domingo, 30 de junho de 2013

BASE DUPLA (3)

Softbol

Bola rebatida para o campo externo (“outfield”) –não ocorre jogada na 1ª base.
O batedor-corredor pode tocar tanto a porção “foul” como a porção “fair” da base dupla e avançar à(s) base(s) seguinte(s).
[Regra 2 – Seção 4h-1 – NOTA (e)]



CORREDOR – RETORNO À BASE DE ORIGEM ENQUANTO A BOLA ESTÁ EM JOGO

Um "out", corredor na 1ª base, "fly" na direção do espaço entre o jardim esquerdo e o jardim central. O corredor da 1ª base passou pela 2ª base e avançou em direção à 3ª base, mas, como o jardineiro esquerdo agarrou a bola, retornou à 1ª base, sem pisar a 2ª base. O defensor da 2ª base, que observou a falha do corredor, apelou legalmente ao árbitro. Que decisão deve ser tomada?
 
O corredor é "out". Para retornar à base de origem enquanto a bola está em jogo, o corredor deve tocar as bases em ordem inversa. Se não o fizer, poderá ser eliminado em  apelação.
 
[Beisebol – Regras: 7.02, 7.10 (b)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9h – vide EXCEÇÃO)

sábado, 29 de junho de 2013

BOLA LANÇADA ROLA PARA DENTRO DO “DUGOUT”

Lou Whitaker do Tigers estava na 1ª base quando Alan Trammell acertou uma rebatida que aparentava ser um “extra-base hit” (“hit” de mais de uma base) ao espaço entre o jardim esquerdo e o jardim central. Whitaker passou pela 2ª base e estava a caminho da 3ª base quando o jardineiro esquerdo do Indian, Joe Carter, fez uma defesa  espetacular –deu um salto e apanhou a bola com uma mão. Whitaker estava retornando e se encontrava perto da 1ª base quando a bola lançada pelo interbases  escapou da luva do defensor da 1ª base e rolou para dentro do “dugout”. Para que base deve ser mandado Whitaker?
 
Para 3ª base. Como a bola entrou no “dugout”, devem ser concedidas duas bases a partir da 1ª base –a base que Whitaker teria de retocar antes de avançar legalmente.

[Regras 7.05 (g), Comentário – Regra 7.05 (i)]
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker           
 
No softbol também seria dada a mesma decisão.
 
(Regra 8 – Seção 7f, Regra 8 – EFEITO – Seção 7f – EXCEÇÃO 2)

sexta-feira, 28 de junho de 2013

BASE DUPLA (2)

Softbol

Jogada na 1ª base – lançamento feito da área “foul” do lado da 1ª base.

O batedor-corredor e o defensor podem usar tanto a porção “foul” como a porção “fair” da base dupla.

EXCEÇÃO: Em qualquer jogada com bola viva feita do território "foul" do lado da primeira base, o batedor-corredor e o jogador da defensiva podem usar tanto a porção "foul" como a porção "fair" da base dupla. Quando o jogador da defensiva usa a porção “foul” da base dupla, o batedor-corredor pode correr em território “fair”, e se for atingido por um lançamento feito do território “foul” do lado da primeira base, não haverá qualquer penalidade, pois isso não caracteriza uma Interferência. Se for apontada uma Interferência intencional, o batedor-corredor será eliminado. NOTA: A linha de um metro (três pés) duplica-se em lançamentos feitos do território “foul” do lado da primeira base.
 
[Regra 2 – Seção 4h-1 – NOTAS (b) e (c) – EXCEÇÃO]

 

CORREDOR ELIMINADO ENQUANTO CANTAROLAVA


Havia um jogador que era um bom “pinch-hitter” (batedor de emergência), porém um péssimo corredor de base e muito distraído. Um dia, quando ele estava ocupando uma base, seu técnico disse-lhe para ficar à vontade.  O corredor, então, seguiu à risca essa recomendação e, enquanto cantarolava, começou a bater de leve a base, levantando o pé que estava em contato com ela.  Numa das vezes que levantou o pé, foi tocado por um defensor, que estava de posse da bola, e foi declarado “out”.
 
[Regra 7.08 (c)]
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS   

quinta-feira, 27 de junho de 2013

BASE DUPLA (1)

Softbol

Jogada na 1ª base – lançamento feito da área “fair”.

O batedor-corredor que tenta alcançar a 1ª base deve pisar a  parte da base dupla que está em território “foul”, e o defensor, somente a parte que está em território “fair”.  Se o batedor-corredor tocar somente a porção “fair”, e houver uma apelação da equipe na defensiva antes que ele retorne à 1ª base, esse batedor-corredor será eliminado (isso é tratado da mesma forma que uma omissão de base).   

[Regra 2 – Seção 4h-1 – NOTAS (b) e (c)]

 

ARREMESSADOR - LANÇAMENTO A UMA BASE DESOCUPADA

A Regra 8.05 (d) estabelece que o arremessador deve ser penalizado com um “balk” se, enquanto está em contato com o “pitcher’s plate”, lança a bola a uma base desocupada, exceto quando tal ação tem o propósito de fazer uma jogada.
 
Jogada (1): Corredor na 1ª e 2ª base, arremessador na Posição “Set”. O corredor da 2ª base arranca para tentar roubar a 3ª base. O arremessador lança ao defensor da 3ª base.
 
Decisão: Jogada legal.
 
Jogada (2): Corredor na 1ª e 2ª base, arremessador na Posição “Set”. O corredor da 2ª base ameaça ir para a 3ª base, mas desiste. O arremessador lança ao defensor da 3ª base.
 
Decisão: É “balk”.
 
Para decidir as duas jogadas acima, o árbitro tem de julgar se o corredor estava, realmente, tentando avançar à 3ª base, ou se ele estava apenas blefando.
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues           

quarta-feira, 26 de junho de 2013

BOORU BAKKU

“Booru bakku!”, gritou o árbitro de “home” quando o arremessador se preparava para efetuar o último arremesso de aquecimento.
 
Booru bakku vem de “ball back” = retornar a bola.
 
O árbitro usa esse termo para mandar os defensores encerrar o treinamento –que costumam fazer enquanto o arremessador faz os arremessos de aquecimento– e   retornar (devolver) a bola ao “bench”. 

DEFENSOR CAI PARA DENTRO DO "DUGOUT" APÓS APANHAR UM "FOUL FLY"

Nenhum eliminado, corredor na 1ª base. O batedor levantou um “foul fly” na direção do “dugout” –lado da 3ª base.
 
O defensor da 3ª base avançou rapidamente e apanhou a bola no ar, porém, não conseguindo parar, caiu para dentro do “dugout”. O corredor da 1ª base fez “tag-up” (saiu legalmente da base) e tentou avançar à 2ª base, mas o defensor da 3ª base, de dentro do “dugout”, fez um lançamento perfeito ao defensor da 2ª base; o corredor foi tocado com a bola antes de alcançar a base.  Como o árbitro deve resolver este caso? Deve permitir que o corredor avance, sem o risco de ser eliminado, uma vez que o defensor da 3ª base levou a bola para uma área de bola morta? Deve permitir que o corredor avance, mas a seu próprio risco? Ou deve mandar o corredor retornar à 1ª base?  
 
A bola torna-se morta e o corredor deve ser autorizado a avançar à 2ª base, sem o risco de ser eliminado.
 
[Regras 5.10 (f) e 7.04 (c)]
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker         

terça-feira, 25 de junho de 2013

REGRAS DE ANOTAÇÃO – RECORDE DE JOGOS CONSECUTIVOS REBATENDO “BASE HITS”

Na noite em que Peter Rose teve seu recorde de 44 jogos consecutivos rebatendo “base hits” interrompido, ele não acertou nenhum “base hit” nas quatro vezes que enfrentou os arremessadores Larry McWilliams e Gene Garber do Atlanta Braves.  Suponhamos que ele tenha ido ao “batter’s box” cinco vezes nessa noite e tenha:  (1) andado (obtido o direito de ocupar a 1ª base por “ball four”); (2)  alcançado a 1ª base por ter sido estorvado pelo receptor (Interferência da Defensiva); (3) feito um “bunt” de sacrifício; (4) rebatido um “fly” de sacrifício; (5) sido atingido por um arremesso.

Seu recorde de jogos consecutivos rebatendo “base hits” permaneceria intacto?

Não. Um recorde de jogos consecutivos rebatendo “base hits” não deve ser interrompido se todas as atuações de um batedor (uma ou mais) num jogo resultam em “base on balls”, “hit batsman”, Interferência da Defensiva, Obstrução ou um “bunt” de sacrifício. Um “fly” de sacrifício interrompe esse recorde.

O recorde individual de um jogador que participa de jogos consecutivos rebatendo “base hits” deve ser determinado pelos jogos consecutivos nos quais ele tenha atuado, e não pelos jogos de seu clube.


[Regra 10.23 (b)]


Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

BOLA REBATIDA ATINGE UM ÁRBITRO

Corredor na 1ª base. O batedor acertou uma rebatida "fair" na direção da 1ª base.  A bola passou o defensor da 1ª base (sem ser tocada), atingiu o árbitro que estava posicionado atrás dele e foi rolando em direção ao jardim direito (“rightfield”). O batedor-corredor chegou à 3ª base e o corredor da 1ª base cruzou o "home plate". Que decisão deve ser tomada?
 
É bola em jogo. O batedor-corredor avançou legalmente à 3ª base. O corredor da 1ª base anotou ponto.

[Beisebol – Regra 6.08 (d)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 5f-1, Regra 8 – EFEITO – Seção 5a-g)

segunda-feira, 24 de junho de 2013

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

Corredor na 1ª base, um eliminado, rebatida “ground” para o campo interno. O interbases efetuou a defesa e eliminou o corredor em Jogada Forçada.  Em seguida, o defensor da 2ª base lançou à 1ª base, mas o batedor-corredor pisou a “almofada” pouco antes de o defensor da 1ª base receber a bola –o árbitro da 1ª base declarou-o “safe”. Surpreendentemente, o árbitro da 2ª base eliminou também o batedor-corredor, alegando que cometera uma Interferência, ou seja, estorvara o defensor no momento em que ele fez o lançamento para completar a Jogada Dupla. Obviamente a equipe na ofensiva reclamou, mas, depois de muita discussão, a decisão foi mantida.
 
Decisão equivocada. Estaria correta se o corredor –já eliminado– tivesse estorvado o defensor.

[Regra 7.09 (e)]

Interferência do Árbitro ocorre quando (1) um árbitro de “home” estorva, impede ou prejudica um lançamento do receptor que está tentando evitar um roubo de base ou eliminar um corredor fora da base; ou (2) uma bola “fair” que não tenha passado um defensor atinge um árbitro, em território “fair”. Interferência do Árbitro pode ocorrer também quando ele estorva o receptor que está devolvendo a bola ao arremessador.

[Regra 2.00 “INTERFERENCE” (c), Comentário – Regra 2.00 [“INTERFERENCE” (c)]

domingo, 23 de junho de 2013

CONCESSÃO DE BASES

Um defensor perde a posse da bola numa tentativa de tocar um corredor, e essa bola, em seguida, entra na área de bola morta.
 
No softbol, cada corredor deve ser autorizado a avançar uma base, sem o risco de ser eliminado, a partir da última base tocada no momento em que a bola entrou na área de bola morta.

(Regra 8 – EFEITO – Seção 7f – EXCEÇÃO 1)

No beisebol, a concessão de bases é diferente; o corredor deve ser autorizado a avançar duas   bases, sem o risco de ser eliminado, a partir da base que ocupava no momento do arremesso ou lançamento.

[Comentário – Regra 7.05 (g)]

TAÇA FEDERAÇÃO PAULISTA 2013 – CATEGORIA INFANTIL

DÚVIDAS QUE SURGIRAM DURANTE O TORNEIO REALIZADO NO CT - YAKULT

1) “Fly” nas proximidades da linha de “foul” entre o “home plate” e a 1ª base. O batedor-corredor foi atingido pela bola rebatida.  É “foul ball” ou  ele é “out”?
 
É “out” se a bola estava em território “fair” quando atingiu o batedor-corredor, tenha ou não havido intenção de atrapalhar o defensor. Se a bola estava em território “foul”, é “out” se, na opinião do árbitro, algum defensor conseguiria apanhá-la no ar (o corredor é obrigado a desviar para não estorvar a ação defensiva); do contrário, é “foul ball”. [Regras: 5.09 (f), 7.08 (f), 7.09 (k), 7.11]. A posição do batedor-corredor –se ele estava dentro ou fora da faixa de três pés quando foi atingido pela bola– é irrelevante.
 
2) Contagem de bolas arremessadas: 3 “balls” – dois “strikes”. O batedor, que estava  irritado com a zona de “strike” do árbitro, chutou a bola do arremesso seguinte. (Na opinião do árbitro, seria um “ball” e, provavelmente, atingiria as pernas do batedor.). Deve ser declarada uma Interferência? O batedor é “out”? O batedor deve ser mandado à 1ª base por “ball four”? É “dead ball” mas o batedor não adquire o direito de ir à 1ª base?   
 
Se, na opinião do árbitro, o arremesso seria “ball”, o batedor adquire o direito de ir à 1ª base (“ball four”). [Regra 6.08 (a)]. Se, porém, o árbitro achar que seria “strike”, o batedor será “out” (“strikeout”). [Regra 6.05 (b)]. A bola fica morta [Regra 5.09 (a)] . O batedor deve ser advertido por conduta antiesportiva. Se um lance assim acontecer quando há corredor(es) em base, o batedor será eliminado (Interferência da Ofensiva); o(s) corredor(es) não pode(m) avançar. [Regras: 6.06 (c), 9.01 (c)].

sábado, 22 de junho de 2013

BATEDOR FORA DE ORDEM

Irwin está escalado como o nono batedor. Num determinado “inning”, Abel –primeiro batedor– bate na vez dele e acerta um “hit” simples para o jardim direito (“right field”). O técnico da equipe oponente apela ao árbitro sobre o erro na ordem de batedores (“batting order”). Quem deve bater em seguida?
 
O batedor correto Irwin é declarado “out” e Abel volta a bater, desta vez legalmente.

[Regras: 6.07 (b) (1), 6.07 (d) (1)]
Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans         

VISITA DO TÉCNICO OU “COACH” AO ARREMESSADOR

O “pitching coach” (orientador de arremessador) foi ao montículo (“mound”) e removeu o arremessador. Enquanto o novo arremessador efetuava os arremessos de aquecimento, o técnico entrou no campo e conversou com ele. Há algum problema?
 
Deve ser contada uma visita ao novo arremessador nesse “inning”.
 
(Comentário – Regra 8.06)

sexta-feira, 21 de junho de 2013

REGRAS DE ANOTAÇÃO

Bases cheias, dois “outs”. O batedor acerta um “inside-the-park home run” (quadrangular em que a bola permanece dentro do campo). O corredor da 1ª base, porém, passa pela 2ª base sem tocá-la. Concluída a jogada, o defensor da 2ª base pede a bola, pisa a base omitida e apela ao árbitro. Nenhum ponto foi anotado, já que a eliminação do corredor da 1ª base ocorreu em jogada forçada.  Deve ser anotado um “base hit” ao batedor?
 
Não, porque o corredor da 1ª base, forçado a avançar pela rebatida, foi eliminado em apelação por ter omitido a 2ª base; deve ser anotado somente um “at bat” ao batedor.

[Regra 10.06 (b)]

ARREMESSADOR LEVANTA O PÉ LIVRE E, APÓS RETORNÁ-LO À POSIÇÃO ANTERIOR, LANÇA À 1ª BASE

Corredor na 1ª base. Arremessador canhoto posicionado sobre o "pitcher's plate" levantou o pé livre e, após retorná-lo à posição anterior, jogou a bola ao defensor da 1ª base. O movimento feito com o pé livre deve ser considerado um passo?
 
Não. Por essa razão, o arremessador deve ser penalizado com um “balk”.

[Regra 8.05 (c), Comentário – Regra 8.05 (c)]

Para dar um passo a uma base, o arremessador tem de levantar o pé livre inteiro do solo e retorná-lo a um local diferente de onde foi iniciado o movimento –o pé livre inteiro tem de ser movimentado numa direção, de forma que ele fique voltado para a base—; ele não pode levantar o pé livre e trazê-lo de volta ao mesmo ponto de onde foi iniciado o movimento. Ao dar o passo, o calcanhar do pé livre não pode voltar ao mesmo ponto de onde o pé foi levantado.

Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

quinta-feira, 20 de junho de 2013

LIVRO DE REGRAS OFICIAIS DE BEISEBOL 2013


Foi lançado o Livro de Regras Oficiais de Beisebol 2013, da AAA. Nesta versão foram consolidadas todas as alterações de regras desde 2009.
 
Gostaríamos de agradecer as empresas Polierg e Óculos Shop, pelo patrocínio para a confecção desta edição.

 

Para pedidos, favor contatar: Paulo Yamada (11) 3921.4997 / 97369.4737 ou Alberto Iwano (11) 98145.3599.

Este livro é uma tradução do Livro de Regras Oficiais da Major League Baseball – edição 2012. Nele foram incluídas Notas e Observações extraídas do Livro de Regras editado no Japão, para tornar mais fácil a interpretação de algumas regras.

RECEPTOR ESTORVA O BATEDOR NO MOMENTO DO “SWING”*

Corredor na 2ª e 3ª base. Apesar de ter sido estorvado pelo receptor –o “mitt” teve contato com o “bat”– no momento em que fez “swing”, o batedor conseguiu acertar um ‘gorô’* para o “infield” (campo interno). Devido ao erro cometido pelo interbases, o batedor-corredor chegou “safe” à 1ª base; o corredor da 3ª base pisou o “home plate”; o corredor da 2ª base, porém, não avançou. O técnico da equipe na ofensiva tem o direito de opção? Que decisão deve ser tomada se: a) houver manifestação da equipe na ofensiva? b) não houver manifestação da equipe na ofensiva?
 
O técnico da equipe na ofensiva tem o direito de opção; se ele se manifestar optando pelo resultado da jogada, será contado um ponto e a partida prosseguirá com corredor na 1ª e 2ª base; do contrário, o corredor da 3ª base terá de retornar à sua base e o jogo será reiniciado com as bases cheias.
 
[Beisebol – Regra 6.08 (c)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 1d, Regra 8 – EFEITO – Seção 1d)
 
No beisebol, a falta cometida pelo receptor é tratada como uma Interferência da Defensiva [Regra 2.00 “INTERFERENCE” (b)]; no softbol, como uma Obstrução (Regra 1 – Seção 66a).
 
*”Swing” é o ato de girar (rodar) o "bat" para tentar rebater a bola arremessada.
 
*‘Gorô’ vem de ‘guraundo’ –é assim que os japoneses pronunciam o termo “ground”. É uma bola rebatida que vai rolando ou pulando sobre o solo.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

REGRAS DE ANOTAÇÃO

Num jogo no Veteran’s Stadium, em Philadelphia, Cardinals, que tinha Ozzie Smith na 2ª base e Gene Tenace na 1ª base, com dois “outs”, tentou um “double steal” (roubo duplo de base). O receptor Bob Boone, do Phillies, percebendo que não conseguiria fazer uma jogada sobre Smith na 3ª base, com sucesso, lançou ao interbases Larry Bowa e eliminou o corredor seguinte na 2ª base. Smith deve ser creditado com uma base roubada?

Não. Regra 10.07 (d): Quando, numa tentativa de roubo duplo ou triplo de base, um corredor é eliminado antes de alcançar e ocupar a base que pretendia roubar, nenhum outro corredor deve ser creditado com uma base roubada.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker         

NOTA: Não deve ser creditada uma base roubada não só quando um corredor é eliminado de fato, mas também quando, na opinião do anotador oficial, esse corredor, certamente, seria eliminado se a defensiva não cometesse erro.

QUATRO PONTOS ANULADOS

Com dois “outs”, White Sox tem Carlton Fisk na 3ª base, Don Pasqua na 2ª base, e seu Batedor Designado na 1ª base quando Ozzie Guillen acerta um “inside-the-park home run”*. O corredor da 1ª base, porém, passa pela 2ª base sem tocá-la. Concluída a jogada, o defensor da 2ª base pede a bola, pisa a base omitida e apela ao árbitro. Quantos pontos devem ser contados?

Nenhum. A eliminação do corredor da 1ª base –terceiro “out”– ocorreu em jogada forçada [Regra 7.08 (e)].

Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (2): Não deve ser anotado um ponto se o corredor avança ao “home base” durante uma jogada em que a terceira eliminação é feita sobre qualquer corredor, em jogada forçada.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker       

*“Inside-the-park home run” = quadrangular em que a bola permanece dentro do campo.

terça-feira, 18 de junho de 2013

ZONA DE STRIKE* QUANDO O BATEDOR NÃO ASSUME A SUA POSTURA HABITUAL DENTRO DO "BATTER'S BOX"

Jogo empatado na segunda metade do último inning, bases cheias. O batedor adotou uma postura não habitual no batter’s box –agachou-se exageradamente– para  tentar  obter uma base por balls e empurrar o corredor da 3ª base para home. O primeiro arremesso passou acima de sua cabeça; o árbitro de home gritou “STRIKE!”. Por que o árbitro considerou strike esse arremesso?
 
É porque a bola passou na zona de strike, que, neste caso, é determinada considerando a postura habitual do batedor.
 
Beisebol
 
*ZONA DE STRIKE é aquela área sobre o home plate, cujo limite superior é uma linha horizontal no ponto médio entre o topo dos ombros e o topo da calça do uniforme, e o limite inferior é uma linha na parte mais baixa da rótula do joelho. A zona de strike deve ser determinada de acordo com a postura habitual do batedor quando ele se prepara para rebater a bola arremessada.
 
NOTA: O árbitro de home não deve ser enganado pelo batedor que, com o intuito de diminuir a zona de strike, adota uma postura diferente da habitual no batter’s box enquanto aguarda o arremesso. 

(Regra 2.00 “STRIKE ZONE”)
 
Softbol

*ZONA DE STRIKE (modalidade Arremesso Rápido) é aquele espaço –sobre qualquer parte do "home plate"– entre as axilas e a parte superior dos joelhos do batedor quando ele assume a sua postura habitual para rebater a bola arremessada.

(Regra 1 – Seção 93a)

segunda-feira, 17 de junho de 2013

ARREMESSO ILEGAL

No softbol, se o arremessador faz um Arremesso Ilegal quando há corredor(es) em base, o árbitro deve conceder uma base a esse(s) corredor(es) e declarar um “ball”. Quando não há corredor(es) em base, deve declarar um “ball”.

(Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7, Regra 7 – Seção 5c, Regra 8 – Seção 7d)

No beisebol, se o arremessador faz um Arremesso Ilegal quando há corredor(es) em base, o árbitro deve declarar um “balk” e  conceder uma base a esse(s) corredor(es). O arremesso deve ser anulado. Quando não há corredor(es) em base, deve ser declarado um “ball”.

[Regras: 8.01 (d), 8.05 (e), 8.05 – PENALIDADE]

INFRAÇÃO COM DUAS PENALIDADES

Com um “out”, Blue Jays tem corredor na 3ª base. Jogada combinada: “squeeze play”*. O defensor da 1ª base do Indians rouba a senha e avança rapidamente em direção ao “home plate”; apanha a bola arremessada antes que ela chegue às mãos do receptor e toca o corredor. (Quando o defensor aplicou o toque, o corredor ainda não havia pisado o “home base”.) Jogada legal?
 
Não. Deve ser declarada uma Interferência da Defensiva e imputado um “balk” ao arremessador. O corredor anota ponto e o batedor é autorizado a ir à 1ª base. Ambas as penalidades são o resultado da ação ilegal do defensor da 1ª base. A bola torna-se morta.

[Regras 6.08 (c) e 7.07]
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker        
 
*“Squeeze play” é aquela jogada em que uma equipe, com corredor na 3ª base, tenta anotar ponto por meio de “bunt”.

domingo, 16 de junho de 2013

BATTINGU TCHANSU

Jogo da Categoria Quarentão. Segunda metade do 6º “inning”, placar empatado, bases cheias, dois “outs”, contagem de bolas arremessadas: 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). Quando o arremessador jogou o terceiro “ball”, o “coach” da 3ª base disse ao batedor: “battingu tchansu!”, “battingu tchansu!”.
 
Battingu tchansu vem de “batting chance”, que quer dizer chance de rebater.
 
O “coach” usou esse termo para mandar o batedor ficar preparado para rebater, porque, com o “ball count” em 3 – 2, o arremessador tentaria jogar um “strike” para não deixar o batedor andar.   

CONFISCO DE JOGO

O jogo entre San Francisco Giants e New York Mets está empatado (8 – 8) na primeira metade do 23º “inning”.
 
Com um eliminado, Giants tem um corredor na 1ª base quando seu quarto batedor acerta um “ground”. O corredor, para tentar evitar um “double play” (jogada dupla), desliza agressivamente à 2ª base e quebra o seu joelho. (Giants não tem suplente disponível para ocupar o lugar do jogador lesionado –defensor da 3ª base– na  segunda metade do “inning”.) O árbitro deve autorizar Giants a entrar no campo com oito jogadores, ou deve confiscar o jogo a favor do Mets?
 
Deve confiscar o jogo e dar a vitória a Mets pela contagem de 9 – 0.
 
Regra 1.01: Beisebol é um jogo entre duas equipes de nove jogadores cada uma. Regra 4.17: Um jogo deve ser confiscado a favor da equipe contrária quando uma equipe  está incapacitada ou se recusa a colocar nove jogadores no campo.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker         

BATEDOR NÃO ENTRA NO “BATTER’S BOX” NA SUA VEZ DE BATER

Softbol

Se o batedor não entrar no batter’s box dentro de dez (10) segundos depois que o árbitro declara “PLAY BALL!” , será declarado um strike. Não é necessário que seja efetuado um arremesso. A bola estará morta e os corredores terão de retornar a suas bases, sem o risco de serem eliminados.

(Regra 7 – Seção 3a, Regra 7 – EFEITO – Seção 3a, Regra 7 – Seção 4i, Regra 7 – EFEITO – Seção 4d-j)

Beisebol

Se o batedor se recusar a ocupar a sua posição no batter’s box –a regra não estabelece tempo– na sua vez de bater, o árbitro deverá declarar um strike. A bola ficará morta e os corredores não poderão avançar. Após declarar um “strike” de acordo com a Regra 6.02 (c), e antes de declarar strikes sucessivos de acordo com a Regra 6.02 (c), o árbitro deve dar ao batedor uma oportunidade razoável para ele se posicionar corretamente no batter’s box.

[Regra 6.02 (c), Comentário – Regra 6.02 (c)]

sábado, 15 de junho de 2013

SUBSTITUIÇÃO DE JOGADOR

No softbol, um jogador (inclusive o arremessador) cujo nome está no “line-up card” (formulário de escalação) pode ser substituído no jogo a qualquer momento (Regra 4 – Seção 8).
 
No beisebol, o arremessador designado na escalação inicial entregue ao árbitro principal, conforme está estabelecido nas Regras 4.01 (a) e 4.01 (b), deve arremessar ao primeiro batedor, ou ao seu substituto, até que ele seja eliminado ou alcance a 1ª base, a menos que se machuque ou adoeça e o árbitro principal o considere incapacitado para continuar arremessando [Regra 3.05 (a)]. Se o arremessador é substituído, o substituto deve arremessar ao batedor de turno, ou ao seu substituto, até que ele seja eliminado ou alcance a 1ª base, ou até que a equipe na ofensiva sofra a terceira eliminação, a menos que se machuque ou adoeça e o árbitro principal o considere incapacitado para continuar atuando como  arremessador [Regra 3.05 (b)].

UNIFORME DE JOGADORES E “COACHES”

As regras sobre uniforme de jogadores e “coaches” que existem no softbol e beisebol apresentam algumas diferenças. Por exemplo, no softbol, os “coaches” podem vestir uniformes diferentes daqueles usados pelos jogadores, desde que sejam semelhantes, entre si, em cor, estado e estilo e sigam o padrão de cor(es) do clube. A Regra 4 – Seção 1b diz: Os “coaches” têm de estar devidamente trajados –inclusive usar calçados apropriados– ou vestidos com o uniforme da equipe, que deve seguir o padrão de cor(es) do clube. Se um “coach” usar um boné, este terá de ser do tipo que tenha sido aprovado.
 
No beisebol, os “base coaches” devem estar com o uniforme da equipe. [Regra 4.05 (b). (1)]
 
No softbol, bonés são obrigatórios para todos os jogadores, e têm de ser usados corretamente. Bonés, viseiras e fitas para cabeça são opcionais para jogadoras, mas podem ser usados de forma mista. Em caso de usar mais de um tipo, todas as peças têm de ser da mesma cor e cada peça do mesmo tipo tem de ser da mesma cor e estilo. EXCEÇÃO: Se um defensor optar pelo uso de um capacete aprovado de cor similar à do boné do uniforme da equipe, não será exigido que ele use um boné. (Regra 3 – Seção 8a-1 e 2).
 
No beisebol, todos os jogadores de uma equipe devem usar uniformes (boné, camisa, calças longas e meias longas) que sejam idênticos em cor, estado e estilo; nas costas de todas as camisas do uniforme deve ser colocado um número com pelo menos 15,24cm de altura ... [vide Regra 1.11 (a) (1)].
 
No softbol, todas as calças dos jogadores devem ser de um só estilo, ou todas longas ou todas curtas. Os jogadores podem usar um par de calças para “slidings” ... (vide Regra 3 – Seção 8c). Nas costas de todas as camisas do uniforme tem de ser usado um número arábico de cor contrastante, com pelo menos 15,20cm de altura ... (vide Regra 3 – Seção8d).  

sexta-feira, 14 de junho de 2013

RECEPTOR ESTORVA O BATEDOR – A INFRAÇÃO NÃO É LEVADA EM CONSIDERAÇÃO

Aconteceu no beisebol. Um "out", corredor na 1ª e 2ª base. O batedor, apesar da Interferência cometida pelo receptor, acertou uma rebatida indefensável ("hit") de duas bases (“two-base hit”). O corredor da 2ª base cruzou o "home plate"; o da 1ª base chegou à 3ª base, porém omitiu a 2ª base; o batedor-corredor avançou à 2ª base, mas deixou de pisar a 1ª base.  O técnico da equipe na ofensiva, receando apelações sobre a omissão de bases, reivindicou ao árbitro de "home" o direito de optar pela aplicação da Regra de Interferência da Defensiva. O árbitro de "home" deve atender a essa solicitação?
 
Não. Neste caso, o batedor, não obstante tenha sido estorvado pelo receptor, conseguiu acertar um "hit" e chegou à 2ª base; os corredores da 1ª e 2ª base avançaram duas bases cada. Assim sendo, o jogo deve prosseguir sem levar em consideração a Interferência da Defensiva. Se houver apelação, o corredor da 1ª base será eliminado na 2ª base (2ª eliminação), e o batedor-corredor, na 1ª base (3ª eliminação); nenhum ponto será contado.

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (b), 6.08 (c), Comentário – Regra 6.08 (c)]

No softbol também é assim.

[Regras: 1 – Seção 66a, 8 – Seção 1d, Regra 8 – EFEITO – Seção 1d-3 (vide NOTA)]

No softbol, a infração cometida pelo receptor é tratada como Obstrução. 

quinta-feira, 13 de junho de 2013

ARREMESSADOR – MOVIMENTO ILEGAL

Um arremessador canhoteiro posicionado sobre o "pitcher's plate" movimentou o seu pé livre e lançou à 1ª base para tentar eliminar o corredor que havia se afastado muito da “almofada”. Detalhe: o pé livre havia ultrapassado a borda traseira do "pitcher's plate" quando ele deu o passo em direção à base. O movimento feito pelo arremessador é  legal?
 
Não, é "balk". Se um arremessador canhoto ou destro movimenta o seu pé livre além da borda traseira do “pitcher’s plate”, ele é obrigado a arremessar ao batedor, a menos que lance à 2ª base para surpreender um corredor fora da base.

[Comentário - Regra: 8.05 (a)]

“FLYING START”

Se numa bola “fly” o corredor se posiciona atrás da base –não fica em contato com ela– para iniciar a corrida à base seguinte tomando impulso a partir dessa posição, a saída de base é considerada ilegal. Isso tanto no softbol como no beisebol. No softbol, o corredor deve ser eliminado, imediatamente, e a bola permanece viva (Regra 8 – Seção 9y, Regra 8 – EFEITO – Seção 9x-y). No beisebol, o corredor será eliminado somente se houver apelação. É uma jogada de apelação. A bola permanece viva.  [Comentário - Regra 7.10 (a)]

quarta-feira, 12 de junho de 2013

BOLA REBATIDA ATINGE O CAPACETE CAÍDO NO SOLO

Na segunda metade do nono “inning”, com o placar empatado, nenhum “out”, Tommy Herr do Phillies está ocupando a 1ª base. Numa jogada de “hit-and-run”*, Von Hayes rebate o arremesso para trás de Herr; a bola desvia após bater no capacete que o corredor deixou caído no solo e rola em direção à linha do jardim direito. Herr corre as bases e pisa o “home plate”. Ele anotou o ponto da vitória?
 
Sim. Uma bola rebatida que atinge acidentalmente um capacete, em ou sobre território “fair”, permanece em jogo como se ela não tivesse atingido o capacete.

[Comentário – Regra 6.05 (h)]

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker             

*“Hit-and-run” é uma jogada em que o batedor tem de rebater a bola arremessada, com certeza, porque o corredor já está iniciando a corrida para a base seguinte.

JOGADOR DESIGNADO (JD)

Softbol

Quando o JD chegou a uma base através de uma rebatida indefensável (“hit”), o FLEX  substituiu-o para atuar como corredor de emergência. Quando o JD reingressa para ocupar o seu lugar na ordem de batedores, como fica a situação do FLEX?  
Com o reingresso do JD, poderá ocorrer o seguinte:

(1)   O FLEX joga somente na defesa como o décimo jogador, conforme estava escalado inicialmente. O jogo prossegue com 10 jogadores.

(2)   O FLEX sai do jogo e o JD atua tanto no ataque como na defesa. A quantidade de jogadores fica reduzida de 10 para 9.

(Regra 4 – Seção 5)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)