terça-feira, 30 de agosto de 2011

BOLA ARREMESSADA DESVIA AO BATER NO "MITT" E TEM CONTATO COM O "BAT"

Corredor na 2ª base. O receptor não conseguiu agarrar o arremesso que o batedor deixou passar sem girar o “bat”. A bola desviou ao bater no seu “mitt” e teve contato com o “bat” nas mãos do batedor que se encontrava dentro do “batter’s box”. Vendo isso, o corredor tentou avançar à 3ª base. O receptor apanhou a bola nas proximidades da linha de “foul” da 1ª base e lançou-a à 3ª base. O defensor da 3ª base pode fazer uma jogada sobre o corredor com essa bola?

Pode. Nesse caso, a bola continua em jogo.

[Regra 6.06 (c) – vide  NOTA 1]

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

“HALF SWING”

Corredor na 1ª base, contagem de bolas: 3 – 1 (três “balls” – um “strike”). No momento em que o corredor está roubando a 2ª base, o batedor tenta rebater a bola arremessada, mas interrompe seu “swing”. O arremesso é declarado “BALL”. Não obstante, o receptor lança à 2ª base, e o corredor é tocado antes de chegar à base.

Num caso como esse, o árbitro de base deve observar o lance, atentamente, mas não deve dar nenhuma decisão sobre ele. Isso porque, se o árbitro de “home”, mediante solicitação do técnico ou receptor, consultar um árbitro de base, sua decisão “BALL” poderá ser mudada para “STRIKE”. [O técnico ou o receptor podem pedir ao árbitro de “home” que consulte um companheiro acerca de um “half swing” (meio-“swing”) quando o arremesso é declarado “BALL” (mas não quando é declarado “STRIKE”).] Se o árbitro de base consultado julgar que o batedor não fez um meio-“swing” e responder: “NÃO, NÃO GIROU!”, a concessão da 1ª base por “BALL FOUR” (quatro "balls") prevalecerá (nesse caso,  o árbitro da 2ª base declarará que o corredor é “SAFE”); se, entretanto, ele julgar que houve meio-“swing” e responder: “SIM, GIROU!”, o árbitro da 2ª base declarará que o corredor é “OUT”.

Quando o batedor interrompe seu “swing” e o árbitro de “home” solicita o auxílio de um companheiro, o árbitro consultado deve responder imediatamente. Se, na sua opinião, o batedor fez um meio-“swing”, deve fazer o gesto de “STRIKE”; do contrário, deve fazer o gesto de “SAFE”. O árbitro de “home” deve consultar o árbitro da 1ª base quando o batedor é destro, e o da 3ª base, quando o batedor é canhoto. Para consultar o árbitro da 1ª base, deve apontar para ele, de preferência com a mão esquerda; pode também sair de sua posição e apontar com a mão direita. A consulta ao árbitro da 3ª base deve ser feita, sempre, com a mão esquerda. O árbitro de “home” pode, por vontade própria, solicitar o auxílio de um colega se estiver em dúvida sobre um “half swing”.

[Comentário – Regra 9.02 (c)]

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

CORREDOR COLIDE COM O DEFENSOR QUE, DE POSSE DA BOLA, ESTÁ PREPARADO PARA TOCÁ-LO

Num jogo da Categoria Infantil ocorreu a seguinte jogada: Corredor na 1ª e 2ª base. O batedor acertou um “hit” (rebatida indefensável) longo na direção do “leftfield” (jardim esquerdo). O “leftfielder” (jardineiro esquerdo) parou a bola e tentou uma jogada sobre o corredor da 2ª base, que estava avançando para “home”. A bola lançada, porém, quicou a alguns centímetros do receptor e foi parar no “backstop” (barreira situada atrás do “home plate”). Vendo isso, o corredor da 1ª base, seguindo a orientação do “coach”, passou pela 3ª base e correu para “home”. O arremessador posicionou-se sobre a linha de “foul” entre o “home plate” e a 3ª base e, após receber a bola lançada pelo receptor, estava preparado para tocar o corredor que se aproximava. Aí aconteceu o lance que causou muita reclamação da equipe na defensiva: o corredor, movimentando-se em pé, colidiu violentamente (deliberadamente???) com o arremessador, no momento do toque –o arremessador foi ao solo, mas não soltou a bola. O árbitro eliminou o corredor e deu prosseguimento ao jogo.

Na visão dos árbitros que atuaram na partida, o lance foi normal (Regras Oficiais de Beisebol).

No softbol, o corredor é eliminado quando, movimentando-se em pé, colide deliberadamente com um jogador da defensiva que, de posse da bola, está preparado para tocá-lo. Se nesse lance a má intenção for flagrante, o corredor será expulso (Regra 8 – Seção 9s).

Para evitar acidentes mais graves com crianças, uma boa medida seria incluir na CT um regulamento estabelecendo penalidade para jogada como a que foi citada acima.  
















quinta-feira, 25 de agosto de 2011

DEFENSOR POSICIONADO NA LINHA DE VISÃO DO BATEDOR

Nenhum eliminado, corredor na 1ª base. Prevenindo-se contra um “bunt” de sacrifício, o defensor da 3ª base avançou até a frente do batedor antes de o arremessador soltar a bola do arremesso e começou a agitar os braços.  O batedor, preocupado com essa movimentação do defensor, não conseguiu rebater a bola. Os árbitros declararam  “TIME” e removeram do jogo o defensor mal-intencionado. O procedimento dos árbitros foi correto?

Sim. Nenhum defensor deve ocupar uma posição na linha de visão do batedor e, com deliberada intenção antidesportiva, agir de alguma forma para distrair o batedor.
No softbol, além da expulsão do defensor infrator, deve ser aplicada a penalidade de um Arremesso Ilegal. A bola torna-se morta.
 
[Beisebol: Regra 4.06 (b)]
 
(Softbol: Regra 6 – Seção 4b, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7)

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

DEFENSOR POSICIONADO EM TERRITÓRIO “FOUL”

O defensor da 1ª base posicionado em território “foul” foi avisado pelo árbitro da 1ª base sobre a irregularidade, mas permaneceu no mesmo lugar. Há alguma penalidade?

Beisebol
Se o árbitro perceber que um defensor se encontra nessa situação, deverá adverti-lo imediatamente. O árbitro, porém, não deve insistir para que o defensor fique com ambos os pés em território “fair”, a menos que a equipe na ofensiva reclame. Se houver reclamação, o árbitro terá de agir de acordo com a regra, e a exigência, então, valerá para ambas as equipes. Se ocorrer uma jogada antes da advertência do árbitro, as ações resultantes não devem ser anuladas, com o argumento de que houve uma infração de regra, a menos que a equipe na defensiva leve alguma vantagem em razão do posicionamento irregular do defensor.

[Regra 4.03 – vide NOTA, Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues – Seção 1 (item 1.15)]

Softbol
O arremessador não deve efetuar um arremesso enquanto todos os jogadores da defensiva, exceto o receptor --que tem de ficar no “catcher’s box”--, não estejam posicionados em território “fair”. PENALIDADE: Arremesso Ilegal. Se o arremesso não for rebatido, será concedido um “ball” extra ao batedor e os corredores avançarão uma base.

[Regra 6 – Seção 4a, Regra 6 – EFEITO – Seções 1 – 7 (1) – vide EXCEÇÕES]

terça-feira, 23 de agosto de 2011

JOGADOR NÃO RELACIONADO NO “LINEUP”

Jogo de beisebol – Categoria Adultos. Num determinado “inning”, uma das equipes decidiu substituir o arremessador. Após anunciar a alteração, o técnico mandou ao montículo um jogador que não estava relacionado na coluna de suplentes do “lineup”. Enquanto o novo arremessador estava fazendo os arremessos de aquecimento, a equipe adversária percebeu a irregularidade e reclamou ao árbitro de “home”.

Num caso como esse, o jogador irregular deve ser removido, e outro arremessador (legal) deve ocupar o seu lugar.  O jogo deve prosseguir normalmente.

TERMOS “ANTIGOS” UTILIZADOS POR VETERANOS

No I Campeonato Brasileiro de Beisebol Interclube – Categoria Veteranos (65 anos), realizado nos dias 23 e 24 de julho de 2011, no Estádio “Mie Nishi” (Bom Retiro), o “coach” de uma das equipes participantes usou vários termos  beisebolísticos “antigos”.

Exemplos: OORAI, NAIS SENKYUU, NAIS SEN, SUTOPPU, SUTAATO.  

Todas as vezes que um batedor deixava um arremesso “ball” passar, o referido “coach” o animava dizendo: “OORAI, OORAI, NAIS SENKYUU!” (uma vez ou outra dizia: “OORAI, OORAI, NAIS SEN!”); para mandar um corredor parar, dizia: “SUTOPPU!”; para mandar um corredor ficar preparado para correr, dizia: “SUTAATO!”.

Para quem não conhece esses termos,

OORAI vem do inglês “ALL RIGHT” = certo, correto; NAIS SENKYUU vem da mistura do inglês “NICE” (bom/boa) com o japonês “SENKYUU” (escolha de bola); NAIS SENKYUU = escolheu bem a bola (NAIS SEN = boa escolha).

SUTOPPU vem do inglês “STOP”, que quer dizer parar, fazer parar, parada etc.  “SUTOPPU!” = “Pare!”.

SUTAATO vem do inglês “START”. Significa partida, arrancada, iniciar uma corrida etc. Há "coaches" que usam esse termo para orientar um corredor. “SUTAATO!” = “Prepare-se!”, “Fique preparado!”.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

ARREMESSAR VISANDO ATINGIR O BATEDOR

O arremessador efetuou o arremesso visando atingir o batedor. Que providências deve tomar o árbitro em situação como essa?

Se o árbitro julgar que o arremessador cometeu tal infração, poderá tomar qualquer das seguintes medidas: (1) expulsar o arremessador, ou o técnico e o arremessador, do jogo; (2) advertir o arremessador e o técnico de ambas as equipes que outro arremesso dessa natureza resultará na imediata expulsão desse arremessador (ou um substituto) e do técnico.  Se, na opinião do árbitro, as circunstâncias justificam, ambas as equipes podem ser advertidas oficialmente antes do jogo ou a qualquer momento durante o jogo.

[Regra 8.02 (d) – vide Comentário – Regra 8.02 (d)]

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

JOGADA DE UM TONTO

Na primeira metade do nono “inning”, um "out", Dave Winfield do Yankees chegou à 1ª base através de um “single” (rebatida “hit” de uma base). Don Mattingly, o batedor seguinte na ordem de batedores, acertou um violento “line drive” (bola rebatida que vai em linha reta, com força, sem tocar o solo) na direção de Willie Upshaw, defensor da 1ª base do Blue Jays.

Winfield, achando que Upshaw agarraria a bola no ar, retornou à 1ª base. Upshaw, no entanto, conseguiu apanhá-la depois de ela ter quicado a alguns centímetros de sua luva. Winfield, sabendo que não chegaria a salvo (“safe”) à 2ª base, permaneceu na 1ª base. Upshaw pisou a base primeiro e depois tocou Winfield com a bola.
Houve uma jogada dupla?

Não. Mattingly é “out” e Winfield é “safe”. No momento em que Upshaw pisou a 1ª base, ele removeu a situação de Jogada Forçada, ou seja, a obrigação de Winfield desocupar a sua base deixou de existir. Se Upshaw tivesse tocado Winfield antes de pisar a base, teria sido uma Jogada Dupla.

[Regras: 2.00 “FORCE PLAY” (JOGADA FORÇADA),  7.08 (e)]
A mesma jogada ocorreu na primeira metade do nono “inning” do sétimo jogo das Séries Mundiais (“World Series”) de 1960: Mickey Mantle do Yankees estava na 1ª base e seu companheiro Yogi Berra rebateu a bola. Rocky Nelson do Pirates era o defensor da 1ª base. Mais tarde, indagado sobre o fato de não ter tocado Mantle antes de pisar a base, ele disse: “Não é à toa que o pessoal me chama de Rocky” (“rocky”, na gíria,  significa tonto).

Fonte: BIG LEAGUE Baseball PUZZLERS, de Dom Forker

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O BATEDOR FAZ "SWING" E A BOLA ARREMESSADA ATINGE O SEU CORPO

O corredor da 1ª base arranca em direção à 2ª base enquanto o arremessador está efetuando o arremesso. O batedor faz “swing” (gira o “bat”) para tentar rebater o arremesso; a bola passa direto (sem ter contato com o “bat”) e atinge o seu corpo. Que decisão deve dar o árbitro?

Deve “matar” a bola, declarar um “strike” e mandar o corredor retornar à 1ª base.

[Beisebol – Regras: 2.00 “STRIKE” (e), 6.08 (b) – REGRA APROVADA, vide Regra 5.09 (a)]

(Softbol – Regras: 7 – Seção 4f, 8 – Seção 8e, 9 – Seção 1d)

terça-feira, 16 de agosto de 2011

JOGADA DE APELAÇÃO

O corredor da 1ª base arranca em direção à 2ª base enquanto o arremessador está efetuando o arremesso. O batedor acerta um “fly” para o “right field” (jardim direito) e é eliminado. O lançamento feito pelo “right fielder” (jardineiro direito) para tentar eliminar o corredor da 1ª base sai descontrolado –a bola vai parar nas arquibancadas. Vendo a bola fora de jogo, o corredor interrompe o retorno à 1ª base e, após tocar a 2ª base, intenta ir à 3ª base.  Deve-se autorizar isso?

Sim, porque, nesse caso, o corredor tem o direito de avançar duas bases a partir da base original. Entretanto, se a defensiva apelar corretamente, o corredor será declarado eliminado por ter deixado de retocar a 1ª base.

[Beisebol – Regras: 2.00 “APPEAL” (APELAÇÃO); 7.05 (g); 7.08 (d) – vide NOTA; 7.10 (a); 7.10 (b) – REGRA APROVADA (2); Comentário – Regra 7.05 (i); Comentário – Regra 7.10 (b)]

 (Softbol – Regras: 1 – Seção 2; 8 – Seção 7f; 8 - EFEITO – Seção 7f – vide EXCEÇÃO 2; 8 – Seção 9g; 8 -  EFEITO – Seção 9g-j – vide EXCEÇÃO)

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

BATEDOR DESIGNADO ("DH")

O Batedor Designado assumiu uma posição na defensiva. Tal alteração encerra a função do Batedor Designado para o resto do jogo. Como fica a ordem de batedores?

Uma vez que a posição do Batedor Designado na ordem de batedores é “fixa”, ele tem de continuar batendo na mesma ordem. O arremessador, então, tem de bater no lugar do jogador da defensiva substituído (a não ser que dois ou mais substitutos entrem no jogo ao mesmo tempo, e nesse caso o técnico tem de comunicar ao árbitro de “home” as posições desses jogadores na ordem de batedores).  

 (Regra 6.10, Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues – Seção 2 – item 2.4)

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

“STRIKE” AUTOMÁTICO

O batedor estava demorando muito para entrar no “batter’s box”, alegando que estava olhando as senhas do “coach”.  O árbitro de “home” advertiu-o três vezes sobre a demora e ordenou-lhe que ocupasse imediatamente a sua posição. Como ele continuava fora do “batter’s box”, foi declarado um “strike” automático.

O técnico da equipe na ofensiva questionou a penalidade imposta ao batedor, mas o árbitro manteve a decisão, aplicando a Regra 6.02 (c).
Vamos à regra: Se o batedor se recusar a ocupar a sua posição no “batter’s box”, na sua vez de bater, o árbitro deverá declarar um “strike” sem que o arremessador tenha de efetuar o arremesso. A bola estará morta e os corredores não poderão avançar. Depois dessa penalidade, o batedor poderá se posicionar corretamente no “batter’s box”; a contagem regular de “ball” e “strike” continuará. Se o batedor não entrar no “batter’s box” antes de serem contados três “strikes”, será declarado eliminado.
Comentário – Regra 6.02 (c): O árbitro deve dar ao batedor uma oportunidade razoável para ele se posicionar corretamente no “batter’s box”, após ter declarado um “strike” de acordo com a Regra 6.02 (c) e antes de declarar um  “strike” sucessivo de acordo com a Regra 6.02 (c).

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

É “BALK” OU BOLA EM JOGO?

Dois eliminados, bases cheias. No momento em que o arremessador estava completando o lançamento para tentar uma jogada sobre o corredor da 3ª base, a bola escapou de sua mão e foi rolando até as proximidades da linha de base entre o “home plate” e a 3ª base. O arremessador movimentou-se rapidamente e apanhou-a antes que ela saísse do campo.  Deve ser declarado um “balk”?

Não, é bola em jogo. (A bola escapou da mão do arremessador quando ele fazia os movimentos para lançar a uma base, e não para arremessar).

Comentário – Regra 8.01 (d): Se a bola escapa da mão do arremessador ... (está se referindo a uma bola que escapa durante os movimentos de arremesso –no Livro de Regras editado no Japão isso está bem claro).

Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Basesball Leagues – Seção 6 – item 6.4 (d): Uma bola arremessada que escapa da mão do arremessador e cruza a linha de “foul” deve ser declarada um “ball”; do contrário, deve-se considerar que não houve arremesso (“no pitch”). Se a bola não cruzar a linha de “foul” quando há corredor(es) em base,  será um “balk”.  

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

ÁRBITRO DE “HOME” ESTORVA O RECEPTOR

Um eliminado, corredor na 1ª base, contagem de bolas sobre o batedor: 2 - 2 (dois “balls” – dois “strikes”). No arremesso seguinte, o corredor arrancou em direção à 2ª base. O batedor fez “swing” (girou o “bat”), mas seu “bat” não teve contato com a bola, e esta, após tocar a luva (“mitt”) do receptor, foi ao solo. Aproveitando-se disso, o batedor correu para a 1ª base. O receptor recuperou a bola e tentou lançá-la à 2ª base, mas não conseguiu porque seu braço esbarrou no árbitro. Como decidir esta jogada?

O corredor que alcançou a 2ª base deve retornar à 1ª base, devido à Interferência cometida pelo árbitro. O batedor é “out” porque, com um eliminado, havia corredor na 1ª base.

[Regras: 2.00 “INTERFERENCE” (INTERFERÊNCIA) (c), 6.05 (c)]
Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez

terça-feira, 9 de agosto de 2011

O ARREMESSADOR DÁ UM SALTO PARA O AR ANTES DE LANÇAR À 1ª BASE

Corredor na 1ª base. O arremessador, enquanto estava em contato com o “pitcher’s plate”, saltou para o ar --elevando ambos os pés simultaneamente--, e quando os pés voltaram ao solo, fez o lançamento à 1ª base para tentar surpreender o corredor fora da base. Esse movimento é legal?

É legal, desde que o pé livre esteja direcionado à 1ª base quando toca o solo.

[Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues – Seção 6 – item 6.4 (f)]

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

JOGADA FORÇADA NA 1ª BASE

Aconteceu num jogo do XVII Campeonato Brasileiro de Beisebol Interseleção -- Categoria Veteranos (45 anos) -- realizado nos dias 6 e 7/agosto/2011.
Jogada: Rebatida “ground” para o campo interno. O lançamento feito à 1ª base foi descontrolado. O defensor da 1ª base deixou a base e tentou tocar o batedor-corredor, porém não obteve êxito. Alertado pelos companheiros de que o batedor-corredor havia passado pela base, sem tocá-la, pisou rapidamente a “almofada”. Somente nesse momento o árbitro da 1ª base se manifestou –eliminou o batedor-corredor. Procedimento correto.

Num lance como esse, recomenda-se que o árbitro proceda da seguinte forma: deve ir rapidamente na direção da linha de “foul” (tomando cuidado para não ultrapassá-la, a fim de evitar um choque com o batedor-corredor) e, após observar a jogada, dar a sua decisão. Se houver toque, deve declarar “OUT”!, fazendo o gesto correspondente –antes de declarar “OUT”!, pode sinalizar que houve toque e dizer: TOCOU! (ou “TOUCH”!). Se não houver toque, deve dizer: NÃO TOCOU! (ou “NO TOUCH”!) e aguardar a conclusão da jogada.  

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

JOGADA DE APELAÇÃO

Corredor na 2ª base. O batedor rebateu forte. A bola tocou o solo após passar, em voo,  entre a 1ª  e a 2ª bases e foi na direção do “rightfield” (jardim direito). O corredor da 2ª base passou pela 3ª base, sem pisá-la, e avançou para “home”. O “rightfielder” (jardineiro direito) fez um lançamento perfeito ao receptor e provocou um “run-down play” (jogada de perseguição). Enquanto ocorria essa jogada, o corredor foi obstruído pelo receptor. O árbitro sinalizou a Obstrução e mandou o corredor para “home” (o corredor pisou o “home plate”). A equipe na defensiva pode anular esse ponto?

Pode.

Beisebol

Basta fazer uma apelação na 3ª base depois que o árbitro de “home” colocar a bola em jogo.

Quando a bola está morta, nenhum corredor pode retornar para tocar uma base omitida, ou aquela que tenha deixado antecipadamente, depois de ter avançado e tocado uma base além daquela que omitira ou deixara ilegalmente.

[Regras: 2.00 “APPEAL PLAY”, 7.02 – NOTA 1 e NOTA 2,  7.06 (a), 7.10 (b), 7.10 (b) – REGRA APROVADA (2), Comentário – Regra 7.05 (i), Comentário – Regra 7.06 (a), Comentário – Regra 7.10 (b)]

Softbol

Como no beisebol, basta fazer uma apelação na 3ª base. Só que, no softbol, a apelação pode ser feita enquanto a bola está morta.

Um corredor que tenha deixado uma base antecipadamente numa bola “fly” apanhada, ou tenha omitido uma base, pode tentar retornar para tal base enquanto a bola está morta.

(Regras: 1 – Seção 2,  8 – EFEITO – Seção 9g-j - vide EXCEÇÃO e NOTA)

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

"BOBEADA" DO RECEPTOR

“Gound Ball” (bola rebatida que vai rolando ou pulando sobre o solo) forte na direção da 2ª base. O receptor correu em direção à 1ª base a fim de dar cobertura ao defensor da 1ª base num eventual lançamento descontrolado. O lançamento feito pelo defensor da 2ª base passou pelo defensor da 1ª base e foi na direção do receptor, que estava posicionado sobre o segundo degrau do "dugout". (O receptor apanhou a bola dentro do "dugout".)  O batedor-corredor não conseguiu chegar à 1ª base antes da bola lançada pelo receptor.  Foi uma jogada inteligente do receptor?

Pelo contrário, foi uma “bobeada” do receptor. Como ele estava posicionado numa área fora de jogo (dentro do “dugout”) quando apanhou a bola, o batedor-corredor adquiriu o direito de avançar duas bases.

[Beisebol: Regra 7.05 (g)]

 (Softbol: Regra 8 – Seção 7f, Regra 8 – EFEITO – Seção 7f)

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

CONCESSÃO DE BASES

Beisebol
No momento em que o arremessador estava sobre o “pitcher’s plate” preparando-se para arremessar, o corredor da 1ª base arrancou em direção à base seguinte. Quando ele chegou à 2ª base, o arremessador já havia iniciado efetivamente seu movimento de arremesso. A bola arremessada (foi um “wild pitch”) passou pelo receptor e ficou presa no ‘bakkunetto’ *. O corredor deve ser mandado à 3ª base?

Não. A concessão de uma base deve ser feita a partir da base que o corredor ocupava no momento do arremesso, ou seja, a partir da 1ª base. Esse corredor seria considerado ocupante da 2ª base se a tivesse alcançado antes de o arremessador iniciar seu movimento de arremesso. O movimento de arremesso é definido como qualquer gesto que obriga o arremessador a jogar a bola ao batedor. O “stretch” (movimento preliminar natural antes de assumir a Posição “Set”) não é considerado o início do movimento de arremesso.

[Regra 7.05 (h)]

* ‘Bakkunetto’ vem do inglês “back net”; significa rede/tela de trás.  É a barreira situada a 60 pés (18,288m) atrás do “home plate”. O mesmo que “backstop”.  

terça-feira, 2 de agosto de 2011

BATEDOR FORA DE ORDEM

Nenhum eliminado, corredor na 1ª base. O quinto batedor entrou no “batter’s box” no lugar do terceiro batedor. O corredor avançou para a 2ª base num “wild pitch”. No arremesso seguinte, o batedor acertou um “line drive” em direção ao jardim direito e empurrou o corredor para “home”. O técnico da equipe na defensiva apelou corretamente sobre o batedor fora de ordem. O árbitro reconheceu a reclamação e eliminou o terceiro batedor –um “out”. O corredor que pisou o “home plate” anotou ponto?

Não. Ele tem de retornar à 2ª base. (Seu avanço para “home” é anulado porque resultou da rebatida do batedor incorreto.)
[Beisebol: Regra 6.07 (b), Regra 6.07 (b) – NOTA, Comentário – Regra 6.07]

[Softbol: Regra 7 – Seção 2 – EFEITO – Seção 2c-d/1 (b), 2 (a) (b)]

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

BOLA “FLY” TOCA A BORDA DO MURO DO FUNDO E VOLTA AO CAMPO

O jardineiro direito (“rightfielder”) saltou para apanhar um “fair fly” (“fly” que está em território “fair”), mas a bola tocou a borda do muro do fundo e voltou ao campo; e em seguida, após atingir  a cabeça do defensor, saiu do campo --passou por cima do muro e caiu do outro lado. Que decisão deve ser dada?

Uma bola que toca o muro e volta ao campo deve ser tratada como se ela tivesse tocado o chão. Como, no caso citado, ela saiu do campo, deve-se conceder duas bases ao batedor.
[Regra 6.09 (e)]

Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez