terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

UM “LINE DRIVE”* ARRANCA A LUVA DA MÃO DO DEFENSOR

Num jogo entre Pirates e Cardinals, um violento “line drive” de Jose Lind (do Pirates) arrancou a luva do defensor da 3ª base Terry Pendleton –a luva caiu sobre a linha do jardim esquerdo ("leftfield") e a bola continuou dentro dela.

Enquanto isso, Lind alcançou a 2ª base.
O técnico do Cardinals queria que fosse creditada uma pegada legal (“legal catch”) a Pendleton. Já o técnico do Pirates queria que o árbitro concedesse três bases a Lind, alegando que Pendleton atirou sua luva e atingiu uma bola “fair”.  

Você quer saber como foi resolvido este caso?
O árbitro da 3ª base mandou Lind permanecer na 2ª base porque (1) não houve pegada legal (a bola foi ao solo juntamente com a luva) e (2) a luva de Pendleton soltou-se de sua mão, acidentalmente, ou devido à força da bola rebatida. 

 [Regras: 2.00 “CATCH”, 7.05 (c), Comentário – Regra 7.05 (b) (c) (d) e (e)]
*“Line Drive” é uma bola rebatida que vai em linha reta, com força, do “bat” a um defensor, sem tocar o solo.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

RECEPTOR COMETE INTERFERÊNCIA ENQUANTO O CORREDOR DA 3ª BASE ESTÁ TENTANDO UM “HOME STEAL”

Dois "outs", corredor na 3ª base, tentativa de "home steal" (roubo de “home”). Para deixar o caminho do corredor livre, o batedor afastou-se. O receptor saiu de sua posição e, postando-se sobre o "home base", apanhou a bola arremessada e tocou o corredor, que veio deslizando em sua direção.  Como deve ser decidido este lance?

Deve ser imputado um “balk” ao arremessador –o corredor anota ponto.  O batedor obtém o direito de ir à 1ª base em razão da Interferência cometida pelo receptor. A bola fica morta.

(Regra 7.07)

domingo, 26 de fevereiro de 2012

PROCEDIMENTO PARA INDICAR UMA BOLA “FLY” DERRUBADA INTENCIONALMENTE

Um eliminado, corredor na 1ª e 3ª base, fly entre a 2ª e a 1ª bases. Era uma rebatida facilmente defensável. O defensor da 2ª base, porém, deixou a bola cair, intencionalmente, após tocá-la com sua luva. O interbases, que se encontrava perto da 2ª base, apanhou a bola que foi rolando em sua direção, pisou rapidamente a “almofada” e lançou-a à 1ª base.  Enquanto isso, o corredor da 3ª base pisou o home plate. Que decisão deve ser dada a este caso?

O árbitro deve eliminar o batedor, aplicando a Regra 6.05 (l). A bola fica morta. Os corredores permanecem nas bases que estavam ocupando no momento do arremesso (1ª e 3ª) e o jogo continua com dois eliminados.

Regra 6.05 (l): Um batedor é eliminado quando, com menos de duas eliminações e corredor na 1ª, 1ª e 2ª, 1ª e 3ª ou 1ª, 2ª e 3ª base, um defensor do campo interno derruba, intencionalmente, uma bola fly (bola rebatida para o ar) ou line drive (bola rebatida que vai em linha reta, com força, do bat a um defensor, sem tocar o solo), em território fair.  A bola torna-se morta e o(s) corredor(es) deve(m) retornar à(s) sua(s) base(s) original(is).

Vale lembrar que esta regra deve ser aplicada somente quando o defensor derruba a bola depois de tocá-la com a luva ou com a mão (vide REGRA APROVADA e NOTAS 1 e 2).
No momento em que a bola vai ao solo, o árbitro deve apontar para o defensor que a derrubou e declarar: “INTENCIONAL!”. Em seguida, deve eliminar o batedor (declarar: “BATTER OUT!”, fazendo o gesto correspondente) e retornar o(s) corredor(es) à(s) sua(s) base(s) original(is).

sábado, 25 de fevereiro de 2012

CBBS - CT 2012

A Associação de Árbitros e Anotadores de Beisebol e Softbol do Brasil está disponibilizando a CT 2012.

Clique aqui CT2012

COMEMORAÇÃO DE “HOME RUN”

“Home Run” para fora do campo. Quando se aproximava do “home plate”, o batedor-corredor parou para tocar as mãos de alguns companheiros de equipe que estavam aglomerados nas proximidades da linha de base para comemorar o grande feito. Isso deve ser permitido?

Não.

A IBAF, dentro das recomendações para acelerar os jogos, estabelece o seguinte: Quando um batedor bate um “home run”, os membros de sua equipe não podem tocá-lo antes que ele pise o “home plate”. O descumprimento desta norma resultará em um aviso, e se tal ato se repetir, será aplicada uma penalidade à equipe infratora.

De acordo com a CT - 03 (15) da CBBS, quando um batedor acerta um “home run”, os membros de sua equipe não podem invadir a área próxima ao “home” até que ele toque o “home plate”. O descumprimento deste regulamento resultará em uma advertência, e se isso se repetir, o técnico será expulso do jogo. 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

CORREDOR AVANÇA ALÉM DA BASE PARA A QUAL É AUTORIZADO A IR PELA REGRA DE “BALK”

O corredor da 1ª base do Oakland A’s, Rickey Henderson, arrancou em direção à 2ª base numa tentativa de roubo ("steal").

O arremessador, que estava com o pé livre direcionado ao “home plate” e prestes a completar o arremesso, virou apressadamente o corpo e fez um mau lançamento à 1ª base.  Foi declarado um “balk”. Enquanto a bola, após bater na cerca lateral, rolava ao longo da linha de “foul” do jardim direito (“rightfield”), em território “foul”, o corredor pisou o “home plate”.
O árbitro deve retornar o corredor à 2ª base?
Não. O avanço foi legal. Deve ser anotado um ponto.
Se o arremessador comete um “balk” e atira a bola descontroladamente a uma base ou ao "home plate", o corredor pode avançar além da base para a qual é autorizado a ir, a seu próprio risco.
[Regra 8.05 – REGRA APROVADA (1)]
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

INTERFERÊNCIA INTENCIONAL E DELIBERADA PARA EVITAR UMA JOGADA DUPLA

Nenhum eliminado, bases lotadas, rebatida “ground” em direção ao espaço entre o interbases e a 2ª base. Prevendo uma jogada dupla, o corredor da 2ª base colide, intencionalmente, com o interbases e agarra-o no momento em que ele está tentando apanhar a bola.

Beisebol

O corredor da 2ª base deve ser declarado eliminado por ter interferido, intencional e deliberadamente, na ação de um defensor, com clara intenção de evitar uma jogada dupla. O batedor-corredor também deve ser declarado eliminado. A bola torna-se morta e os demais corredores não podem avançar nem anotar ponto.

 [Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (a), 7.09 (f)]

Softbol

O corredor da 2ª base deve ser declarado eliminado, e o corredor da 1ª base (corredor subsequente imediato) também deve ser declarado eliminado. A bola torna-se morta e os outros corredores têm de retornar às bases que estavam ocupando legalmente no momento da Interferência.

 [Regras: 1 – Seção 60a, 8 – Seção 9m - NOTA – Seção 9k-m, 8 - EFEITO – Seção 9k-s)

CBBS - CALENDÁRIO DE EVENTOS INTERNACIONAIS - 2012

XVII Campeonato Panamericano de Beisebol Sub 10 (8, 9 e 10 anos)
Data: 20 a 30 de outubro de 2012
Local: Puerto Viejo, Equador

XXVI Campeonato Panamericano de Beisebol Sub 12 (1l e 12 anos)
Data: 10 a 20 de setembro de 2012
Local: Manágua, Nicarágua

XXIX Campeonato Mundial de Beisebol Nanshiki Infantil
Data: julho de 2012
Local: Edogawa (Tóquio), Japão
(O Campeonato não está confirmado)

XX Campeonato Panamericano de Beisebol Sub 15 (13, 14 e 15 anos)
Data: setembro de 2012
Local: Cartagena, Colômbia

MCYSA World Series 13U
Data: 01 a 05 de agosto de 2012
Local: Crystal Lake (Illinois), EUA

Campeonato Mundial de Beisebol Sub 15
Data: julho/agosto de 2012
Local: Chihuahua, México

MCYSA World Series 15U
Data: 27 de julho a 05 de agosto de 2012
Local: Crystal Lake (Illinois), EUA

Campeonato Mundial de Beisebol Sub 18 (16, 17 e 18 anos)
Data: setembro de 2012
Local: Coréia do Sul
(O Brasil não está classificado)

I Campeonato Panamericano de Beisebol Sub 21 (19, 20 e 21 anos)
Data: novembro de 2012
Local: Panamá, Panamá

World Baseball Classic Qualifiers 2012
Data: setembro/outubro de 2012
Local:


XI Campeonato Sul Americano de Beisebol Adulto
Data: novembro de 2012
Local: Santiago, Chile

V Copa do Mundo Feminino Sênior
Data: 10 a 19 de agosto de 2012
Local: Edmonton, Canadá

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

FOI ANOTADO PONTO?

Dois “outs”, bases cheias, contagem de bolas: 3 - 2 ( três  “balls” - dois “strikes”). Quando o arremessador iniciou os movimentos de arremesso, os corredores iniciaram a corrida ao mesmo tempo e dispararam. O corredor da 3ª base chegou ao “home plate”, deslizando (“sliding”), antes de o arremesso ser completado. O batedor acertou um “ground” na direção da 3ª base e foi eliminado na 1ª base. O corredor da 3ª base anotou ponto?

Não, porque ele tocou o “home plate” durante uma jogada em que a terceira eliminação foi feita sobre o batedor-corredor antes de ele chegar à 1ª base.  

 [Regra 4.09 (a) – EXCEÇÃO 1 – vide REGRA APROVADA]

REGRAS DE ANOTAÇÃO

O batedor acertou um “ground ball” (bola rebatida que vai rolando ou pulando sobre o solo) forte na direção do arremessador. A bola atingiu-o no pé e desviou; o defensor da 1ª apanhou-a  e pisou a base –o batedor-corredor foi declarado “out”. Como deve ser anotada esta jogada?

O arremessador deve ser creditado com um “assist” (assistência).
(Regra 10.11)

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

JOGO PARALISADO TEMPORARIAMENTE POR MOTIVO DE CHUVA

Um jogo foi paralisado temporariamente por motivo de chuva. Que decisão deve ser tomada?

Após interromper o jogo, o árbitro de “home” deve aguardar pelo menos trinta minutos antes de encerrá-lo; se, passado esse tempo, ele julgar que há alguma possibilidade de concluir o jogo, deverá tentar fazê-lo. Sua autoridade para reiniciar a partida após uma ou mais paralisações de trinta minutos cada é absoluta, e ele deve dar o jogo por terminado somente quando não há qualquer possibilidade de completá-lo.  

[Regra 3.10 (c), Comentário – Regra 3.10 (c)]

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

CATÁSTROFE QUE PODERIA TER SIDO EVITADA

O Padres, num jogo contra o Expos, tem duas eliminações e está com as bases cheias na segunda metade da sexto “inning”.  Jack Clark é o batedor, com 3 – 2 (3 “balls” – 2 “strikes”). No arremesso derradeiro de Pascual Perez, os corredores deixam suas bases e arrancam em direção às bases seguintes. Clark gira o “bat” e erra –não há contato do “bat” com a bola. Mas o receptor derruba a bola. Vendo todos correndo, ele, apressadamente, apanha a bola e lança-a ao defensor da 1ª base; e este também derruba a bola. Todos os corredores do Padres chegam a salvo (“safe”) às bases seguintes.

Como Expos poderia ter evitado essa catástrofe?
Uma regra fundamental de beisebol é não fazer um lançamento quando não há necessidade. Neste caso, o receptor, simplesmente, teria que ter apanhado a bola e pisado o “home plate”; assim, com a jogada forçada, teria terminado o “inning”.

[Regras 6.09 (b) (2) e 7.08 (e)]
O Phillies foi prejudicado por este equívoco mental e físico em 1986. Um receptor inexperiente apanhou a bola do terceiro “strike” que derrubara e lançou-a ao defensor da 1ª base Von Hayes, que também não a agarrou.  Foi anotado um ponto, e a equipe contrária continuou com duas eliminações e as bases lotadas.
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

domingo, 19 de fevereiro de 2012

JOGO DADO POR TERMINADO ANTES DO 9º “INNING”

Jogo entre as equipes “A” e “B”. Terminada a primeira metade do 5º “inning”, o placar continuava 0 x 0. 

                                         1    2    3    4    5    6    7    8    9

Equipe “A”                       0    0    0    0    0

Equipe “B”                       0    0    0    0     

Na segunda metade desse “inning”, a equipe “B” havia anotado 5 pontos quando, com dois “outs”,  o jogo foi dado por terminado por motivo de chuva.

Pergunta: O jogo é válido?

Resposta: Sim. É um Jogo Regulamentar. 

Num caso como esse, deve ser aplicada a Regra 4.10 (c), que diz: Um jogo dado por terminado antes do 9º “inning” (“called game”) será um Jogo Regulamentar:

(1)   Se tiverem sido completados cinco “innings”.

(2) Se a equipe local (aquela que inicia o jogo defendendo primeiro) tiver anotado em 4 “innings”, ou em 4 “innings” e uma fração, mais pontos do que a equipe visitante (aquela que inicia o jogo atacando primeiro) em 5 meios-“innings” completos.

(3) Se a equipe local anotar um ou mais pontos na segunda metade do 5º “inning” e empatar o jogo.

Há um exemplo no Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues - Seção 5 – item 5.7.

Final do 4º “inning”: equipe visitante (3) x equipe local (2).

Na primeira metade do 5º “inning”, a equipe visitante não anota ponto.

                                       1   2   3   4   5   6   7   8   9

Visitante                         0   0   2   1   0

Local                               0   0   2   0  

Na segunda metade do 5º “inning”, a equipe local anota dois pontos.

                                       1   2   3   4   5   6   7   8   9

Visitante                         0   0   2   1   0

Local                               0   0   2   0   2

Antes de o 5º “inning” ser completado, o jogo é dado por terminado por motivo de chuva.

Vitória da equipe local (4 x 3).  

sábado, 18 de fevereiro de 2012

PROCEDIMENTO PARA DECLARAR UMA OBSTRUÇÃOO

Obstrução é o ato de um defensor que, sem estar de posse da bola e sem estar em ação para apanhar a bola, impede o avanço de um corredor.

Quando ocorre uma Obstrução, o árbitro deve declarar “OBSTRUÇÃO!” ou sinalizar a falta cometida.

Caso esteja ocorrendo uma jogada sobre o corredor obstruído, ou se o batedor-corredor é obstruído antes de tocar a 1ª base, o árbitro deve sinalizar a Obstrução da mesma maneira que quando declara TIME, com ambas as mãos acima da cabeça. A bola torna-se morta, imediatamente, quando o árbitro faz esse sinal, e todos os corredores devem avançar, sem o risco de serem eliminados, às bases que, na opinião do árbitro, teriam alcançado se o defensor não tivesse cometido a falta. O corredor obstruído deve avançar pelo menos uma base além daquela que havia tocado legalmente antes da Obstrução.  
Se nenhuma jogada estiver ocorrendo sobre o corredor obstruído, o árbitro deverá apenas apontar a falta e aguardar a conclusão do lance. Só depois disso deverá declarar “TIME!” e impor as penalidades --se houver-- que, na sua opinião, anularão o ato da Obstrução.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

AAABSB - COMPOSIÇÃO DA DIRETORIA BIENIO 2012-2013

PRESIDENTE .................................................... CHUNYTI MORITACA

1º- Vice-Presidente ............................................... EVERALDO MEDEIROS

2º- Vice-Presidente ............................................... TATSUO YAMAGUICHI (Paraná)

3º- Vice-Presidente ............................................... OTACÍLIO SAKAI (Mato Grosso)


SECRETÁRIO GERAL ..................................... ALBERTO IWANO

Secretária Softbol .................................................. DIRCE KOEKE


TESOUREIRO GERAL ..................................... MOACIR SEIZO KADOWAKI

Tesoureiro Beisebol .............................................. YUKIO KITAMURA

Tesoureiro Softbol ................................................. JORGE AFUSO


DIRETOR TÉCNICO GERAL ......................... EIKI UEHARA

Diretor Técnico Capital ......................................... RAFAEL GUEM MURAKAMI

Diretor Técnico Interior ......................................... NAOYOSHI GOTO

Diretor Técnico Paraná .......................................... HIROSHI NAGANO


DIRETOR DE PATRIMÔNIO .......................... JORGE IRIE / JOÃO ANDREOSSI


COORDENADOR GERAL DE ÁRBITROS ... PAULO YAMADA

Coordenadores Capital ........................................... HÉLIO TACACURA / ALBERTO IWANO

Coordenadores Interior ...........................................YOSHIMI YAMAZAKI / KOJI NAKAMURA

Coordenadores Paraná ............................................ HIROSHI NAGANO /WALTER SHIMONO

          
COORDENADORAS DE ANOTAÇÃO:

Coordenadoras Capital ..........................................  SONOE HANADA / MARIA SUNTO

Coordenadora Norte Paraná ..................................  CARMEM OKAWA

Coordenadora Sul Paraná ......................................  ERISA UMEDA


DIRETORIAS ESPECIAIS:


DIRETORES SOCIAIS..................................... HÉLIO TACACURA / MILSON AOKI


DIRETOR JURÍDICO .....................................  KIYOSHI MIYAGUI


DIRETORES DE MARKETING ....................  MARCELO NAKAYAMA / PAULO KOJIMA


DEPTO MÉDICO .............................................  TSUTOMU OGURO


CONSELHO FISCAL:

Membros efetivos .............................................  JORGE HIDAKA

                                                                               SOICHIRO SUNTO

                                                                               YUKIO HATANO

Membros suplentes ..........................................  ANGELO FRIGO

                                                                               ARLINDO YAMAMOTO

                                                                               REINALDO KAMIZAKI


CONSELHO DELIBERATIVO:

PRESIDENTE ...................................................  JORGE AKIHARU HIGAKI

Membros ............................................................  YSSAO KATAYAMA

                                                                                PAULO SUZUKI

                                                                                AKIRA KIYUNA

                                                                                Prof.Dr. II-SEI WATANABE

                                                                                TEISUKE KADO 







                                                             São Paulo, 15 de Fevereiro de 2012

 

                                              ______________________

                                               Chunyti Moritaca

                                                Presidente da AAABSB

BOLA ARREMESSADA FICA PRESA NA MÁSCARA DO RECEPTOR

Softbol

Um eliminado, corredor na 1ª e 3ª base, contagem de bolas sobre o batedor: 3 – 2 (três “balls” – dois “strikes”). O batedor girou o “bat” para tentar rebater o arremesso, mas errou; seu “bat” nem ao menos teve contato com a bola, e esta, ao tocar o solo, desviou para cima e acabou ficando presa na máscara do receptor.  O corredor da 3ª base pisou o “home plate”, o da 1ª base avançou à 3ª base e o batedor alcançou a 2ª base. Que confusão hein? Como o árbitro deve resolver este caso?

O batedor é “out” por três “strikes” –a 1ª base estava ocupada quando havia menos de duas eliminações. É bola em jogo.  Os corredores têm o direito de avançar, correndo o risco de serem eliminados. Assim, o corredor da 3ª base anota ponto, o da 1ª base permanece na 3ª base, e o jogo continua com dois eliminados.

 (Softbol – Regras: 7 – Seção 6m, 8 – Seção 5g, 8 – EFEITO – Seção 5a-g )

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

BATEDOR-CORREDOR COMETE INTERFERÊNCIA PARA EVITAR UMA JOGADA DUPLA

Nenhum eliminado, corredor na 1ª e 2ª base. O batedor executou “bunt”, que resultou em “fly” à frente do “home plate”. O corredor da 1ª base havia saído no momento do arremesso. Vendo isso, o batedor ficou parado dentro do “batter’s box” para impedir que o receptor apanhasse a bola no ar. Que decisão deve dar o árbitro?

Se ele julgar que o batedor interferiu, intencional e deliberadamente, na ação do receptor, com o evidente propósito de evitar uma Jogada Dupla (“Double Play”), deve declará-lo eliminado pela Interferência cometida, e deve eliminar também o corredor que tenha chegado mais perto do “home plate”, sem levar em conta onde a Jogada Dupla teria sido executada. A bola torna-se morta e os demais corredores não podem avançar.

[Regra 7.09 (g)]

Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

XVI CURSO DE ÁRBITROS DE BEISEBOL

No sábado (11/fev) teve início o XVI Curso de Árbitros de Beisebol da Associação de Árbitros e Anotadores de Beisebol e Softbol do Brasil (AAA), no campo do Gecebs. O curso será dado em 4 finais de semana, terminando no dia 11 de março.

Estão participando 18 futuros árbitros das seguintes equipes: Gecebs (7), Cooper (3), Nippon Blue Jays (3), Atibaia (1), Mogi (1), Gigantes (1) e sem equipe (2).

As aulas teóricas estão sendo ministradas pelo professor Rafael Murakami, e as aulas práticas,  pelos seguintes instrutores: Paulo Yamada, Paulo Suzuki, Akira Kiyuna, Eiki Uehara, Chunyti Moritaca, Marcelo Nakayama e Alberto Iwano.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

TERCEIRO “STRIKE” PASSA PELO RECEPTOR E ATINGE O PROTETOR DE TÓRAX DO ÁRBITRO DE “HOME”

Dois eliminados, corredor na 1ª base, contagem de bolas sobre o batedor: 2 – 2 (2 “balls” - 2 “strikes”). O batedor fez “swing” para tentar rebater o arremesso seguinte, mas seu “bat” nem sequer teve contato com a bola. Esta passou para trás --sem tocar o "catcher's mitt" (luva do receptor)--, bateu no protetor de tórax do árbitro de “home” e voltou à frente do “home plate”. O receptor apanhou a bola e lançou-a rapidamente à 1ª base.  O batedor-corredor foi declarado “out”. A eliminação é válida?

Sim. Uma bola arremessada que atinge o protetor do árbitro de “home” continua viva e em jogo. Qualquer jogada feita com essa bola é válida.
[Beisebol - Regras: 6.05 (j), 6.09 (b) (2), Comentário – Regra 5.09 (g)]
(Softbol – Regras: 8 – Seção 1b-2, 8 – Seção 2a)

domingo, 12 de fevereiro de 2012

PROCEDIMENTO PARA DECLARAR UMA INTERFERÊNCIA DO ESPECTADOR

Interferência do Espectador: ocorre quando um espectador se estica para fora das arquibancadas, ou entra no campo de jogo, e toca uma bola viva.

Quando ocorre uma Interferência do Espectador, o árbitro que observou o lance deve “matar” a bola, erguendo ambos os braços acima da cabeça (mesmo gesto de Time).  Se um defensor que está tentando apanhar uma bola “fly” é atrapalhado por um espectador, o árbitro deve eliminar o batedor –declarar OUT! e fazer o gesto correspondente.  Se um espectador comete Interferência sobre uma bola rebatida ou lançada, o árbitro deve impor as penalidades que, na sua opinião, anularão o ato da Interferência.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

PROCEDIMENTO PARA DECLARAR UMA INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

Ocorre uma Interferência do Árbitro quando: (1) um árbitro de “home” estorva, impede ou prejudica um lançamento do receptor que está tentando evitar um roubo de base ou eliminar um corredor fora da base; ou (2) uma bola “fair” que não tenha passado um defensor, exceto o arremessador, ou não tenha tido contato com um defensor, incluindo o arremessador, atinge um árbitro, em território “fair”.

O árbitro deve declarar “TIME!”, com ambas as mãos acima da cabeça; no primeiro caso, deve mandar o corredor retornar à base que estava ocupando, e no segundo, conceder a 1ª base ao batedor.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

QUEM ESTÁ CERTO?

Corredor na 2ª e 3ª base. O interbases derrubou um “fly”, intencionalmente, nas proximidades da “almofada” da 2ª base. Em seguida, vendo o corredor fora da base, apanhou rapidamente a bola que estava rolando à sua frente e deu um toque nas costas dele. O árbitro da 2ª base declarou-o eliminado. O técnico da equipe na ofensiva questionou a decisão. Na sua opinião, o batedor deveria ser eliminado --e não o corredor--, porque o defensor derrubou a bola propositadamente. Quem está certo?

O árbitro está certo.

A regra de bola derrubada intencionalmente deve ser aplicada somente quando, com menos de duas eliminações, há corredor na 1ª, 1ª e 2ª, 1ª e 3ª ou 1ª, 2ª  e 3ª base. A bola torna-se morta e cada corredor tem de retornar à última base que estava ocupando no momento do arremesso. O batedor não deve ser eliminado se o defensor permite que a bola caia ao solo, sem ser tocada, exceto quando se aplica a regra de “Infield Fly”. 

[Beisebol - Regra 6.05 (l), REGRA APROVADA]

 (Softbol – Regras: 1 – Seção 59, 8 – Seção 2l, 8 – EFEITO – Seção 2l)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

BATEDOR OBTÉM “BALL FOUR” E ULTRAPASSA A 1ª BASE

Batedor que obteve “ball four” (quatro “balls”) pisou a 1ª base e ultrapassou-a um ou dois passos em direção ao jardim direito. Antes de retornar, foi tocado pelo defensor da 1ª base, que estava com a bola que lhe fora lançada pelo receptor.  O batedor-corredor deve ser eliminado?

Não. Ele poderá ser eliminado se não retornar imediatamente à base, ou se tentar correr para a 2ª base.  

 [Beisebol – Regras: 7.08 (c) – EXCEÇÃO – vide NOTA 1, 7.08 (j), 7.10 (c)]

 (Softbol – Regras: 8 – Seção 9i, 8 – Seção 10i)

 ooo 0 ooo

Brettt Butler, batedor do Giants, obtém “ball four”. O quarto “ball”, um “wild pitch” (arremesso descontrolado), passa o receptor –a bola bate no “backstop” (barreira situada atrás do “home plate”) e volta.  Butler acha que é capaz de alcançar a 2ª base.  

O receptor Sandy Alomar, do Padres, porém, recupera a bola rapidamente, e então Butler muda de ideia antes de chegar à 1ª base. Mas como está correndo a todo vapor, não consegue parar subitamente na base; ultrapassa-a e continua correndo aproximadamente dez metros ao longo da linha do jardim direito. Entretanto, ele retorna à base imediatamente. O defensor da 1ª base Jack Clark pode eliminá-lo por toque (“tag out”) antes que ele regresse à base?  

Não. As regras não tratam um batedor que obtém o direito de ir à 1ª base por “ball four” diferentemente de qualquer outro batedor-corredor. Consequentemente, Butler tem o mesmo direito de ultrapassar a 1ª base.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

QUEM DEVE DECIDIR?

Uma hora antes do encontro entre Padres e Cubs choveu forte no Wrigley Field, em Chicago, e encharcou o campo de jogo. Pouco antes do início da partida, enquanto os técnicos das equipes levavam seus “lineups” (escalações) ao “home plate”, Don Zimmer, do Cubs, comunicou aos árbitros que o jogo estava sendo cancelado. Ele tem esse direito? Suponhamos que o jogo já estivesse em andamento quando começou a chover forte. Nesse caso, quem teria a autoridade para parar o jogo definitivamente?

O técnico da equipe local tem a autoridade para adiar o jogo antes de ele começar. Exceções: (1) se o jogo inicial de uma rodada dupla tiver sido realizado, o árbitro principal do primeiro jogo decidirá se o segundo jogo deve começar; (2) nas séries finais da temporada entre duas equipes quaisquer, o presidente da Liga pode assumir a autoridade concedida por esta regra ao técnico da equipe local. Geralmente, ele exerce essa autoridade através de um árbitro, que toma uma decisão em seu nome. Depois que o árbitro de “home” recebe os “lineups” dos respectivos técnicos, somente o árbitro principal pode decidir se um jogo deve ser iniciado ou adiado.

[Regra 3.10 (a) (b)]

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

HOUVE ROUBO DE BASE?

O arremessador da equipe “A”, esquecendo que havia corredor na 2ª base, iniciou tranquilamente o “wind-up”* em vez de assumir a “set position”*.  

Aproveitando-se disso, o corredor disparou rumo à base seguinte e alcançou-a antes de o batedor levantar um “fly” na direção do interbases. Achando ter roubado legalmente a 3ª base, não fez esforço algum para retornar à 2ª base. O interbases apanhou a bola e, em seguida, pisou a 2ª base. O corredor deveria ter retornado à 2ª base ou houve roubo de base? 

Num lance como esse, o corredor tem de retornar para tocar novamente a base original (aquela que estava ocupando no momento do arremesso*), ainda que tenha chegado à base seguinte antes de ocorrer a rebatida. Como não o fez, deve ser declarado eliminado.  

[Regras 2.00 “RETOUCH” – vide NOTA, 7.08 (d), 7.10 (a)] 

*“Wind-Up Position”/*“Set Position” = posições legais de arremessar.  

[Regra 8.01 (a) (b)] 

*Momento do arremesso: é definido como o instante em que o arremessador faz qualquer movimento que o obriga a atirar a bola ao batedor. Da Posição “Wind-Up”: é definido como o instante em que o arremessador inicia o movimento natural associado com seu arremesso ao batedor.  Da Posição “Set”: é definido como o instante em que o arremessador inicia qualquer movimento natural associado com seu arremesso ao batedor, depois de ter parado com ambas as mãos juntas na frente do seu corpo. 

(Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. - National Association of Professional Baseball Leagues – Seção 3 – Item 3.6)

CBBS - ALTERAÇÃO NO CALENDÁRIO SOFTBOL

Publicado em 07 de Fevereiro de 2012, às 01h53
Por: cbbs

ALTERAÇÃO - EVENTOS OFICIAIS DO SOFTBOL 2012

VIII TAÇA BRASIL DE SOFTBOL FEMININO ADULTA SOFTBOL FEMININO ADULTO
de: 31 março e 01 abril
PARA: 24 e 24 Março
Local : Marília

XXII CAMPEONATO BRAS. SOFTBOL FEM. JUVENIL
de: 01 e 02 setembro
PARA: 25 e 26 agosto
Local: Maringá - Pr

XXII CAMPEONATO BRAS. SOFTBOL FEM. JÚNIOR
de: 06 e 07 outubro
PARA: 20 e 21 outubro
Local: Marília

XXI CAMPEONATO BRAS. SOFTBOL FEM. INFANTIL
de: 27 e 28 outubro
PARA: 10 e 11 novembro
Local: Cooper - SP

XVI CAMPEONATO BRAS. SOFTBOL FEM. MIRIM
de: 10 e 11 novembro
PARA: 01 e 02 dezembro
Local: Anhanguera – S. Parnaiba - SP


João Toraiwa
Gerencia Nacional Softbol -CBBS

mais informações: acompanhe no Destaque central "EVENTOS" Gerais- Beisebol e Softbol (abaixo-esquerda).

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

BOLA LANÇADA ATINGE UM GANDULA

Um “out”, bases cheias, rebatida indefensável ao jardim central. O jardineiro central parou a bola e, na tentativa de eliminar o corredor da 2ª base, que avançava para “home” correndo logo atrás do corredor da 3ª base, lançou-a rapidamente ao receptor. O lançamento, porém, foi mal executado –a bola passou para trás do receptor e atingiu o gandula nas proximidades do “backstop” (barreira situada atrás do “home plate”).

Como o incidente foi acidental,  a bola continua viva; o jogo deve prosseguir normalmente.  Se o gandula tivesse apanhado, chutado ou empurrado a bola, tal ato seria interpretado como uma interferência intencional, sem levar em conta qual teria sido sua intenção. Quando uma pessoa autorizada a permanecer no campo comete uma Interferência, a bola torna-se morta, e o árbitro deve impor as penalidades que, na sua opinião, anularão o ato da Interferência.

[Regra 3.15, Comentário – Regra 3.15]

domingo, 5 de fevereiro de 2012

PALHAÇADA ILEGAL

Um defensor da 2ª base novato do Red Sox, numa tentativa de distrair um batedor do Minnesota Twins, posicionou-se atrás do arremessador e balançou freneticamente seus braços enquanto pulava para cima e para baixo. Esse ato é legal?

Foi até o início dos anos 50, quando Eddie Stanky, defensor da 2ª base do New York Giant, usou essa tática várias vezes. Em razão das reclamações sobre sua conduta antidesportiva, foi inserido o item 4.06 (b) no livro de regras: Nenhum defensor deve ocupar uma posição na linha de visão do batedor e, com deliberada intenção antidesportiva, agir de alguma forma a distrair o batedor. O infrator deve ser removido do jogo e deixar o campo de jogo. Se for cometido um “balk”, a falta será anulada.
O defensor da 2ª base do Red Sox foi removido do jogo.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

sábado, 4 de fevereiro de 2012

PROCEDIMENTO PARA DECLARAR UMA INTERFERÊNCIA DA OFENSIVA

Interferência da Ofensiva é um ato mediante o qual um membro da equipe na ofensiva (batedor, batedor seguinte, corredor ou coach de base) interfere, obstrui, impede, estorva ou confunde qualquer defensor que está tentando fazer uma jogada.

Quando ocorre uma Interferência da Ofensiva, o árbitro deve: (1) declarar “INTERFERÊNCIA!”, apontando para o infrator; (2) “matar” a bola –fazer  o mesmo gesto de TIME (ambas as mãos acima da cabeça;  e (3) eliminar o batedor ou o corredor, fazendo o gesto de OUT.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

JOGADA DE APELAÇÃO APÓS CONCRETIZADO O TERCEIRO “OUT”

Dois “outs”, corredor na 2ª base, rebatida indefensável de uma base ao jardim esquerdo. O defensor da 3ª base, percebendo que o corredor da 2ª base anotaria ponto facilmente, interceptou a bola lançada pelo jardineiro esquerdo e jogou-a rapidamente ao defensor da 2ª base. O batedor-corredor, que estava tentando conquistar uma base extra imaginando que a bola seguiria seu curso na direção do “home plate”, foi eliminado por toque pelo defensor da 2ª base e completou a terceira eliminação do “inning”. Enquanto isso, o corredor da 2ª base cruzou o “home plate”, sem pisá-lo. O árbitro deve alertá-lo sobre a omissão de base?

Não. O árbitro não deve se manifestar sobre o descuido do corredor, a menos que haja uma apelação da equipe na defensiva.
Se a equipe na defensiva apelar, e a apelação for aceita, a decisão dada na Jogada de Apelação (“appeal out”) terá prioridade para determinar a terceira eliminação do “inning”.

[Regras 2.00 “APPEAL”, 7.10 (d)]

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

ARREMESSO ILEGAL*

Nenhum corredor em base. O arremessador fez um arremesso ilegal. A bola tocou de raspão o cotovelo do batedor, não obstante o esforço que ele fez para não ser atingido.

Beisebol

O batedor adquire o direito de ir à 1ª base. A bola torna-se morta.

Se o arremessador faz um arremesso ilegal quando as bases estão desocupadas, deve ser declarado um “ball”, a menos que o batedor chegue à 1ª base através de uma rebatida indefensável, um erro, quatro “balls”, por ter sido atingido pela bola arremessada, ou de outra maneira.

[Regra 8.01 (d)]

Se o arremessador faz um arremesso ilegal quando há corredor(es) em base, deve ser declarado um “balk”; o(s) corredor(es) pode(m) avançar uma base.

[Regra 8.05 (e)]

*Arremesso Ilegal é (1) aquele feito ao batedor quando o arremessador não está com seu pé de apoio em contato com o “pitcher’s plate”; (2) aquele feito com clara intenção de surpreender um batedor que não está devidamente preparado (“quick return pitch” = arremesso de retorno rápido).

(Regra 2.00 “ILLEGAL PITCH”)

Softbol

Como no beisebol, o batedor deve ser autorizado a ir à 1ª base. A bola torna-se morta.

[Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7 (6)]

*Arremesso Ilegal: Qualquer infração das normas estabelecidas nas Seções 1 – 7 da Regra 6 constitui um Arremesso Ilegal (EXCEÇÃO: Regra 6 – Seção 3n e Seção 6b). O árbitro deve fazer o gesto de Bola Morta Demorada (“Delayed Dead Ball”).

Se a bola não for rebatida, ou se o técnico da equipe na ofensiva não aceitar o resultado da jogada depois que ela é rebatida, será concedido um “ball” extra ao batedor; a bola torna-se morta e os corredores serão autorizados a avançar uma base, sem o risco de serem eliminados.

[Regra 6 – EFEITO – Seções 1-7 (2), Regra 7 – Seção 5c, Regra 7 – EFEITO – Seção 5c, Regra 8 – Seção 7d]

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

CBBS - CALENDÁRIO DE EVENTOS NACIONAIS - 2012

ALTERAÇÃO no CALENDÁRIO do BEISEBOL 2012
Publicado em 01 de Fevereiro de 2012, às 00h34
Por: CBBS


XII TORNEIO INTERNACIONAL DE BEISEBOL INTER CLUBES INFANTIL 2012 - TAÇA LUIS SIMIZI
Local: Yakult, SP
De: 17, 18 e 19 de agôsto de 2012
Para: 24, 25 e 26 de agôsto de 2012
Motivo: Solicitação da Yakult

XL CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTER CLUBES PRÉ-JÚNIOR 2012
Local: Maringá, PR
De: 27 e 28 de outubro de 2012
Para: 20 e 21 de outubro de 2012
Motivo: 2o turno da eleição no dia 28/10/2012

LXV CAMPEONATO BRASILEIRO DE BEISEBOL INTER CLUBES JÚNIOR 2012
Local: Marília, SP
De: 03 e 04 de novembro de 2012
Para: 10 e 11 de novembro de 2012
Motivo: Exame da ENEN no dia 04 de novembro de 2012

CORREDOR RECEBE AJUDA FÍSICA DO “BASE COACH”*

Rebatida indefensável em direção ao jardim central.  Quando o corredor da 2ª base passou pela 3ª base e deu alguns passos em direção ao “home”, o “base coach” segurou-o, porque, naquele momento, o jardineiro central havia lançado a bola para o interbases. Que decisão deve ser dada a este lance?

O “base coach”, ao segurar o corredor, prestou-lhe ajuda física. Por essa razão, esse corredor deve ser declarado eliminado. 

[Beisebol – Regra 7.09 (h), Regra 7.09 – PENALIDADE POR INTERFERÊNCIA]

(Softbol – Regra 8 – Seção 9e)

No beisebol, a bola torna-se morta.

(Regra 7.09 – PENALIDADE POR INTERFERÊNCIA)

No softbol, a bola permanece em jogo. Quando o corredor é ajudado depois de um “home run” ou concessão de bases, a bola permanece morta.

(Regra 8 – EFEITO – Seção 9a-e, EXCEÇÃO para EFEITO – Seção 9e)

 *“Base Coach” é um membro da equipe, uniformizado, que fica no “coach’s box” da 1ª base ou 3ª base para orientar o batedor e os corredores.