segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

UNIFORMIZAÇÃO DE GESTOS (4)


BATEDOR REBATE UMA BOLA COM UM PÉ SOBRE UMA DAS LINHAS QUE DELIMITAM O “BATTER’S BOX”

Corredor na 1ª e 3ª base. No momento em que o batedor rebateu a bola arremessada, o calcanhar do pé com o qual deu o passo estava sobre uma das linhas demarcatórias do “batter’s box”. Há alguma penalidade?

Beisebol

Não. O batedor seria eliminado se tivesse rebatido a bola colocando um ou ambos os pés no solo completamente fora do “batter’s box” (nesse caso, a bola ficaria morta e os corredores teriam que retornar às suas bases). No caso apresentado acima, o pé do batedor não estava fora do “batter’s box” quando rebateu a bola (as linhas demarcatórias são consideradas dentro do “batter’s box”).  

[Regras: 5.09 (d), 6.03 – REGRA APROVADA, 6.06 (a)]
 
Softbol
 
Não. Se, porém, tal pé estivesse tocando o “home plate” quando rebateu a bola, o batedor seria eliminado. A bola ficaria morta e cada corredor teria de retornar à base que, na opinião do árbitro, foi tocada no momento do arremesso.
 
(Regras: 1 – Seção 10, 7 – Seção 6d, 7 – EFEITO – Seção 6a-j, 9 – Seção 1a)

domingo, 30 de dezembro de 2012

UNIFORMIZAÇÃO DE GESTOS (3)

 

PARA INICIAR UM JOGO/PARA ENCERRAR UM JOGO

Para iniciar um jogo: Após conferir se todos os jogadores da equipe na defensiva estão nos seus respectivos lugares dentro do campo, se o batedor está ocupando o seu lugar no batter’s box, se os base coaches estão nos seus boxes, se o batedor seguinte se encontra dentro do círculo e se os árbitros de base estão devidamente posicionados, o árbitro de home deve apontar (com a mão direita ou esquerda) para o arremessador e declarar “PLAY BALL!”. A partir desse momento, a bola estará viva e em jogo, e assim permanecerá até que, por algum motivo, se torne morta.
 
Para encerrar um jogo: O árbitro de home deve levantar o braço direito, com a mão espalmada acima da cabeça, e declarar que o jogo está encerrado. 
 
OBSERVAÇÃO: O árbitro de home não deve iniciar um inning enquanto os dois base coaches não estiverem dentro de seus boxes.

sábado, 29 de dezembro de 2012

UNIFORMIZAÇÃO DE GESTOS (2)



BOLA LANÇADA TEM CONTATO COM O “BAT” QUE O BATEDOR-CORREDOR DEIXOU LARGADO NO CHÃO

Softbol

Corredor na 3ª base. Houve uma rebatida “ground” na direção do interbases. Este apanhou a bola e lançou-a ao receptor, mas o lançamento atingiu o “bat” que o batedor-corredor deixou caído no solo; e por essa razão não conseguiu eliminar o corredor. Ocorreu uma Interferência?
 
Não. A bola permanece viva e o jogo deve continuar normalmente.

(Regras: 3 – Seção 7, 9 – Seção 2w)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softboll do Japão (JSA – Japan Softball Association)

ARREMESSO ILEGAL

Os árbitros devem apontar a infração imediatamente. Se o arremessador arremessar ilegalmente quando não há corredor(es) em base, será declarado um “ball”, a menos que o batedor chegue a salvo (“safe”) à 1ª base  por meio de uma rebatida indefensável (“hit”), um erro (“error”), quatro “balls” (“ball four”), por ter sido atingido pela bola arremessada (“hit by pitch”), ou de outra maneira. Se houver corredor(es) em base, será declarado um “balk”. PENALIDADE: A bola torna-se morta e cada corredor deve avançar uma base, sem o risco de ser eliminado, a não ser que o batedor alcance a 1ª base através de uma rebatida indefensável, um erro, quatro “balls”, por ter sido atingido pela bola arremessada, ou de outra maneira, e todos os corredores avancem pelo menos uma base. Nesse caso, a jogada prossegue sem levar em conta a falta cometida pelo arremessador.

[Regras: 2.00 “ILLEGAL PITCH”, 8.01 (d), 8.05 (e), 8.05 - PENALIDADE]

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

UNIFORMIZAÇÃO DE GESTOS (1)

Estamos iniciando hoje a publicação do Trabalho sobre uniformização de gestos utilizados no beisebol, elaborado pela Associação dos Árbitros de Beisebol do Japão.

(Tradução: AAABSB)


 

BATEDOR FORA DE ORDEM

Softbol

Corredor na 3ª base, nenhum “out”. O quarto batedor foi ao “batter’s box” no turno do segundo batedor e acertou um “fly” para o campo externo –a bola foi apanhada no ar. O corredor da 3ª base saiu legalmente da base e pisou o “home plate”. Logo em seguida houve apelação da equipe na defensiva sobre o erro na ordem de batedores.
 
A eliminação do quarto batedor deve ser mantida (um “out”). O segundo batedor (batedor correto), que deixou de bater na sua vez, deve ser eliminado (dois “outs”).  O corredor que pisou o “home plate” tem de retornar à 3ª base. O jogo será reiniciado com corredor na 3ª base, dois “outs”; o próximo batedor será o terceiro na ordem de batedores. (Se o terceiro batedor alcançar uma base, de alguma maneira, deverá bater o quinto batedor; isso porque o quarto batedor –que seria o próximo batedor– é o batedor incorreto declarado eliminado em “fly”.)

[Regra 7 – EFEITO – Seção 2c-d/2 (a), (b), (c)]

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

CBBS - CT 2013

Para visualizar ou baixar, acesse este link.


CORREDOR DA 2ª BASE NÃO ANOTA PONTO POR CAUSA DO DESCUIDO DO BATEDOR-CORREDOR

Corredor na 1ª e 2ª base, um eliminado, rebatida longa na direção do “rightfield” (jardim direito). O corredor da 2ª base pisou o “home plate”, porém o da 1ª base foi eliminado por toque quando também tentava anotar ponto. O batedor-corredor chegou à 2ª base enquanto ocorria a jogada sobre o corredor da 1ª base, mas como omitira a 1ª base, foi eliminado em apelação. O corredor da 2ª base anotou ponto?
 
Como o batedor-corredor foi eliminado por ter omitido a 1ª base (portanto, antes de tocá-la); e como com essa jogada foi completada a terceira eliminação do “inning”, o corredor da 2ª base não anotou ponto.
 
[Beisebol – Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (1)]
 
(Softbol – Regra 5 – Seção 7b – 1)

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

“HOME RUN” – EQUIPE NA DEFENSIVA APELA SOBRE OMISSÃO DE BASE

Com dois eliminados e as bases cheias, o batedor acertou um “home run” –a bola passou sobre a cerca do “leftfield” (jardim esquerdo).  Depois que todos os corredores e o batedor-corredor chegaram ao “home plate”, houve apelação da equipe na defensiva sobre omissão de base. (O árbitro aceitou a apelação.)

 Suponhamos as seguintes situações:

(1) o corredor da 2ª base não pisou o “home plate”; 
(2) o corredor da 1ª base não pisou a 2ª base;
(3) o corredor da 1ª base não pisou a 3ª base;
(4) o batedor-corredor não pisou a 1ª base;
(5) o batedor-corredor não pisou a 2ª base.

 Quantos pontos foram anotados em cada uma dessas situações?  

(1) Um ponto [Beisebol – Regra 4.09 (a); Softbol – Regra 5 – Seção 7a];  
(2) Nenhum ponto [Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (2); Softbol – Regra 5 – Seção 7b – 2];
(3) Dois pontos [Beisebol – Regra 4.09 (a); Softbol – Regra 5 – Seção 7a];
(4) Nenhum ponto [Beisebol – Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (1); Softbol – Regra 5 – Seção 7b – 1];
(5) Três pontos [Beisebol – Regra 4.09 (a); Softbol – Regra 5 – Seção 7a].

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

CONCESSÃO DE BASES EM BOLAS REBATIDAS

a) O árbitro deve observar se a bola rebatida “fair” passou a cerca do fundo, em voo, ou após tocar o solo.
 
b) No primeiro caso, o árbitro que observou o lance deve levantar o braço direito acima da cabeça e fazer um movimento circular em sentido horário, para sinalizar um “home run”.
 
(c)  No segundo caso, deve levantar o braço direito acima da cabeça e indicar com dois dedos (indicador e médio) que o corredor pode avançar duas bases.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

CORREDOR DESVIA MAIS DE TRÊS PÉS DO CAMINHO DA BASE – “LINE OUT”

O corredor não pode desviar mais de três pés (91,44 cm) do caminho da base, para fugir do toque de um defensor, a menos que sua ação seja para evitar interferir na jogada de um defensor que está apanhando uma bola rebatida. O caminho da base de um corredor é estabelecido quando ocorre a tentativa de toque, e é uma linha reta entre o corredor e a base para a qual ele está tentando chegar a salvo.  
 
Se o árbitro que observou a jogada achar que houve o desvio, deverá apontar para o corredor infrator e declarar “LINE OUT!”, fazendo um vigoroso gesto.

 
[Beisebol – Regra 7.08 (a) (1)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 9a)

domingo, 23 de dezembro de 2012

JOGADA SOBRE CORREDOR

O árbitro deve movimentar-se sem desviar os olhos da bola e chegar a uma posição que lhe permita ter um bom ângulo para observar o lance e decidir se o corredor é safe ou out. Para observar a jogada, deve parar, com as pernas separadas (mais ou menos a largura dos ombros), e colocar as mãos acima dos joelhos.
 
Numa Jogada Forçada (Force Play), deve permanecer afastado da base cerca de cinco a seis metros; já numa Jogada de Toque (Tag Play), deve chegar mais perto do lance.
 
Se a decisão for safe, deverá fazer o gesto correspondente e declarar “SAFE!”. Num lance “apertado”, poderá dar um passo à frente com o pé esquerdo ou direito e repetir o gesto de SAFE. Se numa Jogada Forçada o defensor apanha a bola sem estar em contato com a  base,   o árbitro deve declarar “SAFE!” no momento em que o corredor alcança a base; em seguida, deve fazer um gesto indicando que o pé estava fora da base  (poderá dizer: “SAIU DA BASE!”, “FORA DA BASE!” ou “TIROU O PÉ DA BASE!”). Se o defensor derruba a bola numa Jogada Forçada, ou ao tocar um corredor, o árbitro deve declarar “SAFE!” no momento em que o corredor pisa a base; em seguida, deve apontar para a bola e gritar “BOLA NO CHÃO!” ou “A BOLA CAIU!”.
 
Se a decisão for out, deverá fazer o gesto correspondente e declarar “OUT!”. Num lance “apertado”, poderá dar um passo à frente com o pé esquerdo e fazer um movimento vigoroso de cima para baixo com o braço direito (punho cerrado), ao mesmo tempo que declara “OUT!”.
 
Observação: Apontar para o corredor, com a mão esquerda, somente em jogada de toque.

sábado, 22 de dezembro de 2012

CORREDOR – DIREITO DE AVANÇAR SEM O RISCO DE SER ELIMINADO

Os árbitros devem acompanhar a trajetória da bola arremessada, lançada ou rebatida. Se a bola entrar numa área de bola morta, o árbitro que observou a jogada deverá sinalizar que a bola está morta (fazer o mesmo gesto de “Time”) e indicar, com um dedo (indicador) ou dois dedos (indicador e médio), que o corredor pode avançar uma base ou duas bases, conforme o caso.
 
Os árbitros devem estar atentos quando um defensor atira sua luva, ou remove seu boné, máscara etc. do lugar onde normalmente são usados, para parar ou apanhar uma bola arremessada, lançada ou rebatida. Se tais materiais tiverem contato com a bola, o árbitro que acompanhou o lance deverá apontar a infração e conceder uma base –se o contato ocorre com uma bola arremessada–, duas bases –se o contato ocorre  com uma bola lançada –, ou três bases –se o contato ocorre com uma bola rebatida. A bola continua viva e em jogo. (O árbitro deve indicar a quantidade de bases concedidas, com os dedos (uma base: com o dedo indicador; duas bases: com os dedos indicador e médio; três bases: de preferência com os dedos médio, anular e mindinho.)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

“TIME PLAY” – FOI ANOTADO PONTO?

Corredor na 2ª e 3ª base, um “out”, “fly” para o jardim esquerdo –a bola foi apanhada no ar. O corredor da 3ª base fez “tag-up” (saiu da base legalmente) e chegou ao “home plate”, porém o corredor da 2ª base, que iniciara a corrida em direção à 3ª base antes de a bola ser apanhada, julgando que a rebatida seria um “hit”, foi eliminado em apelação enquanto tentava retornar à sua base.  Foi anotado ponto?
 
Se o corredor da 3ª base tiver pisado o “home plate” antes de o corredor da 2ª base ser eliminado, será contado um ponto. A jogada na qual a validade do ponto de um corredor depende do momento em que ocorre a eliminação de outro corredor chama-se “time play”.
 
[Beisebol – Regra 4.09 (a)]
 
(Regra 5 – Seção 7a)

BOAS FESTAS!


BOAS FESTAS!

 DESEJAMOS A TODOS UM

 FELIZ NATAL

 E UM EXCELENTE

 2013

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

“INFIELD FLY” – FOI ANOTADO PONTO?

Bases cheias, um eliminado. O batedor acertou um fly na direção do arremessador; o árbitro de home declarou “INFIELD FLY!”. Todos os corredores retornaram a suas bases. O arremessador, porém, derrubou a bola. Vendo isso, o batedor correu para a 1ª base e os corredores saíram apressadamente de suas bases e arrancaram em direção às bases seguintes.  O arremessador apanhou a bola do solo e lançou-a ao receptor. Este, de posse da bola, pisou o home plate e, em seguida, fez o lançamento à 1ª base. Enquanto isso, o corredor da 3ª base cruzou o home plate e os outros corredores avançaram uma base.
 
Decisão: O corredor da 3ª base anotou ponto. Como o árbitro declarou um Infield Fly, o batedor estava eliminado automaticamente; e assim a situação de jogada forçada havia sido removida. Portanto, para eliminar o corredor da 3ª base, o receptor teria que tê-lo tocado com a bola. O jogo deve prosseguir com dois eliminados e corredor na 2ª e na 3ª bases.
 
[Beisebol – Regras: 2.00 “INFIELD FLY”, 4.09 (a), 6.05 (e, )]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 56, 5 – Seção 7a, 8 – Seção 2e)

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

ORDEM DE BATEDORES (“BATTING ORDER”)

 O primeiro batedor e o segundo batedor inverteram suas posições na ordem de batedores. O segundo batedor “B” bateu no turno do batedor “A” e, através de um “hit” (rebatida indefensável), chegou à 1ª base. Em seguida, o primeiro batedor “A”, que estava preparado para bater, foi atingido pelo arremesso (“hit by pitch”*). Com corredor na 1ª e na 2ª bases, o terceiro batedor “C” obteve “ball four” (quatro “balls”). As bases ficaram cheias. Qual seria a solução se houvesse apelação:

 
(1)   logo depois que o batedor “B” acertou a rebatida indefensável;
 
(2)   logo depois que o batedor “A” foi atingido pelo arremesso;
 
(3)   logo depois que o batedor “C” obteve “ball four”.
 
Decisão:
 
(1)   O “hit” seria anulado; o batedor “A”, que deixou de bater no seu turno, seria eliminado; o próximo batedor seria o “B”.
 
(2)   O “hit by pitch” seria anulado; o batedor “C”, que deixou de bater depois do batedor “B”, seria eliminado; o próximo batedor seria o “D”.
 
(3)   Como “C” é o batedor correto, não cabe apelação. Com as bases cheias, o próximo batedor é o quarto batedor “D”.
 
No momento em que foi efetuado um arremesso ao batedor “C”, todas as jogadas ocorridas até então tornaram-se válidas. Ou seja, o turno do batedor “A”, que foi atingido pelo arremesso, foi legalizado. Assim, o segundo batedor “B” deveria bater em seguida, mas como ele estava ocupando uma base, o próximo batedor passou a ser o terceiro batedor “C” (batedor correto).
 
(Beisebol – Regra 6.07)
 
(Softbol - Regra 7 – Seção 2)

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

BOLA ARREMESSADA FICA ALOJADA NA MÁSCARA DO ÁRBITRO DE “HOME”

Um “out”, corredor na 1ª e 2ª base, contagem de bolas: dois “strikes”. O batedor tentou rebater o arremesso seguinte, mas falhou. A bola –não teve contato com o “bat”– passou direto pelo receptor e ficou alojada  na máscara do árbitro de “home”. O receptor tirou a bola da máscara e lançou-a ao defensor da 1ª base, porém, como o lançamento foi descontrolado, os dois corredores avançaram; o corredor da 2ª base pisou o “home plate” e o da 1ª base chegou à 3ª base. O batedor-corredor conseguiu alcançar a 2ª base.  Como deve ser decidido este lance?

Beisebol
 
O batedor é “out”; com menos de duas eliminações e a 1ª base ocupada, o terceiro “strike” não foi agarrado pelo receptor [Regra 6.05 (c)]. A bola torna-se morta e cada corredor pode avançar uma base [Regra 5.09 (g)].
 
Softbol

No softbol também o batedor é “out” quando, com menos de duas eliminações e a 1ª base ocupada, o terceiro “strike” não é agarrado pelo receptor (Regra 7 – Seção 6m). Quando uma bola se aloja no equipamento ou roupa de um árbitro, ou na roupa de um jogador da ofensiva, a bola torna-se morta e os corredores são autorizados a avançar às bases que, na opinião do árbitro, teriam alcançado se não tivesse ocorrido o incidente  (Regra 8 – Seção 7l, Regra 8 – EFEITO  - Seção 7l).

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

BATEDOR SEGUINTE SAI DO CÍRCULO PARA ORIENTAR O CORREDOR


Softbol


Nenhum eliminado, corredor na 2ª base.  O batedor acertou um “hit” (rebatida indefensável) na direção do jardim direito e empurrou o corredor; este, num embalo só, avançou para tentar anotar ponto.  O jardineiro direito devolveu rapidamente a bola para “home”, mas seu lançamento foi descontrolado –a bola tocou o solo e desviou na direção da 3ª base. Vendo isso, o batedor seguinte saiu do círculo para orientar o corredor.  Isso é permitido?
 
Sim. O batedor seguinte pode sair do círculo para orientar o corredor que está avançando para “home”.

(Regra 7 – Seção 1e – 2)

 
Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

 

 

JOGADA DE APELAÇÃO

O batedor acertou um “home run”. Quando ele passou pela 3ª base, seu “coach” alertou-o sobre a omissão da 2ª base. O corredor retornou para corrigir a falha. Após pisar a 2ª base, prosseguiu seu avanço; tocou novamente a 3ª base e, finalmente, o “home plate”. Deve ser contado um ponto?
 
Essa é uma jogada de apelação. Se a equipe na defensiva não apelar corretamente sobre a omissão da 2ª base, será contado um ponto. (Quando a bola está morta, um corredor não pode retornar para pisar uma base que omitira, depois de ter tocado a base seguinte.)

 
[Regra 7.10 (b) – REGRA APROVADA (2)]

 
Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans

domingo, 16 de dezembro de 2012

REINÍCIO DE UM JOGO APÓS UMA PARALISAÇÃO

O árbitro de home deve observar se o arremessador, de posse da bola, está com o pé de apoio em contato com o pitcher’s plate. Deve observar também se o batedor está devidamente posicionado no batter’s box e se foram satisfeitas todas as condições para o reinício do jogo. Em seguida, deve posicionar-se atrás do receptor e, apontando para o arremessador, declarar “PLAY!”.

PARALISAÇÃO DE UM JOGO

Os árbitros devem declarar “TIME!” no momento oportuno. Para declarar Time, devem dar alguns passos à frente e levantar os braços acima da cabeça. O árbitro de home deve tirar a máscara do rosto com a mão esquerda e erguer os braços acima da cabeça. Quando um árbitro declara “TIME!”, os demais árbitros devem acompanhá-lo, fazendo o mesmo gesto imediatamente.

sábado, 15 de dezembro de 2012

BOLA ARREMESSADA ATINGE O BATEDOR

(a) O árbitro de home deve observar em que circunstâncias o batedor foi atingido pela bola arremessada e tomar uma das seguintes decisões:
 
1)      Se o incidente ocorreu fora da zona de strike, e o batedor tiver tentado evitar ser atingido, deverá conceder-lhe a 1ª base; se o batedor não tiver tentado se esquivar da bola, deverá declarar um ball.
 
2)      Se a bola estava na zona de strike quando atingiu o batedor, deverá declarar um strike, independente de ele ter tentado evitar a bola ou não.
 
A posição do batedor –à frente ou atrás do home plate– quando é atingido por um arremesso strike não é levada em consideração. 
 
Mesmo nos casos em que o arremesso atinge o batedor, fora da zona de strike, o árbitro poderá declarar um strike se julgar que esse arremesso passaria na zona de strike não fosse o contato com o batedor, independente de o batedor ter tentado fugir da bola ou não.
 
Somente o árbitro de home pode julgar e decidir se o batedor tentou ou não evitar ser atingido pelo arremesso; se ele achar que o hit by pitch (detto booru) foi inevitável devido à natureza da bola arremessada, deverá conceder-lhe a 1ª base.
 
Quando um arremesso toca o solo e atinge o batedor, apesar de ele ter tentado fugir da bola, o árbitro deve conceder-lhe a 1ª base. Exclui-se, entretanto, o caso em que o batedor é atingido por um arremesso que toca o solo após ter passado pela zona de strike.
 
(b) Todas as vezes que uma bola arremessada atinge um batedor a bola torna-se morta e nenhum corredor pode avançar.
 
(c) HIT BY PITCH: O árbitro de home deve fazer o gesto de bola morta (o mesmo gesto de TIME), declarar “HIT BY PITCH!” (ou “DETTO BOORU!”), sinalizar a ocorrência e indicar a 1ª base ao batedor.   

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

PREPARATIVOS PARA ARREMESSAR

Softbol
Antes de iniciar o arremesso, o arremessador não deu a parada obrigatória mínima de dois segundos, conforme manda a regra. Isso foi constatado através de um cronômetro (“stop-watch”). Deve-se aplicar a regra de Arremesso Ilegal?

A regra estabelece que o arremessador tem de juntar a mão e a luva à frente do corpo –com a bola na mão ou na luva–, após receber a senha, e levar o seu corpo inteiro a uma imobilidade total e completa por não menos de dois segundos e não mais de cinco segundos, antes de iniciar o arremesso.  Porém, mesmo que a parada não tenha sido, rigorosamente, de no mínimo dois segundos, a aplicação da regra de Arremesso Ilegal deve ser evitada, desde que o arremessador tenha ficado imóvel mais de um segundo. O propósito desta regra não é obrigar o arremessador a parar completamente por, no mínimo, dois segundos, mas, sim, proibir a prática de ato que vise ludibriar o batedor, arremessando sem dar uma parada antes. O que importa não é a quantidade de segundos que o arremessador tem que parar, e sim, observar se a parada é evidente ou não. É desejável que os árbitros apliquem esta regra compreendendo esse aspecto.

(Regra 6 – Seção 1e)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

ARREMESSO ILEGAL E PERIGOSO

O arremessador tirou o pé de apoio para trás do "pitcher's plate" e,  logo em seguida, pisando-o novamente, efetuou o arremesso. Ele cometeu infração?
 
Sim. Ele fez um arremesso de retorno rápido ("quick return pitch"), portanto, um arremesso ilegal e perigoso. Quando há corredor(es) em base, o árbitro deve declarar um “balk”; sem corredor(es) em base, é um “ball”. Se possível, o árbitro de “home” deve declarar “TIME” e interromper o arremesso.

[Regras: 2.00 “ILLEGAL PITCH”, 2.00 “QUICK RETURN PITCH”, 8.01 (d), 8.05 (e)]

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

NECESSIDADE DE USAR EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO

Softbol

Por ocasião da mudança ataque x defesa, enquanto o receptor se equipava, o defensor da 3ª base entrou no “catcher’s box” e pegou um arremesso. Esse arremesso deve ser computado na quantidade de arremessos preparatórios?
 
Deve ser computado.
 
Quando qualquer membro da equipe na defensiva (jogador que está participando da partida, técnico, “coach” etc.) vai receber os arremessos de aquecimento, tem de usar capacete apropriado para receptor e máscara com protetor de garganta. Isso é obrigatório. Tal exigência não se restringe ao momento em que estão sendo efetuados os arremessos preparatórios; vale também para quando o arremessador está treinando em qualquer parte dentro do campo.

(Regra 3 – Seção 6a – NOTA)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

INTERFERÊNCIA DO ESPECTADOR

Corredor na 3ª base, um eliminado, “fly” grande em direção ao “leftfield” (jardim esquerdo). Quando a bola estava caindo perto do muro, a aproximadamente 300 pés do “home base”, o “leftfielder” (jardineiro esquerdo) preparou-se para apanhá-la. Nesse momento, um espectador, estendendo o braço para dentro do campo, tocou a sua luva e impediu que ele efetuasse a defesa; a bola foi ao solo. Enquanto isso, o corredor, que estava sobre a base, correu para “home”.  Como deve ser decidido este lance?
 
O batedor deve ser declarado eliminado em razão da Interferência cometida pelo espectador –dois eliminados–, mas o corredor anota ponto devido à distância alcançada pela bola rebatida. O raciocínio é que o defensor teria apanhado a bola e o corredor teria anotado ponto após a pegada (“catch”) se não tivesse ocorrido a Interferência do espectador.

(Regra 3.16)

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

RECEPTOR ESTORVA UM BATEDOR

Corredor na 3ª base, um eliminado. Apesar da Interferência cometida pelo receptor, o batedor acertou um “fly” para o jardim central (“centerfield”). O corredor saiu da base depois que o defensor apanhou a bola e pisou o “home plate”. A equipe na defensiva reclamou, alegando que o “fly” de sacrifício deveria ser anulado em razão da falta cometida pelo receptor. A reclamação é procedente?
 
Não. Quando ocorre uma jogada a despeito da Interferência da Defensiva*, o técnico da equipe na ofensiva pode comunicar ao árbitro de "home" que prefere renunciar à penalidade da Interferência (direito de o batedor ir à 1ª base)  e aceitar a jogada. Neste caso, certamente, optará pelo resultado da jogada, ignorando a Interferência.

[Beisebol – Regra 6.08 (c)]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 1d, Regra 8 – EFEITO – Seção 1d – 2)

*No softbol, a Interferência da Defensiva é tratada como Obstrução.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

BATEDOR-CORREDOR ULTRAPASSA A 1ª BASE DESLIZANDO E É TOCADO POR UM DEFENSOR ANTES DE RETORNAR

Rebatida “ground” para o campo interno. Foi efetuado um mau lançamento à 1ª base. O defensor da 1ª base apanhou a bola alguns passos fora da base e tentou –sem êxito—um ‘tatti’* no batedor-corredor. No momento em que este ultrapassou a 1ª base deslizando (sua mão teve contato com a “almofada”), o árbitro da 1ª base declarou-o “safe”. O defensor da 1ª base, vendo o batedor-corredor fora da base, tocou-o com a bola. E aí?

O batedor-corredor não é “out”; ele tem o direito de retornar à base, sem o risco de ser eliminado.  

[Beisebol – Regra 7.08 (c) – vide EXCEÇÃO]
 
(Softbol – Regra 8 – Seção 10i)

*’Tatti’ significa  tocar o corredor (ou batedor-corredor) com a bola firmemente segura na mão ou luva.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

POSICIONAMENTO DO DEFENSOR

O “centerfielder” (jardineiro central) vem pra frente e fica posicionado imediatamente atrás do defensor da 2ª base, na parte sem grama. Isso é permitido?
 
Beisebol
 
Sim. De acordo com a Regra 4.03 (c), com exceção do arremessador e do receptor, um defensor pode posicionar-se em qualquer lugar do território “fair”. Vide NOTA.
 
Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans
 
Softbol

Sim. A Regra 6 – Seção 4a diz que o arremessador não deve efetuar um arremesso enquanto todos os jogadores da defensiva –exceto o receptor, que tem de ficar no “catcher’s box”—não estejam posicionados em território “fair”, porém não determina os locais onde eles devem ficar posicionados.

domingo, 9 de dezembro de 2012

JOGADOR DESIGNADO (JD)

Softbol

No quinto “inning”, o arremessador que iniciou o jogo como FLEX atuou como batedor no lugar do JD. Alteração como essa deve ser permitida?
 
Deve ser permitida. No momento em que o arremessador (FLEX) atuou como batedor no lugar do JD, este foi considerado como tendo deixado o jogo, e a quantidade de jogadores da equipe ficou reduzida de 10 para 9.

(Regra 4 – Seção 5)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

"BALK" QUE OS ARREMESSADORES COMETEM FREQUENTEMENTE


Quando havia corredor(es) em base, o arremessador que estava na Posição "Set" juntou as mãos à frente do seu corpo e, sem dar uma parada completa, arremessou ao batedor. Que decisão deve ser dada?
 
É “balk”. Embora tenha segurado a bola com as duas mãos à frente do corpo, o arremessador não deu uma parada completa antes de arremessar ao batedor, conforme determina a regra.
 
[Regras: 8.01 (b), 8.05 (m)]

sábado, 8 de dezembro de 2012

REGRAS DE ANOTAÇÃO

Muitos perguntam para os anotadores que já anotam há um tempo...
Como você sabe se é Passed Ball ou Wild Pitch/ Erro ou Hit?
Isso vai tudo de um contexto; quando anotamos nas categorias de base (pré-infantil e infantil), a anotação tende a privilegiar o rebatedor, pois como os jogadores ainda estão começando a jogar, conhecer o beisebol, nós anotadores acabamos anotando mais Hit que erro, e conforme os jogadores vão subindo de categoria, ficamos bem mais rígidos em relação a essas anotações.
Mas o mais importante para anotar qualquer uma das 4 ocorrências ( Passed Ball, Wild Pitch, Erro, Hit) é o anotador já ter uma noção do beisebol e algum tempo de anotação, pois todas essas anotações são interpretações do anotador.  Um exemplo que aconteceu recentemente na Taça Brasil do Adulto/2012: eu estava auxiliando a anotadora na anotação e aconteceu um lance que na minha interpretação e na da anotadora o defensor não pegou a bola por causa da condição do campo –a bola resvalou ao bater em um desnível do campo e voou tão alto que encobriu o defensor. Porisso,   tanto para mim como para a anotadora que estava anotando  foi um Hit. Porém, vendo a anotação de um anotador bem mais experiente do que nós dois, foi anotado um erro.
Agora,  o que é certo e o que é errado já não posso dizer; deixo a cargo de cada um.
Rafael Guem Murakami
Diretor Técnico (Capital) e Anotador Oficial da AAABSB

USO DE MATERIAL ESTRANHO


Softbol

 
Durante o jogo, o arremessador teve problema com a unha de um dos dedos que seguram a bola, mas, mesmo assim, não deixou a posição. Colocou esparadrapo na ponta do dedo, disfarçadamente, e continuou arremessando.
 
Por cada arremesso efetuado nessa situação o árbitro deve declarar um Arremesso Ilegal.

 
(Regra 6 – Seção 5d, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7)

 
Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA- Japan Softball Association)

GESTO NECESSÁRIO E DESNECESSÁRIO

FOUL TIP é uma bola rebatida que vai brusca e diretamente do bat às mãos do receptor e é agarrada legalmente. Por cada foul tip é contado um strike. A bola permanece em jogo.

O árbitro de home deve observar se a bola arremessada teve contato com o bat e se ela foi apanhada legalmente pelo receptor. Em caso afirmativo, deve fazer um gesto indicando que a bola triscou o bat –deslizar (para frente) a palma da mão direita sobre a mão esquerda—e, em seguida, declarar “STRIKE!”.

Há árbitros que não sinalizam a ocorrência de foul tip; eles simplesmente declaram “STRIKE!”. Por outro lado, há aqueles que fazem gesto desnecessário: indicam que a bola triscou o bat, mesmo quando o receptor não a apanha legalmente (ou seja, quando a rebatida resulta em foul ball).

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

SOLICITAÇÃO DE “TIME” NO MOMENTO EM QUE O ARREMESSADOR INICIA OS MOVIMENTOS DE ARREMESSO


Quando o arremessador iniciou os movimentos de arremesso, alguém do “bench” da equipe na ofensiva gritou “TIME”. Apesar disso o arremesso foi completado, e o árbitro de “home” declarou-o “strike”. A equipe na ofensiva reclamou, alegando que o arremesso deveria ser anulado uma vez que houve pedido de “TIME” antes de o arremessador completá-lo.  A reclamação deve ser aceita?
 
Não. A paralisação do jogo ocorre somente no momento em que o árbitro ordena “TIME”, e não quando o técnico ou jogador faz a solicitação. E mais: não deve haver pedido de “TIME” depois que o arremessador inicia os movimentos de arremesso.
 
(Beisebol - Regra 5.10)
 
(Softbol – Regra 10 – Seção 8)

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

REGRAS DE ANOTAÇÃO


Rebatida forte ou rebatida rápida em cima do arremessador; a bola golpeia-o, ou ele deixa-a passar. O batedor-corredor chega a salvo à 1ª base. Deve-se anotar um erro ao arremessador?
 
Não. Como o arremessador não estava em posição de defesa após executar o arremesso, deve-se anotar um “hit” ao batedor.

 
Rafael Guem Murakami
Diretor Técnico (Capital) e Anotador Oficial da AAABSB

"FOUL TIP" APÓS DOIS "STRIKES"

Um “out”, dois “strikes”, corredor na 1ª base. O batedor tentou rebater um arremesso que, após tocar o solo, passava na zona de “strike”, mas falhou. A bola triscou o “bat”, tocou a luva do receptor e foi de encontro ao seu corpo; o receptor apanhou-a com ambas as mãos contra o seu protetor de tórax antes que ela fosse ao solo (ou seja, agarrou-a legalmente). O batedor é “out’? 
 
Sim, ele é “out” por três “strikes”.

[Beisebol – Regras: 2.00 “STRIKE” (g), 6.05 (b)]
 
(Softbol – Regras: 7 – Seção 4c, 7 – Seção 6l)

Beisebol
 
“FOUL TIP” é uma bola rebatida que vai brusca e diretamente do “bat” às mãos do receptor e é agarrada legalmente. Por cada “foul tip” é contado um “strike”. A bola permanece em jogo.

(Regra 2.00 “FOUL TIP”)

Softbol
 
"FOUL TIP” é uma bola rebatida que: (a) vai diretamente do “bat” às mãos do receptor; (b) não sobe além da cabeça do receptor; (c) é agarrada legalmente pelo receptor. Um “foul tip” é um “strike”. Na modalidade Arremesso Rápido a bola permanece em jogo.

(Regra 1 – Seção 39)

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

JOGADOR EXPULSO DO JOGO EM RAZÃO DE RECLAMAÇÕES SOBRE DECISÕES DE UM ÁRBITRO


Softbol


Devido à insatisfação sobre decisões de um árbitro demonstrada por um jogador, sua equipe foi advertida. Como ele continuou reclamando, foi expulso do jogo. Vendo-o sentado no “bench”, o árbitro ordenou a sua saída do campo.
 
A medida tomada pelo árbitro está correta. Um jogador que deixa o jogo não pode mais participar desse jogo como tal –pode atuar como “base coach”—, mas é permitido que ele fique no “bench”. Um jogador expulso do jogo, porém, não pode permanecer no campo, muito menos no “bench”.

 
(Regra 4 – Seção 9)

 
Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

ÁRBITRO – DECISÃO APRESSADA



Aconteceu num jogo da XIX TAÇA BRASIL INTERCLUBES 2012 –CATEGORIA ADULTOS–, realizado no dia 02/12/2012, no Estádio Mie Nishi (Bom Retiro).

 
Rebatida ground para o campo interno. O defensor que efetuou a defesa fez um mau lançamento à 1ª base. O defensor da 1ª base apanhou a bola, dando alguns passos à frente da base, e tentou um touch no batedor-corredor, porém sua luva (com a bola dentro) não o alcançou; o defensor, porém, não desistiu, e na segunda tentativa conseguiu tocá-lo pouco antes de ele pisar a base. No momento em que o batedor-corredor escapou da primeira tentativa de toque, o árbitro da 1ª base havia declarado “SAFE!”, mas essa decisão foi mudada quando ocorreu o toque.  

 
Em lance como esse, o árbitro deve ir rapidamente na direção da linha de “foul” (deve tomar cuidado para não ultrapassá-la, para evitar um choque com o batedor-corredor) e, após observar a jogada, dar a sua decisão. Se o batedor-corredor for tocado, deverá apontá-lo com a mão esquerda e declarar “OUT!” –antes de declarar “OUT!”, poderá dizer “TOCOU!” (ou “TOUCH!”). Se não houver toque, deverá dizer “NÃO TOCOU!” (ou “NO TOUCH!”) e aguardar a conclusão da jogada; deve declarar “SAFE!” somente depois que o batedor-corredor pisa a base.  (É importante observar se o batedor-corredor está dentro ou fora da faixa de três pés quando ocorre a jogada.)

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

JOGADA DE APELAÇÃO - OMISSÃO DE BASE


Softbol


O batedor acertou um “hit” ao jardim direito e, após tocar a 1ª base, deu alguns passos em direção à 2ª base; o jardineiro direito apanhou a bola e lançou-a à 1ª base para tentar eliminá-lo, mas o lançamento foi mal executado –a bola entrou no “bench”. Autorizado pelo árbitro, o corredor foi  à 3ª base, mas sem tocar a 2ª base. 
 
Se houver apelação da equipe na defensiva sobre a omissão da 2ª base, o corredor será eliminado. A apelação pode ser feita enquanto a bola está morta. Se não houver apelação, o avanço do corredor será legalizado depois que o arremessador fizer um arremesso ou iniciar os movimentos de arremesso ao próximo batedor.  

 
(Regra 8 – Seção 9h, Regra 8 – EFEITO – Seção 9g-j)

 
Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

ARREMESSADOR EFETUA O ARREMESSO QUANDO O BATEDOR NÃO ESTÁ DEVIDAMENTE PREPARADO


O arremessador efetuou o arremesso quando o batedor não estava ainda devidamente preparado. Que decisão deve ser tomada?

 
O arremessador fez um arremesso de retorno rápido ("quick return pitch"), portanto, um arremesso ilegal e perigoso. Quando há corredor(es) em base, o árbitro deve declarar um "balk"; sem corredor(es) em base, é um “ball”. Se possível, o árbitro de "home" deve declarar “TIME” e interromper o arremesso.

 
[Regras: 2.00 “ILLEGAL PITCH”, 2.00 “QUICK RETURN PITCH”, 8.01 (d), 8.05 (e), Comentário – Regra 8.05 (e)]