazer isso quase cai para dentro das arquibancadas-- e apanha a bola no ar. Em seguida, vendo o corredor da 1ª base fazer 'beessu tatti'* e arrancar em direção à base seguinte, lança rapidamente ao defensor  da 2ª base e concretiza um "double play" (jogada dupla).    
 
Clique Aqui
 
*Fazer 'beessu tatti' significa deixar a base que está ocupando para avançar à base seguinte, depois que um defensor apanha ou toca uma bola "fly". Fazer 'beessu tatti' = fazer "retouch" = fazer "tag-up" (ou "touch-up").
 
[Beisebol - Regra 2.00 "RETOUCH" - vide NOTA]
 
(Softbol - Regra 1 - Seção 95 "TAGGING UP")

domingo, 21 de julho de 2013

TERCEIRO “STRIKE” NÃO AGARRADO – O BATEDOR VAI CAMINHANDO EM DIREÇÃO AO “BENCH”

Softbol
 
Corredor na 1ª base, dois “outs”. O receptor derrubou a bola do terceiro “strike”, mas como o batedor foi caminhando rumo ao “bench”, não o tocou nem lançou à 1ª base. Repentinamente, ele (batedor) percebeu sua situação e arrancou em direção à 1ª base; e pisou a 'almofada' antes de o defensor da 1ª base receber a bola que lhe foi lançada pelo receptor.

Decisão: Deve ser declarado "safe". Ele seria eliminado automaticamente se tivesse entrado no “bench”.

 (Regra 8 – Seção 2d-3)

sábado, 20 de julho de 2013

LANCES SIMPLES QUE PODEM SUSCITAR DÚVIDAS

1) Um eliminado, corredor na 1ª e na 2ª bases. O batedor tenta rebater o terceiro “strike” e erra (o “bat” não tem contato com a bola).  O receptor derruba a bola. Vendo isso, os dois corredores arrancam para as bases seguintes. O batedor chega à 1ª base.
 
O batedor é eliminado automaticamente. Os corredores serão eliminados se forem tocados fora da base.

[Beisebol – Regra 6.05 (c)]
 
(Softbol – Regra 7 – Seção 6m)

2) Num “squeeze play”, o batedor executou um “bunt” com perfeição; ocorre que, no momento em que ele tocou a bola com o “bat”, um pé estava pisando o “home plate”.
 
No softbol, o batedor é “out”.

(Regra 7 – Seção 6d)

No beisebol, o batedor será eliminado somente se o pé em contato com o  “home plate” estiver completamente fora do “batter’s box” (as linhas demarcatórias do “batter’s box” são consideradas dentro do “box”).
 
[Regra 6.06 (a)]

3) O batedor foge do arremesso que vem na direção do seu peito, mas não consegue evitar que ele atinja as mãos que estão empunhando o “bat”; a bola toca o solo, rola para o território “foul” e para.
É “foul ball”?
 
Não. O batedor adquire o direito de ocupar a 1ª base. As mãos do batedor não devem ser consideradas uma parte do “bat”. É bola morta (“dead ball”).

[Beisebol – Regra 6.08 (b)]
 
(Softbol – 8 – Seção 1f – vide NOTA, Regra 8 – EFEITO – Seção 1f)

4) O árbitro declarou “INFIELD FLY!”, mas a bola, empurrada pelo vento, caiu no território “foul” e parou.
 
A declaração de INFIELD FLY deve ser anulada. É “foul ball”.

(Beisebol – Regra 2.00 “INFIELD FLY”)
 
(Softbol – Regra 1 – Seção 56 )

sexta-feira, 19 de julho de 2013

“MALABARISMO” COM A BOLA

Nenhum “out”. Robin Yount do Brewers estava na 3ª base quando Rob Deer rebateu um “fly” grande para o jardim direito.
 
Mel Hall do Yankees correu bem e alcançou a bola, mas, ao tocá-la com sua luva, desviou-a; e enquanto tentava segurá-la, fez “malabarismo” com ela –a bola “pipocou” várias vezes após bater na luva. Finalmente, com muito esforço, conseguiu fazer uma pegada legal (agarrou a bola antes que ela caísse ao solo).
 
Yount fez “retouch” –deixou a base assim que Hall teve contato com a bola pela primeira vez– e chegou ao “home plate” facilmente. Yankees, porém, reclamou, alegando que Yount deixou a base antecipadamene, e apelou na 3ª base.  Os dois –Deer e Yount– devem ser eliminados?
 
Não. Somente Deer deve ser eliminado. Um corredor pode retocar a base e deixá-la no momento em que um jogador da defensiva toca a bola. Uma pegada é legal se a bola é finalmente retida por qualquer defensor, ainda que tenha havido “malabarismo” (tenha “pipocado” após bater na luva); uma pegada é legal também se uma bola que desvia após ter contato com um defensor é agarrada por outro defensor antes que ela toque o solo.  
 
(Regras: 2.00 “CATCH”, 2.00 “RETOUCH”)

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker          

INTERFERÊNCIA DE UM CORREDOR OU "COACH"

Softbol

Rebatida “foul fly” à frente da 3ª base. No momento em que o defensor da 3ª base se prepara para apanhar a bola,

(1)  o corredor da 3ª base o atrapalha;
 
(2) o “coach” da 3ª base o atrapalha.
 
Decisão:

(1) O corredor da 3ª base é “out”. É “foul ball”. A bola torna-se morta. O batedor continuará batendo com um “strike” adicional –se a rebatida tiver ocorrido quando havia menos de dois “strikes”.  (Regra 8 – Seção 9n, Regra 8 – EFEITO – Seção 9k-s)
 
(2) O batedor-corredor é “out”. A bola torna-se morta. Se a Interferência do “coach” ocorrer quando há corredores em base, o corredor que está mais perto do “home” no momento em que é cometida a falta será eliminado. Neste caso, o batedor-corredor voltará a bater com um “strike” adicional pela bola “foul” –se a rebatida tiver  ocorrido quando havia menos de dois “strikes”.  (Regra 8 – Seção 2k – vide EXCEÇÃO e NOTA, Regra 8 – EFEITO – Seção 2g-k)

quinta-feira, 18 de julho de 2013

BOLA LANÇADA PELO RECEPTOR ATINGE ACIDENTALMENTE O CORPO DO BATEDOR

Corredor na 2ª base. Quando o arremessador iniciou os movimentos de arremesso, o corredor arrancou em direção à 3ª base. O receptor tentou eliminá-lo, mas a bola  lançada atingiu acidentalmente o corpo do batedor –que se encontrava dentro do “batter’s box”– e rolou para dentro do “bench” da equipe na defensiva. O batedor deve ser eliminado?
 
Não. O lance foi casual, portanto não há penalidade. A bola permanece em jogo. O avanço do corredor da 2ª base é válido. Como a bola entrou no “bench” e tornou-se morta, o corredor deve ser autorizado a ir para “home”, sem o risco de ser eliminado. Se o batedor tivesse saído do “batter’s box” ou feito qualquer outro movimento para estorvar a jogada do receptor, seria eliminado por ação ilegal.

[Regras: 6.06 (c),  7.05 (g)]

BATEDOR OBSTRUÍDO PELO RECEPTOR

Softbol

Dois eliminados, corredor na 3ª base. O batedor foi obstruído pelo receptor, mas mesmo assim conseguiu acertar uma rebatida forte –a bola foi na direção do espaço entre os jardins direito e central. O corredor da 3ª base pisou o “home plate”; o batedor-corredor chegou à 2ª base, porém sem tocar a 1ª base. Para evitar uma apelação sobre a omissão de base, o técnico da equipe na ofensiva pode optar pela penalidade da falta cometida pelo receptor?
 
Não. Como o corredor da 3ª base e o batedor-corredor avançaram pelo menos uma base, a Obstrução cometida pelo receptor não é levada em consideração. Portanto, se a equipe na defensiva apelar corretamente, o batedor-corredor será eliminado e não será anotado ponto.

(Regra 8 – Seção 1d, Regra 8 – EFEITO – Seção 1d-3 – vide NOTA)

Fonte: Official Softball Rule Case Book, editado pela JSA – Japan Softball Association

quarta-feira, 17 de julho de 2013

“BAT” TEM CONTATO COM O “MITT” NO MOMENTO DO “SWING”

Softbol

Corredor na 2ª base. Quando o “ball count” (contagem de bolas arremessadas) estava em 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”), o batedor tentou rebater o arremesso seguinte, mas o “bat” nem sequer tocou a bola. Como, no momento do “swing”, o “bat” teve contato com o “mitt”, o receptor não conseguiu agarrar a bola. O batedor-corredor chegou à 1ª base e o corredor avançou à 3ª base. O técnico da equipe na defensiva reclamou, alegando que o corredor teria de retornar à 2ª base.
 
Reclamação improcedente. Visto que o batedor-corredor chegou à 1ª base e o corredor da 2ª base avançou uma base, o jogo deve continuar normalmente como se não tivesse ocorrido a Obstrução.

(Regra 8 – Seção 1d, Regra 8 – EFEITO – Seção 1d-3)

Fonte: Official Softball Rule Case Book, editado pela JSA – Japan Softball Association

DEFENSOR ATIRA SUA LUVA E ATINGE UMA BOLA “FAIR”

O defensor da 2ª base atirou sua luva e atingiu um “liner”* que passava acima de sua cabeça –a bola foi desviada  para o espaço entre o jardim esquerdo (“leftfield”) e o jardim central (“centerfield”). O batedor-corredor, que tinha o direito de ir até a 3ª base, sem o risco de ser eliminado, continuou avançando e pisou o "home plate". O ponto é válido?
 
Sim, o ponto é válido. O batedor-corredor pode avançar além da 3ª base, correndo o risco de ser eliminado, porque a bola permanece em jogo.

[Beisebol - Regra 7.05 (c) - vide NOTA]
 
(Softbol - Regras: 8 - Seção 6e-2, 8 - Seção 7e, 8 - EFEITO - Seção 7e-1 - vide EXCEÇÃO - Seção 7e-1)

*"Liner" é uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do "bat" a um defensor, sem tocar o solo. “Liner” = “Lne Drive”.

terça-feira, 16 de julho de 2013

"FLY OUT" OU "FOUL TIP"?

Softbol

Nenhum eliminado, corredor na 1ª base. O batedor fez um “swing” grande, mas não conseguiu rebater o arremesso. A bola triscou o “bat”, foi em linha reta para trás e, ao bater no “mitt”, subiu além da cabeça do batedor; finalmente, foi apanhada pelo receptor antes de tocar o solo. É “fly out”?  Ou é “foul tip”?
 
É “foul tip”.  A bola foi diretamente do “bat” ao “mitt” do receptor; ela subiu além da cabeça do batedor após bater no “mitt”, e não após ter contato com o “bat”.   
 
“Foul Tip” é uma bola rebatida que: (a) vai diretamente do “bat” às mãos do receptor; (b) não sobe além da cabeça do batedor; (c) é agarrada legalmente pelo receptor.

(Regra 1 – Seção 39 “FOUL TIP”)
 
Fonte: Official Softball Rule Case Book, editado pela JSA – Japan Softball Association

“BUNT” EXECUTADO DEPOIS DE DOIS “STRIKES” RESULTA EM “FOUL FLY”

Tony Gwynn do Padres  na 1ª base. Contagem de bolas arremessadas: dois “strikes”. Quando Gwynn, que estava fora da base, deu alguns passos em direção à 2ª base, Ed Whitson executou um “bunt”. A bola foi para o ar, e quando ela estava caindo em território “foul”, perto da linha da 3ª base, o defensor da 3ª base do Giants Kevin Mitchel percebeu que o “foul fly” seria facilmente defensável. Ele deve efetuar a defesa ou deve deixar a bola cair ao solo? 
 
Ele deve efetuar a defesa e fazer uma jogada dupla, eliminando Gwynn antes que ele retorne à 1ª base [Regra 7.08 (d)]. Isso porque, quando um defensor agarra um “fly” resultante de “bunt”, a bola permanece em jogo como em qualquer “fly” apanhado no ar. Se ele deixar a bola cair ao solo, será declarado um “foul ball”. Nesse caso, somente Whitson será eliminado –um batedor é eliminado quando um “bunt” executado depois de dois “strikes” resulta em “foul ball” [Regra 6.05 (d)]– e Gwynn retornará à 1ª base [Regra 5.09 (e)].

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker             

segunda-feira, 15 de julho de 2013

DEFENSOR DA 3ª BASE COLIDE COM O CORREDOR DA 3ª BASE

Um eliminado, corredor na 3ª base. Quando o “ball count” (contagem de bolas arremessadas) estava em 3 – 2 (três “balls” – dois “strikes”), o “coach” da 3ª base soltou a senha de “squeeze play”*.  O “bunt” executado resultou em “foul fly” na direção da 3ª base.  O defensor da 3ª base correu para apanhar a bola nas proximidades da linha de “foul”, mas não conseguiu porque chocou-se com o corredor que estava retornando à base.  
 
O corredor é “out” em razão da falta cometida (Interferência). É “foul ball”. O batedor continua batendo (“ball count”: 3 – 2) 

[Beisebol – Regras: 7.08 (b), 7.09 (j)]
 
(Softbol – Regra 7 – Seção 6f – EXCEÇÃO )
 
*“Squeeze Play” é uma jogada em que uma equipe, com corredor na 3ª base, tenta anotar ponto por meio de “bunt”.

domingo, 14 de julho de 2013

“TSUU AUTO, BOORU FASTO!”

Corredor na 3ª base, um eliminado, rebatida “fly” para o campo interno. O interbases efetuou a defesa e eliminou o batedor-corredor. Aí seus companheiros gritaram “TSUU AUTO, BOORU FASTO!”
 
TSUU AUTO, BOORU FASTO vem de TWO OUT, BALL FIRST (dois eliminados, bola para a 1ª base) = procedimento para lembrar que a terceira eliminação deve ser completada, de preferência, na 1ª base.  
 
TSUU AUTO, BOORU FASTO = TSUU DAN, BOORU FASTO (vem de TWO DOWN, BALL FIRST).

BATEDOR ERRA AO TENTAR UM “BUNT” DEPOIS DE DOIS “STRIKES”

Nenhum eliminado, corredor na 2ª base. Quando o “ball count” (contagem de bolas arremessadas) estava em 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”), o batedor tentou um “bunt”, mas falhou (o “bat” não teve contato com a bola). Como o receptor deixou a bola escapar para trás, o corredor da 2ª base e o batedor-corredor avançaram à 3ª base e à 1ª base, respectivamente. O técnico da equipe na defensiva reclamou, alegando o seguinte: (1) o batedor deveria ser eliminado por ter errado um “bunt” depois de dois “strikes”;  (2) o corredor teria que retornar à 2ª base.
 
Reclamação indevida. O batedor deve ser eliminado somente quando uma tentativa de “bunt” depois de dois “strikes” resulta em “foul ball”. O avanço do corredor da 2ª base foi legal. Com relação ao batedor-corredor, foi aplicada a Regra do Terceiro "Strike".
 
[Beisebol – Regras: 6.05 (d), 6.09 (b) (1)]
 
(Softbol – Regras: 7 – Seção 6f, 8 – Seção 1b-1)

sábado, 13 de julho de 2013

BATEDOR ATINGIDO POR UM ARREMESSO ENTRA NO “BENCH” PARA SER EXAMINADO POR UM MÉDICO

Softbol

O batedor foi atingido no cotovelo por um arremesso muito forte. Em razão disso, ele foi à 1ª base somente depois de ser examinado por um médico, dentro do “bench”.
 
Como entrou no “bench”, deve ser eliminado por abandono de esforço para alcançar uma base?
 
Não, porque a bola fica fora de jogo (bola morta) quando um arremesso atinge um batedor.

De acordo com a Regra 8 – Seção 2d, o batedor-corredor é eliminado quando, em vez de ir à 1ª base, entra na área de sua equipe
 
1. depois de acertar uma rebatida “fair”, ou
 
2. depois de ter obtido uma base por “balls” (“base on balls”), ou
 
3. em outras situações que lhe permitem avançar legalmente à 1ª base.

Fonte: Official Softball Rule Case Book, editado pela JSA – Japan Softball Association