segunda-feira, 31 de outubro de 2011

“CATCH” LEGAL – “RETOUCH” LEGAL

Um eliminado, corredor na 1ª base, "fly" longo para o "outfield" (campo externo).  O "centerfielder" (jardineiro central) e o "rightfielder" (jardineiro direito) correram para tentar efetuar a defesa. A bola bateu na luva do jardineiro central e foi para trás; o jardineiro direito, movimentando-se rapidamente, conseguiu apanhá-la com muita dificuldade antes que ela tocasse o solo. Enquanto isso, o corredor da 1ª base, que deixara a “almofada” no momento em que a bola teve contato com a luva do jardineiro central, chegou à 2ª base. A equipe na defensiva apelou ao árbitro alegando “tag up” (saída de base) ilegal do corredor. A pegada do jardineiro direito foi legal? O corredor saiu da base corretamente?

A pegada foi legal. Como o corredor deixou a base depois que a bola teve contato com a luva do “centerfielder”, a saída de base foi legal.  

[Beisebol - Regras: 2.00 “CATCH”, 2.00 “RETOUCH”, vide Regras 7.08 (d) e 7.10 (a)]

(Softbol:  Regras:  1 – Seção 15, 1 – Seção 95, 8 – Seção 10l)

sábado, 29 de outubro de 2011

"HOME STEAL"

O corredor da 3ª base tentou um “home steal” (roubo de “home”). O receptor apanhou a bola arremessada e tocou o corredor. Que procedimento o árbitro deve adotar para decidir a jogada?

O árbitro deve, primeiramente, dar a decisão sobre o arremesso --“strike” ou “ball”--,  sem fazer gesto (ou seja, só verbalmente). Em seguida, deve decidir a jogada --“safe” ou “out”--, fazendo o gesto correspondente.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

QUANDO O BATEDOR EXECUTOU UM “BUNT” SEU PÉ DIREITO ESTAVA TOCANDO O “HOME PLATE”

O batedor executou um “bunt”, com o pé direito tocando a linha do “batter’s box” e o “home plate”, e chegou à 1ª base. Ele deve ser eliminado?

Beisebol

Não. O batedor pode rebater uma bola arremessada, com um pé tocando o “home plate”, desde que esse pé não esteja completamente fora do “batter’s box” (neste caso, o pé direito estava tocando a linha do “batter’s box”, e essa linha é considerada parte do “box”).

[Regras: 6.03 e 6.06 (a)]

Softbol

O batedor deve ser eliminado quando rebate uma bola arremessada, com um ou ambos os pés em contato com o solo completamente fora das linhas do “batter’s box”, ou com qualquer parte de um pé tocando o “home plate”, independentemente de a bola rebatida ser “fair” ou “foul”.

(Regras: 7 – Seção 3c, 7- Seção 6d)

EQUÍVOCO QUE DÁ CERTO

De vez em quando um técnico pode chamar um arremessador do “bull pen” e ser surpreendido com a presença de outro jogador no montículo. E pode sair-se bem.
 
Um dia, anos atrás, o técnico do Yankees, Casey Stengel, percebendo que seu arremessador abridor, Whitey Ford, estava cansado, apontou para o “bull pen” e chamou Johnny Kucks --um arremessador especializado em bolas com efeito-- para substituí-lo. Mas Darrell Johnson --receptor que estava aquecendo um dos arremessadores no “bull pen”--, que atendeu ao telefone, entendeu “Trucks” em vez de “Kucks”.
 
Quando (Virgil) Trucks apresentou-se no montículo, Stengel quase “desmaiou”, mas logo recuperou a tranquilidade e não disse nada. Somente Ford e o receptor Yogi Berra sabiam que Stengel  queria Kucks. Confirmado o equívoco, Trucks efetuou apenas um arremesso, pois o jogo terminou com uma jogada dupla (“double play”).
 
Depois do jogo, o técnico Stengel ficou horas explicando aos repórteres a razão que o levou a chamar Trucks em vez de Kucks naquela situação crítica.
 
Somente Ford e Berra sabiam que Casey, realmente, queria Kucks.
 
Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

ARREMESSADOR SUBSTITUTO ANUNCIADO ANTES DE SER DECLARADO UM JOGO SUSPENSO

Antes de o arremessador substituto fazer um arremesso ao batedor, a chuva que caía começou a apertar repentinamente, razão porque o jogo foi interrompido; e como o tempo não melhorou, foi declarado um Jogo Suspenso. No dia da complementação desse jogo, o arremessador substituto, que não havia arremessado uma bola sequer ao batedor, terá de iniciar arremessando?

Não é obrigado a fazê-lo. Contudo, se ele não iniciar arremessando, será considerado como se tivesse sido substituído e não mais poderá ser usado nesse jogo.

 [Comentário – Regra 4.12 (c)]

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

QUEM É "OUT"?

Corredor na 3ª base, contagem de bolas sobre o batedor: 3 – 2 (três “balls” – dois “strikes”), um eliminado. O batedor executou “bunt”. A bola foi rolando ao longo da linha de “foul” da 3ª base e atingiu, em território “foul”, o corredor da 3ª base que estava avançando para “home”. Quem é “out”?

O batedor é “out”, porque o “bunt” executado depois de dois “strikes” resultou em “foul ball”.

[Beisebol – Regras: 2.00 “FOUL BALL”, 6.05 (d)]

 (Softbol – Regras: 1 – Seção 37d,  7 – Seção 6f)

terça-feira, 25 de outubro de 2011

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

Ocorre uma Interferência do Árbitro quando:
(1) O árbitro de “home” estorva, impede ou prejudica um lançamento do receptor que está tentando evitar um roubo de base. A bola fica morta e os corredores devem retornar às suas bases, sem o risco de serem eliminados. Se o receptor conseguir eliminar o corredor, a jogada será válida, e a Interferência não será levada em consideração.

(2) Uma bola “fair” que não tenha tido contato com um defensor do campo interno, incluindo o arremessador, ou não tenha passado um defensor do campo interno, exceto o arremessador, atinge um árbitro, em território “fair”. A bola fica morta, o batedor torna-se um corredor e adquire o direito de ir à 1ª base, sem o risco de ser eliminado. Qualquer corredor que não tenha sido forçado a avançar por esse batedor tem de retornar à base que tinha alcançado antes de ocorrer a Interferência.

[Beisebol - Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (c), 5.09 (b), 5.09 (f), 6.08 (d)]

(Softbol – Regras: 1 – Seção 60b-c, 8 – Seção 1e, 8 – Seção 8i, 9 – Seção 1g)

Em 2010, a Major League Baseball acrescentou o seguinte comentário à Regra 2.00 “INTERFERENCE” (c): Interferência do árbitro pode ocorrer também quando ele estorva o receptor que está devolvendo a bola ao arremessador. Observação: Esta alteração não deve ser aplicada, por enquanto, em nossos jogos. 




segunda-feira, 24 de outubro de 2011

INTERFERÊNCIA DO ÁRBITRO

O corredor da 1ª base estava tentando um roubo de base. No momento em que o receptor levantou o braço para fazer o lançamento à 2ª base, o árbitro de “home” estorvou-o (a mão do receptor tocou, acidentalmente, a máscara do árbitro).  Mesmo assim, a jogada teve continuidade, mas o corredor não foi eliminado.  O avanço do corredor é válido?

Não. Os corredores não podem avançar quando o árbitro de “home” interfere na ação do receptor.

 [Beisebol – Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (c) (1), 5.09 (b)]

 (Softbol – Regras: 1 – Seção 60b, 8 – Seção 8i, EFEITO – Seção 8i-2)

domingo, 23 de outubro de 2011

'KUINIGUE'

'KUINIGUE' quer dizer comer e fugir. Usamos esse termo quando um batedor 'come sanshin' --'comer sanshin' significa não conseguir rebater o terceiro "strike"-- e corre para a 1ª base porque o receptor não agarra a bola.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

PEGADA LEGAL?

Rebatida “fly” para o campo externo. O jardineiro direito afastou-se rapidamente para efetuar a defesa, porém não foi feliz na sua tentativa –a bola bateu na luva e foi para o ar. Mas ele não desistiu; com muito esforço conseguiu segurá-la contra o peito, utilizando as duas mãos.  Houve pegada legal?

Não. A pegada não é legal até que o defensor segure firmemente a bola com a mão ou luva. O batedor deve ser eliminado somente quando a pegada é concretizada.   

(Beisebol: Regra 2.00 “CATCH”)

(Softbol: Regra 1 – Seção 15-B)

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

FOI ANOTADO PONTO?

Dois eliminados, bases cheias, rebatida “ground” para o campo interno (“infield”). O interbases (“shortstop”) efetuou a defesa e pisou a 2ª base, mas não conseguiu concretizar a eliminação forçada –o corredor da 1ª base chegou primeiro, deslizando. Com o impulso do “sliding” (ato de deslizar), porém, o corredor ultrapassou a base e foi tocado pelo interbases antes de conseguir retornar à “almofada” –terceira eliminação. Enquanto isso, o corredor da 3ª base havia cruzado o “home plate”. Foi anotado ponto?

Como o corredor da 3ª base havia pisado o “home plate” antes de o corredor da 1ª base ser eliminado por toque na 2ª base, foi anotado ponto. (A terceira eliminação não ocorreu em Jogada Forçada.)

[Beisebol - Regras: 2.00 “FORCE PLAY”, 4.09 (a)]

(Softbol – Regras: 1 – Seção 35, 5 – Seção 7a)

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

O BATEDOR VAI EM DIREÇÃO À 1ª BASE QUANDO O ÁRBITRO DECLARA O TERCEIRO “BALL”

Ocorreu num jogo de beisebol da Categoria Infantil. Nenhum eliminado, corredor na 1ª e 2ª base. Quando o árbitro declarou o terceiro “ball”, o batedor, achando que havia obtido uma base por “balls” (“base on balls”), deixou o “batter’s box” e foi em direção à 1ª base. Vendo isso, os corredores avançaram às bases seguintes. O técnico da equipe na defensiva reclamou sobre a contagem de bolas (“ball count”); o árbitro de “home”, então, chamou o batedor ao “batter’s box” e ordenou o retorno dos corredores.

Talvez o árbitro de “home” tenha procedido dessa forma em razão de o lance ter acontecido num jogo entre crianças. A decisão correta seria: validar o avanço dos corredores, já que a bola estava em jogo, e mandar o batedor completar a sua vez de bater.  

Num caso como esse, o árbitro pode e deve avisar o batedor sobre a contagem de bolas, a fim de evitar problemas.  

terça-feira, 18 de outubro de 2011

REGRAS DE ANOTAÇÃO

O corredor da 1ª base tentou roubar a 2ª. O lançamento do receptor poderia eliminar o corredor facilmente, mas, como o defensor da 2ª base derrubou a bola ao tentar tocá-lo, a eliminação não ocorreu. O corredor deve ser creditado com uma base roubada?

Não, porque ele chegou a salvo à 2ª base graças ao erro do defensor da 2ª base. Nesse lance, o anotador deve atribuir um “assist” (assistência) ao receptor (defensor que fez o lançamento), imputar um erro ao defensor que derrubou a bola e um “caught stealing” (eliminado roubando base) ao corredor.

[Regra 10.08 (f)]      

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

DOIS CORREDORES NÃO PODEM OCUPAR A MESMA BASE

Num “run-down play” (jogada de perseguição) entre a 3ª base e o “home plate”, o corredor da 2ª base avançou à 3ª base e estava sobre a “almofada” quando o corredor que estava na jogada de perseguição foi declarado eliminado por ter empurrado o defensor que estava prestes a tocá-lo (Interferência da Ofensiva).

O árbitro deve mandar o corredor que está sobre a 3ª base de volta à 2ª base. O raciocínio é que a 3ª base pertencia ao corredor eliminado na jogada de perseguição, ou seja, o corredor da 2ª base não havia alcançado legalmente a 3ª base no momento em que ocorreu a Interferência.

[Beisebol – Regra 7.03 (a)]

(Softbol – Regra 8 – Seção 4d)

sábado, 15 de outubro de 2011

ARREMESSADOR NÃO COMPLETA O ARREMESSO PORQUE O BATEDOR SAI DO "BATTER'S BOX"

Corredor na 3ª base. O arremessador iniciou o “windup”, porém não completou o arremesso porque o batedor saiu repentinamente do “batter’s box”. É “balk’?

Não é “balk”. O batedor não pode sair do “batter’s box” depois que o arremessador inicia os movimentos de arremesso. Como o arremessador e o batedor infringiram uma regra, o árbitro deve declarar “Time” e ordenar que ambos comecem novamente desde o início.

[Regra 6.02 (b), Comentário – Regra 6.02 (b)]

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

BOLA ARREMESSADA SE ALOJA NA MÁSCARA DO ÁRBITRO

Um eliminado, corredor na 2ª e 3ª base, contagem de bolas: dois “strikes”. O arremesso seguinte veio alto (“high ball”). O batedor tentou rebatê-lo, mas errou. A bola, sem ter contato com o “bat”, passou sobre a cabeça do receptor e se alojou na máscara do árbitro. Como deve ser resolvido este caso?

A bola torna-se morta. O batedor é autorizado a ir à 1ª base e os corredores avançam uma base. O corredor da 3ª base anota ponto. 

 [Regras: 5.09 (g), 6.09 (b) (1), 7.05 (i)]

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

FOI ANOTADO PONTO?

Um “out”. Pirates estava com Barry Bonds na 3ª base e Bobby Bonilla na 1ª base quando Andy Van Slyke foi eliminado num “fly” longo rebatido para as proximidades da cerca entre o jardim direito (“rightfield”) e o jardim central (“centerfield”). Bonds saiu da base após o jardineiro central (“centerfielder”) efetuar a defesa e pisou o “home plate” facilmente. Mas Bonilla, achando que seria uma rebatida indefensável (“hit”), havia ultrapassado a 2ª base e dado alguns passos em direção à 3ª base quando a bola foi apanhada. Ele tentou retornar, mas foi eliminado pelo lançamento  feito pelo jardineiro central  –terceira eliminação. Bonds anotou ponto?

Sim, porque ele já havia tocado o “home base” antes da eliminação de Bonilla. (O lance em que Bonilla foi eliminado não foi uma Jogada Forçada.)

 [Regras: 2.00 “FORCE PLAY”,  4.09 (a)]

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

“BAT” TEM CONTATO COM A BOLA REBATIDA

Um “out”, corredor na 2ª base. Foi executado um “bunt”. O “bat” que o batedor soltara quando iniciou a corrida à 1ª base teve contato com a bola rebatida, em território “fair”. O receptor apanhou essa bola e lançou-a ao defensor da 3ª base. O corredor foi tocado antes de alcançar a “almofada”. Essa jogada é válida?

Não. Quando o “bat” atingiu a bola rebatida, a bola ficou morta. O batedor deve ser declarado eliminado e o corredor tem de retornar à 2ª base.

[Beisebol – Regra 6.05 (h)]

 (Softbol – Regra 7 – Seção 6i, vide EXCEÇÃO)

terça-feira, 11 de outubro de 2011

BATEDOR-CORREDOR AUTORIZADO A IR À 2ª BASE OMITE A 1ª BASE

Rebatida “ground” forte para o espaço entre a “almofada” da 2ª base e o defensor da 2ª base. Este efetuou a defesa com certa facilidade, mas fez um lançamento descontrolado ao tentar eliminar o batedor-corredor na 1ª base –a bola passou sobre o defensor da 1ª base e entrou no “dugout”. O batedor-corredor adquiriu o direito de avançar duas bases, sem o risco de ser eliminado. Ocorre, porém, que, na ânsia de chegar rapidamente à 2ª base, passou pela 1ª base, sem pisá-la. Ele será eliminado se a defensiva apelar corretamente?

Sim. Embora tenha sido autorizado a ir à 2ª base, ele é obrigado a tocar cada base legalmente.  

[Beisebol – Regra 7.02 – vide NOTA 1 e NOTA 2, Comentário – Regra 7.05 (i)]

 (Softbol – Regra 8 – Seção 4h)

sábado, 8 de outubro de 2011

“SLIDING”* INÚTIL

Uma noite, quando estava atuando como técnico do Cardinals, Red Schoendienst ficou irritado com o árbitro Frank Secory, que eliminou Mike Shannon numa jogada no “home”. Para tentar provar que Shannon foi “safe”, Schoendienst manifestou-se deslizando ele próprio ao “home plate”.

Secory ergueu furiosamente sua mão direita para o ar e disse: “Como Shannon, você também está fora ("out") ... “FORA DO JOGO!”.

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

*“Sliding” = Ato de deslizar (para uma base) = ‘Suberikomi’

BAKKU HOOMU

Um eliminado, corredor na 2ª base, rebatida indefensável na direção do jardim central. O corredor da 2ª base passou pela 3ª base e tentou anotar ponto. Quando o jardineiro central parou a bola, um companheiro gritou: “BAKKU HOOMU!”. Esse termo é usado para mandar um defensor tentar uma jogada no “home”. BAKKU HOOMU vem do inglês “BACK HOME””.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

O BATEDOR É “OUT” OU É UM “FOUL BALL”?

Contagem de bolas: dois “strikes”. O batedor decide surpreender a defesa com um “bunt” e se prepara para a jogada.  Diante do imprevisto, o arremessador atrapalha-se e efetua um “wild pitch” (arremesso descontrolado).  Apesar de o batedor ter tentado, desesperadamente, evitar o arremesso, a bola atinge o seu “bat” e rola para o território “foul”. O batedor deve ser eliminado?

Não. Como o contato da bola arremessada com o “bat” foi acidental (não houve tentativa de “bunt”), é um “foul ball”.

[Beisebol – Regras: 2.00 “BUNT”, 6.05 (d)]

 (Softbol – Regras: 1 – Seção 14, 8 – Seção 6f)

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

ARREMESSADOR EFETUA ARREMESSO APÓS COMETER “BALK”

Corredor na 1ª base, um eliminado, contagem de bolas (“ball count”) sobre o batedor: 3 – 1 (três “balls” – um “strike”). O arremessador completou o arremesso após o árbitro ter declarado um “balk”; foi um “wild pitch” (arremesso descontrolado) –a bola passou pelo receptor e foi parar no “backstop” (barreira situada atrás do “home plate”). O batedor chegou à 1ª base e parou; o corredor da 1ª base passou pela 2ª base legalmente e, ao tentar alcançar a 3ª base, foi eliminado pelo lançamento feito pelo receptor. A jogada na 3ª base é válida, ou o árbitro deve anulá-la e permitir que o corredor retorne à 2ª base.
 
A jogada é válida. Como o batedor adquiriu o direito de ir à 1ª base por “ball four” (quatro “balls”) e “empurrou” o corredor da 1ª base para a 2ª base, a falta cometida pelo arremessador não deve ser levada em consideração. O corredor é “out” porque avançou além da 2ª base, a seu risco. 

(Regras: 2.00 “BALK”, 8.05 – PENALIDADE)

terça-feira, 4 de outubro de 2011

O RECEPTOR ENTROU NO “DUGOUT” E APANHOU UM “FOUL FLY”

Beisebol
Um “out”, corredor na 2ª base. O receptor entrou no “dugout” e agarrou um “foul fly” (“fly” rebatido para o território “foul”). O corredor da 2ª base retocou a base e avançou à 3ª base. Como deve ser decidido esse lance?

É um “foul ball”. Um defensor não pode por os pés sobre o solo dentro do “dugout” para apanhar uma bola “fly”.

[Comentário – Regra 6.05 (a)]