sexta-feira, 31 de agosto de 2012

CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA PARA EVITAR UM “DOUBLE PLAY”

Bases cheias, um “out”, rebatida “ground” para o campo interno. O interbases teria condição de executar um “double play” (jogada dupla) facilmente. O corredor da 2ª base, que estava avançando à 3ª base, parou, intencional e deliberadamente, e permitiu que a bola o atingisse. Que penalidade deve ser aplicada?

Beisebol

O árbitro deve eliminar o corredor pela falta cometida (Interferência da Ofensiva), e deve eliminar também o batedor-corredor devido à ação de seu companheiro de equipe. Os demais corredores não podem avançar nem anotar ponto.

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a), 7.09 (f)

Softbol

O árbitro deve eliminar o corredor pela falta cometida, e deve eliminar também o corredor subsequente imediato (corredor da 1ª base) devido à ação de seu companheiro de equipe. Os demais corredores não podem avançar nem anotar ponto.

(Regras: 1 – Seção 60a,  8 – Seção 9m – vide NOTA – Seção k-m) 

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

DEFENSOR POSICIONADO COM UM PÉ EM TERRITÓRIO “FOUL”


 
Corredor na 1ª base. O defensor da 1ª base está com um dos pés (o esquerdo) pisando o território “foul”. Antes de o árbitro adverti-lo sobre a irregularidade, há uma rebatida “liner”* para o território “foul” do lado da 1ª base. O defensor posicionado ilegalmente estende o braço e agarra a bola sem dificuldade.  Como deve ser decidido este lance?
 
Caso reconheça que a equipe na defensiva levou alguma vantagem em razão do posicionamento ilegal do defensor da 1ª base, o árbitro deve anular a jogada; deve, também, ordenar que o defensor se mantenha dentro do território “fair”, antes de dar prosseguimento à partida.

 
[Regra 4.03 – vide NOTA]

 
No softbol, o arremessador não deve efetuar um arremesso enquanto todos os jogadores da defensiva –exceto o receptor— não estejam posicionados em território “fair”; se o fizer, será declarado um Arremesso Ilegal.  

 
(Regra 6 - Seção 4a, Regra 6 - EFEITO - Seções 1 - 7)

 
*“Liner” é uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do “bat” a um defensor, sem tocar o solo. “Liner” = “Line Drive”.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

BASE DUPLA


Softbol

Rebatida “ground” para o campo interno. O interbases efetuou a defesa nas proximidades da “almofada” da 2ª base e lançou apressadamente à 1ª base.  O defensor da 1ª base recebeu a bola antes de o batedor-corredor chegar à base  (quando agarrou a bola, porém, ele estava com o pé sobre a linha que divide a base dupla em porção “fair” e porção “foul”). O batedor-corredor é “out”?
Sim, porque o pé do defensor estava tocando a porção “fair” da base dupla, conforme exige a regra. (O fato de uma parte do pé ter tocado a porção “foul” é irrelevante.)

[Regra 2 – Seção 4h-1 (c)]

FONTE: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK - editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

“HOME RUN” OU “TWO-BASE HIT”?

Num jogo de beisebol – categoria Adultos – ocorreu o seguinte lance:  Segunda metade do último “inning”, placar empatado, rebatida “fair fly” para o jardim direito.  A bola passou sobre a cerca situada a 240 pés (aproximadamente 73,20m) do “home base”. O batedor-corredor tocou legalmente todas as bases. O árbitro encerrou a partida, dando a vitória à equipe local.  

A decisão dada pelo árbitro contraria a Regra 6.09 (d). Uma bola “fair fly” que sai do campo de jogo (passando sobre a cerca) num ponto com menos de 250 pés  (76,20m) do “home base” dá ao batedor o direito de avançar somente até a 2ª base. 

Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez

terça-feira, 28 de agosto de 2012

RECEPTOR NÃO DEVOLVE A BOLA DIRETAMENTE AO ARREMESSADOR

Softbol

 
Nenhum corredor em base. Quando a contagem de bolas arremessadas (“ball count”) estava em 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”), o batedor iniciou o “swing” e interrompeu-o.   O receptor derrubou a bola e, achando que seria declarado o terceiro “strike”, jogou a bola à 1ª base. O árbitro de “home”, porém, interpretou que não houve” swing” e declarou um “ball”. Como deve ser decidido este lance?
 
Nesse caso, não há penalidade. O batedor deve continuar batendo. Contagem de bolas: 3 – 2 (três “balls” – dois “strikes”).

 
(Regra 6 – Seção 6b – EXCEÇÃO  5)

CONCESSÃO DE BASES

Corredor na 1ª e 3ª base. O arremessador na Posição “Set” tentou surpreender o corredor da 3ª base fora da “almofada”. O lançamento, porém, foi descontrolado e a bola saiu do campo de jogo. Para que bases devem ser mandados os corredores?
 
O corredor da 3ª base anota ponto, e o da 1ª base deve ser mandado à 2ª base. Quando um arremessador posicionado sobre o “pitcher’s plate” lança a uma base e a bola vai parar numa área fora de jogo, a cada corredor deve ser concedida uma base.

 
[Regra 7.05 (h)]

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

BATEDOR-CORREDOR ULTRAPASSA O CORREDOR DA 1ª BASE


 

 
19 agosto 2012


Hoje fui atuar na 3a base conforme rodizio estabelecido. Corredores na 1a e 2a base com UM eliminado.

Como definido no esquema de 3 árbitros o árbitro da 1a base fica em sua base e o árbitro da 3a base interna perto da 2a base.


Nesta situação fiquei com a 2a e 3a base pois o árbitro de home plate não sai mais.


A rebatida vai bem alta na direção do jardineiro central mas para o lado esquerdo.


A pegada seria muito facil e os corredores voltaram para sua base para o retouch. Nisto o defensor deixa a bola cair ao chão. Declarei o Safe e o corredor partiu em disparada para a 3a base.


Olhei para a 2a base, enquanto corria, e não tinha corredor. A bola veio na direção da 3a base. O defensor pegou a bola mas seu pé não tinha contato com a base. Daí declarei o Safe pois era uma jogada forçada.


Ao final fomos chamados pelo coordenador de arbitragem para entender porque o rebatedor não tinha sido eliminado. Como assim??


Ocorreu a seguinte situação. O corredor retornou para a 1a base para o retouch. Ocorre que como a bola foi bem alta o rebatedor acabou passando pela 1a base enquanto ele mantinha o pé nela.

Quando um corredor ultrapassa um precedente deve ser eliminado. É o que diz a regra. Como isto é praticamente impossível de ocorrer na 1a base o árbitro não percebeu a irregularidade.


Deveria ter declarado o rebatedor eliminado e a bola continua viva em jogo.

O relato acima foi publicado no site 


por Francisco Gentil Espildora –árbitro da AAABSB—, que participou do I Campeonato Mundial Sub 15 – 2012, realizado no período de 16 a 26 de agosto de 2012, em Chihuahua – México.
 
Um caso semelhante foi apresentado no nosso blog, em 20/03/2012. Vale a pena LER DE NOVO.

 
terça-feira, 20 de março de 2012

O BATEDOR-CORREDOR ULTRAPASSOU O CORREDOR DA 1ª BASE


Nenhum “out”, corredor na 1ª base, rebatida “fly” para ‘gaiya’*. O corredor, imaginando que o jardineiro central apanharia a bola no ar, ficou parado nas proximidades da 1ª base. O defensor, porém, não conseguiu efetuar a defesa –a bola bateu na sua luva e foi ao solo. Vendo isso, o batedor-corredor passou pela 1ª base legalmente e arrancou em direção à 2ª base, deixando o corredor da 1ª base para trás.

 

O batedor-corredor deve ser declarado eliminado por ter ultrapassado um corredor precedente. A bola permanece em jogo.

 

[Beisebol: Regra 7.08 (h)]

 

(Softbol: Regra 8 – Seção 9f)

 

No momento em que ocorre a ultrapassagem, o árbitro que observou o lance deve apontar para o jogador que cometeu a infração e declará-lo eliminado, fazendo o gesto de “OUT”.

 

*‘Gaiya’ é um termo japonês; significa campo externo (GAI = externo; YA = campo). ‘Gaiya’ = “outfield”.

domingo, 26 de agosto de 2012

REGRAS DE ANOTAÇÃO

Contagem de bolas sobre o batedor: 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”). O técnico manda ao montículo (“mound”) um arremessador substituto. O novo “pitcher” concede a 1ª base ao batedor, arremessando dois “balls” consecutivos. Para fins estatísticos, a concessão de base por “balls” deve ser atribuída ao arremessador original ou ao seu substituto? 

Deve ser atribuída ao substituto. A responsabilidade sobre esse batedor e suas ações é do arremessador substituto. 

[Regra 10.18 (h) (3)]

DOIS CORREDORES CHEGAM AO “HOME BASE” QUASE AO MESMO TEMPO


 

Corredor na 2ª e 3ª base, dois eliminados, “hit” longo na direção do jardineiro central. Os dois corredores chegam ao “home” quase ao mesmo tempo; o da 3ª passa pelo “home base”, sem pisá-lo, e o da 2ª toca-o legalmente. A equipe na defensiva apela ao árbitro de “home”; o corredor da 3ª é eliminado. O corredor da 2ª anotou ponto?
Não. Se houvesse menos de dois “outs” quando ocorreu essa jogada, o corredor da 2ª teria anotado ponto.
[Beisebol – Regras: 4.09 (a) – EXCEÇÃO (3), 7.08 (k), 7.10 (d), 7.12, Comentário – Regra 7.10]
 
(Softbol – Regras: 5 – Seção 7b-5, 8 – Seção 4e – EXCEÇÃO, 8 – Seção 9j)

sábado, 25 de agosto de 2012

INTERFERÊNCIA DO ESPECTADOR


 
O jardineiro direito (“rightfield”) estava tentando apanhar um “fair fly” que caia dentro do campo, nas proximidades da cerca do campo externo (“outfield”), mas não conseguiu efetuar a defesa porque um espectador, esticando-se sobre a cerca, tocou a bola com sua mão. O batedor deve ser eliminado?


Sim. Houve uma Interferência do espectador. A bola torna-se morta.

 
[Beisebol - Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (d), 3.16 – REGRA APROVADA, Comentário – Regra 3.16]

 
(Softbol – Regras: 1- Seção 60d, 8 – Seção 2n, 8 – EFEITO – Seção 2n, 9 – Seção 1aa)

 
Interferência do Espectador: Ocorre quando um espectador se estica para fora das arquibancadas, ou entra no campo de jogo, e (1) toca uma bola viva, ou (2) toca um jogador e estorva uma tentativa de fazer uma jogada sobre uma bola viva.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

REGRAS DE ANOTAÇÃO


Corredor na 1ª base. O arremessador executa o arremesso no momento em que o corredor está tentando roubar a 2ª base. O receptor faz um mau lançamento à 2ª base –a bola voa para o “centerfield” (jardim central). O corredor, que alcançara a base deslizando, não consegue avançar além da 2ª base enquanto o “centerfielder” (jardineiro central) apanha a bola. Deve ser anotado um erro ao receptor?

Deve ser imputado um erro ao receptor somente quando o mau lançamento permite que o corredor que está roubando base avance uma ou mais bases extras, ou qualquer outro corredor avance uma ou mais bases.

[Regra 10.14 (a)]

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

SUBSTITUIÇÃO DE JOGADOR


 
Softbol

 
Um batedor levou um ‘detto booru’ (foi atingido pela bola arremessada) na cabeça e ficou estatelado no chão; não conseguia se mover do lugar. É permitido utilizar um jogador substituto até a 1ª base?  Esse jogador substituto pode ser um Jogador de Emergência (“Replacement Player”)?
 
É permitido utilizar um jogador substituto até a 1ª base, e esse substituto poderá tornar-se o corredor dessa base. No caso apresentado acima não pode ser utilizado um Jogador de Emergência –Jogador de Emergência pode ser utilizado somente quando um jogador se machuca a ponto de perder sangue.

 
(Regra 4 – Seção 8d, Regra 4 – Seção 11)

 
Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK (editado pela JSA – Japan Softball Association)

DEFENSOR ESTICA O BRAÇO PARA FORA DA CERCA E TENTA APANHAR UM “FAIR FLY”


 
O jardineiro esquerdo (“leftfielder”) esticou o braço para fora da cerca e tentou apanhar um “fair fly” (bola “fly” em território “fair”), mas, como um espectador bateu na sua luva, não conseguiu efetuar a defesa.  Como deve ser decidido este caso?
 
É um “home run”; nesse caso, a ação do espectador não é considerada uma Interferência. 

 
[Comentário – Regra 2.00 “CATCH”, Comentário – Regra 3.16]

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

SUBSTITUIÇÃO DE JOGADOR


 
Softbol

 
Dois eliminados, corredor na 1ª base. O batedor “A” foi substituído pelo jogador “B”. Antes de “B” terminar a sua vez de bater, o corredor foi eliminado. Com três eliminações, houve a mudança ataque x defesa (“change”). “B” deve ser considerado como tendo participado oficialmente do jogo?
 
Quando o técnico comunica a mudança de jogador ao árbitro de “home” concretiza-se a substituição. Portanto, “B” deve ser considerado como tendo participado oficialmente do jogo.

 
(Regra 4 – Seção 8a)

DEFENSOR ESTICA O BRAÇO PARA FORA DA CERCA E TENTA APANHAR UM “FOUL FLY”


 
O defensor da 3ª base correu atrás de um “foul fly” (bola “fly” em território “foul”), e quando tentava apanhar a bola esticando o braço para fora da cerca, um espectador bateu na sua luva e atrapalhou a defesa. O batedor deve ser eliminado?
 
Não. É um “foul ball”. O defensor pode tentar apanhar uma bola “fly” esticando o braço para fora da cerca, mas corre o risco de ser atrapalhado pelo público.

 
[Comentário - Regra 2.00 “CATCH”, Comentário – Regra 3.16]

terça-feira, 21 de agosto de 2012

O ÁRBITRO DEVE CONCEDER A 1ª BASE AO BATEDOR?



Softbol


Nenhum corredor em base. Quando a contagem de bolas arremessadas (“ball count”) estava em 2 – 2 (dois “balls” – dois “strikes”), o batedor iniciou o “swing” e interrompeu-o. O receptor, acreditando ter ocorrido um “strikeout” (eliminação por “strike”), jogou a bola ao defensor da 3ª base. O árbitro de “home”, porém, interpretou que não houve “swing” e declarou um “ball”. E como o receptor não devolveu a bola diretamente ao arremessador, contou mais um “ball” e concedeu a 1ª base ao batedor.


A decisão dada pelo árbitro está correta.


(Regra 6 – Seção 6b – vide NOTA)  

INTERFERÊNCIA DO ESPECTADOR

Um espectador entrou no campo e atrapalhou um defensor que estava tentando fazer uma jogada com uma bola lançada.  Que decisão deve ser tomada?
 
A bola torna-se morta no momento em que o espectador atrapalha o defensor. O árbitro deve impor as penalidades que, na sua opinião, anularão o ato da Interferência.

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (d),  3.16]

Se o espectador impedir, claramente, que um defensor apanhe uma bola “fly”, o batedor será declarado eliminado.

(Regra 3.16 – REGRA APROVADA)

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

CORREDOR JÁ ELIMINADO IMPEDE UMA JOGADA SUBSEQUENTE SOBRE OUTRO CORREDOR

Corredor na 1ª e na 3ª bases, um “out”, rebatida “gound” forte em direção à 2ª base. O segunda base efetuou a defesa e lançou ao interbases.  O corredor da 1ª base, eliminado em jogada forçada, colidiu, intencionalmente, com o interbases e impediu que ele completasse a jogada na 1ª base. Enquanto isso, o corredor da 3ª base cruzou o “home plate”. Como deve ser decidido este lance?
 
O árbitro deve eliminar também o batedor-corredor em razão da Interferência cometida por seu companheiro. Não foi anotado ponto.

[Regra 7.09 (e)]

Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez
 
No softbol, quando um corredor já eliminado interfere na ação de um defensor que tem oportunidade de fazer uma jogada sobre outro corredor, o corredor que está mais perto do “home plate”, no momento da Interferência, deve ser declarado eliminado.

(Regra 8 – Seção 9o – vide NOTA)

domingo, 19 de agosto de 2012

RECEPTOR APANHA UMA BOLA “FOUL” PERTO DA LINHA DE “FOUL” E LANÇA A UMA BASE



Softbol


Nenhum corredor em base. Quando a contagem de bolas arremessadas (“ball count”) estava em 3 – 1, o batedor executou “bunt” e mandou a bola para as proximidades da linha de “foul” do lado da 1ª base. O receptor apanhou essa bola e lançou-a à 1ª base, mas a decisão do árbitro havia sido “foul ball”. O técnico da equipe na ofensiva reclamou: queria que fosse concedido ao batedor o direito de ir à 1ª base por “ball four”, porque o receptor não devolveu a bola diretamente ao arremessador.  

A reclamação não procede. O batedor deve continuar batendo. Quando o receptor apanha a bola perto da linha de “foul” e lança para qualquer base para tentar eliminar um corredor, não há penalidade.


(Regra 6 – Seção 6b – EXCEÇÃO 4)

QUANTOS PONTOS FORAM ANOTADOS?



Dois eliminados. As bases estavam cheias quando o batedor acertou um potente “hit” (rebatida indefensável) para o “outfield” (campo externo) –a bola passou sobre a cabeça do “centerfielder” (jardineiro central) e foi parar na cerca do fundo. Três corredores pisaram o “home plate”; o batedor-corredor chegou à 3ª base, mas foi declarado eliminado em apelação por ter omitido a 2ª base. Quantos pontos foram anotados?

Foram anotados três pontos, e ao batedor deve ser creditado um “hit” de uma base.

[Regras: 4.09 (a), 10.05 (a)]

Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez

sábado, 18 de agosto de 2012

BASE DUPLA


Softbol

A bola lançada à 1ª base tocou o solo e desviou para o território “foul” do lado da 1ª base. O defensor da 1ª base apanhou-a rapidamente e tentou, ele próprio, eliminar o batedor-corredor. Enquanto ele tentava executar a jogada, o batedor-corredor ultrapassou a base após pisar a porção “fair” da base dupla. A equipe na defensiva apelou ao árbitro, alegando que o batedor-corredor deveria ser eliminado por ter omitido a 1ª base.  O árbitro deve aceitar a apelação?

Não. Num lance como esse o batedor-corredor e o jogador da defensiva podem pisar tanto a porção “foul” como a porção “fair” da base dupla.

[Regra 2 – Seção 4h-1 (c) - EXCEÇÃO]


FONTE: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK editado pela Associação de Softbol do Japão (JSA – Japan Softball Association)

APARENTE “QUARTA ELIMINAÇÃO” EM JOGADAS DE APELAÇÃO

Corredor na 3ª e 1ª base, um “out”, rebatida “line drive” ao campo interno. O interbases apanhou a bola em voo (segunda eliminação) e lançou-a rapidamente à 1ª base; o corredor da 1ª, que estava fora da base, não conseguiu retornar a tempo e foi eliminado (terceira eliminação).  O corredor da 3ª, que também estava fora da base, foi para “home” sem retocar a “almofada” e pisou o “home base” antes de ocorrer a eliminação na 1ª base. Os defensores deixaram o campo e se dirigiram ao “dugout”. Foi contado um ponto.
 
Se a equipe na defensiva tivesse apelado na 3ª base e solicitado ao árbitro que a eliminação naquela base fosse considerada o terceiro “out”, não seria anotado ponto.  
 
Vejamos o que diz a regra: Em jogadas de apelação, a equipe na defensiva pode solicitar que um árbitro reconheça uma aparente “quarta eliminação”. Se a terceira eliminação ocorrer durante uma jogada em que é permitida uma apelação sobre outro corredor, a decisão tomada na jogada de apelação terá prioridade para determinar a eliminação. Se houver mais de uma apelação durante uma jogada que encerra um meio-“inning”, a defensiva poderá optar pela eliminação que lhe for mais vantajosa.

[Regra 7.10]

A jogada apresentada acima (ocorreu no Japão num jogo da fase final do Campeonato Colegial) foi mostrada no vídeo postado no Facebook  por Erick Nakano, dirigente do beisebol carioca.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

BATEDOR FORA DE ORDEM


Aconteceu num jogo de beisebol: O oitavo batedor entrou no “batter’s box” no turno do sétimo batedor e acertou uma rebatida indefensável ao jardim central. Depois que foi efetuado um arremesso ao nono batedor (batedor seguinte), a equipe contrária apelou. Quem deve ser eliminado?

Ninguém. Como foi efetuado um arremesso ao batedor seguinte antes de a equipe na defensiva apelar, a situação do oitavo batedor ficou regularizada.  

 [Regra 6.07 (c)]

Fonte: EL BEISBOL – Arbitros em el Terreno, de Humberto Vázquez

Se essa jogada tivesse ocorrido no softbol, seria aplicada a Regra 7  – Seção 2 – EFEITO – Seção 2c-d/3 (a).

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O BATEDOR DEVE SER BENEFICIADO COM “BALL FOUR”?



Softbol


Nenhum corredor em base. Quando a contagem de bolas arremessadas estava em 1 – 2 (um “ball” – dois “strikes”), o receptor, pensando equivocadamente que o arremesso seguinte havia sido um “strike”, jogou a bola ao defensor da 3ª base. Este, por sua vez, despachou-a imediatamente ao defensor da 2ª base. O técnico da equipe na ofensiva reclamou; queria que o batedor fosse mandado à 1ª base por “ball four” (quatro “balls”), argumentando o seguinte: (1) o arremesso efetuado foi declarado “ball” (2º “ball”); (2) quando o receptor jogou a bola à 3ª base, deveria ser contado um “ball” (3º “ball”); (3) quando a bola foi lançada à 2ª base deveria ser contado mais um “ball” (4º “ball”). 

A reclamação é improcedente. A contagem de bolas passa a ser 3 – 2. Quando, sem corredor(es) em base, o receptor não devolve a bola diretamente ao arremessador após cada arremesso, é contado um “ball” ao batedor, porém não é correto raciocinar que se deve contar um “ball” cada vez que um defensor lança a bola para seu companheiro.


(Regra 6 – Seção 6b – vide NOTA, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 - 7)

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

RECEPTOR NÃO DEVOLVE A BOLA DIRETAMENTE AO ARREMESSADOR DEPOIS DE UM “FOUL BALL”



Softbol


Nenhum corredor em base. Quando o “ball count” (contagem de bolas arremessadas) estava em 0 – 2 (nenhum “ball” – dois “strikes”), houve uma rebatida “foul”. O receptor apanhou a bola e lançou-a ao defensor da 3ª base, que se encontrava perto do arremessador.  


Deve ser concedido um “ball” ao batedor. Quando não há corredor(es) em base, o receptor deve devolver a bola diretamente ao arremessador, após cada arremesso, inclusive depois de um “foul ball”.


(Regra 6 – Seção 6b – vide NOTA, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 - 7)


Casos em que não se aplica a Regra 6 – Seção 6b: (1) depois de uma eliminação por “strike”; (2) quando o batedor se torna um batedor-corredor; (3) quando há corredor(es) em base; (4) quando o receptor apanha uma bola “foul” perto da linha de “foul” e lança a qualquer base para tentar eliminar um corredor; (5) quando, num “swing” interrompido numa situação de terceiro “strike” não agarrado, o receptor lança à 1ª base para eliminar o batedor-corredor.


(Regra 6 – Seção 6b – EXCEÇÃO)

NECESSIDADE DE RETOCAR UMA BASE ENQUANTO A BOLA ESTÁ MORTA




Corredor na 1ª base, um eliminado. O batedor foi eliminado num “fly” rebatido para o jardim direito (“rightfield”) –segunda eliminação. O corredor da 1ª base, porém, achando que já havia duas eliminações quando ocorreu a rebatida, deixou a “almofada” antes de o jardineiro direito (“rightfielder”) efetuar a defesa e estava entre a 2ª e a 3ª bases. Na ânsia de “pegar” o corredor no retorno à base que deixara antecipadamente, o jardineiro direito fez um lançamento descontrolado (“wild throw”) e mandou a bola para fora do campo. (O corredor ainda estava entre a 2ª e a 3ª bases quando a bola saiu do campo.)


Decisão: O corredor deve ser autorizado a ir à 3ª base (duas bases a partir da 1ª base). Entretanto, enquanto a bola está morta, ele tem de retornar e retocar a 1ª base. E mais, uma vez que estava entre a 2ª e a 3ª bases quando a bola ficou fora de jogo, ele tem de retornar à 1ª base antes de alcançar e tocar a 3ª base (a base seguinte). Se ele tocar a 3ª base, não poderá retornar à 1ª; e se a equipe na defensiva apelar, será declarado eliminado na 1ª.


[Regras: 7.05 (g), 7.10 (b)]


Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

terça-feira, 14 de agosto de 2012

SUBSTITUIÇÃO DE JOGADOR



Softbol


O jogador “A”, cujo nome não estava inscrito no “line-up card” (formulário de escalação), foi anunciado como “pinch hitter” (batedor de emergência). O árbitro de “home” percebeu a falha. Esse jogador pode entrar no jogo?

Se for um jogador legalmente registrado, ou seja, que consta da relação de jogadores inscritos como participantes da competição, pode; seu nome pode ser acrescentado à lista de reservas disponíveis, a qualquer momento durante o jogo.


(Regra 4 – Seção 2a - 3)

ARREMESSADOR POSICIONADO SOBRE O “PITCHER’S PLATE” JOGA A BOLA PARA O AR ANTES DE INICIAR O “STRETCH”*




Havia corredor(es) em base. O arremessador posicionado sobre o “pitcher’s plate” jogou a bola para o ar enquanto recebia as senhas do receptor e antes de iniciar o “stretch”. Isso deve ser permitido?


O simples ato de jogar a bola para o ar não caracteriza uma infração. Se, entretanto, o árbitro achar que esse procedimento do arremessador poderá enganar um corredor ou retardar o jogo, deverá adverti-lo.  E se, depois da advertência, tal prática se repetir, deverá declarar um “balk”.


[Regra 8.05 (h), Comentário – Regra 8.05]


*”Stretch” é aquele movimento preliminar natural que o arremessador faz antes de assumir a Posição “Set”.