terça-feira, 18 de junho de 2013

ZONA DE STRIKE* QUANDO O BATEDOR NÃO ASSUME A SUA POSTURA HABITUAL DENTRO DO "BATTER'S BOX"

Jogo empatado na segunda metade do último inning, bases cheias. O batedor adotou uma postura não habitual no batter’s box –agachou-se exageradamente– para  tentar  obter uma base por balls e empurrar o corredor da 3ª base para home. O primeiro arremesso passou acima de sua cabeça; o árbitro de home gritou “STRIKE!”. Por que o árbitro considerou strike esse arremesso?
 
É porque a bola passou na zona de strike, que, neste caso, é determinada considerando a postura habitual do batedor.
 
Beisebol
 
*ZONA DE STRIKE é aquela área sobre o home plate, cujo limite superior é uma linha horizontal no ponto médio entre o topo dos ombros e o topo da calça do uniforme, e o limite inferior é uma linha na parte mais baixa da rótula do joelho. A zona de strike deve ser determinada de acordo com a postura habitual do batedor quando ele se prepara para rebater a bola arremessada.
 
NOTA: O árbitro de home não deve ser enganado pelo batedor que, com o intuito de diminuir a zona de strike, adota uma postura diferente da habitual no batter’s box enquanto aguarda o arremesso. 

(Regra 2.00 “STRIKE ZONE”)
 
Softbol

*ZONA DE STRIKE (modalidade Arremesso Rápido) é aquele espaço –sobre qualquer parte do "home plate"– entre as axilas e a parte superior dos joelhos do batedor quando ele assume a sua postura habitual para rebater a bola arremessada.

(Regra 1 – Seção 93a)

Sem comentários:

Enviar um comentário