terça-feira, 31 de julho de 2012

BATEDOR REBATE UM ARREMESSO EFETUADO ILEGALMENTE

Softbol

Corredor na 2ª base. Quando a contagem de bolas arremessadas estava em 1 – 1 (um “ball” – um “strike”), o batedor rebateu um arremesso efetuado ilegalmente e chegou “safe” à 1ª base. O corredor da 2ª base foi eliminado por toque no “home plate”. Como deve ser decidido este lance?
 
Como o batedor-corredor alcançou a 1ª base e o corredor da 2ª base avançou pelo menos uma base, o Arremesso Ilegal é anulado, e o resultado da jogada, mantido.

(Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7/3 – EXCEÇÃO)

DEFENSOR COLIDE COM UM CORREDOR E NÃO CONSEGUE DAR CONTINUIDADE À JOGADA



Um “out”, corredor na 1ª e 3ª base, rebatida “ground” na direção do espaço entre a 2ª e a 1ª bases. O defensor da 2ª base apanhou a bola, mas não conseguiu dar continuidade à jogada porque colidiu com o corredor da 1ª base. Quando o árbitro apontou a Interferência, o batedor-corredor não havia chegado à 1ª base; o corredor da 3ª base, porém, já havia pisado o “home plate”. Como deve ser decidido este lance?


O corredor da 1ª base deve ser declarado eliminado (Interferência da Ofensiva); o corredor que pisou o “home plate” deve retornar à 3ª base; e o batedor-corredor adquire o direito de ir à 1ª base. 


[Comentário – Regra 2.00 “INTERFERENCE” (a), Comentário – Regra 7.08 (b)]

segunda-feira, 30 de julho de 2012

O BATEDOR ACERTOU UM “HOME RUN” E, ENQUANTO CORRIA AS BASES, TIROU O CAPACETE DA CABEÇA

Softbol
 
O batedor acertou um “home run” –a bola passou sobre a cerca do jardim esquerdo (“left field”). Quando passou pela 3ª base, tirou o capacete da cabeça. O árbitro declarou-o eliminado.
 
Se o corredor tirar o capacete, intencionalmente, será declarado “out” [Regra 3 – Seção 6f (ii), Regra 3 – EFEITO – Seção 6f (ii) – 2]. O propósito desta regra é prevenir acidente, ou seja, evitar que o corredor seja atingido por uma bola rebatida ou lançada. No caso apresentado acima, não havia esse perigo, pois a bola estava fora de jogo (bola morta). O batedor que acertou o quadrangular, portanto, não deveria ser declarado “out”.
 
Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK  (editado pela JSA – Japan Softball Association)

domingo, 29 de julho de 2012

OBSTRUÇÃO

Obstrução é o ato de um defensor que, sem estar de posse da bola e sem estar em ação para apanhar a bola, impede o avanço de um corredor.
 
MECÂNICA PARA DECLARAR UMA OBSTRUÇÃO
 
Há dois tipos de Obstrução, e para cada tipo é usada uma mecânica diferente.
 
O primeiro tipo é aquele em que o corredor é obstruído enquanto está havendo uma jogada sobre ele [Regra 7.06 (a)].

Exemplos:
 
1.     O corredor é obstruído durante uma jogada de perseguição (“run-down play”).
 
2.      O corredor é obstruído enquanto um defensor está fazendo um lançamento diretamente a uma base para tentar eliminar esse corredor.
 
3.      O batedor-corredor é obstruído antes de alcançar a 1ª base após rebater um “ground” a um defensor do campo interno
 
4.      Qualquer outro caso em que uma jogada está sendo feita diretamente sobre o corredor no momento em que ele é obstruído.
 
A infração deve ser assinalada pelo árbitro, fazendo o gesto de “TIME” (ambas as mãos acima da cabeça) e, em seguida, apontando para o defensor que cometeu a falta; nesse momento, deve declarar com voz alta e claramente: “OBSTRUÇÃO!”. A bola torna-se morta, imediatamente, e a todos os corredores devem ser concedidas as bases que eles teriam alcançado se o defensor não tivesse cometido a infração. O corredor obstruído deve ser autorizado a avançar pelo menos uma base além da última base que estava ocupando legalmente no momento da Obstrução.
 
Este tipo de Obstrução inclui também os casos em que a bola lançada está em voo no momento em que ocorre a falta da defensiva. Em tais casos, o árbitro deve levar em consideração as consequências do lançamento quando faz a concessão de bases. Exemplo: Uma bola lançada está em voo no momento em que ocorre a Obstrução. O árbitro faz o gesto de “TIME”. Se esse lançamento resultar em “wild throw” (lançamento descontrolado) e ficar fora de jogo, a todos os corredores serão concedidas duas bases. Em casos como este, o árbitro tem a responsabilidade de determinar se o lançamento foi feito antes ou depois de ocorrer a Obstrução; se ele  achar que o lançamento foi feito depois de o defensor cometer a falta, o corredor obstruído será autorizado a avançar somente uma base a partir da base que estava ocupando no momento da Obstrução.
 
O segundo tipo é aquele em que o corredor é obstruído enquanto não está havendo uma jogada sobre ele [Regra 7.06 (b)].
 
Exemplos:
 
1. O batedor-corredor é obstruído ao fazer a curva depois de tocar a 1ª base, num “base hit”(rebatida indefensável), enquanto a bola está no “outfield” (campo externo). 
 
2. O batedor-corredor é obstruído antes de chegar à 1ª base, numa bola rebatida para o campo externo. 
 
3. O corredor da 1ª base rouba a 2ª base; o lançamento do receptor é mal executado (“wild throw”) –a bola vai parar no “center field” (jardim central); o corredor é obstruído quando está tentando avançar à 3ª base. A bola está no campo externo quando ocorre a Obstrução.
 
4. O corredor da 2ª base é obstruído ao fazer a curva depois de tocar a 3ª base, numa rebatida indefensável para o campo externo.
 
5. Qualquer outro exemplo em que nenhuma jogada está sendo feita diretamente sobre o corredor no momento em que ele é obstruído.
 
A infração deve ser assinalada pelo árbitro, apontando para o defensor que cometeu a falta; nesse momento, deve declarar com voz alta e claramente: “OBSTRUÇÃO!”. A bola, porém, não se torna morta. O árbitro deve permitir que o jogo prossiga até que o lance seja concluído e nenhuma outra ação seja possível.  Em seguida, deve declarar “TIME” e impor as penalidades –se houver—que, na sua opinião, anularão o ato da Obstrução.
 
Vale lembrar que se um corredor é obstruído enquanto nenhuma jogada está sendo feita sobre ele, o jogo deve prosseguir até que o lance seja concluído –ainda que, devido a isso, possa ocorrer uma jogada sobre o corredor obstruído.  Entretanto, se em tal jogada o corredor é tocado por um defensor, antes de chegar à base que lhe teria sido concedida em razão da Obstrução, o árbitro deve declarar “TIME” no momento em que ocorre o toque; em seguida, deve impor as penalidades que anularão o ato da Obstrução, que incluirão, naturalmente, a autorização para que o corredor obstruído ocupe a base à qual teria direito devido à infração.
 
Para decidir que base conceder a um corredor obstruído enquanto nenhuma jogada está sendo feita sobre ele, o árbitro deve levar em consideração a posição do corredor, da bola e do defensor no momento em que ocorre a Obstrução. A decisão final sobre onde colocar os corredores, porém, não deve ser tomada até que toda a jogada tenha cessado, e deve ser baseada no princípio de que o corredor obstruído deve ser  autorizado a ir à base que ele teria alcançado se a defensiva não tivesse cometido a falta.
 
Quando o batedor-corredor é obstruído antes de chegar à 1ª base, nem sempre ele será autorizado a ir àquela base. Por exemplo, o batedor-corredor é obstruído antes de chegar à 1ª base num “fly” ou “line drive” que é apanhado no ar; nesse caso, ele é eliminado. O raciocínio é que a Obstrução não prejudicou o batedor-corredor. Se o batedor-corredor for obstruído antes de chegar à 1ª base num “foul fly” não apanhado no ar, será declarado um “foul ball”. O raciocínio é que a Obstrução nada teve a ver com o fato de o batedor ter rebatido a bola para o território “foul”.

ooo 0 ooo

Jogada: O batedor acertou uma rebatida indefensável e mandou a bola para as proximidades da linha do “right field” (jardim direito). Ao fazer a curva depois de tocar a 1ª base, foi obstruído. No momento em que ocorreu a Obstrução, o “right fielder” (jardineiro direito) ainda não havia apanhado a bola, e parecia evidente que o batedor-corredor conseguiria chegar à 2ª base. Como, porém, a bola passou para trás, o batedor-corredor continuou correndo para tentar alcançar a 3ª base e foi tocado pelo defensor da 3ª base numa jogada apertada.
 
Decisão: Uma vez que o árbitro deve levar em consideração a posição do corredor, da bola e do defensor no momento em que ocorre a Obstrução, ele pode, inicialmente, ter a intenção de proteger o batedor-corredor até a 2ª base; se, porém, enquanto a jogada prossegue, achar que o batedor-corredor chegaria “safe” à 3ª base se não tivesse sido obstruído, deverá declarar “TIME” no momento em que ele é tocado pelo defensor e autorizá-lo a ir à 3ª base. (Se o árbitro achar que a Obstrução não influiu na eliminação do batedor-corredor, a jogada de toque será válida.)
 
[Regra 7.06 (b)]
 
Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

sábado, 28 de julho de 2012

ARREMESSADOR DÁ DUAS PARADAS ANTES DE INICIAR O ARREMESSO

Softbol
 
O arremessador levantou as mãos juntas até a frente do rosto e parou cerca de dois segundos. Em seguida, levou-as à frente do quadril e parou por mais de dois segundos. Dessa posição, fez os movimentos de arremesso e soltou a bola. O técnico da equipe na ofensiva reclamou, alegando que o arremesso fora ilegal porque o arremessador deu duas paradas.
 
O arremesso feito dessa forma não é ilegal. A parada que deve ser considerada é aquela dada na frente do quadril.
 
(Regra 6 – Seção 1e, Seção  2)
 
Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK  (editado pela JSA – Japan Softball Association)

ARREMESSADOR PARA O MOVIMENTO DO PÉ LIVRE ANTES DE COMPLETAR O ARREMESSO

Corredor na 3ª base. O arremessador na Posição “Set”, que havia iniciado o arremesso, parou o movimento do pé livre e, após olhar o corredor, jogou a bola ao batedor. O árbitro deve permitir isso?

Não. Deve declarar um "balk” no momento em que o arremessador para o movimento do pé livre. O arremessador não pode parar, intencionalmente, o seu movimento de arremesso; se ele fizer qualquer movimento natural relacionado com seu arremesso ao batedor, será obrigado a arremessar sem interrupção ou alteração.
 
[Regra 8.01 (b), vide NOTA 1]

sexta-feira, 27 de julho de 2012

“BAT" ILEGAL



Softbol



A fita do cabo de um “bat” aprovado soltou-se. O batedor aplicou nova fita numa extensão de aproximadamente 40cm e usou esse “bat”. E aí?

O batedor deve ser penalizado por ter usado um “bat” ilegal.

Quando o batedor entra no “batter’s box” com um “bat” ilegal, ou é descoberto usando um “bat” ilegal, ele é declarado eliminado. A bola torna-se morta e os corredores não podem avançar. O “bat” ilegal deve ser retirado do jogo.

A empunhadura de segurança não deve ser feita de plástico liso e não deve ter menos de 25,40cm (10 polegadas) de comprimento e não deve se estender mais de 38,10cm (15 polegadas) da extremidade do cabo. A fita aplicada no cabo do “bat” não deve exceder duas camadas.


(Regras: 1 – Seção 42, 3 – Seção 1, 7 – Seção 6c; Regra 7 – EFEITO - Seção 6a-j)

JOGADA DE APELAÇÃO

Corredor na 1ª base, um eliminado, “home run” sobre a cerca do “centerfield”. O corredor da 1ª base omitiu a 2ª base, e o batedor-corredor, a 1ª base. Após ambos os corredores cruzarem o “home plate”, o árbitro pôs nova bola em jogo. O arremessador posicionou-se sobre o “pitcher’s plate”, deu um passo para trás com o pé de apoio e lançou à 1ª base para apelar sobre o batedor-corredor. O lançamento, porém, foi mal executado –a bola foi parar numa área de bola morta. O árbitro, então, entregou outra bola ao arremessador; este, após posicionar-se novamente sobre o “pitcher’s plate”, lançou à 2ª base para, desta vez, apelar sobre o corredor que estava originalmente na 1ª base. O árbitro deve permitir a apelação? 

Não. Se o arremessador lança a bola para fora do campo quando faz uma apelação, tal ato deve ser considerado uma tentativa de jogada. Nenhuma outra apelação deve ser permitida.  

[Regra 7.10 (b), vide Regra 7.02 – NOTAS 1 e 2] 

Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

quinta-feira, 26 de julho de 2012

LANÇAMENTO A UMA BASE

Softbol

Após posicionar-se sobre o “pitcher’s plate”, o arremessador jogou a bola ao defensor da 1ª base para fazer uma apelação. Só que fez isso tirando o pé de apoio para a frente da placa e direcionando o pé livre à 1ª base.
 
Quando vai sair do “pitcher’s plate”, o arremessador tem de tirar os pés para trás (e para fora) da placa antes de separar as mãos –pode começar tanto com o pé de apoio como com o pé livre. Se os pés forem tirados para a frente ou para os lados da placa, será declarado um Arremesso Ilegal. No caso apresentado acima, como o lançamento foi feito para efeito de apelação, a equipe na defensiva perde o direito de apelar.

(Regra 6 – Seção 7 – vide NOTA, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7)

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK  (editado pela JSA – Japan Softball Association)

MANEIRA CORRETA DE SAIR DO “PITCHER’S PLATE”

Para sair de sua posição, o arremessador tem de dar um passo para trás do “pitcher’s plate” com o pé de apoio primeiro, e não com o pé livre; e após deixar a placa, tem de abaixar ambas as mãos para os lados do corpo. Quando há corredor(es) em base, o arremessador pode sair do “pitcher’s plate”, a fim de executar uma jogada, mesmo após ter assumido a “Set Position”. (Não é permitido tirar o pé de apoio para a frente ou para os lados da placa.)   

Temos observado que, quando há corredor na 1ª base, muitos arremessadores deixam a sua posição, incorretamente, para simular um lançamento àquela base; eles saem da placa afastando o pé de apoio em direção à 1ª base. Esse movimento caracteriza um “balk”. 

[Regra 8.01 (a) e  (b) – vide NOTA 4, Regra 8.05 (b)]

quarta-feira, 25 de julho de 2012

REGRA DE INFIELD FLY

Qual o momento certo para declarar um Infield Fly; é quando a bola está descendo e o defensor já está embaixo da bola? O árbitro não deve declarar um Infield Fly quando a bola está subindo? A Regra de Infield Fly deve ser aplicada mesmo quando os árbitros não se manifestam sobre o lance? O Infield Fly é considerado uma Jogada de Apelação?  Se um corredor é atingido por um Infield Fly enquanto está tocando sua base, ele deve ser eliminado? Quando é aplicada a Regra de Infield Fly a bola fica morta? Qualquer árbitro pode declarar um Infield Fly? 

Quantas dúvidas!!!!!! Vamos esclarecê-las.
A Regra de Infield Fly deve ser aplicada quando o batedor acerta um fair fly –exceto um  line drive ou um fly resultante de bunt—que pode ser agarrado por um defensor do campo interno mediante um esforço normal, na seguinte situação: a 1ª e 2ª base, ou a 1ª, 2ª e 3ª base estão ocupadas e há menos de duas eliminações. Quando  parecer evidente que uma bola fair fly pode ser apanhada por um defensor do campo interno (ou um defensor do campo externo posicionado no campo interno, na jogada) mediante um esforço normal, o árbitro deve apontar para cima, com a mão direita, e declarar, imediatamente,  INFIELD FLY!”, em benefício dos corredores. 

Em bolas rebatidas para as proximidades das linhas de foul, o árbitro deve declarar “INFIELD FLY SE FOR FAIR!”. Se a bola cair ao chão sem ter contato com um defensor e rolar ou saltar para o território foul, antes de passar a 1ª ou 3ª base, será declarado um foul ball. Se a bola cair ao chão sem ter contato com um defensor, fora das linhas de base, e rolar ou saltar para o território fair, antes de passar a 1ª ou 3ª base, será aplicada a Regra de Infield Fly . Se a bola cair ao chão após ser tocada por um defensor, em território fair, o árbitro eliminará o batedor declarando “OUT!”,OUT!”. Se a bola cair ao chão após ser tocada por um defensor, em território foul,  será declarado um foul ball. Se a bola for apanhada no ar, em território foul, o árbitro eliminará o batedor declarando “FLY OUT!”. 
A Regra de Infield Fly deve ser aplicada somente quando os árbitros se manifestam sobre o lance. [No softbol, a regra nada diz a respeito, porém a orientação da International Softball Federation (ISF) é no sentido de aplicar a regra mesmo que os árbitros não se manifestem, desde que a jogada preencha todas as condições de um Infield Fly.]

O Infield Fly não é, de maneira alguma, considerado uma jogada de apelação (a opinião do árbitro deve prevalecer). 

Se um corredor é atingido por um Infield Fly enquanto está tocando sua base, ele não deve ser eliminado; o batedor, porém, é out; se for atingido quando não está em contato com sua base, ambos –corredor e batedor—serão eliminados.
Num Infield Fly a bola permanece em jogo. Qualquer árbitro pode declarar um Infield Fly, embora a prioridade seja daquele que está mais perto do lance.

[Beisebol – Regras: 2.00 INFIELD FLY, 6.05 (e), 708 (f) – EXCEÇÃO, Comentário – Regra 7.08 (f)]

(Softbol – Regras: 1 – Seção 56, 8 – Seção 2e, 8 – EFEITO – Seção 2a-e, 9 – Seção 2b)

terça-feira, 24 de julho de 2012

TERMO QUE NÃO SE OUVIA HÁ MUITO TEMPO

Durante um jogo do XXIV Campeonato Brasileiro de Beisebol Interseleção –Categoria Ouro (55 anos)—realizado nos dias 21 e 22/07/2012, um “foul ball” rebatido para o jardim esquerdo bateu no muro lateral e entrou no campo. Quando o árbitro de “home” se preparou para dar a ordem “PLAY”!, o “coach” da 3ª base gritou “BOORU IN!”, “BOORU IN!”.

‘BOORU IN’ vem do inglês “BALL IN” (ból in). Esse termo é usado para avisar que há uma bola dentro do campo. 

CORREDOR EM CONTATO COM UMA BASE É ATINGIDO POR UMA BOLA “FAIR”

Uma bola “fair” não tocada por um defensor atinge o corredor que está sobre a 3ª base.  Esse corredor deve ser eliminado?
 
Beisebol
 
Sim. Se um corredor é atingido por uma bola “fair” que não tenha tido contato com um defensor do campo interno, em território “fair”, deve ser eliminado, ainda que esteja sobre uma base. A bola torna-se morta. Se, porém, for atingido em território “foul”, será um “foul ball”.

[Regra 7.08 (f)]

Softbol
 
Não, a menos que interfira, intencionalmente, no curso da bola, ou na ação de um defensor que está fazendo uma jogada. A bola torna-se morta ou permanece viva, dependendo da posição do defensor que está mais perto da base.

(Regra 8 – Seção 10m)

segunda-feira, 23 de julho de 2012

SUBSTITUIÇÃO DE ARREMESSADOR

Softbol

A equipe na ofensiva anunciou o batedor canhoto “H” como “pinch hitter” (batedor de emergência). Em vista disso, o arremessador abridor “A”, destro, foi substituído pelo arremessador canhoto “B”. A equipe na ofensiva, então, retirou imediatamente o batedor “H” e reingressou o batedor que havia sido substituído. Aí, a equipe na defensiva também fez alteração: retirou o arremessador “B” e reingressou o arremessador “A”.  A equipe na ofensiva reclamou, alegando que o arremessador “B” não poderia ser substituído porque não havia feito um arremesso sequer.

O arremessador “B” pode ser substituído, ainda que não tenha feito um arremesso. Um substituto não é considerado oficialmente no jogo até que um arremesso tenha sido efetuado ou uma jogada tenha sido executada.  

(Regra 4 – Seção 8a)

LANCES OCORRIDOS NO XXIV CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTERSELEÇÃO –CATEGORIA OURO (55 ANOS)– REALIZADO NOS DIAS 21 E 22/07/2012

1.      Nenhum eliminado, corredor na 1ª base, “fly” entre o montículo e a 1ª base. O arremessador poderia ter efetuado a defesa facilmente, mas não o fez; após tocar a bola com a luva, deixou-a cair intencionalmente. Os árbitros manifestaram-se imediatamente sobre a ocorrência e (1) “mataram” a bola, (2)  eliminaram o batedor e (3) mantiveram o corredor na 1ª base.
 
Decisão correta.
 
Ocorre que muitos não concordaram com isso. Para uns, o corredor deveria ser eliminado, e não o batedor; para outros, ambos (batedor e corredor) deveriam ser eliminados; e havia também aqueles que achavam que o batedor deveria ser eliminado, e o corredor, mandado à 2ª base.
 
Finalmente a dúvida foi esclarecida e o jogo prosseguiu normalmente.
 
Foi aplicada a Regra 6.05 (l), que diz: Um batedor é eliminado quando, com menos de duas eliminações e corredor na 1ª, 1ª e 2ª, 1ª e 3ª ou 1ª, 2ª e 3ª base, um defensor do campo interno derruba, intencionalmente, uma bola “fair fly” (“fly” rebatido para o território “fair”) ou “line drive” (bola rebatida que vai em linha reta, com força, do “bat” a um defensor, sem tocar o solo). A bola torna-se morta e o(s) corredor(es) deve(m) retornar à(s) sua(s) base(s) original(is). REGRA APROVADA: Nesta situação, o batedor não será eliminado se o defensor do campo interno permitir que a bola caia ao solo, sem ser tocada, exceto quando se aplica a Regra de “Infield Fly”.
 
2. Um eliminado, bases cheias, rebatida “ground” para o campo interno. O interbases apanhou a bola e tocou o corredor da 2ª base (segundo “out”). Em seguida, vendo o corredor da 1ª base parado no meio do caminho da base, correu até lá e deu um toque nele (terceiro “out”). Bem antes de o corredor da 1ª base ser eliminado, o corredor da 3ª base já havia cruzado o “home plate”. Aí surgiu uma dúvida: foi anotado ponto?
 
A dúvida foi esclarecida. Não foi anotado ponto porque o corredor da 3ª base pisou o “home plate” durante uma jogada em que a terceira eliminação ocorreu em Jogada Forçada.


[Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO (2) – vide Regra 7.08 (e)]

domingo, 22 de julho de 2012

BATEDOR SAI DO “BATTER’S BOX” E PARA UM ARREMESSO



Dois corredores em base. O batedor saiu do “batter’s box” e parou um arremesso com a mão. Os corredores avançaram. Como deve ser decidido este lance?

A bola torna-se morta. O árbitro deve eliminar o batedor em razão da Interferência cometida e retornar os corredores às suas respectivas bases.


[Beisebol – Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a) – vide NOTA, 6.06 (c)]

(Softbol – Regras: 1 – Seção 60a, 7 – Seção 6k, Regra 7 – EFEITO – Seção 6k)

sábado, 21 de julho de 2012

RECEPTOR APANHA UMA BOLA LANÇADA UTILIZANDO SUA MÁSCARA

Num “run-down play” entre “home” e 3ª base o defensor da 3ª base fez um mau lançamento. O receptor deu um salto e, apanhando a bola com a máscara –que havia acabado de tirar do rosto e ainda a mantinha em sua mão—tocou o corredor que estava tentando alcançar o “home plate”. 

Decisão: O corredor deve ser autorizado a pisar o “home plate” e anotar um ponto. 

Se um defensor remove seu boné, máscara ou qualquer parte do seu uniforme do lugar onde normalmente são usados e toca, intencionalmente, uma bola lançada, cada corredor, inclusive o batedor-corredor, pode avançar duas bases, sem o risco de ser eliminado. A bola permanece em jogo.  

[Beisebol - Regra 7.05 (d)] 

(Softbol - Regra 8 – Seção 7e, Regra 8 – EFEITO – Seção 7e-2)

sexta-feira, 20 de julho de 2012

DEFENSOR APANHA UM “FOUL FLY” NA BEIRA DO “DUGOUT” ENQUANTO É AMPARADO POR UM COMPANHEIRO DE EQUIPE



Corredor na 1ª base. O batedor levantou um “foul fly” (“fy” rebatido para o território “foul”). A bola foi na direção do “dugout” do lado da 3ª base. O receptor correu até a beira do “dugout” para tentar efetuar a defesa, e teria caído para dentro dele se não fosse amparado por um de seus companheiros de equipe. Enquanto era sustentado pelo companheiro, conseguiu apanhar a bola no ar. O batedor deve ser declarado eliminado? O corredor pode avançar?

O batedor é “out”, já que a pegada foi legal. O corredor pode avançar a seu próprio risco. Se o receptor caísse para dentro do “dugout” após apanhar a bola, a bola ficaria morta. O corredor poderia avançar uma base, sem o risco de ser eliminado, a partir da última base tocada legalmente no momento em que o receptor caiu para dentro do “dugout”.


[Beisebol – Regras: 2.00 “CATCH”, 6.05 (a), 7.04 (c), Comentário – Regra 7.04 (c))]

(Softbol – Regras: 1 – Seção 15, 8 – Seção 2b, 8 – Seção 7i – vide NOTA, Regra 8 – EFEITO – Seção 7i)

quinta-feira, 19 de julho de 2012

CONFUSÃO PROVOCADA POR UM DESCUIDO DO ÁRBITRO DE “HOME”

Corredor na 1ª e 2ª base, um eliminado, “ball count” (contagem de bolas arremessadas): 2 – 2 (2 “balls” – 2 “strikes”). O batedor girou o “bat” para tentar rebater o arremesso seguinte, mas seu “bat” nem sequer teve contato com a bola. O receptor não agarrou o arremesso, e por isso o batedor arrancou em direção à 1ª base; os corredores, então, deixaram suas bases e correram para as bases seguintes.  Vendo isso, o receptor, que já havia recuperado a bola, lançou-a ao defensor da 3ª base; e este, de posse da bola, pisou a “almofada”, ao invés de tocar o corredor da 2ª base (o defensor deve ter achado que se tratava de uma Jogada Forçada). Como o corredor foi declarado “out”, a equipe na ofensiva reclamou. Reclamou com razão?
 
Sim. Primeiro, porque o árbitro de “home” permitiu o avanço do batedor –que já estava eliminado automaticamente—à 1ª base. Segundo, porque o árbitro da 3ª base declarou o corredor da 2ª base eliminado sem que ele tenha sido tocado.
 
Nessa jogada, o corredor da 2ª base seria eliminado somente se fosse tocado com a bola pelo defensor da 3ª base. (Os corredores da 1ª e 2ª base  não tinham a obrigação de deixar suas bases porque o batedor já estava eliminado automaticamente.)

[Beisebol – Regras: 2.00 “TAG”, 6.05 (c), 7.08 (c), vide Regras 6.09 (b) e 7.08 (e)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 62a, 7 – Seção 6m, 8 – Seção 9b, vide Regra 8 – Seção 9c)

quarta-feira, 18 de julho de 2012

REINGRESSO DE JOGADOR RETIRADO DO JOGO

Softbol

O jogador “B”, que entrara no jogo para arremessar no lugar do arremessador abridor “A”, foi, posteriormente, substituir o interbases “C”; e este, por sua vez, foi ocupar a posição de arremessador. Passados alguns “innings”, o “A”, que iniciara o jogo como arremessador, reingressou como o novo interbases. São permitidas tais substituições?

Sim. Um jogador que reingressa não precisa voltar, necessariamente, à posição que ocupava anteriormente; ele pode jogar em qualquer outra posição. Entretanto, a ordem de batedores deve ser seguida corretamente.

(Regra 4 – Seção 7a)

BATEDOR SEGUINTE APANHA A BOLA ARREMESSADA QUE FOI ROLANDO EM SUA DIREÇÃO

Aconteceu num jogo do Campeonato Brasileiro de Beisebol Interclube (2012) – Categoria Veteranos (50 anos).

Corredor na 2ª base. Uma bola arremessada tocou o solo e, após bater no “mitt” do receptor, rolou em direção ao círculo do batedor seguinte. O batedor que estava no círculo aguardando a sua vez de bater apanhou essa bola inadvertidamente. Enquanto isso, o corredor avançou à 3ª base. O árbitro “matou” a bola e, corretamente,  retornou o corredor à 2ª base. 

A decisão seria diferente se o batedor seguinte, ao apanhar a bola, tivesse atrapalhado uma jogada da defensiva que, na opinião do árbitro, poderia ter eliminado o corredor da 2ª base; nesse caso, esse corredor seria declarado “out” em razão da Interferência cometida por seu companheiro de equipe.
 
[Regra 9.01 (c)]

terça-feira, 17 de julho de 2012

FOI ANOTADO PONTO?

Um eliminado, bases lotadas. O batedor acertou um “fly” curto ao “centerfield” (jardim central) e foi eliminado (segundo “out”).  O corredor da 3ª base fez “tag up” (saiu da base legalmente) e pisou o “home plate”. O corredor da 2ª base, que havia deixado a base antes de a bola ser apanhada e estava a alguns passos da 3ª base, tentou retornar, mas foi eliminado (terceiro “out”) –o “centerfielder” (jardineiro direito) foi mais rápido; de posse da bola que apanhara, conseguiu tocar a “almofada” antes que o corredor a alcançasse. O corredor da 3ª base havia cruzado o “home plate” antes de o corredor da 2ª base ser eliminado. Foi anotado ponto?
 
Sim, porque a 3ª eliminação não foi em Jogada Forçada.

[Beisebol – Regra 4.09 (a)]
 
(Softbol – Regra 5 – Seção 7a)

segunda-feira, 16 de julho de 2012

O BATEDOR PERCEBEU QUE NÃO ESTAVA USANDO CAPACETE

Softbol 

O batedor não estava usando capacete, mas depois de certo tempo percebeu a falha. Há alguma penalidade? 

Se corrigir a falha no momento em que se dá conta disso, ou após ter sido advertido pelo árbitro, não haverá penalidade; do contrário, será declarado eliminado.   

[Regra 3 – Seção 6f (ii), Regra 3 – EFEITO – Seção 6f (ii) - 1]

RECLAMAÇÃO SOBRE DECISÃO SAFE/OUT

Aconteceu num jogo do Campeonato Brasileiro de Beisebol (2012) – Categoria Adultos.

Um corredor foi declarado SAFE num tag play (jogada de toque). Tal decisão suscitou dúvida. (Para a maioria que viu o lance, o árbitro equivocou-se.) O técnico da equipe na defensiva reclamou veementemente e solicitou ao árbitro que decidiu a jogada que os demais árbitros fossem consultados. Diante do nível do protesto e do clima pesado que se formou, os árbitros acharam por bem se reunir e conversar. Na reunião, o árbitro responsável pelo lance reconheceu seu erro e mudou a decisão para OUT. Aí foi a vez do técnico da equipe na ofensiva reclamar; muito irritado, não queria aceitar a resolução tomada na reunião –“UMA DECISÃO SAFE/OUT NÃO PODE SER ALTERADA!”, vociferou ele—, mas finalmente acabou concordando com os argumentos apresentados pelos árbitros. E o jogo prosseguiu normalmente.

Uma decisão SAFE/OUT é definitiva; não deve ser contestada, a menos que haja possibilidade de tal decisão estar contrariando uma regra [Regra 9.02 (a) (b)].

Na jogada apresentada acima, como a mudança de decisão –de  SAFE para OUT—foi aceita pelo técnico da equipe na ofensiva, valeu a decisão final; prevaleceu o bom senso.  

domingo, 15 de julho de 2012

LANÇAMENTO A UMA BASE

Softbol

Rebatida longa na direção do espaço entre os jardins esquerdo e central. Como a bola saiu do campo após tocar o solo (“one bound”), o batedor-corredor obteve o direito de ir até 2ª base, sem o risco de ser eliminado. Reiniciado o jogo, o arremessador posicionou-se sobre o “pitcher’s plate”. Alertado de que o batedor-corredor omitira a 1ª base, lançou ao defensor da 1ª base –sem sair do “pitcher’s plate”—para fazer a apelação. O lançamento, porém, foi mal executado; a bola foi parar numa área de bola morta. O técnico da equipe na ofensiva queria que o árbitro concedesse duas bases ao corredor e o mandasse para “home”. 

este caso não se aplica a Regra 8 – Seção 7f. O árbitro deve aplicar a regra de Arremesso Ilegal –contar um “ball” ao batedor e mandar o corredor à 3ª base. A equipe na defensiva perde o direito de apelar.


(Regra 6 – Seção 7, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7)

PONTO DA VITÓRIA

Segunda metade do último “inning”, dois “outs”, bases cheias, placar empatado. O batedor foi atingido pelo arremesso (“hit by pitch”) e adquiriu o direito de ir à 1ª base. O corredor da 3ª base pisou o “home plate”. O batedor-corredor, porém, achando que a vitória estava garantida, foi em direção ao “dugout” para comemorar com seus companheiros, ao invés de ir à 1ª base. Que decisão deve dar o árbitro?

Se o batedor-corredor se recusar a avançar para tocar a 1ª base dentro de um tempo razoável, será declarado eliminado, e nesse caso não será anotado ponto. Excepcionalmente os árbitros devem conceder a 1ª base ao batedor-corredor, ainda que ele não a toque dentro de um tempo razoável. É quando fãs entram repentinamente no campo e impedem, fisicamente, que ele complete a jogada.


[Regra 4.09 (b), Regra 4.09 (b) – PENALIDADE, Comentário – Regra 4.09 (b)]

sábado, 14 de julho de 2012

BOLA REBATIDA BATE NO POSTE DE “FOUL” E VOLTA AO CAMPO

Rebatida forte ao campo externo. A bola voou ao longo da linha de “foul” do jardim direito (“rightfield”) e caiu em território “fair”; ao tocar o solo, pulou bem alto, bateu no poste de “foul” –na parte acima do muro– e voltou ao campo. O jardineiro direito (“rightfielder”) apanhou a bola e lançou-a à 2ª base.  O batedor-corredor foi tocado pouco antes de alcançar a base.  Ele deve ser declarado eliminado?
 
Não, porque a bola ficou morta (fora de jogo) no momento em que teve contato com o poste de "foul".  Nessa rebatida o batedor adquiriu o direito de avançar duas bases, sem o risco de ser eliminado.
 
[Beisebol – Regras: 2.00 “FAIR BALL”, 7.05 (f)]
 
(Softbol – Regras: 1 – Seção 29, 8 – Seção 7h, Regra 8 – EFEITO – Seção 7h)

sexta-feira, 13 de julho de 2012

BATEDOR REBATE UM ARREMESSO EFETUADO ILEGALMENTE

Softbol


Corredor na 2ª base. Quando a contagem de bolas arremessadas estava em 1 – 1 (um “ball” – um “strike”), o batedor rebateu um arremesso efetuado ilegalmente e chegou à 1ª base. O corredor da 2ª base foi eliminado por toque na 3ª base. Como deve ser decidido este lance?

Como o corredor da 2ª base não avançou pelo menos uma base, o técnico da equipe na ofensiva pode optar pela aplicação da penalidade de um Arremesso Ilegal ou pelo resultado da jogada.



(Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7/3 – vide EXCEÇÃO)

“FAIR” OU “FOUL”?

A bola rebatida tocou o solo e bateu na perna do batedor, dentro do “batter’s box”,  quando ele deu um passo para iniciar a corrida. O árbitro de “home” declarou um “foul ball” imediatamente.  Por quê?

É porque, como a área do “batter’s box” está quase toda  em território “foul”, torna-se praticamente impossível o árbitro conseguir determinar se tal contato ocorreu em território “fair”.


(Regra 2.00 “FOUL BALL”)


Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez

quinta-feira, 12 de julho de 2012

RECEPTOR COM UM DOS PÉS FORA DO “CATCHER’S BOX” ANTES DE O ARREMESSADOR SOLTAR A BOLA DO ARREMESSO

Softbol


Dois eliminados, corredor na 1ª base. Antes de o arremessador soltar a bola do arremesso, o receptor estava com um dos pés fora do “catcher’s box”. O batedor girou o “bat” com o intuito único de proteger o corredor, que estava tentando um roubo de base. O receptor não conseguiu agarrar a bola, e esta, ao bater no seu “mitt”, desviou bastante para um lado. Vendo isso, o corredor pisou a 2ª base e chegou à 3ª base tranquilamente. 


O árbitro deve fazer o gesto de Bola Morta Demorada (“Delayed Dead Ball”), declarar um Arremesso Ilegal e contar um “ball” ao batedor. O avanço do corredor da 1ª base é válido.  


(Regra 6 – Seção 6a, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7)


Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK  (editado pela JSA – Japan Softball Association)

CONCESSÃO DE BASES

Quando havia corredor(es) em base,  um arremesso descontrolado (“wild pitch”) passou direto para trás do receptor. A bola bateu no “backstop” (barreira situada atrás do “home plate”) e voltou rolando em direção ao “home plate”. O receptor movimentou-se rapidamente e tentou apanhá-la, mas, inadvertidamente, chutou-a para dentro de um “dugout”.

A concessão é de duas bases a partir da posição do(s) corredor(es) no momento do arremesso.


[Regra 7.05 (h) – REGRA APROVADA]


Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

quarta-feira, 11 de julho de 2012

O ARREMESSADOR ENFRENTOU UM BATEDOR UTILIZANDO ESTILOS DIFERENTES DE ARREMESSO


Softbol


No primeiro arremesso o arremessador adotou o estilo “windmill”; no segundo, o estilo “slingshot”; e no terceiro, novamente o estilo “windmill”. O técnico da equipe na ofensiva reclamou e queria que fosse aplicada a regra de Arremesso Ilegal porque o arremessador mudou de estilo a cada arremesso. A reclamação é procedente?

Não. Enfrentar o mesmo batedor utilizando estilos diferentes de arremesso não é ilegal. Ilegal é fazer movimentos duvidosos para arremessar, misturando os estilos “windmill” (‘molinete’) e “slingshot” (‘pêndulo’).

Fonte: OFFICIAL SOFTBALL RULE CASE BOOK  (editado pela JSA – Japan Softball Association)

ARREMESSADOR RECEBE AS SENHAS DO RECEPTOR APÓS ASSUMIR A POSIÇÃO “SET”

Quando havia corredor(es) em base, o arremessador colocou o pé de apoio em contato com o "pitcher's plate" e o pé livre na frente do "pitcher's plate". Em seguida, após juntar as mãos à frente do seu corpo, recebeu as senhas do receptor. Ele cometeu irregularidade?

Não. O arremessador pode receber as senhas do receptor após assumir a Posição "Set", ou seja, após ficar completamente parado segurando a bola com ambas as mãos à frente do seu corpo; não há problema algum. Se, porém, depois dessa parada, ele mexer qualquer parte do corpo, a não ser o pescoço, será declarado um “balk”.


[Regra 8.01,  8.01 (b) - NOTA 2]

terça-feira, 10 de julho de 2012

CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA PARA EVITAR UMA JOGADA DUPLA


Bases lotadas, nenhum eliminado. Os defensores do campo interno estão posicionados mais à frente de suas posições normais. O batedor acertou um violento “ground” na direção do defensor da 3ª base. Este tentou efetuar a defesa, mas não conseguiu –a bola bateu na sua luva e desviou na direção do interbases. O corredor da 2ª base, percebendo que o interbases teria uma boa chance de executar um “double play”, desviou o curso da bola. Todos os corredores avançaram.


Beisebol


Decisão: O corredor da 2ª base deve ser declarado eliminado por ter cometido uma Interferência, intencionalmente, para evitar uma possível jogada dupla. O batedor-corredor também deve ser eliminado.  Os demais corredores devem retornar às suas bases.


[Beisebol – Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a), 7.09 (f)]


Softbol

O corredor da 2ª base deve ser declarado eliminado por ter cometido uma Interferência com evidente propósito de evitar uma jogada dupla. O corredor da 1ª base (corredor subsequente imediato) também deve ser eliminado. A bola torna-se morta, o corredor da 3ª base tem de retornar à sua base e o batedor-corredor adquire o direito de ir à 1ª base.  


(Regras: 1 – Seção 60a, 8 – Seção 9m - NOTA - Seção 9k-m, 8 - EFEITO – Seção 9k-s)

segunda-feira, 9 de julho de 2012

REINGRESSO DE JOGADOR RETIRADO DO JOGO

Softbol

Como o arremessador abridor “A” tornou-se um Arremessador Ilegal em razão de excesso de reuniões defensivas, o defensor da 3ª base “B” foi ocupar a posição de arremessador. “A” foi retirado do jogo e, em seu lugar, entrou o jogador “C”, que foi defender a posição deixada por “B”. Quando a equipe foi ao ataque, “A” reingressou para bater no lugar do “C”. Essa substituição deve ser permitida?

Deve ser permitida, desde que ele permaneça na mesma posição inicial na ordem de batedores. Não poderá, porém, atuar como arremessador, já que fora declarado um Arremessador Ilegal (poderá ocupar qualquer outra posição).


(Regra 4 – Seção 7a, Regra 4 – EFEITO – Seção 8g – NOTA, Regra 6 – Seção 12)

CORREDOR ATINGIDO POR UMA BOLA REBATIDA “FAIR” ENQUANTO ESTÁ SOBRE UMA BASE

Corredor na 3ª base, nenhum eliminado, rebatida “ground” forte ao longo da linha da 3ª base. A bola atinge o corredor da 3ª base, em território “fair”, enquanto ele está ainda em contato com a base. (O corredor não estava tentando interferir, intencionalmente, e o defensor da 3ª base estava posicionado atrás do corredor.)
 
Decisão: O corredor deve ser declarado eliminado. A bola torna-se morta e o batedor-corredor deve ser autorizado a ir à 1ª base. O fato de o corredor ter sido atingido pela bola rebatida enquanto estava em contato com sua base é irrelevante. (Exceção: Quando o corredor é atingido por um “Infield Fly” enquanto está sobre uma base.)

[Regras 5.09 (f), 7.08 (f) – vide EXCEÇÃO, 7.09 (k)]

Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

domingo, 8 de julho de 2012

DEFENSORES PODEM USAR CAPACETE?


Softbol

O defensor da 1ª base entrou no campo para ocupar sua posição, usando capacete. Isso é permitido?

Qualquer jogador da defensiva pode usar um capacete aprovado de cor similar à do boné do uniforme da equipe.


[Regra 3 – Seção 6f (i)]

CORREDOR TENTANDO ANOTAR PONTO É ATINGIDO POR UM ARREMESSO LEGAL

Dois eliminados, contagem de bolas arremessadas: 0 – 2 (nenhum “ball” – dois “strikes”). O corredor da 3ª base tentou roubar o “home base” (“home steal”) e foi atingido pelo arremesso –a bola estava passando na zona de “strike” do batedor. O árbitro declarou o terceiro “strike” e eliminou o batedor. Foi anotado ponto?
 
Não. Se houvesse menos de duas eliminações quando ocorreu esse lance, o corredor teria anotado ponto. A bola torna-se morta.

[Regras 5.09 (h) e 6.05 (n) – vide NOTA]

sábado, 7 de julho de 2012

"FAIR" OU "FOUL"?


O receptor tentou apanhar um “fly” nas proximidades da linha de “foul”, mas não obteve êxito; a bola caiu –sem ser tocada por ele—em território “foul”, rolou para o território “fair” entre o “home base” e a 1ª base e parou após ter contato com o “bat” que o batedor-corredor deixou largado na frente do “home base”.  É uma bola “fair”? Ou é uma bola “foul”?.  

É uma bola “fair”.

O fato de a bola ter tocado primeiro o território “foul” é irrelevante; como ela não teve contato com qualquer coisa estranha ao terreno natural, em território “foul”, e preenche todos os outros requisitos de uma bola “fair”, a rebatida é válida.   

[Beisebol – Regras: 2.00 “FAIR BALL” (REBATIDA VÁLIDA) – vide  NOTA, 6.05 (h)]

(Softbol – Regra 1 – Seção 29a – vide NOTA 1 )

sexta-feira, 6 de julho de 2012

ARREMESSO ILEGAL



O arremessador recebeu  as senhas do receptor sem estar tocando o "pitcher's plate". Em seguida, levantou os braços acima da cabeça e, pisando rapidamente a placa, arremessou ao batedor. Há algum problema?

O arremessador deve fazer o movimento natural relacionado com seu arremesso somente depois de estar devidamente posicionado sobre o “pitcher’s plate”. Tal arremesso, portanto, foi efetuado ilegalmente. Sem corredor(es) em base, deve ser declarado um “ball”;  com corredor(es) em base, é “balk”.

Vale lembrar que o fato de o arremessador ter recebido as senhas do receptor, sem estar tocando o "pitcher's plate", não acarreta qualquer penalidade. Entretanto, o árbitro deve adverti-lo severamente e exigir que ele proceda corretamente.

[Regras: 2.00 “ILLEGAL PITCH”, 8.01, 8.01 (d), 8.05 (e), 8.05 (g)]


No softbol, se o arremessador receber as senhas do receptor sem estar tocando o “pitcher’s plate”, será declarado um Arremesso Ilegal.


(Regra 6 – Seção 1d, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7)

quinta-feira, 5 de julho de 2012

BATEDOR TENTA REBATER O ARREMESSO E A BOLA TOCA DE RASPÃO O SEU UNIFORME

Um eliminado, contagem de bolas arremessadas: dois “strikes”. O batedor girou o “bat” para tentar rebater o arremesso seguinte, mas falhou; a bola passou direto e tocou de raspão o seu uniforme. O contato com o uniforme não mudou a trajetória da bola, e assim o receptor conseguiu agarrá-la.  Enquanto isso, o corredor que estava ocupando a 1ª base roubou a 2ª base. Como o árbitro deve decidir esta jogada?
 
Deve eliminar o batedor e retornar o corredor à 1ª base.
 
Um batedor é “out” quando tenta rebater o arremesso, depois de “two strikes” (dois “strikes”), e a bola toca qualquer parte do seu corpo ou a sua roupa. A bola torna-se morta e nenhum corredor pode avançar.  

[Beisebol – Regras: 5.09 (a), 6.05 (f), 6.08 (b) – REGRA APROVADA]
 
(Softbol – Regra 7 – Seção 6a-1, Regra 7 – EFEITO – Seção 6a-j, Regra 9 –Seção 1d)

REGRAS OFICIAIS DE BEISEBOL (MLB) – ALTERAÇÕES FEITAS EM 2012


1)      Regra 3.05 (foi acrescentado um item)

(d) Se um arremessador que já está no jogo cruza a linha de “foul” a fim de ocupar seu lugar sobre o “pitcher’s plate” para iniciar um “inning”, ele deve arremessar ao primeiro batedor até que esse batedor seja eliminado ou alcance a 1ª base, a menos que o batedor seja substituído, ou o arremessador se machuque ou adoeça de tal forma que o árbitro principal o julgue incapacitado para continuar arremessando.

2)      Regra 7.08 (o termo linha de base foi substituído por caminho da base)
 Um corredor é eliminado quando:
(a)    (1) Desvia mais de três pés do caminho da base, para fugir do toque, a  menos que sua ação seja para evitar interferir na jogada de um defensor que está apanhando uma bola rebatida. O caminho da base de um corredor é estabelecido quando ocorre a tentativa de toque, e é uma linha reta entre o corredor e a base para a qual ele está tentando chegar a salvo (“safe”); ou

(2) Depois de tocar a 1ª base, deixa o caminho da base, demonstrando claramente ter abandonado seu esforço para tocar a base seguinte.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

JOGADOR DE EMERGÊNCIA

Softbol 

Um jogador machucou-se a ponto de perder sangue. Por essa razão, teve de trocar o uniforme, mas não havia camisa com o mesmo  número daquela que ele estava usando. Ao entrar no campo vestindo esse uniforme, o técnico da equipe contrária reclamou, alegando que a mudança de número poderia causar confusão. Tal reclamação é procedente? 

Não. Basta que o novo número seja anotado no formulário de escalação (“line-up card”). Não há penalidade. O jogo deve prosseguir normalmente.  

(Regras: 1 – Seção 87, 4 – Seção 11 – vide NOTA)

JOGADA DE APELAÇÃO

Corredor na 1ª base, um eliminado. O batedor acerta um “single”* (hit” simples). O corredor da 1ª base passa pela 2ª base, sem pisá-la, e chega “safe” à 3ª base deslizando, em jogada de toque.  É declarado “TIME”. O arremessador posiciona-se sobre o “pitcher’s plate” e, após o “stretch” (movimento preliminar), assume a “Set Position”.  A defensiva pretende apelar na 2ª base. O arremessador sai legalmente do “plate”. Vendo isso, o corredor que estava originalmente na 1ª base (agora na 3ª base) ameaça ir para “home”. O arremessador, agora fora do “plate”, dá um passo na direção da 3ª base e levanta o seu braço como se fosse lançar, mas não o faz. A equipe na defensiva pode ainda apelar na 2ª base sobre o corredor que estava originalmente na 1ª base?

Sim. Os movimentos feitos pelo arremessador sobre o corredor que estava originalmente na 1ª base não cancelam o direito de a equipe na defensiva apelar, já que eram parte da ação contínua originada em seguida à bola rebatida.  A ameaça feita pelo arremessador (passo e braço levantado) para segurar o corredor na 3ª base não é considerada uma jogada ou tentativa de jogada. Portanto, a equipe na defensiva pode ainda apelar na 2ª base.


[Regra 7.10 (b)]


Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues


*”Single” é uma rebatida indefensável por meio da qual o batedor-corredor consegue chegar “safe” à 1ª base.

terça-feira, 3 de julho de 2012

FOI ANOTADO PONTO?

Um “out”, bases lotadas. A bola rebatida resultou em “easy fly” (bola “fly” facilmente defensável) em direção ao jardim esquerdo. Os corredores não saíram de suas bases. O jardineiro esquerdo, preocupado com o “tag-up” do corredor da 3ª base, acabou cometendo erro –a bola bateu na sua luva e rolou na direção do jardineiro central. Este apanhou a bola e lançou-a rapidamente à 3ª base –o corredor da 2ª base foi eliminado (2ª eliminação); na sequência, com o lançamento feito à 2ª base, o corredor da 1ª base também foi eliminado (3ª eliminação).  Enquanto isso, o corredor da 3ª base havia pisado o “home plate”. Foi anotado ponto?
 
Não, porque a terceira eliminação ocorreu numa Jogada Forçada.
 
[Beisebol: Regra 4.09 (a) - EXCEÇÃO 2]
 
(Softbol: Regra 5 – Seção 7b-2)
 
Procedimento para sinalizar que não foi anotado ponto: quando o corredor se aproxima do “home plate”, o árbitro de “home” deve agitar enfaticamente, e repetidamente, ambos os braços na direção do anotador oficial e declarar, para que todos ouçam, “Não anotou! Não anotou!”.