quarta-feira, 31 de outubro de 2012

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO - CANELEIRAS

Softbol

Num jogo da modalidade Arremesso Rápido o receptor estava atuando sem usar caneleiras que ofereçam proteção à rótula. Isso é permitido?
 
Não. Receptor (adulto e de categorias menores) tem de usar tal equipamento. Se não o fizer, contrariando a ordem do árbitro, será removido do jogo.

(Regra 3 – Seção 6e)

JOGADA DE APELAÇÃO


Ocorreu num jogo de beisebol. “Hit” simples (“hit” de uma base) ao espaço entre o jardim central (“centerfield”) e o jardim direito (“rightfield”). O jardineiro direito (“rightfielder”) apanhou a bola e lançou-a rapidamente ao defensor da 1ª base para tentar “pegar” o batedor-corredor, que havia dado alguns passos em direção à 2ª base após ultrapassar a 1ª base sem pisá-la. O lançamento, porém, foi descontrolado –a bola foi parar dentro do “dugout” do lado da 1ª base.
O batedor-corredor deve ser autorizado a avançar duas bases. Contudo, ele tem de retornar e tocar a 1ª base antes de ir à 3ª base. Se não o fizer, e a equipe na defensiva apelar, será declarado eliminado.

[Regras: 7.02, 7.05 (g), Comentário – Regra 7.10 (b)]

terça-feira, 30 de outubro de 2012

PEGADA LEGAL E “TAG-UP” LEGAL

Corredor na 1ª base, “line drive” para o lado esquerdo do defensor da 2ª base. A bola bateu na sua luva e desviou; o defensor da 1ª base movimentou-se rapidamente e conseguiu apanhá-la antes que ela tocasse o solo. O corredor, que havia retornado à 1ª base achando que o defensor da 2ª base efetuaria a defesa, correu para a 2ª base no momento em que a bola desviou ao bater na luva.  A equipe na defensiva apelou, alegando saída antecipada de base.

A pegada do defensor da 1ª base foi legal. A saída de base (“tag-up”) do corredor também foi legal, já que ele correu para a 2ª base depois que a bola rebatida tocou a luva do defensor da 2ª base. A apelação, portanto, foi indevida. 

[Beisebol – Regra 2.00 “RETOUCH” – vide NOTA]

(Softbol – Regra 1 – Seção 95)

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

JOGADOR DESIGNADO (JD)


Softbol

O jogador “A” (JD), principal batedor da equipe, acertou um “hit” (rebatida indefensável) na direção do “centerfield” (jardim central). Como ele não corre bem, o jogador “B” (FLEX) entrou como “pinch runner” (corredor de emergência). Quando chegou outra vez a sua vez de bater, o JD entrou novamente no “batter’s box” e acertou outro “hit”, desta vez para o “leftfield” (jardim esquerdo). Mais uma vez o jogador “B” entrou como corredor de emergência. Substituições como estas são permitidas?
São permitidas. O FLEX não só pode bater no lugar do JD, mas, como neste caso, pode substituí-lo na condição de corredor de emergência. Quando o jogador “B” entrou como corredor de emergência no lugar do jogador “A”, este foi considerado como tendo deixado o jogo. Se, porém, ele for um jogador abridor, poderá reingressar uma vez (somente uma vez) e bater novamente na sua vez. Suponhamos que ele bata novo “hit” e seja substituído outra vez pelo jogador “B”; nesse caso, terá de deixar o jogo definitivamente. Quanto ao jogador “B”, que se tornara corredor ao substituir o JD, pela primeira vez, continuou no jogo. Portanto –a menos que já tenha sido substituído uma vez pelo JD ou outro jogador—se ele for um jogador abridor, terá ainda, neste momento, o direito de reingressar.

(Regra 4 – Seção 5)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK,  editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

UM PONTO ANOTADO LEGALMENTE PODE SER ANULADO?


Corredor na 3ª base, um “out”, rebatida “fly” na direção do “leftfield” (jardim esquerdo). O jardineiro esquerdo afastou-se rapidamente e apanhou a bola no ar nas proximidades da cerca. O corredor fez “tag-up” corretamente e pisou o “home plate”, porém, achando ter deixado a base antes de a bola ser apanhada, tentou retornar. Vendo isso, o jardineiro esquerdo jogou a bola à 3ª base e deu início a um “run-down play” (jogada de perseguição).  Nessa jogada, o corredor foi tocado com a bola por um defensor. Como deve ser decidido este lance?   

 
O toque no corredor não tem validade, uma vez que ele já havia pisado o “home plate” e anotado ponto após ter saído legalmente da base. 

 
[Comentário - Regra 5.06]

domingo, 28 de outubro de 2012

BASE DUPLA


Softbol

Defensor da 1ª base deixa a sua posição para tentar apanhar uma bola mal lançada que desvia para o território “foul”.  Que parte da base dupla o batedor-corredor deve pisar?
Nessa jogada o defensor e o batedor-corredor podem usar tanto a porção “fair” como a porção “foul” da base dupla. Em qualquer jogada que é feita do território “foul” do lado da 1ª base, o batedor-corredor e o jogador da defensiva podem usar tanto a porção “foul” como a porção “fair” da base dupla.

[Regra 2 – Seção 4h – 1 (b) (c) – EXCEÇÃO]

ARREMESSADOR EFETUA O ARREMESSO SEM ESTAR OLHANDO PARA O BATEDOR

Quando havia corredor na 3ª base, o arremessador que estava na “Set Position” efetuou o arremesso com o rosto voltado para ele, isto é, sem estar olhando para o batedor. Há algum problema?
Sim. Deve ser declarado um "balk". É perigoso fazer um arremesso sem estar olhando para o batedor.

[Regra 8.05 (f)]

sábado, 27 de outubro de 2012

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO - PROTETOR DE TÓRAX

Softbol

Num jogo da modalidade Arremesso Rápido, o receptor fez uma jogada sem estar usando protetor de tórax. Há alguma penalidade?

Na modalidade Arremesso Rápido, os receptores –adultos e de categorias menores—têm de usar protetor de tórax. Se não o fizerem, contrariando a ordem do árbitro, serão removidos do jogo.
 
(Regra 3 – Seção 6d)

“HOME RUN” NA 2ª METADE DO NONO “INNING” – QUANDO O JOGO DEVE SER ENCERRADO? (3)


 
A equipe “B” estava perdendo da equipe “A” (4 x 5) quando terminou a primeira metade do nono “inning”. Na segunda metade desse “inning”, com um “out” e as bases cheias, o quarto batedor da equipe “B” rebateu forte e mandou a bola para fora do campo externo (“home run”). O corredor da 1ª base foi eliminado entre a 3ª base e o “home plate” por ter ultrapassado o corredor precedente. Quando o jogo deve ser encerrado e quantos pontos devem ser considerados para a equipe “B”?
 
O jogo deve ser encerrado quando o batedor-corredor toca o “home plate”. Vitória da equipe “B” pela contagem de 7 x 5.

 
[Regra  4.11 (c) – NOTA]

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Golpe de Judô = OUT!!!??????
 
 
 
 
 

Este video mostra uma jogada rara mas possivel de ocorrer em qualquer jogo. Evidente que se trata de uma jogada irregular mas que depende diretamente da analise do arbitro. Nesta jogada o defensor usou de uma artimanha nao legal para tocar o corredor sem que tivesse contato com a base.

O arbitro verificando que o defensor usou da forca para deslocar intencionalmente o defensor deveria ter declarado a bola morta. Fico em duvidas se deveria ter declarado uma obstrucao mas eu nao tomaria essa decisao.

No minimo bola morta e jogador salvo na 1a base. Posteriormente uma advertencia para o defensor por usar o anti-jogo. Jah tive oportunidade de ver jogadas onde o corredor quase perde o equilibrio quando chega ou retorna para a base e milesimos depois eh tocado pelo defensor.

Neste tipo de situacao pode se entender que nao houve anti-jogo e caso o corredor seja tocado fora da base deve ser eliminado. Caso o defensor empurre o corredor deve-se declarar um TIME afim de evitar uma jogada irregular.

Golpe de judo nao!!!!... rs
 
ooo 0 ooo
 
O comentário acima foi publicado no site www.arbitrosdebeisebol.com, em 24.10.2012.

No softbol, um lance como o mostrado no vídeo é tratado como  OBSTRUÇÃO.

 
Regra 1 - Seção 66. "OBSTRUCTION".

Obstrução é o ato de:

a) Um jogador ou membro da equipe na defensiva que estorva ou impede que um batedor gire o "bat" ou rebata uma bola arremessada.

b) Um defensor que impede o avanço de um corredor ou batedor-corredor que está correndo as bases legalmente enquanto:

1. não está de posse da bola, ou

2. não está em ação para defender uma bola rebatida, ou

3. simula um toque (“fake tag”), sem estar de posse da bola, ou

4. está de posse da bola e empurra um corredor para fora de uma base, ou

5. está de posse da bola, mas não em ação para fazer uma jogada sobre o corredor, e impede o avanço desse corredor, enquanto ele está correndo as bases legalmente.

 (Vide Regra 8 – Seção 7b)


JOGADOR DE EMERGÊNCIA


Softbol

O defensor da 1ª base e o da 2ª base chocaram-se quando tentavam apanhar uma bola “fly” que caía atrás da linha de base. O primeiro teve hemorragia no rosto, e o segundo, hemorragia nasal. O jogo foi paralisado para atender aos feridos. Para o defensor da 1ª base foi providenciado um Jogador de Emergência, mas o defensor da 2ª base retornou ao jogo porque a hemorragia estancou após os primeiros socorros. Ocorre, porém, que, no “inning” seguinte, o sangramento do defensor da 2ª base voltou, e o jogo foi paralisado outra vez. Justamente nesse momento, a hemorragia do defensor da 1ª base havia cessado, e ele, então, retornou à sua posição. Aí o Jogador de Emergência que atuara no lugar do defensor da 1ª base entrou na defesa, novamente, desta vez para ocupar a posição do defensor da 2ª base. Que confusão hem!

As mudanças feitas na equipe são legais. O Jogador de Emergência pode atuar como tal quantas vezes desejar.

 (Regras: 1 – Seção 87, 4 – Seção 11)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

“HOME RUN” NA 2ª METADE DO NONO “INNING” – QUANDO O JOGO DEVE SER ENCERRADO? (2)

A equipe “B” estava perdendo da equipe “A” (2 x 3) quando terminou a primeira metade do nono “inning”.  Na segunda metade desse “inning”, com dois eliminados e as bases cheias, o quarto batedor da equipe “B” rebateu forte e mandou a bola para fora do campo externo (“home run”), mas foi eliminado entre a 1ª e a 2ª bases por ter ultrapassado o corredor precedente. Quando o jogo deve ser encerrado? 
 
O jogo deve ser encerrado imediatamente após ser anotado o ponto da vitória, isto é, no momento em que o corredor da 2ª base toca o “home plate”. Vitória da equipe “B” pela contagem de 4 x 3.
 
Se o corredor da 2ª base não tiver pisado o “home plate” antes de o batedor-corredor ser eliminado, o “inning” terminará e será contado somente o ponto anotado pelo corredor da 3ª base. Jogo empatado (3 x 3).

[Regra 4.11 (c) - REGRA APROVADA]

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

BASE DUPLA


Softbol

Defensor da 1ª base lança à 1ª base para tentar eliminar o batedor-corredor, depois de apanhar a bola rebatida que desviara para o território “foul”. Que parte da base dupla o batedor-corredor deve pisar?
Em qualquer jogada com bola viva feita do território “foul” do lado da 1ª base o batedor-corredor e o jogador da defensiva podem usar tanto a porção “foul” como a porção “fair” da base dupla.

[Regra 2 – Seção 4h – 1 (b) (c) – EXCEÇÃO]

"HOME-RUN" NA 2ª METADE DO NONO "INNING" - QUANDO O JOGO DEVE SER ENCERRADO? (1)


 
A equipe “B” estava perdendo da equipe “A” (2 x 3) quando terminou a primeira metade do nono “inning”.  Na segunda metade desse “inning”, com um “out” e as bases cheias, o quarto batedor da equipe “B” rebateu forte e mandou a bola para fora do campo externo (“home run”), mas foi eliminado entre a 1ª e a 2ª bases por ter ultrapassado o corredor precedente. Quando o jogo deve ser encerrado? 

 
O jogo deve ser encerrado imediatamente após ser anotado o ponto da vitória, isto é, no momento em que o corredor da 2ª base toca o “home plate”. Vitória da equipe “B” pela contagem de 4 x 3.

 
[Regra 4.11 (c) - REGRA APROVADA]

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

BOLA REBATIDA ATINGE UM ÁRBITRO



Corredor na 1ª e 2ª base, rebatida “ground” forte ao campo interno. A bola passou o interbases –que “mergulhou” para tentar efetuar a defesa—e atingiu o árbitro que estava posicionado atrás dele.  A bola é morta ou viva?

 
Beisebol

 
A bola permanece viva, já que atingiu o árbitro depois de ter passado um defensor, exceto o arremessador. Os corredores podem avançar a seu próprio risco.

 
[Regra 6.08 (d)]

 
Softbol

 
No softbol também a bola permanece viva, mas desde que nenhum outro defensor tenha tido oportunidade de fazer uma jogada para concretizar uma eliminação. Os corredores têm o direito de avançar, correndo o risco de serem eliminados.

 
(Regras: 8 – EFEITO – Seção 1e – 2, 8 – Seção 5f – 1,  9 – Seção 2d - 1)

terça-feira, 23 de outubro de 2012

CORREDOR ELIMINADO ESTORVA JOGADA SUBSEQUENTE SOBRE OUTRO CORREDOR


 
XL CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERCLUBES PRÉ-JÚNIOR – 2012, realizado nos dias 20 e 21 de outubro de 2012, na cidade de Maringá – Paraná.

 
No jogo São Paulo x Ibiúna (dia 20) aconteceu o seguinte lance: Ibiúna no ataque, bases cheias, rebatida “ground” para o campo interno. O defensor que efetuou a defesa lançou para “home” e eliminou o corredor da 3ª base em jogada forçada. Dando prosseguimento à jogada, o receptor tentou eliminar o batedor-corredor, mas não conseguiu em razão da Interferência cometida pelo corredor eliminado no “home”. O árbitro de “home” aplicou a Regra 7.09 (e) e eliminou o batedor-corredor.
 
Decisão correta.
 
Regra 7.09 (e): Deve ser declarada uma Interferência da Ofensiva  quando um batedor ou corredor que acabara de ser eliminado, ou um corredor que acabara de anotar ponto, estorva ou impede uma jogada subsequente sobre um corredor.  Neste caso, o corredor que seria o alvo da jogada deve ser declarado eliminado em razão da Interferência cometida por seu companheiro de equipe. NOTA: Se não for possível identificar claramente o corredor que seria o alvo da jogada, o árbitro deverá eliminar o corredor que estiver mais perto do “home plate”. 
 
Se a jogada acima tivesse ocorrido no softbol, seria aplicada a Regra 8 – Seção 9o e o corredor que estava mais perto do “home plate”, no momento da Interferência, seria declarado eliminado.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

INTERFERÊNCIA PROVOCADA POR EQUIPAMENTO ABANDONADO NO CAMPO


 
Softbol

 
O batedor levantou um “foul fly” (“fly” para o território “foul”). Quando o defensor tentava apanhar a bola, pisou o “bat” que estava abandonado no círculo do batedor seguinte e não conseguiu efetuar a defesa.
 
É uma Interferência provocada pelo equipamento abandonado pela equipe na ofensiva. A bola torna-se morta e o batedor é declarado “out”.
 
(Regras: 3 – Seção 7, 10 – Seção 1)

BOLA REBATIDA ATINGE O “PITCHER’S PLATE” E DESVIA


 
Corredor na 1ª base. Rebatida “line drive” na direção do arremessador. A bola atinge o “pitcher’s plate” e desvia diretamente para dentro do “dugout” do lado da 1ª base. Quantas bases devem ser concedidas ao corredor?

 
Nenhuma base deve ser concedida. É um “foul ball”.

 
Comentário - Regra 2.00 “FOUL BALL”: Se uma bola rebatida –que não tenha tido contato com um defensor—atinge o “pitcher’s plate” e ricocheteia para o território “foul” entre o “home base” e a 1ª base, ou entre o “home base” e a 3ª base, é um “foul ball”.

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans

domingo, 21 de outubro de 2012

O PONTO É VÁLIDO?

Corredor na 1ª e 3ª base, um eliminado. O corredor da 1ª base está roubando a 2ª base no momento do arremesso.  O batedor acerta uma rebatida “fly” para o jardim direito (“rightfield”); a bola é apanhada no ar –dois eliminados. O corredor da 3ª base sai legalmente da base e pisa o “home plate”.  O corredor da 1ª base tenta retornar à sua base depois que a bola é apanhada, mas a bola lançada pelo jardineiro direito (“rightfielder”) chega antes à base e ele é declarado eliminado –três eliminados. O corredor da 3ª base havia pisado o “home plate” antes de ocorrer a terceira eliminação na 1ª base.
 
O ponto é válido. O lance na 1ª base não foi uma jogada forçada; foi um “time play” (o ponto é válido ou não dependendo do momento em que o corredor pisa o “home plate”).

[Regras: 4.09 (a), 7.10 (a)]

Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of  Professional Baseball Leagues

sábado, 20 de outubro de 2012

HOMEM-ARANHA NO BEISEBOL?


Jogo Hiroshima Carp x Yokohama: O “centerfielder” do Carp evita milagrosamente um “home run”.





CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA NUM “RUN-DOWN PLAY”*

Corredor na 2ª e 3ª base. Enquanto ocorria um “Run-Down Play” entre a 3ª base e o “home plate”, o corredor da 3ª base levantou os braços subitamente e tocou a bola lançada por um defensor.  O árbitro eliminou-o por Interferência. O corredor da 2ª base havia chegado à 3ª base antes de ocorrer a Interferência.  Como deve ser decidido este lance?
 
A bola torna-se morta e o corredor da 2ª base tem de retornar para sua base. O raciocínio é que nenhum corredor deve avançar quando ocorre uma Interferência, e um corredor é considerado ocupante de uma determinada base enquanto não alcança legalmente a base seguinte –o corredor da 2ª base não havia alcançado legalmente a 3ª base.

[Beisebol – Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a), 7.08 (b),  Comentário - Regra 7.08 (b), 7.09 - PENALIDADE]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 60a, 8 – Seção 8h, 8 – EFEITO – Seção 8h, 8 – Seção 9m, 8 – EFEITO – Seção 9k-s, 9 – Seção 1f)

*“Run-Down Play” é uma jogada em que a defensiva tenta eliminar um corredor entre bases.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

BOONEN - KAI 2012


A Associação de Árbitros e Anotadores de Beisebol e Softbol do Brasil convida os associados, familiares e amigos para participar da nossa tradicional festa de final de ano:
 
Data: 12/12/2012 (quarta-feira) a partir de 19:00 hs.
 
Local: Tochigi Kenjinkai
Rua Capitão Cavalcanti, 56 - Vila Mariana - São Paulo – SP
Tel.: (11) 5579.4166 - Próximo ao Metrô Vila Mariana.
 
Confirmar presença impreterivelmente até o dia 30/11/2012, com o Sr. Paulo Yamada,
tel. (11) 97369.4737 e (11) 3921.4997. Valores: R$ 70,00 para homens e R$ 50,00 para mulheres.

 
Alberto Iwano

Secretário de Beisebol AAA

Tel: (11) 98145.3599

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO - MÁSCARA COM PROTETOR DE GARGANTA

Softbol
 
Num jogo da modalidade Arremesso Rápido, o(a) receptor(a) entrou no jogo sem estar usando máscara com protetor de garganta. Isso é permitido?
 
Não. Para entrar no jogo ele(a) é obrigado(a) a usar tal equipamento. Se não o fizer, contrariando a ordem do árbitro, será removido(a) do jogo.

(Regra 3 – Seção 6a – vide NOTA)

"FOUL TIP" OU "FOUL BALL"?


Contagem de bolas arremessadas (“ball count”): 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). O batedor fez “swing” para tentar rebater o arremesso seguinte. A bola triscou o “bat”, foi diretamente contra o protetor de tórax do receptor e pulou para frente; o receptor estendeu o braço e apanhou-a com seu “mitt” antes que ela fosse ao solo. O batedor deve ser eliminado?
 
Não. Deve ser declarado um “foul ball”. O batedor seria eliminado se a bola apanhada pelo receptor tivesse ido contra o protetor de tórax depois de ter tocado seu “mitt” ou a sua mão, pois, nesse caso, seria um “foul tip”.
 
“FOUL TIP”: É uma bola rebatida que vai brusca e diretamente do “bat” às mãos do receptor e é agarrada legalmente. Se a bola vai do “bat” ao corpo, máscara ou protetor do receptor e, no rebote, é agarrada antes que toque o solo, a pegada não é legal, a menos que essa bola tenha tocado primeiro seu “mitt” ou a sua mão. Se a bola não é agarrada legalmente, é um “foul ball”, e não um “foul tip”. Por cada “foul tip” é contado um “strike”. A bola permanece em jogo.

 
[Regra 2.00 “FOUL TIP”, Comentário – Regra 6.05 (b)]

 
Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

JOGADOR DESIGNADO (JD)


Softbol

O FLEX entrou no “batter’s box” no lugar do JD, sem ser anunciado, e rebateu o arremesso.

Se houver apelação da equipe contrária, será aplicada a penalidade de substituição sem comunicação.

(Regra 4 – EFEITO – Seção 5a-f)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

ARREMESSADOR AMBIDESTRO

15 outubro 2012

Arremessador ambidestro.

Como proceder com um arremessador ambidestro?? ou seja um arremessador que tem o dom de arremessar a bola com a mão direita e esquerda. Procurei informações no livro de regras e não localizei.
 
Resposta: É raro encontrar esse tipo de arremessador. Acredito que não exista nenhum em atividade no Brasil mas é sempre bom existir este tipo de questionamento.

Primeiro é fundamental registrar que o livro de regras é o principal instrumento de apoio para a arbitragem. Porem ele é publicado eventualmente e algumas regras e procedimentos podem ser alterados ou complementados posteriormente.

Neste aspecto a AAA (Associação de Árbitros e Anotadores) está estudando a publicação de um livro em mídia eletronica afim de sempre garantir a versão mais atual para os interessados.

Esta matéria foi publicada no site: www.arbitrosdebeisebol.com

Aproveitando a oportunidade, a AAABSB informa que, em 2009, A Major League Baseball (MLB) acrescentou à Regra 8.01 um item –letra (f)—, que trata deste assunto.
 
Regra 8.01 (f): Um arremessador deve indicar de forma clara, ao árbitro principal, ao batedor e aos corredores a mão com a qual pretende arremessar, o que pode ser feito usando sua luva na outra mão enquanto está tocando o “pitcher’s plate”. Não é permitido que o arremessador arremesse com a outra mão até que: o batedor seja eliminado ou se torne um corredor; o “inning” termine; o batedor seja substituído por um “pinch-hitter” (batedor de emergência); ou o arremessador se machuque. Em caso de o arremessador mudar a mão para efetuar os arremessos durante um “at-bat” (vez de bater), em razão de um ferimento, ele não poderá voltar a arremessar com a outra mão, pelo resto do jogo. Ao arremessador não será dada a oportunidade para fazer arremessos preparatórios (aquecimento) depois de mudar a mão para arremessar. Qualquer mudança de mãos para efetuar arremessos deve ser indicada claramente ao árbitro principal.

Informa, também, que a alteração acima e as demais alterações feitas pela MLB nas Regras Oficiais de Beisebol, a partir de 2009, foram postadas no nosso blog em 17/06/2012 (alterações feitas em 2009, 2010 e 2011) e 05/07/2012 (alterações feitas em 2012), e que elas serão inseridas no novo Livro de Regras que será editado pela AAABSB.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

BOLA ESCAPA DA MÃO DO ARREMESSADOR DURANTE OS MOVIMENTOS DE ARREMESSO

Enquanto o arremessador fazia os movimentos de arremesso, a bola escapou de sua mão e foi rolando no chão. Pode-se decidir que houve arremesso?

 
Beisebol

 
Depende. Se a bola cruzar a linha de "foul", será declarado um "ball" –considera-se que houve arremesso. Se não cruzar a linha de "foul", nada será declarado, a menos que haja corredor(es) em base, caso em que será declarado um "balk".

 
[Comentário - Regra 8.01 (d)]

 
Softbol

 
Se a bola escapar da mão do arremessador durante os movimentos de arremesso, será declarado um “ball” ao batedor. Ela permanecerá em jogo e os corredores poderão avançar a seu próprio risco.

 

(Regra 6 – Seção 11)

FOI ANOTADO PONTO?


Corredor na 1ª e 2ª base, um “out”. O batedor acertou uma rebatida indefensável (“hit”) na direção do jardim central.  Os corredores avançaram para “home” –o da 2ª base cruzou o “home plate” legalmente, mas o da 1ª base foi tocado pelo receptor (que havia recebido a bola devolvida pelo jardineiro central) antes de alcançar a base –dois “outs”. O batedor-corredor, que já estava perto da 2ª base, percebendo que omitira a 1ª base, tentou retornar, mas foi eliminado em apelação. O corredor da 2ª base anotou ponto?
Não, porque cruzou o “home plate” durante uma jogada em que a terceira eliminação foi feita sobre o batedor-corredor antes de ele tocar a 1ª base.

[Beisebol – Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (1)]

(Softbol – Regra 5 – Seção 7b - 1)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

“GLOVE” (luva normal) E “MITT” (luva especial)

Quem pode usar “mitt”?

 
Qualquer jogador pode usar “glove”, mas somente o receptor e o defensor da 1ª base podem usar “mitt”.

 
(Beisebol – Regras: 1.12, 1.13 e 1.14)
 
(Softbol – Regra 3 – Seção 4)

PEGADA LEGAL?


“Foul Fly” (rebatida “fly” para o território “foul”) na frente do “dugout” da equipe contrária. O receptor chegou à beira do “dugout”, e ao estender seu “mitt” para efetuar a defesa desequilibrou-se. Jogadores que estavam sentados no banco da frente seguraram-no para evitar uma queda evidente. Se, apesar do incidente, o receptor conseguir apanhar a bola, a pegada será válida?

Sim. Vejamos o que diz a regra 2.00 “CATCH”.

Comentário – Regra 2.00 “CATCH”: Se um defensor, ao tentar apanhar uma bola na beira do “dugout”, é amparado por jogador ou jogadores de qualquer das equipes –para evitar uma queda evidente—e consegue concretizar uma pegada, isso deve ser permitido (a pegada é legal).

domingo, 14 de outubro de 2012

"FAIR" OU "FOUL"?


O defensor que tentou apanhar uma bola “fly” que estava caindo sobre a linha de “foul” da 3ª base derrubou-a após tocá-la com a luva. A bola caiu na área “fair”. É “fair ball” ou “foul ball”?
Se a bola estava em território “fair” quando teve o primeiro contato com a luva do defensor, é uma bola “fair”. Se estava em território “foul”, é uma bola “foul”.

(Beisebol – Regras: 2.00 “FAIR BALL”, 2.00 “FOUL BALL”)

(Softbol – Regras: 1 – Seção 29 – NOTA 1, 1 – Seção 37 – NOTA 1)

sábado, 13 de outubro de 2012

CORREDOR TIRA O CAPACETE DA CABEÇA ANTES DE PISAR O "HOME PLATE"

Softbol

Quando as bases estavam cheias, o batedor obteve “ball four” (quatro “balls”).  O corredor da 3ª base tirou o capacete da cabeça antes de pisar o “home plate”. Há alguma penalidade?
Se o corredor tirar o capacete da cabeça, de forma deliberada, durante uma jogada com bola viva, será declarado “out” [Regra 3 – EFEITO – Seção 6f (ii) – 2]. O propósito desta regra é prevenir acidente, ou seja, evitar que o corredor se machuque ao ser atingido por uma bola.  Como no caso apresentado acima não existe qualquer perigo de acidente, o corredor não deve ser eliminado.

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

CORREDOR OBSTRUÍDO ENQUANTO A BOLA LANÇADA ESTAVA EM VOO


Corredor na 2ª base, um eliminado, rebatida “ground” para o espaço entre a 1ª e a 2ª bases. O defensor da 2ª base efetuou a defesa e tentou eliminar o corredor que estava avançando à 3ª base. Enquanto a bola lançada estava em voo, houve um choque entre o corredor e o interbases, no caminho da base. O árbitro sinalizou a Obstrução. Ocorre que o lançamento foi mal executado –a bola passou o defensor da 3ª base e ficou presa na cerca lateral.

 
Decisão: O corredor será autorizado a avançar para “home”, e o batedor-corredor, à 2ª base.

 
[Regra 7.05 (g), Comentário – Regra 7.06 (a)]

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

UNIFORME


Softbol


Num jogo que estava sendo realizado em dia muito quente, um jogador trocou a calça longa por uma curta e entrou no campo para ocupar sua posição na defensiva. Os outros jogadores estavam vestindo calça longa. Isso é permitido? 
 
Não. Todos os jogadores de uma equipe devem usar uniformes semelhantes em cor, estado e estilo. Entretanto, o técnico e o “coach” de uma equipe feminina cujas jogadoras estão usando calça curta podem usar calça longa, desde que seja da mesma cor.

 
(Regras: 3 – Seção 8 – vide EXCEÇÃO, 4 – Seção 1b)

SEGUNDA VISITA DO TÉCNICO, NO MESMO “INNING”, PARA CONVERSAR COM O MESMO ARREMESSADOR ENQUANTO O MESMO BATEDOR ESTÁ NO “BATTER’S BOX”

Segunda metade do nono “inning”, placar empatado, bases cheias, dois “outs”.  Quando a contagem de bolas (“ball count”) sobre o batedor de turno chegou a 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”), o técnico foi ao montículo (“mound”) para acamá-lo e retornou.  Como após essa visita houve mais um arremesso “ball”, o técnico entrou novamente no campo para conversar com o arremessador, e isso depois de ter sido advertido pelo árbitro de que tal volta não seria permitida.

Num caso como esse, o técnico deve ser removido do jogo, e o arremessador tem de continuar no montículo até que o batedor seja eliminado ou chegue a uma base. Depois que o batedor é eliminado ou se torna um corredor, esse arremessador tem que ser retirado do jogo. O técnico deve ser notificado de que seu arremessador será removido do jogo depois de arremessar a um batedor, para que possa ir aquecendo um arremessador substituto.

(Comentário – Regra 8.06)

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

REGRA DE “INFIELD FLY”

Lance ocorrido no jogo STL x ATL, realizado no dia 05/10/2012. Corredor na 1ª e 2ª base, um "out", rebatida “fly” (“popup”) entre o interbases e o jardineiro esquerdo. O interbases afasta-se, chega praticamente embaixo da bola e, levantando os braços, prepara-se para efetuar a defesa. Ocorre que, nesse momento, o jardineiro esquerdo, que também estava indo em direção à bola, deve ter gritado para “deixar a bola” para ele, razão porque o interbases parou –a bola caiu no meio dos dois. O árbitro de linha do "leftfield" apontou um “Infield Fly” no momento em que a bola foi ao solo. Houve reclamação da equipe na ofensiva.
 
O árbitro deve ter julgado que o interbases poderia ter agarrado a bola mediante um esforço normal se não tivesse parado. Um lance assim sempre suscita dúvidas, mas a opinião do árbitro tem de prevalecer.
 
Comentário - Regra 2.00 (“INFIELD FLY”): Para aplicar a regra de “Infield Fly”, o árbitro deve julgar se a bola pode ser agarrada normalmente por um defensor do campo interno. Não deve se basear em algumas limitações arbitrárias, tais como o gramado ou as linhas de base. O árbitro deve também declarar um “Infield Fly”, mesmo quando a bola é apanhada por um defensor do campo externo, se, na sua opinião, ela poderia ter sido agarrada facilmente por um defensor do campo interno. O “Infield Fly” não é, de maneira alguma, considerado uma jogada de apelação (“appeal play”). A opinião do árbitro tem de prevalecer, e a decisão deve ser tomada imediatamente.

BOLA “FAIR FLY” DESVIADA POR UM DEFENSOR PASSA POR CIMA DA CERCA EM TERRITÓRIO “FOUL”


Rebatida “fly” para as proximidades da linha de “foul” do jardim esquerdo. Quando o defensor esticou o braço para efetuar a defesa, a bola, que estava caindo em território “fair”, bateu na sua luva e saltou para o território “foul”. Até que base o batedor-corredor pode avançar?
Até a 2ª base. Quando uma bola “fair fly”  passa por cima da cerca em território “foul”, após ser desviada por um defensor, o batedor-corredor deve ser autorizado a avançar duas bases.

[Beisebol - Regra 6.09 (h)]
(Softbol – Regra 8 – Seção 7g – EXCEÇÃO – 2)

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

JOGADOR DE EMERGÊNCIA


Softbol

Na primeira metade do segundo “inning”, o jogador “A” machucou-se ao deslizar à 2ª base; e como o ferimento causou hemorragia, foi retirado do jogo. Enquanto ele era atendido pelo médico, o jogador “B”, que ainda não havia participado do jogo, entrou como Jogador de Emergência. Terminado o tratamento, “A” retornou ao jogo na segunda metade do terceiro “inning”. Quando “B” entrou novamente no jogo na primeira metade do sexto “inning”, como “pinch hitter” (batedor de emergência) de “C”, o técnico da equipe na defensiva reclamou, alegando que essa nova entrada seria um Reingresso Ilegal, uma vez que “B” não era um jogador abridor.  O árbitro deve aceitar tal reclamação?
Não. A reclamação é improcedente. Por ter entrado no jogo como Jogador de Emergência o jogador “B” não havia perdido o direito de ser utilizado como substituto, já que o uso de um Jogador de Emergência não é considerado uma substituição. 

(Regras: 1 – Seção 87, 4 – Seção 11)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

JOGADA DE APELAÇÃO


Ocorreu num jogo de beisebol. Rebatida “ground” para o campo interno. O interbases efetuou a defesa e, ao tentar eliminar o batedor-corredor na 1ª base, fez um lançamento descontrolado –a bola saiu do campo e ficou fora de jogo. O batedor-corredor foi autorizado a ir à 2ª base. Se nessa jogada o batedor-corredor tiver omitido a 1ª base, ele poderá seguir à 2ª base sem retornar para corrigir a falha?
Não. Ainda que lhe tenha sido concedida a 2ª base, o corredor tem de tocar a 1ª base antes de seguir à 2ª base. Se não o fizer, e a equipe na defensiva apelar, será declarado eliminado.

[Regras: 7.05 (g), 7.10 (b), Comentário – Regra 7.10 (b)]

terça-feira, 9 de outubro de 2012

SOLICITAÇÃO DE “TIME” QUE NÃO DEVE SER ATENDIDA PELO ÁRBITRO

O batedor obteve “ball four” (quatro “balls”). Quando ele deu alguns passos em direção à 1ª base, o técnico da equipe na ofensiva pediu “TIME”.

 
O árbitro deve ignorar essa solicitação. O pedido de “TIME” deve ser aceito somente depois de concluída a jogada; ou seja, após o batedor chegar à 1ª base.
 
[Beisebol – Regras: 2.00 “TIME”,  5.10 (d) – vide NOTA, 5.10 (h)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 98, 10 – Seção 8e/g)

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

BASE DUPLA


Softbol

Se, num “run-down play” (jogada de perseguição) entre a 1ª e a 2ª bases, ou num “pick off play” (jogada para tentar eliminar um corredor que está fora da base) na 1ª base, o corredor da 1ª base desvia para evitar o toque e pisa a porção “foul” da base dupla, deve-se considerar que ele pisou a 1ª base?   

Não. Ele tem de pisar a porção “fair”. Se não o fizer, poderá ser eliminado por toque.

[Regra 2 – Seção 4h-1 (g)]

TENTATIVA DE “HOME STEAL” – ARREMESSADOR DEIXA SUA POSIÇÃO E VAI ATRÁS DO CORREDOR


No momento em que o arremessador na Posição “Set” estava recebendo  as senhas do receptor, o corredor da 3ª base arrancou para tentar um “home steal” (roubo de “home”). O arremessador tirou o pé de apoio para trás do “pitcher’s plate”, foi atrás dele e tocou-o com a bola pouco antes de ele pisar o “home plate”. O corredor deve ser eliminado?

 
Sim, porque a jogada foi legal. Antes de iniciar os movimentos de arremesso, o arremessador pode sair de sua posição a fim de executar uma jogada, mesmo após ter assumido a Posição “Set”. Nesse caso, deve tirar o pé de apoio para trás do “pitcher’s plate”; não é permitido tirar para a frente ou para os lados da placa.

 
Se o arremessador tirar o pé de apoio para trás do “pitcher’s plate”, não poderá arremessar ao batedor, mas poderá lançar a uma base ocupada, sem dar passo e só com “snap” (movimento do pulso), ou simular um lançamento a essa base (inclusive para a 1ª base).

 
[Regra 8.01 (a) (b) – vide NOTA 4]

 
Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez

domingo, 7 de outubro de 2012

REGRA DE "INFIELD FLY"


Corredor na 1ª e 2ª base, um eliminado, fly curto para as proximidades da linha de foul da 3ª base. O árbitro declarou “INFIELD FLY SE FOR FAIR!”. A bola caiu ao solo, sem ser tocada, na frente da 3ª base e rolou para o território foul. O batedor é out?

 
Não. É um foul ball.

 
(Beisebol – Regras: 2.00 “INFIELD FLY”, Comentário – Regra 2.00 “FAIR BALL”)
 
(Softbol – Regra 1 – Seção 56 – vide NOTA 3)

sábado, 6 de outubro de 2012

BATEDOR-CORREDOR ULTRAPASSA A 1ª BASE E RETORNA IMEDIATAMENTE

O batedor acertou um “line drive” indefensável para o jardim direito e ultrapassou a 1ª base correndo, após pisá-la. Quando estava retornando à base, foi tocado pelo defensor da 1ª base, que havia recebido a bola devolvida pelo jardineiro direito. Ele deve ser eliminado?
 
Ele poderá ser eliminado se não retornar imediatamente à base, ou se tentar ou ameaçar correr para a 2ª base. 

 
[Beisebol – Regras: 7.08 (c) – EXCEÇÃO, 7.08 (j), 7.10 (c)]
 
(Softbol – Regras: 8 – Seção 9i, 8 – Seção 10i)

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

FOI ANOTADO PONTO?

Um "out".  A equipe de Orioles tem corredor na 2ª e na 3ª bases quando Mickey Tettleton acerta uma rebatida “fly” grande para o campo externo (“outfield”). O corredor da 3ª faz “tag-up” (retoca a base) e cruza o “home plate” com facilidade. O corredor da 2ª também avança à base seguinte, porém, o segunda base do Texas Rangers reclama saída antecipada da base. O árbitro aceita a apelação e elimina o corredor. Foi anotado ponto?

Sim. Porque (1) o corredor da 3ª base pisou o “home plate” antes da terceira eliminação do “inning” [Regra 4.09 (a)]; e (2) a terceira eliminação não ocorreu em jogada forçada [Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (2)].  
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

Se essa jogada tivesse ocorrido no softbol, seria aplicada a Regra 5 – Seção 7a.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

“FAIR” OU “FOUL”?

O batedor executou um “bunt”. A bola foi rolando sobre o território “foul” entre o “home plate” e a 1ª base. Ocorre que, ao tocar a borda do gramado, ela desviou para o território “fair” e foi apanhada pelo arremessador. É “fair ball” ou “foul ball”?
 
O fato de a bola ter ido primeiro para o território “foul” é irrelevante. Quando ela para ou é tocada, em território “fair” entre o “home plate” e a 1ª base ou entre o “home plate” e a 3ª base, ou toca o corpo/roupa de um árbitro ou jogador enquanto está em ou sobre território “fair”, a rebatida é “fair”.
 
(Beisebol - Regra 2.00 “FAIR BALL”)
 
(Softbol – Regra 1 – Seção 29a/d)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

BASE DUPLA

Softbol

Rebatida “ground” para o campo interno. O defensor da 3ª base efetuou a defesa, mas fez um mau lançamento à 1ª base.  O batedor-corredor –que havia ultrapassado a base após pisar a porção “foul”—, ao ver a bola rolando em direção à cerca lateral, avançou à 2ª base sem retornar à porção “fair”.  Deve-se considerar que ele omitiu a 1ª base?
Não. É bola em jogo e o avanço à 2ª base é válido.

(Regra 8 – Seção 6b)

FONTE: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK,  editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

UMA BOLA DE FUTEBOL ENTROU NO CAMPO ENQUANTO O ARREMESSADOR EFETUAVA O ARREMESSO


 
Corredor na 3ª base. Enquanto o arremessador efetuava o arremesso, uma bola de futebol entrou no campo e parou nas proximidades da cerca do jardim esquerdo.  O batedor acertou um “line drive” na direção do jardineiro esquerdo e chegou tranquilamente à 1ª base; o corredor anotou ponto. O técnico da equipe na defensiva reclamou, argumentando que os árbitros deveriam ter declarado “TIME” e paralisado o jogo no momento em que a bola de futebol entrou no campo; e queria que a jogada fosse anulada. Reclamou com razão?
 
Não. A jogada é válida, já que a bola que entrou no campo não interferiu na ação do defensor.

 
(Regra 3.16)

Fonte: DIAMOND CHALLENGE, de Jim Evans

terça-feira, 2 de outubro de 2012

EQUIPE LOCAL GANHA O JOGO COM “HOME RUN” NA 2ª METADE DO NONO “INNING”


 
A equipe “B” estava perdendo da equipe “A” (3 x 4) quando terminou a primeira metade do nono “inning”. Na segunda metade desse “inning”, com um “out” e as bases cheias, o quarto batedor da equipe “B” rebateu forte e mandou a bola para fora do campo externo (“home run” ). Quando o jogo deve ser encerrado e quantos pontos devem ser contados para a equipe “B”? 
 
O jogo deve ser encerrado no momento em que o batedor-corredor toca o “home plate”. Devem ser contados sete pontos para a equipe “B”.

 
[Regra 4.11 (c) – EXCEÇÃO]

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

JOGADOR DE EMERGÊNCIA

Softbol

Um jogador teve hemorragia nasal e não pôde continuar no jogo. Ocorre que, nesse momento, não havia suplente disponível que pudesse substituí-lo. É possível utilizar um jogador que deixara o jogo após ser utilizado como “pinch runner” (corredor de emergência)?

Sim, mas como Jogador de Emergência, e ele pode atuar no lugar do jogador removido somente por um determinado tempo (pelo resto do “inning” em andamento e pelo “inning” seguinte completo).

(Regras: 1 – Seção 87, 4 – Seção 11)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK, editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)