terça-feira, 31 de maio de 2011

JOGADA DE APELAÇÃO

Um eliminado, corredor na 1ª e 2ª. O batedor levantou um “fly” curto ao jardim central (“centerfield”), e os corredores, imaginando que a bola não seria apanhada, saíram em disparada. Ocorre que o jardineiro central (“centerfielder”) avançou bem e conseguiu efetuar a defesa. O corredor da 2ª base cruzou o “home plate”. O corredor da 1ª base tentou retornar, porém o lançamento do jardineiro central eliminou-o –terceira eliminação.  A equipe na defensiva havia deixado o campo quando resolveu apelar sobre a saída antecipada do corredor da 2ª base. O árbitro deve aceitar a apelação?

Não. Uma vez que deixe o campo, a equipe na defensiva perde o direito de apelar. O corredor da 2ª base, portanto, anotou ponto. Se tivesse apelado antes de deixar o campo, poderia solicitar a transferência da terceira eliminação ocorrida na 1ª base para a Jogada de Apelação na 2ª base (aparente “quarta eliminação”), e nesse caso não teria sido anotado ponto.

Beisebol

A equipe na defensiva terá deixado o campo quando o arremessador e todos os defensores do campo interno (“infielders”) tiverem saído do território “fair” e estiverem se dirigindo ao “bench” ou “dugout”.

Softbol

A equipe na defensiva terá deixado o campo quando todos os defensores tiverem abandonado completamente suas posições normais de defesa e deixado o território “fair”, a caminho do “bench” ou da área do “dugout”.

 (Beisebol - Regra 7.10)

 [Softbol - Regra 8 – EFEITO – Seção 9 g-j - 1 (b), 4]

segunda-feira, 30 de maio de 2011

SUBSTITUIÇÃO DE ARREMESSADOR

Roberto Hernandez está escalado como o arremessador abridor, conforme a Ordem de Batedores (“Batting Order”) entregue ao árbitro de “home”. Quando sua equipe entrou no campo para iniciar o jogo, outro jogador foi ao montículo e começou a efetuar arremessos de aquecimento. É correta essa substituição?

Não. Roberto Hernandez tem de arremessar ao primeiro batedor ou a quem venha a substituí-lo até que ele seja eliminado ou chegue à 1ª base, a menos que se machuque ou adoeça, e o árbitro principal o julgue incapacitado para arremessar.   
[Regra 3.05 (a)]

Fonte: EL BEISBOL Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez

ARREMESSADOR SUBSTITUTO NÃO ANUNCIADO

Terminada uma metade de “inning”, a equipe que estava na ofensiva entrou no campo para defender. O defensor da 3ª base posicionou-se sobre o “pitcher’s plate”, fez dois arremessos ao receptor e, quando o arremessador chegou ao montículo (“mound”), foi em direção à sua posição. O arremessador efetuou os arremessos de aquecimento permitidos; e o árbitro de “home” deu prosseguimento normal à partida.  Houve alguma irregularidade?

Sim. O defensor da 3ª base é considerado um arremessador substituto não anunciado. Portanto, ele teria que ter enfrentado pelo menos um batedor.

 [Regras 3.05 (b), 3.08 (a) (1)]

sexta-feira, 27 de maio de 2011

FOI ANOTADO PONTO?

Equipe “A” na ofensiva. Bases cheias, duas eliminações, contagem de bolas sobre o batedor: 3-2 (três “balls”-dois “strikes”).  

Os três corredores iniciam a corrida no momento em que o arremessador da equipe “B” está fazendo os movimentos de arremesso. Como o arremesso foi declarado “ball” (quarto “ball”), os corredores foram autorizados a avançar, sem  o risco de serem eliminados. Mas o corredor da 1ª base, um jogador novato, chegou à 2ª base, deslizando, e ultrapassou-a. O receptor, vendo o corredor fora da base, lançou  rapidamente ao defensor da 2ª base, e nessa jogada foi completada a terceira eliminação antes de o corredor da 3ª base pisar o “home plate”. Foi anotado ponto?

Pode parecer contraditório, mas deve ser contado um ponto. Embora o corredor da 3ª base tenha pisado o “home plate” depois da terceira eliminação do “inning”, o ponto é válido, pois o que ele precisava fazer era tocar a base seguinte, já que havia sido forçado a avançar devido ao “walk” (concessão da 1ª base) obtido pelo batedor.

Um corredor que tenha sido forçado a avançar, sem o risco de ser eliminado, pode ultrapassar a base que lhe fora concedida, mas a seu próprio risco. Se tal corredor forçado a avançar for eliminado após ultrapassar a base e completar a terceira eliminação antes que um corredor precedente, também forçado a avançar, toque o “home plate”, o direito desse corredor precedente avançar não será afetado; ele poderá anotar ponto.

[Comentário – Regra 7.04 (b)]

quinta-feira, 26 de maio de 2011

"TRIPLE PLAY" OU "DOUBLE PLAY"?

Nenhum eliminado, bases cheias. O batedor acertou um “line drive” (bola rebatida que vai em linha reta, com força, sem tocar o solo) em direção à 3ª base. A bola quicou a um metro do defensor da 3ª base. Este apanhou-a sem muita dificuldade, pisou a base e tocou o corredor que estava sobre essa base.  Continuando a jogada, fez o lançamento à 2ª base e eliminou o corredor da 1ª base em jogada forçada. Deve-se considerar uma jogada tripla?

Não. A partir do momento em que o defensor da 3ª base pisou a “almofada”, a situação “forçada” deixou de existir, ou seja, o corredor da 3ª base não tinha mais a obrigação de avançar; assim, a jogada de toque (“tag play”) sobre ele, que estava em contato com a 3ª base, foi em vão.  Houve, portanto, uma jogada dupla.
[Beisebol: Regra 2.00 “DOUBLE PLAY”, Regra 7.08 (e)]

(Softbol: Regra 1 – Seção 26, Regra 8 – Seção 9c)

quarta-feira, 25 de maio de 2011

"FOUL FLY" RESULTANTE DE "BUNT" EXECUTADO DEPOIS DE DOIS "STRIKES"

Corredor na 2ª base, contagem de bolas sobre o batedor: dois “strikes”.  O “bunt” executado para empurrar o corredor resultou em “fly” curto entre a 3ª base e o “home plate”. O defensor da 3ª base avançou rapidamente e apanhou a bola no ar, em território “foul”. Enquanto isso, o corredor da 2ª base havia alcançado a 3ª base. Que decisão deve ser dada?
Quando um “fly” resultante de “bunt” executado depois de dois “strikes” é apanhado no ar, a bola permanece viva e em jogo. O corredor que chegou à 3ª base poderá ser eliminado se não retornar a tempo à 2ª base (antes de ser tocado, ou antes que sua base seja tocada, por um defensor).

[Regra 7.08 (d)]
Fonte: EL BEISBOL – Arbitros en el Terreno, de Humberto Vázquez

terça-feira, 24 de maio de 2011

BATEDOR FORA DE ORDEM

Beisebol

Bases cheias. O terceiro batedor entrou no “batter’s box”  no lugar do nono batedor. O arremessador cometeu “balk” quando se preparava para fazer o primeiro arremesso a esse batedor. O corredor da 3ª base pisou o “home plate” e os demais corredores avançaram uma base. Os dois primeiros arremessos foram perfeitos, mas o terceiro saiu descontrolado (“wild pitch”); o corredor que estava na 3ª base também pisou o “home plate”. O receptor apanhou a bola nas proximidades do “backstop” (barreira situada atrás do “home plate”) e lançou-a à 3ª base para tentar eliminar o corredor que avançava da 2ª base. O lançamento, porém, foi mal executado –a bola foi parar no “leftfield” (jardim esquerdo). E esse corredor também cruzou o “home plate”. No arremesso seguinte, o batedor acertou um “home run”. Se houver apelação, quantos pontos serão contados?

Serão contados os pontos anotados antes do “home run”, pois estes não resultaram da ação do batedor incorreto. O nono batedor será declarado eliminado e o quadrangular do terceiro batedor será anulado.

[Regra 6.07 (b) – vide NOTA]

"FAIR" OU "FOUL"?

Ocorreu num jogo de beisebol da categoria Infantil: Rebatida “fly” para as proximidades da linha de base entre o “home plate” e a 3ª base. O defensor da 3ª base tentou efetuar a defesa, mas a bola escapou de sua luva e caiu em território “fair” (o defensor estava em território “foul”). O batedor conseguiu chegar à 1ª base. O árbitro de “home” declarou um “foul ball” e mandou o batedor retornar ao “batter’s box” (a bola estava em território “foul” quando tocou a luva do defensor). A equipe na ofensiva, porém, não concordou com a decisão, e ... teve início uma longa discussão. O jogo ficou paralisado por algum tempo, mas, finalmente, prevaleceu a decisão do árbitro.

Regra 2.00 “FAIR BALL”:  Um “fair fly” deve ser julgado de acordo com a posição da bola em relação à linha de “foul”, incluindo o poste de “foul”, e não pela posição do defensor –se ele estava em território “fair” ou “foul” –no momento em que tocou a bola.

Regra 2.00 “FOUL BALL”: Um “foul fly” deve ser julgado de acordo com a posição da bola em relação à linha de “foul”, incluindo o poste de “foul”, e não pela posição do defensor –se ele estava em território “foul” ou “fair” –no momento em que tocou a bola.
Se isso tivesse acontecido num jogo de softbol, seria dada a mesma decisão. 

(Regra 1 – Seção 29 – NOTA, Regra 1 -  Seção 37 – NOTA)










domingo, 22 de maio de 2011

"FAITO!", "FAITO!"

Num jogo de beisebol torcedores gritavam: "FAITO!", "FAITO!". Havia uma pessoa que não estava entendendo o que esses torcedores estavam dizendo. Pergunta para um, pergunta para outro, e ????? ...  até que finalmente alguém lhe explicou que eles estavam incentivando os jogadores a irem à luta.  FAITO vem do inglês “FIGHT”, que quer dizer luta, lutar, briga, brigar etc.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

OCUPANTES DE UM "DUGOUT" DISCORDAM DA DECISÃO DE UM ÁRBITRO

Beisebol
O dia não estava bom para o árbitro de “home”. Os ocupantes do “dugout” do lado da 1ª base não estavam gostando de sua atuação. Apesar de terem sido advertidos, continuaram se manifestando contra o árbitro. Quando alguém gritou discordando violentamente de sua decisão sobre um arremesso colocado na altura do joelho do batedor, o árbitro aproximou-se imediatamente do “bench”, mas não conseguiu identificar o infrator.  Que providência deve tomar o árbitro?

Pode retirar do “bench” todos os jogadores reservas. O técnico da equipe infratora terá permissão para chamar ao campo de jogo somente aqueles jogadores necessários para as substituições que pretende fazer. 

(Regra 4.08)

quinta-feira, 19 de maio de 2011

DEVE SER CONSIDERADO UM SUBSTITUTO?



Contagem de bolas (“ball count”): dois “strikes”. O batedor –que na defensiva atua na 1ª base- não conseguiu rebater o arremesso seguinte e completou a terceira eliminação do “inning”. Quando girou o “bat”, sentiu uma dor forte nos quadris. Enquanto o técnico o examinava no “dugout”, um jogador reserva entrou na 1ª base para aquecer os “infielders” (defensores do campo interno). Após ser considerado apto para continuar jogando, o primeira base titular assumiu a sua posição. Isso é legal? Ou o jogador reserva deveria permanecer no jogo como o novo defensor da 1ª base?

Isso é legal.

Beisebol
Um jogador que ocupa a posição de um defensor é considerado oficialmente no jogo somente quando o árbitro de “home” declara “Play”.

[Regra 3.08 (a) (3)]
 

Softbol
Um substituto não é considerado oficialmente no jogo até que um arremesso tenha sido efetuado ou uma jogada tenha sido executada.

(Regra 4 – Seção 8a)

quarta-feira, 18 de maio de 2011

JOGADA DE APELAÇÃO

Um eliminado, corredor na 2ª e 3ª base, rebatida de duas bases (“two-base hit”). Os corredores avançaram para “home”. O corredor da 3ª base, percebendo que omitira o “home plate”, retornou para corrigir a falha. Isso depois que o corredor da 2ª base já havia anotado ponto. Houve apelação. Quantos pontos devem ser contados?

Somente um ponto. Um corredor não pode retornar para tocar uma base omitida depois que um corredor subsequente anota ponto.

[Beisebol: Regra 7.10 (b) – REGRA APROVADA (1) – vide NOTA 1 e NOTA 2]

(Softbol: Regra 8 – Seção 4f, Regra 8 - EFEITO – Seção 4e-h)

terça-feira, 17 de maio de 2011

CORREDOR RECUA PARA PISAR UMA BASE QUE OMITIRA

Corredor na 1ª base. O batedor acerta uma rebatida de três bases (“three-base hit”). O corredor da 1ª base passa pela 2ª base, sem pisá-la, e quando dá alguns passos após tocar a 3ª base seu “coach” alerta-o sobre a omissão da 2ª base. Ele retoca a 3ª base e inicia a volta à 2ª base. O batedor-corredor, que estava se dirigindo à 3ª base, recua para a 2ª base, e depois para a 1ª base. O corredor da 1ª base consegue retornar à 2ª base. O corredor pode recuar para pisar uma base que omitira depois de ter tocado a base seguinte?

Beisebol
Enquanto a bola está viva, sim. Em situações de bola morta (como no caso de um “home run”), não.

[Regras: 7.02, 7.10 (b) – vide REGRA APROVADA (2) e Comentário – Regra 7.10 (b)]

Softbol
Um corredor que tenha deixado uma base antecipadamente numa bola “fly” apanhada no ar, ou tenha omitido uma base, pode tentar retornar para tal base enquanto a bola está morta. 

(Regra 8 – Seção 4a, Regra 8 – EFEITO – Seção 9g-j – EXCEÇÃO)

segunda-feira, 16 de maio de 2011

PROCEDIMENTO PARA DECLARAR UM "BALK"


Para declarar um “balk”, o árbitro deve apontar para o arremessador e dizer em voz alta: É “balk”!. A bola, porém, não fica morta automaticamente no momento em que o árbitro aponta a infração, e sim quando ele declara “Time” depois de concluída a jogada. A declaração de “Time” deve ser feita com voz alta e com energia, da mesma forma que quando declara “balk”.

Quando o árbitro deve declarar ”Time” para “matar” a bola?  Os casos seguintes devem ajudar a esclarecer quando a jogada é considerada concluída e em que momento o árbitro deve declarar ”Time”.

1. O arremessador comete a infração e não solta a bola. O árbitro deve declarar: É “balk”!; “Time”!. Em seguida, deve aplicar a regra de “balk”.   

2. O arremessador efetua o arremesso após cometer a infração. O batedor rebate a bola arremessada. O árbitro deve esperar até certificar-se de que o batedor e todos os corredores não avançarão pelo menos uma base. Depois disso deve declarar “Time” e aplicar a regra de “balk”.

Exemplo (1): Após cometer a infração o arremessador efetua o arremesso. O batedor levanta um “fly”. O árbitro deve declarar “Time” no momento em que a bola é apanhada no ar. Depois disso deve aplicar a regra de “balk”.

Exemplo (2): Após cometer a infração o arremessador efetua o arremesso. O batedor acerta um “ground”. O corredor precedente é eliminado na base para a qual teria o direito de avançar em razão da falta cometida pelo arremessador. O árbitro deve declarar “Time” no momento em que ocorre a eliminação. Depois disso deve aplicar a regra de “balk”.

Se o batedor alcança a 1ª base e todos os corredores avançam pelo menos uma base na jogada que ocorre depois de declarado um “balk”, a infração cometida pelo arremessador não deve ser levada em consideração.

3. O arremessador efetua o arremesso após cometer a infração. O árbitro deve declarar “Time” no momento em que o receptor apanha a bola. Depois disso deve aplicar a regra de “balk”.   

4. Após cometer a infração  o arremessador faz um lançamento a uma base para tentar eliminar o corredor. O árbitro deve declarar “Time” no momento em que o defensor apanha a bola. Depois disso deve aplicar a regra de “balk”.

5. O arremessador efetua o arremesso após cometer a infração. Esse arremesso é um “ball” e corresponde ao quarto “ball”. O árbitro deve declarar “Time” no momento em que o receptor apanha a bola. Depois disso deve aplicar a regra de “balk”, a menos que todos os corredores avancem uma base em consequência do “ball four”. Nessa situação, a jogada continua sem levar em consideração a falta cometida pelo arremessador.

6. O arremessador efetua o arremesso após cometer a infração. O batedor é atingido pela bola arremessada (“hit by pitch”). O árbitro deve declarar “Time” no momento em que ocorre o “hit by pitch”. Depois disso deve aplicar a regra de “balk”, a menos que todos os corredores avancem uma base em razão do incidente, caso em que a jogada deve continuar sem levar em consideração a falta cometida pelo arremessador.

7. Se em seguida à declaração de um “balk” ocorre um “wild throw” (lançamento descontrolado) a uma base, a regra estabelece que o corredor pode avançar além da base para a qual tem o direito de ir, a seu próprio risco. Nessa situação, o árbitro deve marcar a infração, de maneira normal, mas não deve declarar “Time” até que toda a jogada esteja concluída (até que os corredores tenham parado de tentar avançar e um defensor esteja de posse da bola no campo interno).

8. Se em seguida à declaração de um “balk” ocorre um “wild pitch” (arremesso descontrolado), a regra estabelece que o corredor pode avançar além da base para a qual tem o direito de ir, a seu próprio risco. Nessa situação, o árbitro deve marcar a infração, de maneira normal, mas não deve declarar “Time” até que toda a jogada esteja concluída (até que os corredores tenham parado de tentar avançar e um defensor esteja de posse da bola no campo interno).

Mesmo que o corredor avance à (ou além da) base para a qual tem o direito de ir em consequência do arremesso descontrolado feito em seguida à declaração de um  “balk”, a falta cometida pelo arremessador será confirmada. Isto é, o arremesso será anulado e o batedor continuará batendo com a contagem de bolas (“ball count”) que tinha quando a infração foi cometida, a menos que: (a) o arremesso descontrolado tenha sido o quarto “ball” em que todos os corredores tenham avançado uma base; ou (b) o arremesso descontrolado tenha sido o terceiro “strike” em que o batedor e todos os outros corredores tenham avançado uma base.

Em ambas as situações --(a) e (b)-- acima a jogada deve continuar sem levar em consideração a infração cometida pelo arremessador.

Fonte: Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues

quarta-feira, 11 de maio de 2011

"BALK" OU JOGADA LEGAL?

Num jogo de campeonato da categoria Adultos aconteceu um lance assim: O arremessador (destro) estava na Posição “Set”.  No momento em que ele levantou o pé livre, o corredor da 2ª base disparou em direção à base seguinte. O arremessador, então, deu um passo na direção da 3ª base e fez o lançamento àquela base. O defensor da 3ª base tocou o corredor com a bola bem antes de ele alcançar a “almofada”. Foi “balk” ou foi uma jogada legal?

Depende de como ocorreu a jogada.  Vamos fazer algumas considerações:  

 Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues – Seção 6 - item 6.6: A Regra 8.05 (d) estabelece que o arremessador deve ser penalizado com um “balk” se, enquanto está em contato com o “pitcher’s plate”, lança ou simula um lançamento a uma base desocupada, a menos que tal ação tenha o propósito de fazer uma jogada.

Jogada 1: Corredor na 1ª e 2ª base, arremessador na Posição “Set”. O corredor da 2ª base arranca em direção à 3ª base, e o arremessador faz o lançamento àquela base. Jogada legal.

Jogada 2: Corredor na 1ª e 2ª base, arremessador na Posição “Set”. O corredor da 2ª base ameaça correr para a 3ª base, mas retorna à 2ª base, e o arremessador faz o lançamento à 3ª base. É “balk” [Regra 8.05 (d)].

Para decidir jogadas como as apresentadas acima, o árbitro deve verificar se o corredor estava, realmente, tentando avançar à 3ª base, ou se estava apenas blefando. O arremessador pode fazer um lançamento a uma base desocupada com o propósito de fazer uma jogada de apelação (não é “balk”).

Nos dois exemplos o lançamento foi feito quando o arremessador estava parado após assumir a Posição “Set”, mas na jogada ocorrida no campeonato o arremessador já estava com o pé livre no ar.

Comentário - Regra 8.05 (a):
Se um arremessador (canhoto ou destro) movimenta o seu pé livre além da borda traseira do “pitcher’s plate”, ele é obrigado a arremessar ao batedor, a menos que lance à 2ª base para surpreender um corredor.

Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – Seção 6 – Item 6.4:
Um arremessador (destro ou canhoto) é obrigado a arremessar ao batedor ou lançar à 2ª base (ou simplesmente ameaçar) quando movimenta o seu pé livre inteiro para trás da borda posterior do “pitcher’s plate”.

Como no caso que estamos analisando o arremessador já estava com o pé livre no ar quando foi surpreendido pelo corredor, o importante é saber se esse pé havia ou não ultrapassado a borda traseira do “pitcher’s plate”. Em caso afirmativo, teria que ter dado um passo em direção à 2ª base antes de direcionar o pé à 3ª base para fazer o lançamento àquela base.

No livro “DIAMOND CHALLENGE”, de Jin Evans, há um exemplo.

 SITUAÇÃO: Nenhum eliminado ... contagem de bolas sobre o batedor: 3 - 2 (três “balls” - dois “strikes”) ...corredor na 1ª e 2ª base. O arremessador (destro) está completamente parado após o “stretch”. Tão logo o seu pé livre se levanta ... cada corredor sai em disparada em direção à base seguinte. Sem cruzar a superfície do “pitcher’s plate” com o seu pé livre, o arremessador lança à 3ª base e “pega” o corredor. ISSO É LEGAL?

RESPOSTA: [Regra 8.05 (d)] É legal (o lançamento foi feito para executar uma jogada). Se o corredor não estivesse avançando ... o arremessador seria penalizado com um “balk” por ter lançado a uma base desocupada.

terça-feira, 10 de maio de 2011

FOI DECLARADO UM "INFIELD FLY". O DEFENSOR DERRUBOU A BOLA.

Aconteceu num jogo de beisebol da categoria Infantil. Segunda metade do último “inning”, um “out”, bases cheias. Rebatida “fly” para o campo interno. Quando o arremessador se posicionou para efetuar a defesa, o árbitro de “home” aplicou a regra de “Infield Fly”. A bola, porém, bateu na luva e foi ao solo. Vendo isso, os corredores avançaram às bases seguintes. O arremessador, então, apanhou a bola que estava rolando em direção à linha de “foul” da 1ª base e lançou-a à 3ª base.  O defensor da 3ª base recebeu a bola e pisou a base. O árbitro da 3ª base eliminou o corredor da 3ª base. (Argumento apresentado pelo árbitro: o corredor saiu da base enquanto a bola estava no ar e não retornou para retocá-la antes de avançar para “home”.) O ponto anotado não foi contado.

O árbitro da 3ª base cometeu um grave erro. Como a bola não foi apanhada no ar, o corredor não tinha a obrigação de retocar a base.  

A decisão correta seria: contar um ponto e dar prosseguimento à partida, com dois eliminados, corredor na 3ª e na 2ª bases.

[Regras: 2.00 “INFIELD FLY”, 2.00 “RETOUCH” – vide NOTA, 6.05 (e)]

segunda-feira, 9 de maio de 2011

POSICIONAMENTO DOS ÁRBITROS NO INÍCIO DO JOGO E NOS INTERVALOS ENTRE "INNINGS"


O árbitro de “home” deve ficar posicionado perto da linha de “foul” da 1ª base ou 3ª base, afastado seis a sete metros do “home plate”. Os árbitros de base devem permanecer longe de suas posições normais, alguns passos dentro do gramado do campo externo.  O árbitro da 1ª base deve ficar entre a 1ª e a 2ª bases, e o da 3ª base, entre a 2ª e a 3ª bases.

Os árbitros devem evitar conversações e confrontos com jogadores, técnicos ou “coaches”.

Se o árbitro de “home” estiver tendo algum problema com uma das equipes durante um determinado “inning”, ele deve posicionar-se no lado oposto do “dugout” dessa equipe.  O mesmo raciocínio deve ser usado também com relação aos árbitros de base. Ou seja, se um árbitro de base pressentir que poderá haver algum problema com um defensor que está deixando o campo ou se dirigindo à sua posição, no intervalo entre “innings”, ele não deve ficar numa área que propicie um confronto com esse jogador.

COMO PROCEDER NA SITUAÇÃO DE DH

ATUALIZADO EM 02/05/2011

DH - ALTERAÇÕES DURANTE O ATAQUE

  1. Pinch Hitter - PH
        Outro batedor pode substituir o atual DH. A substituição deverá ser informada pelo Técnico no momento em que o novo DH irá rebater. A atuação do DH se mantém.
  1. Pinch Runner - PR
        Um corredor pode substituir o DH após uma rebatida. A substituição deverá ser indicada pelo Técnico após o DH chegar à base conquistada. O DH passa a ser o Corredor substituto.
  1. Arremessador entra para rebater
        O Arremessador poderá rebater somente no lugar do DH. A substituição deverá ser informada pelo Técnico. Nesta situação o DH deixa de existir.


DH - ALTERAÇÕES NA DEFESA

  1. Alteração do Arremessador
        Havendo só a mudança do arremessador, a ordem de Batting permanece inalterada, ou seja, a atuação do DH deverá existir durante o ataque.

  1. Alteração de Posições na Defesa sem mudança do Arremessador e DH
        Alteração padrão não ocorrendo mudança na ordem de Batting, e mantém-se a atuação do DH durante o ataque.

  1. Arremessador passa a ser um defensor e Novo Arremessador é um defensor atual
        Neste caso o Arremessador que passa a ser um defensor entrará para bater no lugar do DH, encerrando a atuação do DH, e o Novo Arremessador continua rebatendo em sua ordem de Batting.

  1. Arremessador passa a ser um defensor e Novo Arremessador entra em jogo para iniciar a sua atuação
        O ARREMESSADOR QUE PASSA A SER UM DEFENSOR DEVE ENTRAR PARA REBATER NO LUGAR DO DH E O NOVO ARREMESSADOR ENTRA NA ORDEM DO DEFENSOR QUE SAIU. ACABA A ATUAÇÃO DO DH.
  1. DH passa a defensor, Arremessador passa a defensor e Novo Arremessador entra em jogo para iniciar sua atuação
        Neste caso o DH que passa a Defensor continua na mesma ordem de Batting
        A ordem de Batting do Arremessador, que passa a defensor, e do Novo Arremessador deverá ser definida pelo técnico.

Fonte: SONOE HIRAE

sexta-feira, 6 de maio de 2011

O BATEDOR-CORREDOR SAIU DA FAIXA DE TRÊS PÉS

Num jogo de beisebol ocorreu a seguinte jogada: Rebatida “fair ground” (bola “fair” que vai rolando ou pulando sobre o solo) fraca na direção da 1ª base. O defensor da 1ª base apanhou a bola nas proximidades da linha de “foul” e estava preparado para tocar o batedor-corredor que estava correndo dentro da faixa de três pés. O batedor-corredor, porém, saiu da faixa e entrou na área “fair” para fugir do toque. O árbitro deve declará-lo eliminado?

Sim. O batedor-corredor pode sair da faixa de três pés para evitar interferir na ação de um defensor que está tentando apanhar uma bola rebatida.  É permitido também que o batedor-corredor saia da faixa de três pés por meio de um passo, passada larga, esticando-se ou deslizando nas proximidades da 1ª base, com o único propósito de tocar a “almofada”. Mas se ele sair para evitar ser tocado, depois que o defensor tiver efetuado a defesa, será eliminado.

[Regra 6.05 (k), Comentário – Regra 6.05 (k), vide Regra  7.08 (i) – NOTA]

quinta-feira, 5 de maio de 2011

"BALK" QUE PODERIA TER SIDO EVITADO

Segunda metade do último “inning”, dois “outs”, corredor na 3ª base, contagem de bolas: 3-2, jogo empatado. O arremessador estava fazendo os movimentos para arremessar da Posição “Windup”, porém, no momento em que levantou o pé livre do solo, desequilibrou-se e não completou o arremesso –ele foi ao chão com a bola na mão. O árbitro de “home” declarou um “balk”. O jogo foi definido com o ponto anotado pelo corredor da 3ª base.

Nesse lance, o arremessador deveria ter soltado a bola, já que, se ela ultrapassasse a linha de “foul”, seria declarado um “ball” e não um “balk”.

[Regra 8.05 (a), Comentário – Regra 8.01 (d)]

[Manual do Árbitro da N.A.P.B.L. – National Association of Professional Baseball Leagues – Seção 6 – item 6.4 (d)]

terça-feira, 3 de maio de 2011

O RECEPTOR CAIU PARA DENTRO DO "DUGOUT" APÓS APANHAR UM "FOUL FLY"

Um “out”, corredor na 2ª base. O receptor apanhou um “foul fly” (“fly” rebatido para o território “foul”) na beira do “dugout”. Em seguida, caiu para dentro dele. Como deve ser decidido este lance?

Beisebol
O batedor é “out”, a bola torna-se morta e o corredor da 2ª base deve ser autorizado a ir à 3ª base.

Se um defensor, após efetuar uma pegada legal (“catch”), entra num “bench” mas não cai, a bola permanece em jogo e os corredores podem avançar a seu próprio risco.

[Regras: 5.10 (f), 6.05 (a), 7.04 (c), Comentário – Regra 6.05 (a), Comentário- Regra 7.04 (c)]

Softbol
O batedor é “out”, a bola torna-se morta e todos os corredores são autorizados a avançar uma base a partir da última base tocada no momento em que o defensor entrou no “dugout” (mesmo que ele não caia).

(Regras:  8 – Seção 2b,  8 – Seção 7i, EFEITO – Seção 7i)

segunda-feira, 2 de maio de 2011

"DORON GUEEMU"

O jogo entre Guarulhos e Medicina Pinheiros pelo Campeonato Paulista de Beisebol   2011 –Categoria Adultos-, que estava acontecendo no Estádio Municipal do Bom Retiro no dia 1º de maio último, foi encerrado pelo árbitro principal na segunda metade do segundo “inning” por motivo de chuva. Terá de ser jogado em outra data desde o início.

Um aficionado que estava assistindo ao jogo perguntou a um companheiro: É um “Doron Gueemu”?

“Doron Gueemu” vem do inglês “Drawn Game” –significa jogo indefinido, ou seja, jogo encerrado antes de tornar-se um jogo regulamentar. Outro termo usado para designar um jogo encerrado nessa situação é “No Game” (jogo nulo). 

“Drawn Game” é um “Called Game”, sabia?

Como????? “Called Game” não é um jogo regulamentar encerrado somente em razão de diferença dilatada no placar?  Muitos pensam assim, mas essa ideia é falsa. “Called Game” é qualquer jogo que, por alguma razão (chuva, más condições do campo, escuridão etc.), é encerrado pelo árbitro principal antes de serem completados os “innings” regulamentares ...  e pode ser um jogo indefinido/nulo.